20/04/2019 Brasília - DF 24°C

Arquivos Júlio Gregório - Blog do Callado

rollemberg-educação-1024x680.jpg

Ricardo Callado14/07/20177min

Governador Rodrigo Rollemberg assinou ordem de serviço para reforma da unidade de ensino na manhã desta quinta (13), em Santa Maria

Os 430 estudantes da Escola Classe 1 do Porto Rico, em Santa Maria, serão atendidos em período integral a partir de 2018. A modalidade estará disponível com a retomada das obras de ampliação da unidade de ensino, autorizadas nesta quinta-feira (13), pela ordem de serviço assinada pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Ele estava acompanhado do secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, que garantiu a restauração do ensino integral na unidade, interrompido devido às obras.“A comunidade precisa muito desta escola. Além de reformar a instituição, vamos ampliá-la”, disse o governador.

As complementações previstas no contrato incluem a conclusão do sistema de drenagem, de alvenaria, revestimentos, instalação de esquadrias, pisos, forros, pintura e acessórios, estrutura de rampas e muro de contenção, instalações elétricas, hidráulicas e de incêndio.

Também está prevista a construção de estacionamento, calçadas e rampas e o plantio de grama. O valor para conclusão da obra é de R$ 1.424.000, e o prazo de entrega é de 180 dias após assinatura da ordem de serviço.

As benfeitorias na escola começaram em 2014. Em 2016, estavam 46% executadas. No entanto, a empresa responsável solicitou rescisão do contrato por dificuldades financeiras. Em 2017, uma nova empresa venceu a licitação para concluir a reforma.

Para minimizar os danos causados à população, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) fez alguns serviços por meio de obra direta.

Entre as medidas tomadas pela empresa pública estão a instalação elétrica e hidráulica dos equipamentos da cozinha industrial, a recuperação de estruturas para evitar desmoronamento, reforço da fixação das telhas laterais da cobertura da quadra de esportes, instalação de treliças, fixação de telhas e a construção das calçadas de acesso e pintura em um dos blocos.

De acordo com a Novacap, também foram tomadas medidas para a segurança dos frequentadores da escola, como a retirada de tapumes e a instalação de alambrados, além de melhorias para viabilizar o uso do estacionamento e a limpeza e roçagem do mato alto em volta da escola.

Obras de infraestrutura avançam no Porto Rico

O governador de Brasília aproveitou para visitar as obras de infraestrutura que ocorrem no Setor Habitacional Ribeirão, conhecido como Porto Rico. Os serviços de urbanização começaram em julho de 2016 e compreendem 15 quilômetros de drenagem, 19,5 quilômetros de pavimentação, 45 mil metros quadrados de calçadas e 38 mil metros quadrados de meios-fios.

90%Serviços de drenagem executados no Porto Rico

“Essas obras não só melhoram a infraestrutura das regiões, mas atuam na qualidade de vida dos moradores. Elas influenciam na saúde da população com a diminuição de lama e poeira, facilitam a limpeza pública e a segurança”, disse o governador.

Do total da obra, dividida em seis lotes, 90% dos serviços de drenagem estão executados, e 10% da pavimentação já foi feita. Serão investidos R$ 29,1 milhões, por meio de financiamento com a Caixa Econômica Federal. A previsão é que as obras sejam concluídas até o fim de 2017.

O governador de Brasília aproveitou para visitar as obras de infraestrutura que ocorrem no Setor Habitacional Ribeirão, conhecido como Porto Rico.
O governador de Brasília aproveitou para visitar as obras de infraestrutura que ocorrem no Setor Habitacional Ribeirão, conhecido como Porto Rico. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

Como parte do processo de urbanização, em junho, foi inaugurada a Estação Elevatória de Esgotos do Setor Habitacional Ribeirão, próximo à Quadra 24.

Foram investidos cerca de R$ 2,7 milhões na construção da estrutura, que permitirá a instalação do esgotamento sanitário do setor.

De acordo com a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb), a elevatória beneficia cerca de 1,8 mil pessoas. Nos próximos três meses, vai atender um total de 12 mil cidadãos.

A estação foi construída para viabilizar a transferência dos esgotos captados até a Estação de Tratamento de Esgoto de Santa Maria, onde serão 100% tratados. Também foi executada a rede coletora para permitir a ligação dos ramais condominiais diretamente ao tubo que leva até a elevatória, que tem vazão máxima de 57 litros por segundo.

A obra consiste em um abrigo para o poço de sucção, bombas, barrilete, grupo gerador, banheiro, linha de recalque e poço de segurança. A linha de recalque é constituída de 2.175 metros lineares de tubos. O poço de segurança tem volume útil de 820,8 metros cúbicos com função de conter o esgoto no caso de não funcionamento das bombas.


rollemberg-julio-gregorio-1024x683.jpg

Ricardo Callado06/05/20175min

Credenciada em fevereiro, unidade apresentou placa em solenidade nesta sexta-feira (5), com a presença de representantes da organização e do governador Rodrigo Rollemberg

O Centro Interescolar de Línguas (CIL) de Taguatinga inaugurou o selo de escola associada à Unesco na tarde desta sexta-feira (5). Credenciada em fevereiro, a unidade receberá o certificado em evento da organização em setembro, em Foz do Iguaçu (PR).

Como associada, além de estar apta a participar de projetos internacionais da organização, a escola de línguas deverá trabalhar no seu projeto pedagógico temas como cultura de paz, aprendizagem intercultural e desenvolvimento sustentável.

Ao parabenizar o centro de línguas, o governador Rodrigo Rollemberg lembrou a importância de ampliar o acesso ao estudo de idiomas: “No nosso governo, aumentamos de 8 para 15 unidades. Tenho um apreço especial pela proposta do CIL porque abre um novo horizonte para os nossos jovens”.

Para ele, a associação da escola à Unesco “é um passo importante para o fortalecimento da educação pública do DF e também de uma cidade cidadã”.

Coordenadora nacional do Programa de Escolas Associadas da Unesco, Myriam Tricate destacou o feito do CIL de Taguatinga. “Muitas escolas de línguas nos procuram, mas são poucas as que conseguem o certificado.”

Ela explica que há uma grande preocupação em saber se as unidades de idiomas terão tempo para desenvolver a proposta. “É muito difícil, e eles provaram que é possível”, acrescentou.

A unidade é a segunda do DF a fazer parte do projeto da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. A Escola Classe 39 de Taguatinga e duas escolas particulares também são associadas.

No Brasil todo, são 374 escolas habilitadas. Para manter a associação é preciso comprovar anualmente que está cumprindo as propostas.

A iniciativa para credenciar a escola surgiu quando, por meio de parceria com a Universidade Católica de Brasília, o CIL de Taguatinga foi convidado a trabalhar em projeto para o fórum da Unesco de 2016, em Ottawa, no Canadá.

A associação era um dos requisitos. Assim, à época, a escola participou e enviou representantes ao evento por já estar em processo de credenciamento — oficializado em fevereiro deste ano.

Também na cerimônia desta sexta (5), que contou ainda com apresentações musicais, alunos que participaram do projeto receberam a certificação de cidadão global da Unesco, de 60 horas, por contribuir com a construção de uma carta branca, documento com perspectivas e propostas dos jovens sobre cidadania.

Giovanna Teles, de 19 anos, aluna de inglês da unidade, foi uma das contempladas. “Vimos culturas e realidades que não conhecíamos, fomos além do estudo de idiomas. A experiência não ficou restrita a um projeto acadêmico. É uma contribuição para a nossa escola, a nossa comunidade”, avaliou.

A organização mantém um fórum on-line para que alunos de diferentes locais possam trocar experiências e debater os temas propostos.

Presente à cerimônia, o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, destacou que, além de incentivar a cultura de paz e dar visibilidade aos CILs, a iniciativa renova as energias dos estudantes. “Amplia as possibilidades de os alunos participarem de eventos internacionais.”

No evento, o CIL de Taguatinga ainda firmou parceria com a Cátedra Unesco de Juventude, Educação e Sociedade, criada em 2007 pela Universidade Católica de Brasília e aprovada pela organização em 2008.

Eles apoiarão a escola, por exemplo, na formação dos professores, na organização de semanas pedagógicas e em oficinas e trabalhos com os pais e alunos.

Rede de Escolas Associadas da Unesco

Comumente chamado de Escolas Associadas da Unesco, o projeto foi fundado em 1953 e atua em, pelo menos, 180 países. A rede é composta por mais de 10 mil unidades educacionais, sendo cerca de 380 no Brasil.

Podem se associar creches, pré-escolas, escolas primárias, secundárias, técnicas e instituições de formação de professores. O trabalho é voltado, segundo a organização, para apoiar a paz, o diálogo internacional, o desenvolvimento sustentável e a educação de qualidade.


vacinação-gripe-professores-escolas-saude-rollemberg-tony-winston-1024x683-1024x683.jpg

Ricardo Callado03/05/20173min

O Ministério da Saúde e o governo de Brasília promoveram hoje (3) a vacinação dos professores contra gripe na Escola Classe 302 Norte, na capital federal. Cerca de 30 professores foram imunizados contra o vírus Influenza H1N1. A ação é parte do programa Saúde na Escola.

Neste primeiro ano em que os professores foram incluídos no grupo prioritário, o Ministério da Saúde pretende imunizar 2,3 milhões de profissionais da área da educação em todo o país. O público da campanha inclui também profissionais de saúde, maiores de 65 anos e crianças de até 5 anos. O Distrito Federal pretende vacinar 600 mil pessoas nessa campanha.

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, recomendou que os alunos transmitam a informação sobre a vacinação aos pais e avós: “É de suma importância que os profissionais da educação, da saúde, pessoas com mais de 65 anos, as crianças, enfim, todos os grupos se vacinem. E é muito importante que isso [a vacinação] seja feito na escola, pois o efeito pedagógico é uma oportunidade de ampliação da cobertura vacinal. Especialmente das nossas crianças”, disse.

Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o exemplo dos professores ajudará a atingir a ampliar a cobertura vacinal em 2017: “Este ano o orçamento é de R$ 3,9 bilhões para o programa nacional de imunização. São 300 milhões de doses, para 19 tipos de vacinas que são distribuídas durante todo o ano, para esse que é o melhor programa de imunização do mundo”, ressaltou.

Segundo o secretário de Saúde do Distrito Federal, Humberto Fonseca, os professores de escolas que não receberam ações como a de hoje deverão procurar os postos de vacinação. No dia D de mobilização nacional, em 13 de maio, mais de 150 salas que funcionarão das 7h às 19h. A campanha de vacinação teve início no dia 17 de abril e segue até 26 de maio.


qnr-escola-educacao-infantil-rollemberg-denio-simoes-1024x683-1024x683.jpg

Ricardo Callado01/05/20172min

Um albergue que iria abrigar uma unidade de acolhimento na Área Especial A da QNR 2 de Ceilândia será transformado em escola. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (1º) pelo governador Rodrigo Rollemberg, durante reunião com lideranças locais.

Nos turnos matutino e vespertino, serão atendidos 1,2 mil estudantes de 3 a 8 anos (do maternal 2 ao terceiro ano do ensino fundamental). À noite, haverá aulas da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e de cursos do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

“Ouvimos a população para saber qual era a prioridade. Nada mais justo que atender à reivindicação e transformar aquilo que seria um albergue numa escola”, disse o governador.

A Secretaria de Educação fará as adequações necessárias no local, que deverá funcionar a partir do segundo semestre deste ano, de acordo com o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho.

“Essa notícia é uma vitória para a comunidade”, comemorou o prefeito comunitário da QNR, João Gomes.

Durante o encontro, o governador Rollemberg citou outras melhorias na região, como a abertura do Restaurante Comunitário do Sol Nascente, na QNR 1, e a entrega do terminal de ônibus.

Aquelas pessoas que seriam acolhidas pelo albergue serão atendidas em unidades nas diversas regiões administrativas de Brasília e em casas que poderão ser alugadas pelo governo.

“Nós fizemos um debate com a Secretaria de Educação e concluímos que a escola é uma necessidade real daqui. Vamos atender essa população [em situação de rua] de forma descentralizada”, explicou Gutemberg Gomes, secretário do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos.


rollembrg-cafe-com-gestores-1024x683.jpg

Ricardo Callado02/02/20173min

O ano letivo de 2017 vai começar com novos gestores na rede pública de ensino. Na tarde desta quinta-feira, 1.334 diretores e vice-diretores foram empossados em solenidade simbólica no Arena Hall, em Vicente Pires. Eles foram escolhidos em votação direta por pais, alunos, professores e servidores para representar cada unidade educacional de Brasília.

Presente à cerimônia, o governador Rodrigo Rollemberg distribuiu alguns dos bótons simbólicos criados pela Secretaria de Educação para homenagear os gestores, incluindo os coordenadores regionais de ensino. “Vocês são as pessoas mais importantes do DF nos próximos três anos; os saudamos pelo compromisso público que assumem agora”, disse o governador aos diretores, referindo-se ao tempo de mandato.

Rollemberg deu as boas-vindas aos educadores e reforçou que o governo se esforçará para melhorar a qualidade do trabalho nas escolas. Ele também ressaltou o sucesso dos alunos da rede pública. “A cada ano, ocupamos um espaço maior nas universidades públicas, o que é motivo de muito orgulho”, disse o governador.

O secretário de Educação, Julio Gregório Filho, agradeceu a todos pela coragem de encarar o desafio e desejou que eles honrem os deveres de educar e guiar crianças e adolescentes do DF. “Aos que se elegeram pela primeira vez, vocês aprenderão muito e contribuirão ainda mais com o sucesso dos nossos estudantes.”

Eleita pela primeira vez, a vice-diretora Edilvane Andrade, de 43 anos, não escondeu a emoção de assumir a gestão do Centro de Ensino Fundamental 1 do Núcleo Bandeirante, conhecido como Sapão. “Estamos confiantes e queremos executar muitos projetos, com destaque para a sustentabilidade”, revelou a professora de inglês. Antes, ela era coordenadora do Centro de Línguas da região administrativa.

Os cuidados com o meio ambiente também são encarados com seriedade pelo diretor do Centro de Ensino Fundamental 2 do Riacho Fundo II, Gilson Maroni Cabral, de 61 anos. “Desenvolvemos programas para falar da crise hídrica e da preservação dos recursos naturais”, observou.

Para este mandato, o diretor adiantou que investirá em projetos para conscientização dos alunos sobre o lixo e sobre violência. Em 2015, Cabral assumiu a gestão da escola a convite, como substituto. “A eleição confirmou que estávamos fazendo um bom trabalho”, ressaltou o titular.


escola-1024x680.jpg

Ricardo Callado24/01/20175min

Recurso do Pdaf em 2016 também serviu para manutenção dos colégios e investimento em projetos. Na Escola Parque de Ceilândia, parte do dinheiro foi usado para fazer reparos no piso e comprar instrumentos musicais

Em 2016, 667 unidades de ensino e 14 coordenações regionais receberam R$ 84,6 milhões do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf). O recurso — 23,8% maior do que o montante de 2015, de R$ 68,3 milhões — é administrado diretamente pelas direções e pode ser usado para pequenos reparos e manutenção, compra de bens permanentes e investimento em projetos pedagógicos.

Na Escola Parque de Ceilândia, por exemplo, parte do dinheiro recebido via Pdaf foi destinado à compra de guitarras, amplificadores e teclados. “Isso nos permitiu ampliar a oficina de teclado e abrir uma nova de guitarra”, conta o vice-diretor Erivaldo Santos, de 46 anos. Ele estima que a medida tenha beneficiado 180 alunos, pois as oficinas são ministradas em três turmas por turno (matutino e vespertino) com 15 estudantes cada uma e duas aulas por semana.

