Categoria: Saúde

Dia-da-Saúde-e-Nutrição-Crédito-Freepik-2-1280x853.jpg

Callado31 de março de 20206min

Especialistas dão alerta sobre má alimentação como fator de risco para doenças coronarianas

FIQUE EM CASANesta terça-feira, dia 31 de março, comemora-se no Brasil o Dia da Saúde e da Nutrição. A data serve para alertar sobre a importância da manutenção da saúde por meio de bons hábitos alimentares e práticas de exercícios. Além de interferir na aparência física, o fato de se alimentar mal pode interferir diretamente na saúde, principalmente, do coração.

Nenhuma parte do corpo está livre de sofrer as consequências da má alimentação. O sistema cardiovascular é um dos mais afetados quando não se preza pela qualidade desse hábito essencial à vida. Nos dias atuais, com as transformações ocorridas no estilo de vida da população, houve um aumento na incidência dessas doenças. Essas modificações resultam das mudanças nos hábitos alimentares, influenciados pela disponibilidade de alimentos com alto valor energético e pelo aumento do sedentarismo.

Um dos principais riscos que a má alimentação traz ao coração é o aumento das chances de se adquirir doenças coronarianas. De acordo com a arritmologista e eletrofisiologista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Dra. Carla Septimio, tratam-se de doenças ou danos que acometem os principais vasos sanguíneos do coração. “Quando há depósito de gordura nas artérias coronárias, o fluxo sanguíneo que é bombeado para o coração é interrompido”, explica.

Ainda segundo a médica, esta interrupção pode causar problemas como insuficiência cardíaca, arritmias, e até mesmo levar à morte. “Uma irrigação inadequada de sangue no coração pode provocar a morte do tecido e, consequentemente, um infarto do miocárdio”, adverte. Os sintomas mais comuns nestes casos são dores no peito, falta de ar, inchaços nos pés.

Tratamento

Os tratamentos deste tipo de doença variam de acordo com a gravidade, podendo ser desde mudanças de hábitos até os procedimentos um pouco mais invasivos. “Em alguns casos mais brandos, a simples mudança alimentar e a introdução de exercícios físicos podem ajudar. Às vezes é necessário lançar mão de medicamentos ou mesmo de intervenções, como a angioplastia, que desobstrui as artérias cirurgicamente”, pontua a cardiologista.

Prevenção

Os pacientes devem estar atentos para o risco de ter novos problemas após passarem pelos tratamentos e procedimentos. “Os bons hábitos devem ser estendidos por toda a vida. O fato de uma pessoa já ter desobstruído as artérias, seja por tratamento medicamentoso ou por intervenções, não quer dizer que o problema não possa voltar. A prevenção é sempre o melhor remédio”, finaliza Dra. Carla.

Para melhorar a saúde do coração, e por consequência de todo o organismo, é preciso substituir boa parte dos alimentos que estão à nossa disposição de forma fácil. Precisamos inverter a lógica de que comida saudável é exceção em vez de regra. De acordo com o nutricionista Daniel Novais, cuidar da alimentação deveria ser prioridade na vida das pessoas e não só para fins estéticos, mas como um investimento para saúde a longo prazo. “É necessário ter essa consciência, porque o que nós comemos dita diretamente como será nossa saúde daqui uns anos”, declara.

Para evitar doenças como colesterol alto, diabetes, hipertensão e obesidade, os alimentos com altos níveis de gordura e açúcar devem ser consumidos com muita parcimônia. “Frituras, industrializados, itens com alta concentração de açúcar e de gorduras saturadas são um verdadeiro veneno para a saúde”, adverte Daniel. “Uma alimentação rica em fibras, gorduras boas como as das castanhas e proteínas animais magras, e nutrientes encontrados em legumes e verduras, associadas a exercícios físicos, garantem um futuro mais saudável. Vale incluir no cotidiano o azeite de oliva, o alho, a aveia e as frutas vermelhas”, finaliza.


dengue.jpg

Callado30 de março de 20203min

Levantamento atualizado que corresponde ao mês de fevereiro e março aponta 2.581 casos confirmados

FIQUE EM CASADe 17 de fevereiro a 29 de março, 5.838 pacientes foram atendidos nas sete estruturas especiais para casos suspeitos de dengue, montadas pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges-DF). No total, 2.581 casos foram confirmados.

