Com R$ 260 milhões, Banco de Brasília alcança maior lucro líquido da história

Ricardo Callado06/03/20185min

Dados foram divulgados pelo presidente da empresa, Vasco Cunha Gonçalves, em evento na noite desta segunda (5). Governador Rodrigo Rollemberg participou da divulgação

O Banco de Brasília (BRB) fechou 2017 com R$ 259,9 milhões de lucro líquido – o maior registrado na história do estabelecimento.

O governador Rodrigo Rollemberg, e presidente do BRB, Vasco Cunha Gonçalves. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
O governador Rodrigo Rollemberg, e presidente do BRB, Vasco Cunha Gonçalves. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

O balanço anual foi divulgado, nesta segunda-feira (5), no Centro Internacional de Convenções do Brasil, no Setor de Clubes Sul.

Ao apresentar os dados, o presidente do BRB, Vasco Cunha Gonçalves, destacou a participação dos funcionários na conquista do resultado. “Mérito de um trabalho incansável”, pontuou.

Ele anunciou, durante o evento, a autorização para o depósito da PLR (participação nos lucros) para os servidores.

Vinte funcionários do banco que se destacaram em 2017 foram homenageados no evento, em agradecimento pelo resultado alcançado.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, relembrou a nomeação de um servidor do banco para a Presidência, ainda no início da atual gestão, como uma escolha acertada.

“Se formos comparar com 2014, estamos com o dobro do resultado. É uma administração (do BRB) extremamente eficiente”Rodrigo Rollemberg, governador de Brasília

“Fruto de uma estratégia correta, com uma direção estritamente técnica para servir à população de Brasília da melhor forma possível”, avaliou.

Ele desejou ainda que o BRB sirva de exemplo para outras empresas públicas. “Se formos comparar com 2014, estamos com o dobro do resultado. É uma administração extremamente eficiente.”

Em 2016, o lucro do banco – que tem mais de 750 mil clientes – foi de R$ 200,5 milhões.

De acordo com os dados, o Banco de Brasília é o que possui o maior número de agências no Distrito Federal. Ele é ainda o nono em crédito imobiliário no País e o 12º em depósitos de poupança.

O resultado operacional do BRB cresceu 42,5%. Passou de R$ 350 milhões em 2016 para R$ 500 milhões no ano passado. Os ativos da instituição cresceram 4,1% no período, e o patrimônio líquido, 8,2%.

A maior parte do banco público pertence ao governo de Brasília, que detém 80,33%. O controle acionário minoritário, de 16,52%  – desde dezembro passado – é do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev).

A transferência de ações, e também de bens, foi necessária para recompor o Iprev, depois que o Executivo local usou o superávit do fundo previdenciário capitalizado para honrar o pagamento de aposentadorias.

Sobre o BRB

Além de ser o banco pagador dos salários dos funcionários do governo de Brasília, o BRB é recolhedor dos tributos locais, como as multas do Departamento de Trânsito do DF (Detran-DF), o IPTU e o IPVA.

Atua ainda para impulsionar o esporte, a cultura, a educação, a arte e o empreendedorismo, por meio de apoio a projetos.

Ricardo Callado

Jornalista, blogueiro, escritor e consultor político. Exerceu a função de secretário de Comunicação Social do Governo do Distrito Federal. Foi Diretor de Redação do Grupo Comunidade de Comunicação – responsável pelos jornais da Comunidade e O Coletivo. É autor do livro PANDORA – e outros fatos que abalaram a política de Brasília.


Comente esta publicação

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com (*) são obrigatórios.

 


Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias