Intercâmbio: a melhor alternativa para fugir do desemprego no Brasil

Ricardo Callado16/07/20196min

Por Bruno Polli

Mais seis meses se passaram, e o desemprego continua a ser um problema para o brasileiro. Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) apontam que o número de pessoas desocupadas chegou a 13,2 milhões de pessoas. Mesmo com todas as expectativas de melhora, as coisas parecem estáveis, e isso não é bom. Ainda há milhares de pessoas sem trabalho, sem renda movimentando a economia e profissionais que, mesmo empregados, não tem segurança de investir.

Em vista disso, uma oportunidade de fazer diferente, e que historicamente é muito usada, é buscar melhores oportunidades fora do país. Não falo apenas de trabalho, mas também de novos estágios de profissionalização. O intercâmbio tem se mostrado uma importante ferramenta de complemento e diferencial competitivo.

Países como a Alemanha, que possui a maior economia da Europa, e é a quarta maior potencial mundial, são excelentes opções. O país tem universidades com cursos que vão das artes aos esportes, até a tecnologia e administração. A maior vantagem está, inclusive, em esse ser um país que dita tendências de qualidade e tecnologia, o que garante uma formação ou especialização muito superiores do que a de diversos outros países que são normalmente mais procurados, como os EUA ou Canadá.

Além disso, a Alemanha tem a taxa de desemprego mais baixa em 30 anos, e nunca necessitou tanto de mão de obra qualificada quanto agora. Há um incentivo à formação de profissionais e, por isso, o intercâmbio para lá é tão facilitado.

Quem busca uma universidade alemã, seja para graduação ou pós, tem 18 meses de visto de trabalho garantido, e após três anos trabalhando, tem como renovar seu visto para permanente. Quem nunca estudou no país precisa trabalhar cinco anos para ter essa chance. A taxa de empregabilidade em universidades de ponta chega a 80% durante o período letivo.

Um intercâmbio é um investimento que vale muito a pena. Enquanto há pessoas investindo suas economias em negócios próprios, outras preferem usá-las para estudar e trabalhar fora do país, podendo se mudar permanentemente ou apenas se programando para passar uma temporada fora, até que as coisas melhorem por aqui. No caso dos estudantes que estão buscando sua primeira graduação, essa é a chance de investir menos, ter melhores garantias, e ainda uma experiência muito importante no currículo.

Para os que se questionam sobre a língua alemã, a maioria das opções são de cursos em inglês, e por ser um país globalizado, o trabalho também está pronto a receber falantes da língua. Para os interessados, aprender alemão nem é tão difícil quanto parece. A língua pode ser aprendida no mesmo período de tempo em que se aprende o inglês. As vantagens são muito grandes, e em um cenário incerto como o que estamos vivendo, é bom ter uma alternativa onde apostar fichas que garantam um futuro melhor.

Bruno Galli é mentor e coach de educação internacional, gestor LATAM da UE – University of Applied Sciences. É especialista em marketing pela FECAP e em negócios internacionais pela Australian Center od Further Education.

Sobre a UE – https://www.ue-germany.com/en / 11 9 4559-3978

A Universidade de Ciências Aplicadas da Europa – em Iserlohn, Berlim, Hamburgo – educa os designers e decisores do amanhã nas áreas de negócios, psicologia, mídia e comunicação, gestão esportiva, arte e design. Surgiu em 2017 após a fusão da BTK University of Art & Design e da BiTS University of Business Leadership. A universidade promove o desenvolvimento de habilidades e formatos de ensino interdisciplinar orientados ao futuro, e em sintonia com a prática das profissões, sempre de acordo com os mais altos padrões de ensino internacionais. Através da interação entre pensamento criativo, empreendedor e digital, bem como uma perspectiva internacional, os vários campos de estudo se enriquecem mutuamente e oferecem novas abordagens de ensino e pesquisa adaptadas às exigências do mercado de trabalho 4.0. Bruno Galli representa a UE no Brasil em seu programa de intercâmbio.

Ricardo Callado

Jornalista, blogueiro, escritor e consultor político. Exerceu a função de secretário de Comunicação Social do Governo do Distrito Federal. Foi Diretor de Redação do Grupo Comunidade de Comunicação – responsável pelos jornais da Comunidade e O Coletivo. É autor do livro PANDORA – e outros fatos que abalaram a política de Brasília.


Comente esta publicação

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com (*) são obrigatórios.

 


Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias