Categoria: Saúde

Corona-testagem-2.jpg?fit=799%2C533&ssl=1

Callado29 de maio de 20204min

Todos os EPIs comprados têm, antes de serem postos à disposição dos profissionais, várias amostras avaliadas por duas áreas específicas da Secretaria

A segurança dos profissionais de saúde nesta época de pandemia é uma meta perseguida pela administração pública. Por isso, a pasta investe pesado nos chamados Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), entre eles as máscaras faciais e capotes – vestimentas específicas utilizadas como proteção de contato às roupas pessoais.

Todos os equipamentos, após adquiridos, seguem um rigor de verificação da qualidade e atendimento às medidas sanitárias. As amostras são avaliadas por pelo menos duas áreas da Secretaria de Saúde: a Gerência de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho ou a Gerência de Armazenamento e Distribuição de Materiais Médico Hospitalares e de Odontologia.

O mesmo acontece com equipamentos doados por entidades ou empresas empenhadas em ajudar no combate à doença. “Assim que os EPIs chegam ao almoxarifado central, os gestores da unidade entram em contato pedindo nossa presença para avaliação”, explica o gerente de Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho, Ricardo Theotônio.

Segundo ele, somente depois de aprovadas, os equipamentos são distribuídos pela Diretoria de Logística da pasta para os hospitais e unidades de saúde da rede. “No caso das máscaras, pegamos amostras e cortamos na hora para confirmar o número de camadas, a presença dos elementos filtrantes, fotografamos e guardamos as amostras”, detalha.

“Muitas vezes, passamos dias analisando as amostras, para termos certeza da qualidade de interação desse equipamento com a face do usuário”, completa.

Nos processos de compra, os materiais ainda são analisados em duas ocasiões. Na proposta e na entrega e, muitas vezes, descartando lotes inteiros devido às não conformidades encontradas.


Dia-Mundial-Sem-Tabaco.jpg?fit=626%2C417&ssl=1

Callado29 de maio de 20206min

Especialista fala dos perigos e consequências que o uso do tabaco pode causar

Criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado em 31 de maio tem o objetivo de alertar sobre as doenças e mortes evitáveis relacionadas ao tabagismo. O uso da substância é associado a diversos tipos de câncer, além de causar problemas pulmonares e ser também um dos maiores inimigos para a saúde do coração.

De acordo com a cardiologista eletrofisiologista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Edna Marques, o uso de tabaco afeta diretamente a saúde cardiovascular principalmente pela sua ação maléfica nos vasos sanguíneos, diminuindo a produção do óxido nítrico, que é uma substância protetorado tanto para os vasos sanguíneos e o coração.

“A substância encontrada nos derivados de tabaco como  cigarros, charutos, cachimbos e até mesmo nos narguilés contribui para diversas doenças no aparelho cardiocirculatório. Ela age no aumento da contração dos vasos sanguíneos, acelerando a frequência cardíaca e aumentando a pressão arterial”, detalha.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 7 milhões de pessoas morrem anualmente pelo tabagismo; destas, 900 mil são vítimas de fumo passivo. Para a especialista Edna Marques o hábito de fumar causa riscos a quem fuma e a quem convive com o fumante.

“Alguns efeitos do cigarro no organismo são irreversíveis. Quem faz uso do cigarro pode vir a ter doenças pulmonares e as cardiovasculares como por exemplo, Infarto Agudo do Miocárdio; Acidente Vascular Cerebral (AVC); Aumento do Colesterol ( Dislipidemia); Arritmias Cardíacas e Doença ateroscleróticas de todos os vasos do organismo”, explica. E completa: “uma pessoa exposta à fumaça do cigarro também pode desenvolver doenças respiratórias, cardiovasculares e cerebrais e até mesmo câncer. Apesar de os fumantes ativos apresentarem mais riscos, o tabagismo passivo também traz consequências graves à saúde”, ressalta a médica.

Tratamento Multidisciplinar é um caminho

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o tabagismo deve ser considerado uma pandemia, ou seja, uma epidemia generalizada, e como tal precisa ser combatida. Contudo, parar de fumar sozinho não é tarefa fácil porque o cigarro causa tanto a dependência química quanto a psicológica. Nesse sentido que estudos apontam que a abordagem multidisciplinar com os pacientes que buscam abandonar o vício é o método mais eficiente. A cardiologista eletrofisiologista do Instituto do Coração de Taguatinga (ICTCor), Edna Marques defende a prática e diz que é fundamental essa forma de tratamento.

“O paciente precisar se sentir acolhido para largar o hábito e o tratamento multidisciplinar colabora para isso. Além do acompanhamento com o pneumologista e cardiologista, tem a fisioterapia, psicologia e a nutrição que pode dar todo o suporte para o paciente”, pontua.

O tratamento multidisciplinar segue uma estratégia que visa atender de forma simultânea, ou seja, o paciente segue as orientações de cada profissional para atender às diversas demandas em todos os aspectos do ser humano. Nesse tipo de tratamento é muito comum, e necessário, que o paciente seja acompanhado por diversos profissionais, de diversas especialidades, para o próprio paciente criar uma rede de apoio social para seu tratamento.

Para a Marianna Cruz, psicóloga do ICTCor, é importante esclarecer, que além da importância do acolhimento dessas pessoas que buscam ajuda, o desenvolver do tratamento depende também da sua abertura para receber o que cada abordagem tem a agregar no tratamento contra o tabagismo, e principalmente, o paciente precisa se responsabilizar por todo o processo.

“Todas as áreas possuem sua contribuição, e podem trazer diversos benefícios, contudo, o mais importante em todo esse processo é o sentido que o paciente dá para esse desafio que ele estabelece para ele mesmo”, pontua.

Você sabia?

O tabaco é uma substância agrícola processada a partir de uma planta chamada cientificamente de nicotiana tabacum, que é utilizada como droga recreativa.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alerta para todo o mundo que o tabagismo é considerado a principal causa de morte evitável em todo mundo.


teste-corona.jpg?fit=640%2C427&ssl=1

Callado28 de maio de 20205min

Ação da Secretaria de Saúde ocorre nas localidades não alcançadas pelos testes por drive-thru

No sexto dia de Testagem Itinerante nas regiões mais vulneráveis do Distrito Federal, a Secretaria de Saúde testou 2.999 cidadãos e detectou a Covid-19 em 206. O objetivo da ação é identificar o coronavírus nas áreas mais remotas do DF, em pessoas sintomáticas ou que tenham histórico de contato com algum caso confirmado. Até o momento, 15.215 testes rápidos foram realizados. A partir deles foi diagnosticada a doença em 746 pessoas.

A Estrutural, pelo terceiro dia consecutivo, foi a região com mais confirmações, registrando 115 testes positivo. Em seguida, o Setor O e o Condomínio Porto Rico (Santa Maria), com 21, cada. O Itapoã registrou 18 confirmações e São Sebastião, 14. Também houve registro, durante a testagem, de oito casos em Arapoanga (Planaltina), seis no Vale do Amanhecer e outros três em Água Quente.

As ações da Testagem Itinerante começaram no dia 20 de maio, tendo como meta expandir a aplicação dos testes rápidos para os locais que não foram alcançados pelos postos de drive-thru. A iniciativa prevê, ainda, a distribuição de máscaras de tecido e kits de higiene e saúde bucal à população, além de reforçar as orientações quanto às medidas de prevenção.

A expectativa é atender 27 locais do Distrito Federal até o dia 6 de junho. Os atendimentos são feitos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Diferente dos pontos de drive-thru, a população desses locais não precisa fazer o agendamento no site testa.df.gov.br. Contudo, a equipe de saúde pode fazer o cadastro do cidadão na hora, caso ainda não tenha. O resultado é entregue em até 20 minutos.

Balanço

Até o momento, somando todos os dias em que a Testagem Itinerante ocorreu, a região da Cobra Coral foi a única que teve apenas um caso da doença. Por outro lado, com 249 registros, a Estrutural foi a que mais registrou o novo coronavírus durante a ação. O Sol Nascente vem em seguida com 79, São Sebastião e Vila Cauhy (Núcleo Bandeirante) com 67. Itapoã teve 55 resultados positivos.

O Condomínio Porto Rico apresentou 53 detecções da doença; Morro do Macaco (Samambaia), 46 positivos; Posto Fercal, 30; Pôr do Sol, com 23 casos; e Córrego do Arrozal e Vila São José (Vicente Pires) tiveram juntos 22 positivos. Os menores registros foram em Engenho das Lages (4), Vila Telebrasília (2), Brazlândia (2) e Varjão (1).

*Com informações da Secretaria de Saúde

 

 


corona-testes-e1589835436929.jpeg?fit=1200%2C797&ssl=1

Callado27 de maio de 20205min

Distribuídos pelo DF, exames rápidos vão atender trabalhadores do comércio que reabre em todas as regiões administrativas

Por Hédio Ferreira Júnior 

Para evitar tumultos e aglomerações, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio-DF) expandiu para nove o número de postos para testagem rápida de Covid-19 de comerciários a partir desta quarta-feira (27). Os exames, cedidos à entidade pelo Governo do Distrito Federal, por meio da Secretaria de Saúde, têm o objetivo de conter o contágio do novo coronavírus após a retomada das atividades no comércio.

Serão mais de 4 mil testes gratuitos distribuídos em nove regiões administrativas (RAs) do DF. Eles estarão disponíveis a partir das 9h nas unidades do Serviço Social do Comércio (Sesc) do Gama, do Guará, de Ceilândia, da 504 da Asa Sul, de Samambaia e de Taguatinga Sul, além das unidades do Sesi/Senai de Sobradinho, de Brazlândia e no Taguaparque, exclusivamente em sistema de drive thru (sem que seja preciso descer do carro).

Os horários de atendimento até sexta-feira (29) serão das 9h às 17h nas unidades do Sesc e do Sesi/Senai, e das 9h às 20h, no drive thru do Taguaparque. Em cada unidade haverá uma equipe de 15 profissionais de saúde e da área administrativa dos serviços ligados à Fecomércio. Não está previsto atendimento no final de semana.

A doação dos testes à Fecomércio é um dos suportes do governo à categoria na reabertura dos estabelecimentos e retomada das atividades durante a pandemia. “A testagem, junto com a máscara, o álcool gel e outras medidas de prevenção, passam tranquilidade num ambiente de trabalho, ao saber que a pessoa foi diagnosticada negativa para Covid-19”, destaca o secretário de Governo José Humberto.

Documentação

Para realizar a prova é necessário que o funcionário leve algum documento que comprove seu vínculo empregatício no segmento, seja a credencial de comércio do Sesc ou a carteira de trabalho.

Também nesta quarta-feira, o GDF manterá a distribuição de máscaras de proteção laváveis em áreas comerciais das regiões administrativas.

Melhor estrutura

Somente nessa terça-feira (26), primeiro dia da testagem, 1.106 pessoas foram atendidas no Sesc da Asa Sul, e 130 no Taguaparque. “Nos estruturamos para receber melhor os comerciários sem que eles precisem se deslocar a pontos muitos distantes de suas casas e dos seus locais de trabalho”, informa o presidente da Fecomércio-DF, Francisco Maia.

 

Confira os endereços onde os comerciários poderão ser testados até sexta-feira:

1. SESC Gama: Gama Setor Leste Industrial, QI 1 Lotes 620, 640, 660 e 680 | Fone: (61) 3484-9103 / 3484-9104 / 3484-9105

2. SESC Taguatinga Sul: Setor F Sul, AE 03, Taguatinga – DF | (61) 3451-3502

3. TaguaParque: Colônia Agrícola Samambaia – Taguatinga

4. SESC Guará: QE 04, Área Especial, Guará I | (61) 3383-9101 / 3383-9102

5. SESC Ceilândia: QNN 27, Lote B, Ceilândia Norte | (61) 3379-9500

6. SESC 504: W3 Sul Quadra 504/505 Bloco A , Asa Sul

7. Sesi/Senai Brazlândia: St. Norte Q 3 – Parque de Serviço da Administração de Brazlândia

8. Sesi/Senai Sobradinho: Quadra 13, Área Especial número 3

9. Sesc Samambaia: Quadra 101, Conjunto 1 Lote 1 | (61) 3458-8732


corona-testes-1-e1588765043592.jpeg?fit=1200%2C797&ssl=1

Callado26 de maio de 20206min

Em quatro dias de ação itinerante, 392 cidadãos testaram positivo para a Covid-19

A população das regiões vulneráveis do Distrito Federal continua sendo testada para o novo coronavírus. Em quatro dias, a ação da Secretaria de Saúde fez o exame em 9.464 brasilienses e diagnosticou a doença em 392. O objetivo da Testagem Itinerante é detectar a Covid-19 nas áreas mais remotas do DF, em pessoas sintomáticas ou que tenham histórico de contato com algum caso confirmado.

Na ação realizada nessa segunda-feira (25), 139 cidadãos testaram positivo para a Covid-19. A Estrutural foi a região com mais confirmações, com 61 testes positivos, em seguida o Sol Nascente, com 24, e São Sebastião, com 20. Também houve registro, durante a testagem, de 12 casos no Porto Rico, 11 no Córrego do Arrozal, oito no Itapoã e dois em Brazlândia (essa região recebe tanto a testagem itinerante, quanto o teste por meio do drive-thru).

Na mesma data, não houve registro da doença nos testes realizados na Vila Planalto, Cobra Coral, Vila Cauhy, Posto Fercal, Pôr do Sol, Vila São José (Vicente Pires), Morro do Macaco (Samambaia) e Engenho das Lages.

As ações começaram na quarta-feira (20), tendo como meta expandir a aplicação dos testes rápidos para os locais que não foram alcançados pelos postos de drive-thru. A iniciativa prevê, ainda, a distribuição de máscaras de tecido e kits de higiene e saúde bucal à população, além de reforçar as orientações quanto às medidas de prevenção.

A expectativa é atender 27 locais do Distrito Federal até o dia 6 de junho. Os atendimentos são feitos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Diferente dos pontos de drive-thru, a população desses locais não precisa fazer o agendamento no site testa.df.gov.br. Contudo, a equipe de saúde pode fazer o cadastro do cidadão na hora, caso ainda não tenha. O resultado é entregue em até 20 minutos.

Balanço

Até o momento, somando todas os dias em que a Testagem Itinerante ocorreu, a região da Cobra Coral foi a única que não teve detecções da doença por meio dos testes rápidos. Por outro lado, a Vila Cauhy foi a que mais registrou o novo coronavírus, durante a ação, com 67 resultados positivos. A Estrutural vem em seguida com 61, Sol Nascente com 48, Morro do Macaco (Samambaia) com 46 detecções e São Sebastião com 42.
O Posto Fercal teve, em quatro dias, 30 confirmações, Itapoã apresentou 25, Pôr do Sol, 23, e Condomínio Porto Rico detectou 19 casos, Córrego do Arrozal e Vila São José (Vicente Pires) tiveram 11 positivos. Os menores registros foram no Engenho das Lages (4), Vila Telebrasília e Brazlândia (2) e Varjão (1).
*Com informações da Secretaria de Saúde

Vacina-Gripe.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1

Callado26 de maio de 20206min

Grupos prioritários têm até 5 de junho para procurar salas de vacina anti-Influenza

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal vacinou, até o momento, 716.520 pessoas durante a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Como determinado pelo Ministério da Saúde, a iniciativa foi estendida até 5 de junho a todos os grupos prioritários.

Para os que começaram a vacinação na última etapa da campanha, iniciada em 18 de maio, a cobertura vacinal foi de 27,1% para professores da rede pública e privada, alcançando 13.448 profissionais, e 16,4% dos adultos de 55 a 59 anos de idade, chegando a 16.169 pessoas. Como foram os últimos a serem chamados, é esperada a baixa cobertura até o momento.

Contudo, a Secretaria de Saúde volta a alertar para a importância de que grupos de risco procurem mais as salas de vacina. Principalmente gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto) e crianças de 6 meses a menores de 6 anos.

Diferente da sintomatologia do coronavírus, que na maioria das vezes é mais leve ou sem sintomas em crianças, a influenza pode causar com maior frequência casos graves nesse grupo e até levar a morte. Já em relação às gestantes e puérperas, o risco de complicações é maior, principalmente entre o último trimestre da gestação até o primeiro mês após o parto.

“A procura desses grupos é anualmente baixa. Ainda assim, é preciso que intensifiquem a busca pelas salas de vacina, por isso pedimos que as mães levem seus filhos para se vacinarem, para evitar complicações com a Influenza”, afirmou a enfermeira da área técnica de imunização da Secretaria de Saúde, Fernanda Ledes.

De acordo com o levantamento, já foram vacinadas 23.979 crianças de seis meses até 2 anos, correspondendo a 36,9% da meta estabelecida para esse público. Os menores de cinco anos totalizaram 33.889, chegando a 29% de cobertura vacinal. A partir dos cinco anos, foram vacinadas 13.181 crianças, alcançando 33,1% de cobertura.

Além disso, 11.171 gestantes procuraram as salas de vacina do DF, alcançando 34,4% da meta estabelecida. Enquanto isso, 2.130 puérperas foram vacinadas até o momento, correspondendo a 39,9% do público-alvo estimado.

Demais grupos

No dia 11 de maio iniciou-se a etapa de vacinação para pessoas com deficiência. Desse público, 1.273 já foram vacinadas, representando apenas 1,3% da cobertura vacinal estimada.

A cobertura vacinal dos grupos prioritários nessa segunda fase da campanha foi de 97,1% para população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e jovens sob medidas socioeducativas; 84,2% para pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais; 105,5% para forças de segurança e salvamento; 24,9% para caminhoneiros e portuários e 49,6% para trabalhadores de transporte coletivo (motoristas e cobradores).

Os que apresentaram a maior procura pela vacina foram os idosos, ultrapassando a meta estabelecida e chegando a 144,2% de cobertura vacinal. Logo depois vieram os profissionais de saúde, com 116%.

Campanha

A vacinação contra Influenza teve início no dia 23 de março. A primeira fase contemplou os grupos prioritários de idosos e trabalhadores do setor de saúde.

No dia 16 de abril foi iniciada a segunda fase abrangendo os grupos de profissionais das forças de segurança e salvamento, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, povos indígenas, caminhoneiros, portuários e trabalhadores de transporte coletivo (motoristas e cobradores).

No dia 4 de maio, no Distrito Federal, iniciou-se a terceira fase da campanha para as crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes e puérperas, tendo em vista a disponibilidade de doses para iniciar a vacinação desse público. A partir do dia 11 de maio foram incluídas as pessoas com deficiência.

Desde 18 de maio, também foram incluídos os professores da rede pública e privada e as pessoas de 55 a 59 anos de idade. Apesar da organização por fases, todos os grupos prioritários poderão ser vacinados até o final da campanha.

Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, com a finalidade de evitar aglomerações, o Ministério da Saúde decidiu cancelar o Dia de Mobilização Nacional, que estava previsto para 9 de maio, e prorrogar o final da campanha para 5 de junho.


Corona-distribuição-mascaras.jpeg?fit=1200%2C797&ssl=1

Callado25 de maio de 20202min

Só hoje, 2,5 mil foram entregues na rodoviária do Plano Piloto. O uso é obrigatório

Por Rosi Araújo

Aproximadamente 95% dos frequentadores e comerciantes da rodoviária do Plano Piloto usam a proteção. Apesar disso, a distribuição é diária no local, só nesta segunda-feira (25), 2,5 mil máscaras foram entregues. O GDF faz as doações e o trabalho de conscientização da população, diariamente, há duas semanas, nos lugares de maior circulação das RAs.

O administrador da rodoviária do Plano Piloto, Josué Martins, esclareceu que são pontuais os que não usam máscara. “Mais de 10 mil já foram ofertadas. Queremos chegar a 100% das pessoas, com o equipamento de proteção e uso de forma correta, por isso nosso trabalho diário de orientação e oferta”. afirmou administrador.

Apesar da adesão, o uso errado é recorrente, muitas pessoas deixam abaixo do queixo, com nariz aparente, para falar ao telefone, se alimentar ou fumar em espaço público. Com apenas uma máscara, o vendedor de balas Rafael Silva garantiu outra para trocar no decorrer do trabalho. “Muito legal a atitude. Agora estarei mais seguro”, disse Rafael.

Conduta

Durante as abordagens o trabalho de orientação é intensificado com os servidores do DF Legal, administração da rodoviária, vigilância sanitária e apoio da Polícia Militar. As equipes supervisionam o uso e fiscalizam: o uso é obrigatório no DF e pode gerar multa de R$ 2 mil para pessoa física e R$ 4 mil para os comerciantes.


Projeto-Acolher.jpg?fit=1200%2C800&ssl=1

Callado24 de maio de 20209min

Representantes das secretarias de Saúde e de Turismo recepcionam os primeiros hóspedes. São esperados até 250 servidores

Os profissionais de saúde que estão na linha de frente no combate à Covid-19 vão poder se sentir mais tranquilos nesse período de enfrentamento da doença. Acolhidos pelo Programa Acolher, resultado de parceria entre as secretarias de Saúde e de Turismo, os primeiros servidores foram recebidos no Hotel Grand Bittar com mensagens de apoio e homenagens.

Logo que chegaram, eles foram recepcionados pela equipe do hotel e ganharam máscaras de tecido confeccionadas por artesãs da cidade. Durante a recepção, foi destacado o reconhecimento da coragem e dedicação desses profissionais. Cada detalhe foi pensado cuidadosamente para proporcionar mais segurança, conforto e tranquilidade para eles e suas famílias, mesmo à custa de um afastamento temporário.

Os servidores estão hospedados em apartamentos individuais (single), com café da manhã, almoço e jantar. Com essa medida, não precisam voltar para casa depois do trabalho e, assim, diminuem as chances de ocasionar possíveis contágios de seus familiares. Além disso, terão mais tempo para descansar pois conseguirão acessar facilmente os hospitais em que trabalham, dada a localização privilegiada do hotel.

Primeiros hóspedes

Na sexta-feira (22), os 250 servidores do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) selecionados pelo Programa Acolher começaram a se instalar nos hotéis Gran Bittar e América Bittar. “É importante garantir proteção não apenas aos servidores que estão na linha de frente, mas também aos seus familiares, com os quais o profissionais de saúde ficam permanentemente preocupados, receosos de levar o coronavírus para seus entes queridos quando retornam para suas casas”, atentou o secretário de Saúde, Francisco Araújo.

Foto: Breno Esaki / SES

Os profissionais com direito a hospedagem são aqueles envolvidos no atendimento presencial dos pacientes suspeitos ou diagnosticados com a Covid-19, que residem com pessoas do grupo de risco e precisam ser afastados de suas residências temporariamente. É o caso da enfermeira e supervisora da emergência do pronto-socorro do Hran, Gabrielle Pessoa. Ela mora com o pai, que tem hipertensão arterial severa e doença pulmonar crônica, grupo de risco para a Covid-19.  “Eu estava tentando me isolar em casa, mas é muito difícil, porque utilizava o mesmo banheiro e os mesmos ambientes, além de usar as mesmas louças e talheres. Por mais que a gente tente se isolar ao máximo, sempre tem algum tipo de contato”, relatou.

Gabrielle agradeceu a hospedagem e disse que a iniciativa é muito positiva, pois além de dar mais segurança para trabalhar, sem se preocupar em levar a doença para dentro de casa, poderá descansar mais, já que o hotel fica próximo ao Hran.

Para Silene, este é um momento de cuidar uns dos outros e acolher com carinho quem está na linha de frente dos atendimentos de pacientes com coronavírus. “Queremos dar melhores condições e segurança para o profissional trabalharem melhor, mais tranquilos e com mais segurança. Sem dúvida, isso impacta positivamente na assistência à população ”, destacou.

Mais segurança

Juliana Fernanda é chefe de gestão de leitos do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) e mora com duas pessoas do grupo de risco – a mãe, que é idosa, e a irmã, asmática. “É muito gratificante ter o apoio da Setur e da Saúde”, declarou. A enfermeira Lídia Rodrigues, que também vive com a mãe idosa, também elogiou a iniciativa: “Esse programa é incrível, é um novo olhar do governo para os profissionais de saúde. Estão dando a oportunidade para a gente trabalhar com mais calma e paz”.

Camareira do hotel, Leniuza Bernardo vai trabalhar na manutenção dos quartos. “Para eles é importante, vão proteger as famílias; e para nós também é muito positivo, pois vamos continuar trabalhando”, disse. “Vai ser uma forma de ajudar. Um tem que ajudar o outro”.

A secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, participou da recepção aos servidores e reforçou a importância do trabalho de acolhimento. “Entendemos o papel primordial que os profissionais da saúde têm desempenhado na linha de frente do combate à Covid-19”, ressaltou. “Agora, eles vão poder sair de um dia de trabalho exigente, tanto físico quando psicologicamente, e ir para um lugar com conforto e cuidado.”.

A subsecretária de Gestão de Pessoas da Secretaria de Saúde (SES), Silene Almeida, também destacou a importância desse trabalho. “Receber esses servidores significa dar uma assistência melhor”, resumiu. “Queremos dar melhores condições e segurança para os profissionais trabalharem melhor, mais tranquilos e com mais segurança. Sem dúvida, isso impacta positivamente na assistência à população”.

“Sem dúvida, isso impacta positivamente na assistência à população”Silene Almeida, subsecretária de Gestão de Pessoas da SES

O superintendente do Hran, Carlos Portilho, foi outro a pontuar a eficácia da iniciativa que permite a esses profissionais se hospedarem em hotéis durante o período da pandemia: “Estamos gratos pelo reconhecimento da sociedade. Eles vão poder exercer as suas atividades e, ao sair do hospital, não vão precisar colocar em risco os seus familiares”.

Programa Acolher

Lançado nesta semana, o Programa Acolher é resultado da integração entre a Secretaria de Saúde e a Secretaria de Turismo do DF para proporcionar hospedagem segura, confortável e acolhedora aos profissionais que estão na linda de frente no combate à pandemia. Nesse primeiro momento, será ofertada hospedagem aos servidores vinculados à SES. Posteriormente, o programa contemplará também profissionais da Secretaria de Segurança Pública (SSP), para a qual a seleção dos hotéis já se encontra em andamento.


Corona-testagem-e1590339870931.jpg?fit=1200%2C797&ssl=1

Callado24 de maio de 20209min

Em um mês de testagem em massa, 1.695 exames detectaram contágio pelo coronavírus

A Secretaria de Saúde (SES) já testou 100.946 brasilienses para Covid-19, por meio de postos drive-thru. A testagem em massa na população do Distrito Federal começou em 21 de abril e já confirmou o novo coronavírus em 1.695 cidadãos. Na sexta-feira (22), foram realizados mais 5.585 exames que detectaram a doença em 176 pessoas.

100.946Número de pessoas que fizeram o teste rápido, até sexta-feira (22)

A unidade que mais apresentou registros de confirmação de Covid-19, por meio do teste rápido, foi o posto montado no Iesb, em Ceilândia, com 298 casos. Em seguida, vêm a unidade situada no ParkShopping, com 229 casos, e a do Gama, com 205 resultados positivos. Os testes são seguros e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O cadastro para o exame deve ser feito no site testa.df.gov.br. O cidadão precisa preencher o formulário e, em seguida, escolher o ponto em que fará a testagem. A visualização das vagas é disponibilizada até dois dias seguintes à data de marcação.

Drive-thru

O sistema de drive-thru é exclusivo para pessoas sintomáticas ou que tenham histórico de contato com algum caso confirmado e residam com idosos nas regiões administrativas abrangidas pelo local onde o posto está montado.

A realização do exame, que detecta a presença de anticorpos gerados pelo organismo para enfrentar o vírus, não descarta a necessidade de procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) na ocorrência de sintomas. Eles costumam ser detectáveis com maior segurança a partir do sétimo dia da exposição.

Testagem itinerante

Até sexta-feira (22), 6.659 moradores das regiões mais vulneráveis do Distrito Federal passaram pela testagem Itinerante, com 253 testes positivos para o novo coronavírus.  O objetivo da ação é detectar a Covid-19 nas áreas mais remotas do DF, em pessoas sintomáticas ou que tenham histórico de contato com algum caso confirmado.

Durante os três primeiros dias da iniciativa, os testes rápidos foram realizados nas regiões do Itapoã, São Sebastião, Fercal, Sol Nascente/Pôr do Sol, Vila São José (Vicente Pires), Morro do Macaco (Samambaia), Engenho das Lages (Gama), Porto Rico (Santa Maria), Vila Cauhy (Núcleo Bandeirante), Vila Telebrasília e Cobra Coral (Região de Saúde Central). A Vila Cauhy apresentou a maior quantidade de testes positivos até o momento, com 54 registros, seguida do Morro do Macaco, com 24 casos, e Sol Nascente/Pôr do Sol, com 17 ocorrências.

As ações começaram na quarta-feira (20), tendo como meta expandir a aplicação dos testes rápidos para os locais que não foram alcançados pelos postos de drive-thru. A iniciativa prevê ainda a distribuição de máscaras de tecido e kits de higiene e saúde bucal à população, além de reforçar as orientações quanto às medidas de prevenção.

A expectativa é atender 27 locais do DF até 6 de junho. Os atendimentos são feitos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Diferentemente dos pontos de drive-thru, a população desses locais não precisa fazer o agendamento. Contudo, a equipe de saúde pode realizar na hora o cadastro do cidadão, caso ainda não tenha. O resultado do teste é entregue em até 20 minutos.

Confira, abaixo, os números de sexta-feira (22) e o acumulado das últimas semanas por região administrativa (RA).

 Posto de Testagem  Testes 21/5  Positivos 21/5  Até agora  Positivos até agora
Plano Piloto – Parque da Cidade 571 7  19.881  115
Sudoeste/
Octogonal – Terraço Shopping
533 5  2.428  13
Paranoá – estacionamento do Estádio JK 475 37  4.167  199
Guará – ParkShopping 800 16  11.694  229
Guará – Administração Regional 546 13 2.274  42
Taguatinga – JK Shopping 502 11  6.324  176
Brazlândia – Administração Regional 505 7  2.373  27
Ceilândia – Iesb 594 34  8.576 298
Gama – Bezerrão 476 25 5.497 205
Samambaia – Administração Regional 583 21  4.858  110
Águas Claras Desativado Desativado  17.650  130
Planaltina Desativado Desativado  3.162  73
Lago Sul Desativado Desativado  4.165  41
Sobradinho Desativado Desativado  3.202  24
Lago Norte Desativado Desativado  4.695  13
Total 5.585 176 100.946 1.695

 


Hospital-de-Campanha-do-Estádio-Mané-Garrincha-Ibaneis.jpeg?fit=1200%2C800&ssl=1

Callado23 de maio de 20202min

Transferidas do Hran, cinco pessoas estão internadas no local

O primeiro Hospital de Campanha para atender pacientes da Covid-19, no Distrito Federal, já está funcionando. Montado no Estádio Nacional Mané Garrincha, a unidade hospitalar recebeu, na tarde desta sexta-feira (22), os cinco primeiros pacientes transferidos do Hospital Regional da Asa Norte. A estrutura foi equipada com 197 leitos, sendo 173 de enfermaria adulto sem suporte de oxigenoterapia, mais 20 de suporte avançado e quatro de emergência.Os pacientes internados na nova estrutura estão em leitos com suporte de oxigênio. Nas próximas 24 horas, a previsão é que outros 15 pacientes sejam transferidos para o estádio. Eles estão com quadro clínico considerado moderado, já passaram do período crítico da doença, e estão na fase de recuperação.

“É mais um reforço para a rede assistencial de saúde do Distrito Federal no combate a Pandemia”, declarou o secretário-adjunto de Assistência, Ricardo Tavares.

Covid-19 

De acordo com o último boletim informativo da Secretaria de Saúde, divulgado no início da noite desta sexta-feira, o DF registrou 5.948 casos da Covid-19. Do total de pacientes infectados, 3.299 estão recuperados e 90 evoluíram para óbito. Desses, seis eram residentes de cidades do Entorno, mas estavam internados no DF.

A rede pública de saúde conta com 267 leitos de UTI Covid nos hospitais de Base, Asa Norte, Santa Maria, Universitário, da Criança e Daher, além da Unidade de Pronto Atendimento Núcleo Bandeirante. Na noite de hoje, 105 desses leitos estão ocupados.



Sobre o Blog

Com 16 de existência, o Portal do Callado é o 1º site político de Brasília, um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. É um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


ricardocallado@gmail.com

55 61 98417 3487