As unidades estão funcionando ao lado do Hospital Regional de Santa Maria (HRSM) e das seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), sendo que, no Núcleo Bandeirante, a estrutura deixou de atender casos de dengue e passou a atender exclusivamente, desde 23/3, casos suspeitos da Covid-19.

Em um recorte detalhado do mês de fevereiro, do dia 17 ao dia 29, mês em que apenas duas estruturas tinham sido montadas ao lado das UPAs de Ceilândia e Sobradinho, foram 1.069 atendimentos, sendo 454 positivos.

No mês de março, do dia 1º ao dia 29, quando mais cinco estruturas foram erguidas ao lado das UPAs do Núcleo Bandeirante, Recanto das Emas, Samambaia, São Sebastião e no Hospital Regional de Santa Maria, foram realizados 4.769 atendimentos, sendo 2.127 casos confirmados.

Estrutura

O modelo de atendimento é similar em todas as tendas montadas pelo Iges-DF. São 50 metros quadrados e as estruturas contam com sala de triagem, consultório médico, 10 leitos de hidratação venosa e sistema de ar condicionado. Nos locais, é possível fazer o diagnóstico clínico, teste rápido e teste laboratorial e hidratação dos pacientes.

As tendas contam com médicos, técnicos de enfermagem, enfermeiros, técnicos de laboratório, analistas de laboratório, auxiliares de atendimento e auxiliares de serviços gerais para fazer a limpeza.

O funcionamento é das 7h às 19h, todos os dias e, se necessário, o horário pode ser estendido para 24h por dia.


mascara-alcool-em-gel.jpg

Callado29 de março de 20204min

Álcool gel, testes para Covid-19 e ventiladores pulmonares estão na lista. Também será contratada uma empresa especializada em remoção de pacientes com ambulâncias

FIQUE EM CASAPara reforçar o combate à disseminação do coronavírus, a Secretaria de Saúde pretende adquirir, de forma emergencial, mais álcool em gel, testes rápidos para Covid-19, ventiladores pulmonares, além de contratar uma empresa especializada em remoção de pacientes com ambulâncias. O valor total investido pela pasta será de aproximadamente R$ 56 milhões.

As aquisições e a contratação de serviços serão realizadas com dispensa de licitação, conforme autoriza a situação de emergência em saúde em que a capital se encontra desde fevereiro. O aviso foi publicado em edição extra do Diário Oficial do DF (DODF) deste sábado (28).

“A Secretaria de Saúde não vai medir esforços para garantir os insumos e equipamentos necessários para os nossos profissionais terem à disposição e atenderem os pacientes. Com essas atitudes, evitaremos aqui o que está acontecendo em outros locais do mundo”, afirmou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

Segundo o subsecretário de Administração Geral da pasta, Iohan Struck, serão adquiridas 30 mil unidades de álcool gel de 100ml e 500ml; 300 mil testes rápidos para a Covid-19;  300 ventiladores pulmonares para os principais hospitais da rede pública; além da contratação da empresa que reforçará os atendimentos com sete ambulâncias, que estarão de pronto aviso nas regionais de saúde para fazer o transporte de pacientes.

“São quatro dispensas de licitação, que tem como objetivo o controle da Covid-9 e o tratamento dos pacientes. Queremos que os profissionais de saúde tenham recursos para garantir a vida do maior número possível de pessoas”, comentou o subsecretário.

A Secretaria de Saúde vai receber as propostas até às 15h de 1 de abril, para adquirir álcool gel e testes rápidos da Covid-19. No caso dos ventiladores pulmonares e da contratação de ambulâncias, o prazo será até às 15h do dia 2 de abril.

As propostas devem ser enviadas para este e-mail. Empresas interessadas devem solicitar o ofício de convocação e o projeto básico no mesmo endereço.

Elas serão selecionadas e classificadas pelo critério de menor preço por item, observados os requisitos de segurança tanto para os usuários quanto para os profissionais de saúde.


exame-corona.jpg

Callado29 de março de 20203min
Coronavirus

Eles se somarão às três já existentes na unidade. Com isso, será possível fazer cerca de mil exames por dia

FIQUE EM CASAPara aumentar o quantitativo de exames de coronavírus realizados diariamente no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), a unidade receberá o reforço de cinco novas máquinas de testagem. Com isso, somado ao esforço de servidores – que trabalham desde sexta-feira, 24 horas por dia, inclusive aos finais de semana -, será possível fazer cerca de mil testes diários.

“Imediatamente, são três equipamentos da Universidade de Brasília, que serão testados e liberados para rotina na próxima semana. Os outros dois também devem estar chegando”, diz o diretor do Lacen, Jorge Chamom. A unidade já conta com três aparelhos semelhantes, que fazem as testagens atualmente.

Os aparelhos são equipamentos de amplificação do tipo PCR em tempo real. “Eles são os analisadores que identificarão a presença de material genético correspondente aos Covid-19, dando a informação se o paciente tem ou não a doença”, explica Chamon.

Para o secretário da Saúde, Francisco Araújo, a soma de esforços e a parceria com a UnB mostra que o momento exige atitudes urgentes e assertivas. “Agradeço a UnB pela sensibilidade e agilidade nessa cooperação”, afirma o secretário.

Pelos próximos 90 dias, o Lacen funcionará, também, à noite e nos finais de semana, para realização dos testes de coronavírus. O objetivo é otimizar as máquinas que fazem o diagnóstico molecular e, com isso, diminuir o tempo de liberação dos exames.

Para isso, contará com o Trabalho por Período Determinado (TPD) de cerca de 50 servidores, entre biólogos, farmacêutico-bioquímicos, técnicos de laboratório, patologia clínica, técnicos de políticas públicas e gestão governamental, além de motoristas.

“Atualmente, o tempo médio de liberação de resultado é de até cinco dias. Com o plantão noturno e durante os finais de semana, pretendemos diminuir esse prazo para três dias e, em casos graves, até 24 horas”, informa o diretor do Lacen, Jorge Chamon.


dengue.jpg

Callado29 de março de 20206min

FIQUE EM CASAPelo menos 130 novos agentes recém-capacitados da Vigilância Ambiental, com auxílio de um drone, participaram da ação  

Os moradores de Santa Maria, Recanto das Emas, Ceilândia e Sol Nascente/Pôr do Sol receberam, neste sábado (28), a visita das equipes da Vigilância Ambiental para inspeção dos domicílios. Desta vez, a força-tarefa de combate ao mosquito Aedes aegypti contou com um drone para fazer filmagens aéreas e o reforço de 130 novos agentes recém-capacitados pela Secretaria de Saúde – além de 85 profissionais experientes que orientaram os novatos.

“Essa é nossa 13ª ação, onde quatro regiões estão sendo inspecionadas simultaneamente. O objetivo é irmos aos locais que tiveram casos suspeitos e comprovados de dengue e orientar à população que evite deixar água parada em casa. Uma vez que estão em suas residências por causa do coronavírus, a ideia é incentivá-los a tomar as medidas contra o Aedes”, afirmou o diretor de Vigilância Ambiental, Edgar Rodrigues, presente na ação em Santa Maria.

Durante as inspeções, o gestor ressaltou a importância de os agentes de Vigilância Ambiental utilizarem máscaras e luvas, para trazer mais segurança à população devido à pandemia da Covid-19. “Em razão do coronavírus, mudamos a estratégia. Agora vamos entrar somente nas áreas periféricas da residência, como nos quintais, para reduzir o contato dos agentes com os moradores e proteger a todos”, ressaltou.

Foi dessa forma que ocorreu na visita realizada na residência do rodoviário Flávio Fonseca, de 55 anos, que se mantém protegido em casa devido à Covid-19. Os agentes de saúde aproveitaram a oportunidade para inspecionar a caixa d’água e aplicar larvicidas contra o mosquito. “Tem que combater essa praga. Mesmo com o coronavírus, temos de lembrar para também nos prevenirmos contra a dengue”, comentou.

Outra residência visitada foi a do aposentado Nercino Domingos, de 71 anos, que cuida para manter a área externa e os fundos da casa livre de focos da dengue. Ainda assim, agradeceu pela visita dos agentes de Vigilância Ambiental, que verificaram vasinhos de plantas, ralos e demais locais onde o mosquito poderia se instalar. “É muito bom essa visita deles. Nunca tive dengue, e espero continuar assim”, brinca.

A operação contou ainda com o suporte das administrações regionais e do Corpo de Bombeiros. Desta vez, a corporação atuou com carros de som, para conscientizar a população sobre a visita dos agentes e a importância de os moradores permitirem a entrada dos profissionais de saúde nas residências.

Novos profissionais

A vinda de mais agentes de Vigilância Ambiental para inspecionar as residências foi um reforço bem-vindo, na avaliação da chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental de Santa Maria, Sueli Duarte. A região recebeu 28 novos profissionais, além de 15 vindos de outras áreas para participarem da operação deste sábado.

Os profissionais foram, segundo ela, devidamente orientados para fazer as inspeções contra dengue e, ao mesmo tempo, manter uma distância segura dos moradores. Até mesmo as fichas de identificação que eram assinadas pelos moradores, com nome e endereço da residência, agora são preenchidas pelos agentes, para evitar contato. “Essas medidas impedem a proliferação do coronavírus e nos ajudam a continuar combatendo a dengue”, destacou.

A Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde recebeu o reforço total de 335 profissionais. Eles passaram por treinamento teórico e prático. Outros 265 agentes contratados iniciarão o treinamento e em breve estarão nas ruas.


Casos

O Distrito Federal registrou 12.132 casos prováveis de dengue no último Boletim Epidemiológico. Conforme os dados da Secretaria de Saúde, em 2020, houve um aumento de 104,41% no número de casos prováveis, quando comparado ao mesmo período de 2019, quando foram registradas 5.935 ocorrências.


vacina.jpg

Callado28 de março de 20206min

Foram vacinados 190 mil idosos. Saúde espera alcançar mesmo nível na próxima fase

FIQUE EM CASAA primeira semana de Campanha de Vacinação contra a gripe termina com saldo positivo no Distrito Federal. Até a sexta-feira (27), 93% dos idosos foram imunizados, cerca de 190 mil pessoas com mais de 60 anos. Pouco mais de nove mil trabalhadores da saúde também receberam a vacina.

A expectativa da pasta é que as próximas duas etapas da campanha, que vai até 22 de maio, tenha a mesma adesão. “Isso é um marco. Nunca houve, na história do DF, uma cobertura tão ampla de vacinação como essa. Aproveito para agradecer a todos os profissionais de saúde que estiveram envolvidos e pedir a compreensão da população para que sigam as orientações e o cronograma da Secretaria de Saúde, pois estamos recebendo as doses de forma gradativa”, diz o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

A pasta priorizou os idosos e profissionais de saúde, na primeira fase da campanha, em razão da fragilidade deste público. A partir de 16 de abril, serão incluídos professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e portadores de doenças crônicas.

“Também vamos incluir neste público os cerca de três mil jornalistas do DF nesta fase”, anunciou Francisco Araújo.

No dia 9 de maio, inicia a fase para crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indígenas, jovens em medida socioeducativa e população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. “Neste ano, o Ministério da Saúde também incluiu, nesta fase, pessoas com idade entre 55 e 59 anos”, destacou o secretário adjunto de Assistência, Ricardo Tavares.

A meta da campanha é vacinar 912.914 pessoas dentro de todo o público-alvo. A estimativa é que o Ministério da Saúde envie, de forma gradativa, um total de 1.015.600 doses ao Distrito Federal. Até agora, já foram entregues 352.800 doses.

“Esperamos ter uma sobra para abrir a vacinação para mais pessoas ao final da campanha que, à princípio, vai até 22 de maio e não precisará ser estendida”, diz Ricardo Tavares.

SEGUNDA FASE 

De acordo com Ricardo Tavares, nesta segunda fase não será mais utilizado o sistema drive-trhu. “Foi um recurso usado para ajudar a população idosa, pois muitas pessoas nessa faixa etária têm dificuldade de locomoção. Além disso, esperar numa fila de carros, mas mantendo o isolamento dentro do automóvel, ajudou a proteger essas pessoas com relação ao coronavírus”, destaca o secretário-adjunto.

De acordo com o secretário de Saúde, Francisco Araújo, o  Ministério da Saúde enviou ao DF 216 mil doses de vacina, na terça-feira (25). “A próxima remessa está prevista para 7 de abril, porém, estou em conversa com o ministério para que a gente consiga antecipar a chegada”, adianta o secretário.

Ele diz que, se a população respeitar as fases da campanha, não faltará vacina. “Tivemos atraso na entrega essa semana, devido ao cancelamento de voos e as doses precisaram vir por transporte terrestre e isso acabou provocando atraso. Mas, mesmo com isso, não houve prejuízo na vacinação. Contamos com o trabalho árduo dos servidores, que vacinaram sob chuva e a noite”, lembra Ricardo Tavares.


lacen-df-1.jpg

Callado28 de março de 20201min

Segundo teste molecular realizado pelo laboratório deu negativo. Indicação de suspeita da doença no atestado de óbito não confirma, por si só, a causa mortis

A Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal informa que o caso amplamente divulgado na noite desta sexta-feira (27) como sendo a primeira vítima do Covid-19 no DF testou negativo em exame definitivo realizado pelo Laboratório Central (Lacen) em segundo teste molecular para detecção de SAR-COV2 por reação de PCR em tempo real utilizando o protocolo Berlim.

O desencontro de informações se deu, em virtude da indicação de suspeita da doença no atestado de óbito que, em si só, não confirma a causa morte.

Portanto, o Distrito Federal continua sem nenhum óbito registrado até o momento.


GDF_Coronavirus_BlogDoCallado_300x600.gif

Callado25 de março de 20202min

As principais carências são de médicos anestesiologistas, infectologistas, intensivistas e pneumologistas. Também há vagas para psicólogos e fisioterapeutas

FIQUE EM CASAEstão abertas seleções para contratação de profissionais de saúde – especialmente médicos anestesiologistas, infectologistas, intensivistas e pneumologistas – pelo Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF).

A contratação, em caráter emergencial e temporário, também convoca médicos do trabalho, imunologistas, psiquiatras e clínicos gerais. Também há vagas para psicólogos e fisioterapeutas.

Os profissionais serão contratados de forma temporária, por seis meses.

Os salários para médicos chegam a R$ 14.330,40. Para psicólogos  R$ 3.783,93 e para fisioterapeutas é de R$ 4.701,86.

A carga horária semanal para médicos será de 20h, com exceção dos intensivistas, que será de 24h.

Para fisioterapeuta, é de 40 horas e psicólogo de 30 horas.

A seleção emergencial será feita com base em análise curricular e servirá para atender as demandas de urgência e emergência da população na rede de saúde pública do Distrito Federal e IGESDF no combate ao novo coronavírus.

O encaminhamento de currículos deverá ser feito pelo o email: selecao@igesdf.org.br.


vacina-dengue.jpg

Callado25 de março de 20202min

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal comunica que a vacinação contra a gripe Influenza acontecerá nesta quarta (25) excepcionalmente, só no período da tarde, das 17 às 22h

FIQUE EM CASAO horário foi alterado mais uma vez em função de bloqueios enfrentados pelo caminhão na altura do município de Catalão em Goiás, sob responsabilidade do Ministério da Saúde, que está transportando a carga com as 216 mil doses referentes à segunda remessa agendada pela pasta, agora, com desembarque previsto para as 15h no galpão da Central de Frio que fica na Parque de Apoio da Secretaria de Saúde do DF

Em seguida, o lote será distribuído para todos os postos que já fazem parte da campanha de vacinação 2020.

A Secretaria informa que já foram vacinados mais de 50% dos idosos nos dois primeiros dias da campanha e que todos serão vacinados de acordo com o calendário pré estabelecido.

Aproveita ainda para pedir que obedeçam as regras por ordem alfabética, evitando aglomerações e assim prevenindo contra a disseminação do coronavírus entre esse grupo vulnerável.

🌐http://www.saude.df.gov.br/locaisdevacina/


lacen-df.jpg

Callado24 de março de 20202min

Objetivo é otimizar diagnóstico e diminuir o prazo de liberação de resultados

FIQUE EM CASAO Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen) vai ampliar o horário de funcionamento pelos próximos 90 dias.

O objetivo é otimizar as máquinas que fazem o diagnóstico molecular da Covid-19 e, com isso, diminuir o tempo de liberação dos exames.

“Atualmente, o tempo médio de liberação de resultado é de até cinco dias. Com o plantão noturno e durante os finais de semana, pretendemos diminuir esse prazo para três dias e, em casos graves, até 24 horas”, explica o diretor do Lacen, Jorge Chamon.

Ele destaca que, com a medida, será possível agilizar as informações e tomar as medidas necessárias com mais agilidade.

“Em casos de testes positivos, poderá ser indicado isolamento domiciliar e, em casos mais graves, hospitalar”, frisa Chamon.

Funcionará 24 horas por dia apenas o serviço de análise de coronavírus, o que inclui cadastro de amostras, captação diária de amostras e diagnóstico.



Sobre o Blog

Com 16 de existência, o Blog do Callado é o 1º Blog Político de Brasília, um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


ricardocallado@gmail.com

55 61 98417 3487


Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial