entraga_escrituras_estrutural_foto_Tony_Winston-640x427.jpg

Ricardo Callado27/04/20184min

Nesta manhã, 760 documentos foram distribuídos na Estrutural. Famílias de baixa renda terão gratuidade no registro da escritura

O governo de Brasília completou, nesta sexta-feira (27), a entrega de 50.404 escrituras em três anos e quatro meses. Somente neste ano, foram 6.088 documentos distribuídos, incluídos os 760 de hoje, na Estrutural.

Carla Angela da Silva, de 32 anos, foi uma das que recebeu a escritura nesta manhã. A secretária mora na Estrutural há 14 anos
Carla Angela da Silva, de 32 anos, foi uma das que recebeu a escritura nesta manhã. A secretária mora na Estrutural há 14 anos. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A região administrativa já havia recebido, em 2015 e 2016, outras 2.083 escrituras, mais que o dobro do total entregue até 2014 — 867.

De acordo com o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF, Gilson Paranhos, a intenção é terminar 2018 com 63 mil documentos distribuídos na atual gestão, o que equivale a uma quantidade superior à entregue em toda a história do DF — 62.990.

Carla Angela da Silva, de 32 anos, foi uma das que receberam a escritura nesta manhã. A secretária mora na Estrutural há 14 anos. “Este lugar representa minha conquista. Foi aqui que eu consegui minha casa.” Para ela, o documento trará mais segurança e tranquilidade.

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, uma das frentes do programa Habita Brasília, que tem como objetivo proporcionar moradia digna aos cidadãos, com foco no planejamento das cidades e no combate à grilagem.

As outras entregas deste ano ocorreram em Samambaia (mil), no Recanto das Emas (867), Planaltina (1030), Riacho Fundo II (2.026) e Varjão (405).

Convênio garante gratuidade no registro a famílias de baixa renda

Em 20 de abril, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) firmou convênio com a Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg) para diminuir os custos com os cartórios.

Com isso, pessoas com renda de até três salários mínimos, que já contam com isenção para a lavratura do documento em cartório, passam também a ter gratuidade para a taxa de registro, que variava de R$ 300 a R$ 600.

Para quem tem renda superior, a medida garante que a soma dos custos de lavratura, registro e demais taxas tenha valor fixo de R$ 670. Até então, esse investimento era de cerca de R$ 2 mil.


Habita-Brasília.jpg

Ricardo Callado23/01/20183min

O governador Rodrigo Rollemberg participou da cerimônia na manhã desta terça-feira (23), na Quadra QN 831. Desde 2015, foram distribuídos 45.127 documentos do tipo

Mil escrituras definitivas de doação lotes foram entregues nesta terça-feira (23), em Samambaia Norte. Com essas, somam-se 45.127 documentos desse tipo entregues desde 2015 — dessas, 10.577 apenas na região administrativa contemplada hoje.

A cerimônia desta terça ocorreu na Quadra QN 831, com a participação do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

“Ter a escritura dá segurança jurídica ao morador e contribui para valorizar o patrimônio das pessoas”, disse o chefe do Executivo local.

Waldemar Cardoso, de 71 anos, esperou 50 anos por isso. “Este documento é a minha dignidade conquistada”, disse o autônomo, que mora na região com a esposa.

Rollemberg comemorou o fato de ter conseguido entregar até agora mais escrituras do que outros governantes do DF. “O nosso objetivo é que até o fim deste ano sejam distribuídos 63 mil documentos”, disse.

A entrega dos documentos é feita pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab).

Habita Brasília

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, um dos eixos de atuação do programa Habita Brasília, que tem como objetivo proporcionar moradia digna aos cidadãos, e, dessa forma, garantir o planejamento das cidades e evitar a grilagem de terras.

As escrituras entregues hoje são do tipo reconhecimento de ocupação e concessão de uso, que devem ser registrados em cartório e, então, convertidos em escritura definitiva.

Pessoas com renda de até três salários mínimos têm isenção na lavratura do documento. É preciso pagar apenas a taxa de registro em cartório, que varia de R$ 300 a R$ 600.


escritura-samambaia-rollemberg-valeria-tony-winston-agencia-brasilia-640x427.jpg

Ricardo Callado30/12/20175min

Neste sábado (30), o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, esteve em Samambaia para distribuir 2.172 documentos para os moradores

O governo de Brasília distribuiu 44.127 escrituras para moradores do DF desde 2015. O último ato deste ano ocorreu neste sábado (30) em Samambaia. Foram entregues hoje 2.172 documentos.

Eles são do tipo reconhecimento de ocupação e concessão de uso, que devem ser registrados em cartório e, então, convertidos em escritura definitiva. Pessoas com renda de até três salários mínimos têm isenção das taxas cartoriais e podem fazer o registro de forma gratuita.

A concessão de escrituras dá segurança jurídica aos moradores dos lotes, como destacou o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, nesta manhã.

“Neste ano, quase virou uma rotina entregarmos escrituras aos sábados pela manhã. Esse documento significa tranquilidade para a população.”

Saber que não há mais risco de perder a casa em que mora dá alívio a Alfredo Pereira de Araújo, de 75 anos. Ele mora com a esposa, seis filhos e um neto há sete anos em Samambaia. “É a paz de saber que ninguém vai me tirar a casa”, contou.

A medida também dará condições de Valéria Cristina Maciel investir no imóvel. A dona de casa de 42 anos mora com seis filhos e dois netos na região administrativa.

“É uma superação ter a escritura. Realizo hoje um sonho e passo a ter condições de investir em melhorias sem medo”, afirmou.

Habita Brasília

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, um dos eixos de atuação do Habita Brasília. O programa tem o objetivo de proporcionar moradia digna aos cidadãos e, dessa forma, garantir o planejamento das cidades e evitar a grilagem de terras.

A expectativa é chegar a 63 mil até 2018, superando os 62.990 documentos distribuídos da fundação do Distrito Federal, em 1960, até o fim de 2014.

Ter a escritura definitiva significa ter a situação regularizada, passar a ser dono de fato e de direito de sua moradia. É ter segurança jurídica e tranquilidade, sem ficar à mercê de desocupações forçadas por invadir área pública e ocupá-la de forma irregular.

“Quem tem a escritura vira dono do local e pode financiar o terreno, melhorar o patrimônio”, afirma o presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), Gilson Paranhos. “A regularização valoriza a terra e faz rodar a cadeia produtiva do DF.”

Ainda segundo Paranhos, as entregas dos documentos pela Codhab representam ainda uma economia de R$ 1.670 ao cidadão beneficiado, valor referente à lavratura em cartório. Desde 2016, as escrituras são feitas pela própria companhia, sem cobrar de quem as recebe.

Documentação necessária para receber escritura da Codhab

O primeiro passo para receber a escritura é acessar o site Regularizou, é seu!. No portal, é necessário informar nome completo, CPF, nacionalidade, estado civil, profissão, telefones, endereço do imóvel, cidade e CEP, além de declarar se é ou não proprietário de outro imóvel no DF. A própria Codhab e a administração regional convocam os moradores com direito ao benefício.

Quando convocado, o cidadão precisa apresentar em um posto da Codhab ou na administração regional:

  • Documento de identificação pessoal
  • CPF
  • Certidão de nascimento ou de casamento (certidão de nascimento das duas pessoas do casal, se for união estável),
  • Inscrição de IPTU
  • Certidão negativa dos nove cartórios de Registros de Imóveis do DF
  • Declaração de Posse Mansa e Pacífica (fornecida pela Codhab)
  • Comprovante de residência há pelo menos cinco anos e um dia da data da publicação da Lei nº 4.996, de 2012, e um do ano atual. Em caso de locais informais, o comprovante é de residência no DF há pelo menos cinco anos

entrega-escrituras-itapoa-rollemberg-denio-simoes-768x512.jpg

Ricardo Callado21/12/20173min

Solenidade ocorreu na manhã desta quinta (21). Desde 2015, foram distribuídos 41.955 documentos em todo o DF. Meta é terminar a gestão com 63 mil

Mais 437 escrituras foram entregues no Itapoã na manhã desta quinta-feira (21). Com os documentos distribuídos para moradores das Quadras 202 e 203 da região administrativa, o número em todo o Distrito Federal subiu para 41.955.

“Percebo uma alegria muito grande das famílias, é o reconhecimento dessa ocupação, um documento que dá tranquilidade, segurança jurídica e valoriza o terreno”, frisou na cerimônia o governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

No maior processo de regularização fundiária da história do DF, o objetivo é terminar a gestão com 63 mil escrituras distribuídas, quantidade superior à somada da fundação da capital federal, em 1960, até 31 de dezembro de 2014 (62.990).

Para famílias com renda de até três salários mínimos, a escritura é oferecida gratuitamente e emitida pela própria Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab). Segundo o presidente, Gilson Paranhos, essa foi uma decisão do governador. “Ele conversou com a gente, e levantamos que o valor de escritura para família de baixa renda era inviável.”

De acordo com Paranhos, o fato de a Codhab criar uma escritura que ela mesmo emite agilizou o processo. “Envolvemos o cartório somente no registro. O que ele leva de 4 a 5 meses para fazer, fazemos em 4 ou 5 dias”, destacou o presidente da Codhab.

O casal Eleni Pacheco Castro, de 38 anos, auxiliar encarregada, e Márcio Gomes dos Santos, de 39, auxiliar de serviços gerais, faz planos com o imóvel agora regularizado. Os dois moram há seis anos no Itapoã. “Vamos fazer mais coisas, botar uma laje”, disse Márcio. “Pretendo investir na garantia de uma casa melhor”, complementou Eleni, primeira a receber a escritura diretamente das mãos do governador.

Durante a solenidade, Rollemberg citou outras medidas que serão tomadas para fazer “de 2018 um ano muito melhor para o Itapoã”. Entre elas, estão a entrega do Fórum da região com o asfaltamento da avenida próximo ao órgão judiciário, de uma escola e o início das obras do Itapoã Parque.

A regularização fundiária integra o Lote Legal, uma das frentes de atuação do Habita Brasília, programa habitacional que visa proporcionar moradia digna aos cidadãos, considerando o planejamento das cidades e o combate à grilagem.


entrega-de-escrituras-1024x683.jpg

Ricardo Callado23/09/20173min

Moradores de mil imóveis da QNR, em Ceilândia, receberam a escritura do lote em que moram na manhã deste sábado (23). A cerimônia ocorreu na praça da QNR 4 e teve a participação do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg.

Com os documentos, os moradores recebem um reconhecimento judicial de que são os proprietários do local em que vivem.

“Essas escrituras, tão esperadas, vão trazer tranquilidade e segurança jurídica para os moradores. Dessa maneira, tornamos Brasília cada vez uma cidade mais legal, regularizada”, disse Rollemberg.

Uma das beneficiadas hoje foi a auxiliar de serviços gerais Maria Magali Bandeira, de 38 anos, que mora há 6 anos na QNR e recebeu a escritura diretamente das mãos do governador. “É uma segurança ser a dona da casa. Antes, tinha esse medo de perder o imóvel.”

Rollemberg pontuou ainda outras ações do governo de Brasília que beneficiam diretamente a população da QNR, como uma escola para atender as crianças do Trecho 3 do Sol Nascente e o restaurante comunitário, além da construção do CEU das Artes.

Também participaram da cerimônia o secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, e o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab), Gilson Paranhos.

“Que vocês possam passar a casa para seus filhos. É uma tranquilidade deixar algo para a segurança deles”, disse Paranhos.

Entrega permite moradores economizarem R$ 718 da lavratura em cartório

A escritura é oferecida pela Codhab de forma gratuita para famílias com renda de até três salários mínimos: R$ 2.811. Isso significa uma economia para o beneficiário de R$ 718, custo da lavratura em cartório.

Após receber o documento, é necessário apenas pagar no cartório de registro a taxa obrigatória, que varia de R$ 300 a R$ 600.

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, um dos cinco eixos de atuação do Habita Brasília, programa habitacional do governo distrital.

Com os terrenos de hoje, o governo terá distribuído, desde 2015, um total de 32.086 escrituras. A meta é terminar a gestão com a marca de 63 mil — quantidade maior do que a de toda a história do DF.

Leia o pronunciamento do governador Rodrigo Rollemberg na entrega de mil escrituras na QNR, em Ceilândia.


entrega-lotes-sol-nascente-rollemberg-gabriel-jabur-1024x683-1024x683.jpg

Ricardo Callado02/08/20173min

Os terrenos estão na Avenida das Palmeiras e já contam com toda a infraestrutura, como pavimentação, abastecimento de água, esgoto e iluminação pública

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, entregou nesta quarta-feira (2) 15 lotes no Sol Nascente, em Ceilândia. Os contemplados são pessoas removidas ou realocadas para que as obras de infraestrutura no próprio setor pudessem ser feitas.

Os terrenos ficam na Avenida das Palmeiras, no Trecho 1 do Sol Nascente, e já contam com pavimentação, abastecimento de água, esgoto sanitário, energia e iluminação pública.

“Contemplamos o pessoal que morava em Nova Jerusalém, que tivemos de retirar no início das intervenções, em 2015. Eles vão receber um lote em um local com infraestrutura completa”, disse Rollemberg.

A dona de casa Mônica Maria Silva Rocha, de 40 anos, foi a primeira a receber os documentos das mãos do governador nesta manhã. “Tenho seis filhos e nunca tive nada na vida. É uma emoção imensa”, disse a mulher, que estava acompanhada do filho Rikelme Rocha dos Santos, de 4 anos.

Semelhante sentimento teve o casal formado pela recepcionista Aline Garcia Caixeta, de 27 anos, e pelo autônomo Francisco Herison Sousa Paiva, de 37 anos.

“É um alívio, um recomeço”, disse ela. “Quando recebemos a ligação, nossa filha de 7 anos, Fernanda, começou a chorar”, contou ele. Eles ainda têm outros dois filhos menores, de 4 anos e de 2 anos.

Programa Habita Brasília

A entrega faz parte do Lote Legal, eixo do programa Habita Brasília, que oferta, a preços abaixo do mercado, lotes urbanizados e regularizados para pessoas físicas inscritas no cadastro da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab). Por se tratar de reassentamento, os terrenos de hoje foram doados.

Quem for beneficiado tem direito ainda ao projeto arquitetônico da casa a ser construída e ao acompanhamento técnico por parte da equipe de arquitetos da Codhab durante toda a construção. A medida é sem custos para o morador.


Habita-Brasília.jpg

Ricardo Callado18/07/20175min

Instituído por decreto nesta segunda (17), grupo reduzirá o tempo gasto com permissões para programas de interesse social, como o Habita Brasília

Brasília terá uma força-tarefa para analisar processos de licenciamento ambiental de obras de utilidade pública e de interesse social. A decisão foi publicada no Diário Oficial do DF desta segunda-feira (17), por meio do Decreto nº 38.334, que institui o grupo.

“Essa força-tarefa foi criada com o objetivo de diminuir o tempo gasto em processos para programas como o Habita Brasília, conforme está listado no decreto”, explicou o superintendente de Licenciamento do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Antônio Barreto.

Coordenado pela autarquia, o grupo de análise receberá suporte administrativo para funcionar durante dois anos. Além disso, o Ibram será responsável pela organização dos integrantes.

Serão 11 titulares e 11 suplentes, com formação em geologia, arquitetura, biologia ou em engenharia civil, ambiental, florestal ou agronômica. Os membros devem ser indicados, até 22 de julho, pelos seguintes órgãos públicos:

  • Instituto Brasília Ambiental (Ibram)
  • Agência de Desenvolvimento do DF (Terracap)
  • Companhia de Desenvolvimento Habitacional (Codhab)
  • Companhia Energética de Brasília (CEB)
  • Companhia de Saneamento Ambiental (Caesb)
  • Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap)
  • Departamento de Estradas de Rodagem (DER-DF)
  • Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF)
  • Secretaria da Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural
  • Secretaria de Gestão do Território e Habitação
  • Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos

As análises da força-tarefa serão feitas com a seguinte ordem de prioridade:

  • Parcelamento de solo inseridos no Habita Brasília
  • Licenciamento de obras de infraestrutura e saneamento
  • Parcelamento de solo para aprovação de projeto urbanístico
  • Renovação de licença de operação
  • Emissão de licença de operação
  • Emissão de licença de instalação

O que é o licenciamento ambiental

O licenciamento ambiental é uma permissão do governo para projetos que fazem uso de recursos naturais. “O interessado tem de comprovar a viabilidade do empreendimento por meio de estudos ambientais, com base em leis e normas”, explica o superintendente Antônio Barreto.

Mas as licenças não valem apenas para projetos futuros. “Em caso de parcelamento de solo, numa cidade que já está instalada, a gente faz a adequação ambiental. Ela também vale para atividades que funcionam sem licença ou com ela vencida.”

São três tipos de licença. A prévia, que autoriza a concepção de um projeto em determinada localização. Para iniciar a obra, é preciso ter a licença de instalação. Com a de operação, o empreendimento pode funcionar.

Além dessas, há a licença simplificada, que vale pelas três, e a autorização ambiental — permissão temporária de atividade que possa causar degradação ao meio ambiente.

Habita Brasília

Parte fundamental da regularização fundiária do DF, um dos principais focos da gestão atual do governo de Brasília, o programa Habita Brasília já entregou 12.065 unidades habitacionais e mais de 28,7 mil escrituras desde 2015.


35109057393_83b9fc9799_b-1024x683.jpg

Ricardo Callado14/07/20173min

Ação faz parte do programa Habita Brasília. Em todo o Distrito Federal, foram distribuídos mais de 12 mil imóveis residenciais desde o início da gestão. Rollemberg participou da cerimônia na manhã desta sexta-feira (14)

Nesta sexta-feira (14), 56 famílias foram contempladas com a entrega de unidades habitacionais em Samambaia, por meio do programa Habita Brasília. Desta vez, foram entregues apartamentos no Residencial Thay Marques & Gontijo, na QR 310.

O empreendimento construído por meio de parceria entre o governo de Brasília e a Cooperativa Habitacional de Ceilândia atende habilitados na lista da Companhia de Desenvolvimento Habitacional do DF (Codhab) das faixas 2, 3 e 4, com renda familiar de R$ 1.600,01 até 12 salários mínimos.

A cerimônia contou com a participação do governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg. Com a entrega de hoje, já são 12.065 unidades distribuídas desde 2015. “Dessa maneira, garantimos tranquilidade e segurança jurídica para as pessoas que têm o documento do imóvel”, comemorou o chefe do Executivo local.

Um dos principais focos do governo, a regularização fundiária do DF também avança no que diz respeito à entrega de escrituras. Segundo o governador, foram distribuídos 28,7 mil documentos e outros 5 mil já estão prontos para serem transferidos para os proprietários de imóveis em todas as regiões do DF.

“Dessa maneira, garantimos tranquilidade e segurança jurídica para as pessoas que têm o documento do imóvel”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

As unidades habitacionais entregues hoje fazem parte do eixo Morar Bem do Habita Brasília, mantido com recursos do programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida.

O diretor-presidente da Codhab, Gilson Paranhos, destacou a importância de parcerias do governo com cooperativas habitacionais para combater o déficit habitacional na capital do País. “As entidades sérias produzem unidades habitacionais com mais agilidade do que o governo. Essa inauguração de hoje mostra que a participação da sociedade civil, por meio das cooperativas e das associações, é muito importante.”

Os imóveis medem de 46 a 50 metros quadrados e contam com dois quartos, uma vaga na garagem, área de serviço e piso em cerâmica. O valor unitário é de R$ 124.500.

Na ocasião, Rollemberg destacou algumas ações do governo que visam a melhoria da qualidade de vida da população de Samambaia, como a entrega de cinco creches; a construção do complexo cultural; e a inauguração de dois terminais de ônibus.


escrituras-sao-sebastiao-gabriel-jabur-agencia-brasilia-1024x683-1024x683.jpg

Ricardo Callado08/07/20175min

Após 28 anos de espera, a dona de casa Francineide Ferreira recebeu a garantia de uma moradia digna no Distrito Federal. A piauiense de 48 anos que deixou a terra natal para viver em Brasília comemora a conquista da escritura recebida neste sábado (8), em São Sebastião. “Finalmente, posso dizer que sou dona do meu imóvel. Antes era como se eu vivesse de favor”, disse Francineide.

O documento de regularização fundiária de Francineide é um dos 700 entregues pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, a moradores da região. Segundo a Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab), 4 mil imóveis já foram regularizados na cidade.

“É uma alegria muito grande estar aqui mais uma vez. Nós já temos 7 mil lotes registrados nesta região e, nas próximas semanas, outras famílias serão contempladas”, anunciou o governador. “É importante registrar que essa entrega significa tranquilidade e segurança jurídica para as famílias.”

Com a entrega de hoje, o número de escrituras distribuídos nesta gestão — nos últimos dois anos e meio — chega a 28.732. Segundo Rollemberg, a meta é alcançar 67 mil escrituras até o fim de 2018. A cerimônia ocorreu no Bloco B do estacionamento da Feira Permanente da cidade.

“Essa entrega (das escrituras) significa tranquilidade e segurança jurídica para as famílias”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

Para a aposentada Raimunda Alves Lima da Silva, de 56 anos, a entrega dessa escritura representa a liberdade. “Uma vez fui na Secretaria de Fazenda fazer o cadastramento do IPTU, e o rapaz disse que eu morava em um lugar fantasma, que não existia. Agora, pra cada um que não acreditava que o governador ia dar as nossas escrituras, eu tenho a minha. E é de graça”, discursou a moradora de São Sebastião há 28 anos.

Oferecida gratuitamente para famílias com renda de até três salários mínimos, a escritura agora é emitida pela Codhab para oferecer maior comodidade aos proprietários.

O documento foi elaborado com itens de segurança e com base nas emissões feitas em cartório. Papel filigranado (ou papel-moeda), adesivo reflexivo e tinta invisível reagente à luz ultravioleta são alguns dos recursos utilizados para coibir falsificações.

Além de oferecer mais segurança, a emissão das escrituras pela representa economia de R$ 718 para o beneficiário, valor pago atualmente pela lavratura em cartório, onde ainda será necessário fazer o registro — que é pago, e o valor varia de R$ 300 a R$ 600.

A regularização fundiária faz parte do Lote Legal, uma das cinco frentes de atuação do Habita Brasília. O principal programa habitacional do Distrito Federal tem como objetivo proporcionar moradia digna aos cidadãos e considera o planejamento das cidades e o combate à grilagem.

Escola e revitalização da DF-463 e da DF-473

Na solenidade, o governador destacou outras benfeitorias para a região, como a revitalização da DF-463 e da DF-473. “Vou voltar em São Sebastião para inaugurar a DF-463, que já está pronta, e vamos começar agora o recapeamento e alargamento da 473, que liga São Sebastião com a 251, então todas as saídas da cidade estarão de pistas novas.”

Rollemberg também adiantou que já tomou providências para a transformação de uma estrutura no Bairro Crixás em uma escola. Inicialmente, o local seria um albergue, mas a destinação foi modificada para atender a uma demanda da comunidade local.

Mais cedo, um grupo de moradores fez um protesto para reivindicar a construção de uma escola e cobrar uma unidade de pronto-atendimento (UPA) para a região.

O secretário de Gestão do Território e Habitação, Thiago de Andrade, e o diretor-presidente da Codhab, Gilson Paranhos, disseram que vão mediar uma conversa da associação de moradores com as Secretarias de Educação e de Saúde ainda nesta semana.


codhab-1024x683.jpg

Ricardo Callado03/07/20173min

Prazo se encerraria nesta segunda (3), mas foi prorrogado. Procedimento é obrigatório para quem está na lista de habilitados a receber um imóvel pelo programa Habita Brasília

A atualização cadastral na Companhia de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal (Codhab) de habilitados à casa própria pode ser feita até 31 de julho. O prazo se encerraria nesta segunda-feira (3), mas foi prorrogado.

Iniciado em 3 de abril, o procedimento é uma exigência do Ministério Público do DF e Territórios, que assinou termo de ajustamento de conduta (TAC) com a empresa pública. O objetivo é corrigir distorções e dar mais transparência à lista de candidatos a receber imóveis por meio do programa Habita Brasília.

Até agora, 80.789 pessoas concluíram o processo, e cerca de 62 mil ainda não atualizaram nem confirmaram os dados. Em outubro, uma nova lista será publicada no site da companhia, com uma nova pontuação e classificação.

Aplicativo da Codhab permite atualização cadastral

O aplicativo da Codhab, disponível para os sistemas Android e iOS, é uma das ferramentas para a atualização de cadastro e já teve 142.290 downloads.

Aqueles que não conseguirem atualizar os dados pelo aplicativo ou pelo portal da companhia podem agendar pelo telefone 156 (ou pelo site) para serem atendidos em um dos dez postos de assistência técnica.

Nesses locais, servidores ficam disponíveis das 10 às 16 horas, de segunda a sexta-feira, para esclarecer dúvidas. “Mas o habilitado precisa levar seu aparelho celular. Lá no posto ele será orientado sobre como usar o aplicativo ou o site e fazer a atualização”, explica o diretor Imobiliário da Codhab, Jorge Gutierrez.

A equipe do posto de atendimento da 112 Sul, destinado a pessoas com deficiência e idosos, também auxilia na atualização cadastral.



Sobre o Blog

Com 15 de existência, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Social LikeBox & Feed plugin Powered By Weblizar



Parcerias