“Com o dinheiro, fazemos pequenos reparos para tentar oferecer mais oficinas à comunidade. É mais autonomia para a gente trabalhar”, acrescenta Santos. A escola também investiu em reparos no piso, ampliação de uma sala de dança, revitalização de banheiros e de duas quadras externas, troca de fechaduras e melhorias em salas de aula e instalação de ar-condicionado, além de compra de materiais pedagógicos. No colégio, há oficinas de música, de dança, de esporte, de literatura, de artes cênicas e de artes plásticas.

Na Escola Parque de Ceilândia, parte do dinheiro foi usado para fazer reparos no piso. Para o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, a autonomia oferecida pelo Pdaf vai além do aspecto financeiro. “A importância do programa é dar maior autonomia administrativa, financeira e pedagógica aos diretores, que está prevista na Lei de Gestão Democrática. O diretor, com a comunidade escolar, decide como esse recurso será utilizado”, avalia. Assim, o titular da pasta destaca que as intervenções ocorrem do ponto de vista de quem realmente necessita das melhorias.

A previsão na Lei Orçamentária 2017 para o Pdaf é de R$ 85.437.265. Esse valor, no entanto, pode ser alterado. O programa ainda pode receber emendas parlamentares. No ano passado, por exemplo, as verbas desse tipo somaram R$ 14.457.226. Segundo o gerente de Planejamento da Descentralização Administrativa e Financeira da Secretaria de Educação, a expectativa é que os repasses ultrapassem R$ 90 milhões neste ano.

Em 2016, além da verba das emendas de R$ 14,4 milhões, o Pdaf repassou para custeio no primeiro semestre cerca de R$ 24,9 milhões. No segundo semestre, foram quase R$ 22 milhões. Para despesas de capital (compra de equipamentos, por exemplo), as regionais receberam R$ 3,5 milhões. Os cerca de R$ 19,8 milhões restantes representam diversas ações da pasta em outros programas pedagógicos, como o Educador Social Voluntário, a Feira do Livro, as Olimpíadas do Conhecimento, os Centros de Iniciação Esportiva, o Circuito de Ciências e os Jogos Escolares Regionais.

Em comparação com anos anteriores, o repasse do programa tem aumentado. O montante de 2016 é 23,8% maior do que o valor de 2015, de R$ 68,3 milhões. Em 2014, foram liberados R$ 43,3 milhões — o que corresponde a pouco mais da metade da quantia total transferida em 2016, de acordo com a pasta. Já em 2013, o montante foi de R$ 24,7 milhões. Ou seja, de 2013 a 2016, houve um crescimento de 242%. O aumento progressivo em investimentos em recurso direto para as escolas é uma das diretrizes do Plano Distrital de Educação.


governadorrollemberg_premiocienciatecnologiainovacao_pedroventura-640x427.jpg

Ricardo Callado17/12/20166min
O governador Rollemberg entregou premiação aos estudantes nesta sexta-feira (16). Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

A preocupação com os recursos hídricos e a preservação ambiental foram temas que orientaram os trabalhos científicos de alunos da rede pública de ensino do Distrito Federal vencedores do 2º Prêmio Brasília de Ciência, Tecnologia e Inovação — Estudante Destaque.

A premiação ocorreu nesta sexta-feira (16), no Salão Nobre do Palácio do Buriti. O concurso foi criado em 2015 com o objetivo de incentivar a pesquisa e a busca por soluções tecnológicas desde os primeiros anos da vida escolar.

Os projetos O uso da água: reutilizar para um mundo melhor, do Centro de Ensino Fundamental 4 de Brasília, e Água: alento, alimento e medicamento, da Escola Classe Catingueiro, em Sobradinho, surgiram da preocupação com a gestão e as várias aplicações dos recursos hídricos.

Com isso, é dada a condição para estudantes participarem ativamente da comunidade em que vivem. “Esse prêmio é uma iniciativa do nosso governo. Ele tem o objetivo de despertar o interesse, a curiosidade para a área de ciência e tecnologia para que possamos ter, futuramente, novos engenheiros, cientistas, matemáticos, químicos, físicos. São carreiras vinculadas à ciência e tecnologia, fundamentais para a soberania e o desenvolvimento do país”, defendeu o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Além do incentivo à produção científica, o prêmio também fortalece um novo modelo de ensino, de acordo com o secretário de Educação, Júlio Gregório Filho. “Um evento como esse é a demonstração da escola que queremos. Nós não queremos só mais uma escola. Temos que construir uma escola diferente, que não seja formada exclusivamente por sala de aula, com o professor falando lá na frente”, afirmou Filho.

As 13 escolas vencedoras receberam cheques de R$ 2,8 mil a R$ 10 mil, por meio de recursos da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF) e incentivo do Banco de Brasília (BRB).

A premiação em dinheiro é um incentivo para que os estudantes não percam a capacidade de questionar, de acordo com o diretor-presidente da FAP-DF, Wellington Almeida. “Conectar-se da maneira correta com essa tecnologia pressupõe não perder nunca a capacidade de pensar e de fazer perguntas. Isso começa com a reflexão também do nosso cotidiano no nosso território”, disse.

O conhecimento a serviço do Brasil foi destacado pelo secretário adjunto de Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcelo Aguiar. “O desenvolvimento científico do nosso país depende do pensamento criativo dos nossos estudantes”, afirmou.

Veja a lista dos vencedores

Ensino Fundamental

1º lugar

Em defesa do Córrego Guará

Centro de Ensino Médio Júlia Kubitschek, da Candangolândia

2º lugar

O uso da água: reutilizar para um mundo melhor

Centro de Ensino 4 de Brasília, na Asa Sul

3º lugar

Água: alento, alimento e medicamento – manipulação de medicamentos à base de água

Escola Classe Catingueiro, em Sobradinho

Educação de Jovens e Adultos

1º lugar

O alimento da vida para a vida do conhecimento

Escola Meninos e Meninas do Parque, na Asa Sul

2º lugar

Energia sustentável — extração de álcool

Centro de Ensino Fundamental 405, no Recanto das Emas

3º lugar

Defensivos alternativos

Centro de Ensino Fundamental 206, no Recanto das Emas

Ensino Médio

1º lugar

Análise do nível de desconforto nos coletivos em função das acelerações utilizando arduíno

Centro de Ensino Médio 2 do Gama

2º lugar

Análise comparativa do nível de proteção dos materiais à radiação ultravioleta – fase 2

Centro de Ensino Médio 2, no Gama

3º lugar

Metais e minerais

Centro de Ensino Médio Ave Branca, em Taguatinga

Educação Profissional

1º lugar

Sempre perfeitas: a busca da redução da alopecia durante o tratamento de câncer com o uso da touca hipotérmica

Centro de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional Técnica do Gama

2º lugar

Automação de processos industriais

Centro de Educação Profissional — Escola Técnica de Brasília

3º lugar

Viabilizando o condomínio sustentável

Centro de Ensino Médio Integrado à Educação Profissional Técnica do Gama

Educação Especial

1º lugar

O teatro e a música: uma experiência estética como fator de inclusão social dos estudantes com deficiência

Centro de Ensino Especial nº 1, em Ceilândia


rollemberg-1.jpg

Ricardo Callado09/12/20168min
Novo portal da transparência foi lançado pelo governador Rollemberg nesta quinta-feira (9). Foto: Gabriel Jabur

Gráficos detalhados de gastos e arrecadação do governo de Brasília. Georreferenciamento de todas as administrações regionais. Detalhamento dos valores pagos, empenhados e liquidados. Extrato anual do contracheque de 214.774 servidores. Essas são algumas das novidades do novo portal da transparência, desenvolvido pela Controladoria-Geral do Distrito Federal e lançado oficialmente pelo governador Rodrigo Rollemberg no Palácio do Buriti nesta quinta-feira (9), Dia Internacional de Combate à Corrupção.

Logo na página inicial do portal, há três botões. O primeiro explicita os gastos e a arrecadação da administração pública; o segundo apresenta a situação de cada administração regional, com a possibilidade de fazer consultas filtradas; e o terceiro mostra painéis de transparência. Esses últimos ficarão expostos na Rodoviária do Plano Piloto, para a população ver onde é aplicado o dinheiro pago com impostos e taxas, o que era uma promessa de campanha do governador.

Rollemberg classificou a transparência como elemento importante no combate à corrupção e destacou a facilidade de navegação no portal. “A transparência permite a participação da população e dá a ela a percepção de onde estão sendo colocados os recursos públicos”, disse. “O portal tem todo tipo de informação, como de onde vêm as receitas e quais são os maiores gastos.”

“O portal traz dois principais avanços: a qualidade da informação, com vários gráficos que detalham as despesas; e a navegabilidade, pois com dois cliques se chega ao mesmo lugar onde antes eram necessários dez movimentos”, resumiu o controlador-geral do DF, Henrique Ziller.

Para o subcontrolador de Transparência e Controle Social, da Controladoria-Geral, Diego Ramalho Freitas, o novo visual está mais agradável e mais simples e é um avanço na transparência. “Antes, para chegar aos números dos gráficos, eram necessárias várias consultas e saber usar Excel. Agora eles estão lá para todo mundo ver.” Segundo Freitas, a mudança do leiaute foi resultado de sugestões de uma maratona com estudantes em dezembro de 2015.

Combate à corrupção e índice de transparência

Para marcar o Dia Internacional de Combate à Corrupção, celebrado nesta sexta-feira, a Controladoria-Geral promoveu nesta semana uma série de atividades. Na quarta-feira (7), o destaque ficou com a divulgação do ranking de transparência ativa (quanto a entidade fornece a informação) dos órgãos governamentais. Pelo levantamento, a Casa Civil, as secretarias de Mobilidade e de Infraestrutura e Serviços Públicos, além da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) e da Companhia de Saneamento Ambiental do DF (Caesb), atingiram 100% de transparência.

A programação termina no sábado (10), a partir das 13 horas, com a participação em um evento do Picnik, projeto que reúne moda, gastronomia, música e outras atrações em áreas públicas da cidade. Será na Praça dos Cristais, no Setor Militar Urbano. A controladoria levará informações sobre o tema combate à corrupção.

Entrega de relatórios do programa Controladoria na Escola

Logo após a apresentação do portal, alunos de cinco colégios públicos entregaram relatórios do Controladoria na Escola, em que apontam aspectos a melhorar nas instituições. Os documentos foram entregues ao governador, ao controlador-geral do DF, ao secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, e à colaboradora do governo Márcia Rollemberg.

Logo após a apresentação do portal, alunos de cinco colégios públicos entregaram relatórios do Controladoria na Escola, em que apontam aspectos a melhorar nas instituições.
Logo após a apresentação do portal, alunos de cinco colégios públicos entregaram relatórios do Controladoria na Escola. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

O resultado da auditoria dos estudantes do Centro de Ensino Fundamental 404, de Samambaia, foi apresentado no evento. Para Ziller, o que se viu superou as expectativas. “As responsáveis pela limpeza relataram menor quantidade de lixo, e os alunos fizeram uma horta para melhorar a qualidade da merenda. Eles perceberam que a escola é deles e eles, da escola”, afirmou. “A coordenação do colégio informou, ainda, uma melhoria no desempenho deles.”

Os alunos e diretores representantes das instituições contempladas citaram os avanços do Controladoria na Escola. Sobre a aplicação de recursos públicos, todos reivindicaram que o Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf) se torne lei.

Para o governador, tanto a maior participação dos alunos na solução de problemas das escolas quanto a transformação do Pdaf em lei devem representar avanços. “O Controladoria na Escola envolve os estudantes na identificação e na solução dos problemas da instituição. Isso faz com que eles saibam, por exemplo, que, se depredam um banheiro, perdem recursos que poderiam ser investidos na melhoria do colégio”, disse. “Queremos transformar o Pdaf em lei, ampliar os recursos e definir o cronograma da liberação, mas é importante que os diretores prestem contas dos gastos.”

O secretário de Educação, Júlio Gregório Filho, ressaltou que 2015 foi o ano de maior execução de recursos do programa. “Fizemos a maior execução dos recursos do Pdaf na história do DF no ano passado, mas a prestação de contas, de cada item que é pago, é imprescindível”, observou.


liliane-e1471520872884-1.jpg

Ricardo Callado07/07/20163min
Secretária da Segurança Pública, Márcia de Alencar
Secretária da Segurança Pública, Márcia de Alencar

Um dos objetivos do acordo das pastas com a CGU e o Ministério Público do DF é prevenir a violência nas escolas

As secretarias da Segurança Pública e da Paz Social (SSP) e de Educação (SEE) do Distrito Federal assinam nesta quinta-feira (7) acordo de cooperação técnica com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) para levar às escolas brasilienses o programa Um por Todos, Todos por Um!, da CGU. A parceria, que tem como objetivo prevenir a violência nas escolas, é uma das ações do Viva Brasília – Nosso Pacto pela Vida, política de segurança pública do DF.
 .
O acordo vai beneficiar, em 2016, no DF, alunos dos 4º anos do ensino fundamental de 88 unidades escolares da rede pública de ensino. Eles terão aulas e jogos de estímulo à prática da cidadania e da participação social, a partir do uso de materiais educativos, como cartilhas e jogos. Cerca de 350 professores receberão materiais para trabalharem em sala de aula. O documento conjunto prevê, ainda, que outros tipos de projetos possam ser realizados pelas instituições, de acordo com necessidade.
 .
O projeto Um por Todos, Todos por Um! tem como objetivo disseminar entre crianças valores relacionados à participação social, à democracia, ao respeito à diversidade e à responsabilidade pelo bem-estar coletivo. Busca ainda oferecer aos alunos a oportunidade de conhecer e trabalhar, em atividades em classe e em família, conceitos como cidadania, democracia, interesse público, inclusão social, participação e autoestima.
 .
A assinatura será às 14h30, na Escola Parque da 308 Sul, e contará com a participação da secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar, do secretário de Educação, Júlio Gregório, de representantes dos demais órgãos envolvidos e de alunos de escolas públicas.

rollemberg-educação-julio-gregorio.jpg

Ricardo Callado04/07/20163min
O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, anunciou na manhã desta segunda-feira (4), um concurso público para a contratação de professores, analistas, técnicos e monitores pela Secretaria de Educação. Foto: Andre Borges/Agência Brasília
O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, anunciou na manhã desta segunda-feira (4), um concurso público para a contratação de professores, analistas, técnicos e monitores pela Secretaria de Educação. Foto: Andre Borges/Agência Brasília

O anúncio faz parte de pacote de medidas que inclui o lançamento do Bolsa Educação Infantil, a abertura de 3,8 mil vagas nos Centros Interescolares de Línguas e o simulado do Enem para 42 mil alunos do ensino médio

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, anunciou, na manhã desta segunda-feira (4), um concurso público para a contratação de professores, analistas, técnicos e monitores pela Secretaria de Educação. Ao todo, serão 2,9 mil vagas. O edital deve ser lançado em até 40 dias a partir de hoje.

Para os professores serão 2 mil vagas — 800 imediatas e 1,2 mil para formar cadastro de reserva. As outras 900 serão destinadas para a carreira de Assistência à Educação: 560 para técnicos em gestão educacional (230 imediatas e 330 para cadastro de reserva), 250 para monitores de gestão educacional (100 imediatas e 150 para cadastro de reserva) e 90 para analistas (40 imediatas e 50 para cadastro de reserva).

O anúncio faz parte de um pacote com outras três medidas já anunciadas nos últimos dias. São elas: o simulado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para 42 mil estudantes da terceira série do ensino médio que a Secretaria de Educação fará nas próximas quarta (6) e quinta-feira (7); a criação do programa Bolsa Educação Infantil, com 2.741 bolsas de estudo, a partir do segundo semestre letivo deste ano, para crianças de 4 e 5 anos que não foram contempladas com vagas em escolas públicas; e a abertura de 3,8 mil vagas para os cursos dos 14 Centros Interescolares de Línguas do Distrito Federal.

Durante a coletiva de imprensa no Salão Nobre do Palácio do Buriti, o governador Rodrigo Rollemberg afirmou: “Começamos a semana com quatro boas notícias para a educação.”



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias