Arquivos Educação & Cultura - Blog do Callado

Still_Flor-do-Beijo-3.png

Ricardo Callado18/04/20185min

A banda brasiliense Sinco lança, nesta quarta-feira (18), às 20 horas, o clipe da música “Flor do beijo”. O vídeo é uma coletânea de filmagens feitas com smartphones em viagem realizada pela banda e amigos durante o carnaval do Rio de Janeiro.

O videoclipe, o primeiro da banda gravado este ano, conta uma história passada em um flash de minutos, revelando as sensações do momento de um beijo. Surpresa? Estranheza? Paixão? Confira no clipe, no link abaixo, a descrição que eles deram para essa ocasião.

https://www.youtube.com/watch?v=9BN6o5VQSD8

Sinco

Juntos há quatro anos, eles começaram no mundo da música tocando nos intervalos das escolas, nos chamados recreios culturais. A banda já tem mais de 3 mil inscritos no canal do YouTube e farão mais três lançamentos neste semestre. Já participaram de grandes festivais como CoMA, Geek Prime e dividiram palco com artistas como Emicida, Lenine, Raimundos, Silva e Clarisse Falcão.

A carreira dos brasilienses é voltada para timbres, tons e notas que remetem ao pop, hiphop, funk e R&B.

Gostou? Acompanhe o trabalho da banda pelos canais abaixo:

YOUTUBE: https://bit.ly/2vvk8Dp

SPOTIFY: http://spoti.fi/2qYhIWZ

INSTAGRAM: https://bit.ly/2IUlXLV

FACEBOOK: http://bit.ly/2sVlhhe

Bruno Duarte – Baterista

Enrico Timm – Guitarrista

Luan Fonteles – Guitarrista

Rodrigo Deac – Vocalista


ENEM-1-777x437.jpg

Ricardo Callado13/04/20183min

Termina no próximo domingo (15) o prazo para os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pedirem a isenção da taxa de inscrição da prova. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) espera que cerca de 4 milhões de pessoas peçam a isenção da taxa neste ano.

Em 2018, o Enem completa 20 anos e pela primeira vez o pedido de isenção da taxa é feito antes do período de inscrição. Também pela primeira vez, os candidatos que tiveram a isenção no ano passado e faltaram aos dois dias de prova terão que justificar a ausência para ter a gratuidade novamente.

Se a solicitação de isenção for negada, ainda é possível recorrer da decisão, na Página do Participante, entre os dias 23 e 29 de abril. A aprovação da isenção da taxa de inscrição não significa que o participante já está inscrito no Enem 2018. As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 7 de maio às 23h59 de 18 de maio deste ano, pelo site do Enem.

Quem tem direito à isenção

– Quem está cursando a última série do ensino médio neste ano em escola da rede pública

– Quem cursou todo o ensino médio em escola da rede pública, ou como bolsista integral na rede privada, e tenha renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio

– Quem declarar situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda, e que esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico)

– Quem fez o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) do ano passado, que tenha atingido a nota mínima


sinpro.jpg

Ricardo Callado05/04/20184min

O Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro/DF) está proibido de distribuir, utilizar e veicular a cartilha “Atividades Pedagógicas da Campanha E agora Rodrigo”, na qual, abertamente, usa o material pedagógico para difamar o atual Governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg. A proibição abrange todos os meios de utilização, tanto físico como eletrônico, e o descumprimento da ordem judicial acarretará multa ao sindicato. A liminar, concedida em 1ª Instância, foi confirmada pelo desembargador da 2ª Turma Cível do TJDFT, relator do recurso do sindicato.

A ação contra o sindicato, com pedido de antecipação de tutela, foi ajuizada pelo próprio governador. Segundo ele, a cartilha apresenta um planejamento pedagógico com a finalidade de incutir nos alunos da rede pública de ensino uma ideia de repúdio ao governador, inclusive com música criada para difamar sua imagem e atuação no governo. Pediu na Justiça que o Sinpro/DF seja compelido a: 1) suspender toda a veiculação da Campanha intitulada “E agora, Rodrigo?”, reputada ofensiva ao requerente, quer seja no próprio site do sindicato réu ou outros sites, nas redes sociais e em conteúdos transmitidos pela TV; 2) bem como a suspender a veiculação da cartilha “Atividades Pedagógicas da Campanha E agora Rodrigo”, por qualquer meio; e 3) abster-se de orientar os sindicalizados a promover doutrinação política dos alunos com a utilização da referida cartilha.

Na 1ª Instância, o juiz deferiu a liminar pleiteada e determinou: a) Suspensão imediata da veiculação da cartilha “Atividades Pedagógicas da Campanha E agora Rodrigo” em qualquer meio (eletrônico ou físico), bem como a veiculação desse material, e dos áudios respectivos, inclusive, no sítio eletrônico do Sindicato, no prazo de 48 horas, sob pena de multa de R$ 500 mil, em caso de descumprimento; b)  Proibição dos seus sindicalizados, por meio de notícia de grande destaque em seu site e em outros meios disponíveis, de ensinarem a seus alunos o material atinente à campanha acima multirreferida, especialmente de utilizarem a cartilha “Atividades Pedagógicas da Campanha E agora Rodrigo”, em qualquer meio (eletrônico ou físico), nos estabelecimentos públicos de ensino (salas de aula), sob pena de nova multa de R$ 500 mil, em caso de descumprimento.

O sindicato recorreu pedindo a cassação integral da liminar ou que apenas fossem excluídos da cartilha os trechos referentes ao governo. O relator do recurso, no entanto, manteve a proibição na íntegra. “Verifica-se que um dos planejamentos é fazer as crianças da escola pública ouvirem a música da campanha, cuja letra não possui intenção de debate educacional. Outrossim, consta do projeto pedagógico a interpretação, pelos discentes, de um texto criado por uma professora aposentada, refletindo protesto, de cunho meramente político, contra o atual governador. É certo que as atividades pedagógicas, dispostas na cartilha, referem-se aos textos acima mencionados, cujo teor não promove qualquer debate isento de crítica a atual gestão governamental, não havendo que se falar em possibilidade apenas de retirar trechos, mantendo-se a sua veiculação em ambiente escolar”.

O mérito da ação ainda será julgado.


enem.jpg

Ricardo Callado02/04/20189min

Começa hoje (2) às 10h o prazo para os candidatos ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pedirem a isenção da taxa de inscrição da prova. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) espera que cerca de 4 milhões de pessoas peçam a isenção da taxa neste ano. O prazo termina no dia 11 de abril.

Em 2018, o Enem completa 20 anos e pela primeira vez o pedido de isenção da taxa de inscrição será feito antes do período de inscrição. Até o ano passado, os dois atos eram feitos simultaneamente. Também pela primeira vez, os candidatos que tiveram a isenção no ano passado e faltaram aos dois dias de prova terão que justificar a ausência para ter a gratuidade novamente.

Segundo a diretora de Gestão e Planejamento do Inep, Eunice Santos, o objetivo é garantir mais oportunidade para os jovens que necessitam da isenção, mas também garantir maior cuidado do dinheiro público e o desenvolvimento de uma consciência mais ética no cidadão. “Vamos fazer isso com mais critério e mais responsabilidade”, disse ela.

Para todos os casos de solicitação de isenção da taxa de inscrição, o participante deverá ter documentos que comprovem a condição declarada, sob pena de responder por crime contra a fé pública e de ser eliminado do exame. Se a solicitação de isenção for negada, ainda é possível recorrer da decisão, na Página do Participante, entre os dias 23 e 29 de abril.

A aprovação da isenção da taxa de inscrição não significa que o participante já está inscrito no Enem 2018. As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 7 de maio às 23h59 de 18 de maio deste ano, pelo site do Enem.

Quem tem direito à isenção

– Quem está cursando a última série do ensino médio neste ano em escola da rede pública

– Quem cursou todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada e tenha renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio

– Quem declarar situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda e que esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico)

– Quem fez o Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) do ano passado, que tenham atingido a nota mínima do exame

Como pedir a isenção

Para pedir a isenção, o candidato deve acessar a página do Participante do Enem e inserir seu CPF e data de nascimento. Em seguida, aparecerá uma explicação sobre as situações que garantem a isenção, para o candidato verificar se ele se enquadra em alguma delas.

Isenção Enem
Tela Isenção EnemDivulgação/Inep

Na próxima página, são pedidos outros dados pessoais, como nome da mãe e endereço. Depois disso, o sistema questiona o candidato sobre os dados necessários para ver se ele se encaixa nas situações de isenção, como o tipo de escola que frequenta ou frequentou e o Número de Identificação Social (NIS), que comprova a inscrição no CadÚnico.

Tela Isenção Enem 2
Tela Isenção Enem 2Divulgação/Inep

No processo de inscrição também são apresentadas algumas questões sobre a situação socioeconômica da família, que servirão para subsidiar estatísticas sobre a educação. O candidato deve informar também seus dados de contato como telefone e e-mail. Em seguida, deverá criar uma senha, que será usada também para fazer a inscrição no Enem.

Tela Isenção Enem 3
Tela Isenção Enem 3Divulgação/Inep

Por último, aparecerá uma tela com o resumo das informações, para serem conferidos pelos candidatos. Depois de concluir a solicitação, não será possível alterar os dados ou incluir documento para justificar a ausência no Enem 2017.

Justificativa

Para os candidatos que tiveram a isenção da taxa de inscrição no ano passado e faltaram aos dois dias de prova, o sistema automaticamente abrirá uma opção para justificar a ausência. O candidato terá que informar a causa da ausência e fazer o upload dos documentos que comprovem o motivo da falta, se quiser manter o benefício da isenção da taxa de inscrição.

Tela Justificativa Enem 2017
Tela Justificativa Enem 2017Divulgação/Inep

Podem ser apresentadas como justificativas acidente de trânsito, assalto, casamento, morte na família, acompanhamento de cônjuge, problemas de saúde, maternidade e paternidade e trabalho no dia das provas. Não serão aceitos documentos autodeclaratórios emitidos pelo próprio participante, pais ou responsáveis.

Confira o cronograma do Enem 2018

Solicitação de isenção – Das 10h de 2/4/2018 às 23h59 de 11/4/2018

Justificativa de ausência – Das 10h de 2/4/2018 às 23h59 de 11/4/2018

Resultado da solicitação de isenção – 23/4/2018

Recursos relacionados à isenção – Das 10h de 23/4/2018 às 23h59 de 29/4/2018

Resultado da análise do recurso – até dia 5/5/2018

Inscrições (para todos) – Das 10h de 7/5/2018 às 23h59 de 18/5/2018

Pagamento da taxa de inscrição – De 7 a 23/5/2018 (Horário Bancário)

Solicitação de atendimento pelo nome social – Das 10h de 28/5/2018 às 23h59 de 3/6/2018

Confirmação do local de prova – Outubro de 2018

Aplicação das provas – 4 e 11/11/2018

Divulgação dos resultados – Janeiro de 2019

* Horário de Brasília – DF


enem.jpg

Ricardo Callado31/03/20186min

Os estudantes que irão participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2018 e quiserem pedir isenção da taxa de inscrição devem ficar atentos. Neste ano, a solicitação de isenção será feita entre os dias 2 e 11 de abril, ou seja, antes do período de inscrição, que começa em maio. O pedido deve ser feito, exclusivamente, pelo endereço site do Enem.

Serão isentos os estudantes que estejam cursando a última série do ensino médio neste ano em escola da rede pública, ou que tenha cursado todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada e tenha renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio.

Também tem isenção o participante que declarar situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda e que esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico). Neste ano, também são isentos os participantes do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) do ano passado, que tenham atingido a nota mínima do exame.

O estudante Emanuel Noronha, que mora em Belém (PA), vai fazer o Enem pela segunda vez neste ano e vai pedir a isenção da taxa de inscrição por se enquadrar no critério de baixa renda. Segundo ele, se fosse para pagar, teria que fazer uma “vaquinha” na família para conseguir os R$ 82 da taxa de inscrição.

O candidato diz que já está preparado para pedir o benefício logo nos primeiros dias, para evitar transtornos. “Vou pedir o mais cedo possível, porque mesmo que muitos ainda não saibam dessa mudança, quero evitar problemas, como o site estar congestionado”, diz.

Comprovação

Para todos os casos de solicitação de isenção da taxa de inscrição, o participante deverá ter documentos que comprovem a condição declarada, sob pena de responder por crime contra a fé pública e de ser eliminado do Exame.

O participante que solicitar isenção da taxa de inscrição por estar incluído no CadÚnico deverá informar o seu Número de Identificação Social (NIS) válido. O Inep poderá consultar o órgão gestor do CadÚnico para verificar a conformidade da condição indicada pelo participante no sistema de isenção.

Se a solicitação de isenção for negada, ainda é possível recorrer da decisão, na Página do Participante, entre os dias 23 e 29 de abril.

A aprovação da isenção da taxa de inscrição não significa que o participante já está inscrito no Enem. As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 7 de maio às 23h59 de 18 de maio deste ano, pelo site do Enem.

Justificativa

Os participantes que tiveram isenção da taxa de inscrição no Enem no ano passado e que faltaram aos dois dias de provas terão que justificar a ausência para fazer o Enem de 2018 sem pagar a taxa novamente. A ausência deve ser comprovada entre os dias 2 e 11 de abril, por meio de documentos como atestado médico, documento judicial, certidão pública ou boletim de ocorrência que comprove e justifique a ausência no exame.

Quem não apresentar justificativa de ausência no Enem 2017 ou tiver a justificativa reprovada após recurso e quiser se inscrever no Enem 2018 deverá pagar o valor da taxa de inscrição, que foi mantida neste ano em R$ 82. Da mesma forma, o participante que obtiver a isenção da taxa de inscrição do Enem deste ano e não comparecer às provas nos dois dias de aplicação deverá justificar sua ausência se desejar solicitar nova isenção para o exame em 2019.

A exigência foi adotada por causa dos prejuízos que o exame vem registrando nos últimos anos aos cofres públicos. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), as últimas cinco edições do Enem representaram um prejuízo de R$ 962 milhões com participantes que se inscreveram e não compareceram às provas.


enem-1024x681.jpg

Ricardo Callado21/03/20186min

Neste ano, os candidatos que participarão do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) terão 30 minutos a mais para fazer a prova do segundo dia, que reúne conteúdos de ciências da natureza e matemática. Segundo o edital da prova, publicado hoje (21) no Diário Oficial da União, os estudantes terão cinco horas para fazer a prova no segundo dia e cinco horas e meia no primeiro dia.

Assim como em 2017, neste ano as provas do Enem serão realizadas em dois domingos seguidos: nos dias 4 e 11 de novembro. A estrutura da prova também não mudou: no primeiro dia serão aplicadas as provas de Redação, Linguagens e ciências humanas, com duração de cinco horas e meia, e no segundo dia, as provas de ciências da natureza e matemática, com cinco horas de duração.

As inscrições deverão ser feitas das 10h do dia 7 de maio às 23h59 de 18 de maio deste ano.

A taxa de inscrição foi mantida em R$ 82. O pagamento deve ser feito entre os dias 7 e 23 de maio.

Isenções

A solicitação de isenção da taxa de inscrição deve ser feita entre os dias 2 e 11 de abril. Serão isentos os estudantes que estejam cursando a última série do ensino médio neste ano em escola da rede pública, ou que tenha cursado todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada e tenha renda per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio.

Também tem isenção o participante que declarar estar em situação de vulnerabilidade socioeconômica, por ser membro de família de baixa renda e que esteja inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal . Neste ano, também são isentos os participantes do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja) do ano passado.

Os participantes isentos da taxa de inscrição que não compareceram nos dias de prova no Enem do ano passado terão que justificar a ausência por meio de atestado médico, documento judicial ou boletim de ocorrência para fazer o Enem 2018 sem pagar a taxa. O prazo para justificar a ausência no Enem do ano passado vai de 2 a 11 de abril.

O participante que não apresentar justificativa de ausência no Enem 2017 ou tiver a justificativa reprovada após o recurso e desejar se inscrever no Enem 2018 deverá pagar o valor da taxa de inscrição.

Segurança

O edital do Enem continua prevendo a realização de revista eletrônica nos locais de prova, por meio do uso de detectores de metais. A novidade deste ano é que os alunos também deverão permitir que os artigos religiosos, como burca e quipá, sejam revistados pelo aplicador das provas. Quem não permitir a revista poderá ser eliminado.

Imprevistos

Segundo o edital deste ano, o participante afetado por problemas logísticos durante a aplicação poderá solicitar reaplicação do exame em até cinco dias úteis após o último dia de aplicação. Os casos serão julgados individualmente pela Comissão de Demandas.

No ano passado, cerca de 3,5 mil estudantes tiveram que refazer as provas em outra data por problemas como falta de energia nos locais do exame.

Direitos Humanos

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) retirou do edital o item que determinava que a redação que desrespeitasse os direitos humanos teria nota zero. No ano passado, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região determinou a suspensão da regra que previa a anulação da redação que violasse os direitos humanos.

Os resultados do Enem poderão ser usados em processos seletivos para vagas no ensino superior público, pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para bolsas de estudo em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


palacio-buriti-semana-patria-renato-araujo-agencia-brasilia-1024x683-1024x683.jpg

Ricardo Callado16/03/20182min

Sancionada em dezembro do ano passada, a Lei Orgânica da Cultura (LOC) foi regulamentada com a assinatura de decreto pelo governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, na noite desta quinta-feira (15), no Palácio do Buriti.

Segundo o secretário de Cultura, Guilherme Reis, o decreto desburocratiza as diversas formas de incentivo à cultura no Distrito Federal. “Ele trata de todos os temas relacionados ao financiamento cultural, com novas regras para as modalidades de fomento, e moderniza a legislação da capital.”

O ato, que foi mandado à publicação no Diário Oficial do DF, determina que agentes culturais de Brasília façam editais para:

  • Capacitação e formação de artistas e técnicos de cultura
  • Premiações para nomes que contribuam para a cultura brasiliense
  • Suporte para intercâmbios e turnês
  • Estímulo à captação de recursos privados com e sem incentivos fiscais

Elaborada pelo Executivo local, em parceria com a sociedade, a LOC atende a uma demanda histórica da categoria, dos entes e dos agentes culturais. Ela estabelece o Plano de Cultura para o DF, com diretrizes e ações para os próximos dez anos.

Além disso, possibilita a transferência direta de recursos do governo federal para o local via Fundo de Políticas Culturais do DF. Antes, o repasse só podia ser feito por convênio entre o Ministério da Cultura e a Secretaria de Cultura.


rollemberg.jpg

Ricardo Callado13/03/20183min

Chefe do Executivo local participou da abertura de reunião do grupo e destacou avanços do governo na área, como a universalização do acesso à educação para crianças de 4 e 5 anos

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou na manhã desta terça-feira (13) da abertura da reunião da diretoria e dos conselhos superior e consultivo da Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec), na 516 Norte.

O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, participou da abertura de reunião da diretoria e dos conselhos superior e consultivo da Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec) e destacou avanços do governo na área, como a universalização do acesso à educação para crianças de 4 e 5 anos.
O governador  Rollemberg participou da abertura de reunião da diretoria e dos conselhos superior e consultivo da Associação Nacional de Educação Católica do Brasil (Anec) e destacou avanços do governo na área, como a universalização do acesso à educação para crianças de 4 e 5 anos. Foto: Dênio Simões/Agência Brasília

“Aqui estão entidades centenárias com compromisso  forte com a educação em todo o País e que têm uma contribuição muito grande a dar nos contextos nacional, estadual e distrital”, destacou Rollemberg em discurso.

O chefe do Executivo local pontou avanços do governo na área, como a universalizaçãodo acesso à educação para crianças de 4 e 5 anos.

Ele também destacou a ampliação dos recursos do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf) e as ações do #BoraVencer, criado para atender à demanda eleita na Conferência Distrital de Juventude de 2015, que pedia oportunidades de estudo para o vestibular e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Acompanharam o governador o secretário de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Aurélio de Paula Guedes Araújo; o secretário-adjunto de Educação, Clovis Sabino; e o deputado distrital Professor Israel (PV).


busca-computador.jpg

Ricardo Callado12/03/20186min

Quero Bolsa auxilia na tomada de decisão dos candidatos ao disponibilizar 20 mil avaliações de alunos matriculados no ensino superior

Muito comum em sites especializados em hospedagem, no qual a avaliação dos hóspedes ajuda o interessado no momento de efetuar a reserva, a vivência e a experiência de alunos matriculados na educação superior têm cada vez mais auxiliado os interessados na escolha do curso e a faculdade de interesse. Disponibilizado pelo Quero Bolsa, o serviço já conta com 20 mil avaliações de alunos matriculados em mais de 900 instituições de ensino de todo o País. No total, os reviews já abrangem mais de 600 cursos de áreas de conhecimento distintas.

Na plataforma, o interessado consegue rapidamente visualizar o nível de satisfação em relação à faculdade e ao curso consultados, uma vez que o espaço conta com relatos detalhados dos pontos positivos e negativos. Além disso, o Quero Bolsa disponibiliza a nota média da instituição baseada num cálculo que leva em consideração as pontuações obtidas pelas universidades em avaliações oficiais do MEC e observações de quatro importantes itens pelos estudantes matriculados na instituição: empregabilidade, estrutura, professores e localização.

Para encontrar as informações, o usuário precisa acessar o link https://querobolsa.com.br/faculdades-e-universidadese, em seguida, clicar no ícone da faculdade desejada ou realizar a pesquisa no campo de busca. Em seguida, é necessário selecionar a opção “Avaliações dos Alunos”, localizada no menu superior do hotsite da instituição no Quero Bolsa.

Marcelo Lima, diretor de relações institucionais da empresa, comenta que a ideia não é criar um ranking de faculdades, mas trazer uma percepção mais realista do ensino superior e, consequentemente, beneficiar todos os elos envolvidos na cadeia. “Com essas informações os interessados em cursar uma graduação tem a oportunidade de fazer uma escolha mais criteriosa, enquanto a instituição tem um local onde pode visualizar os elogios, responder a eventuais sugestões e questionamentos, além de verificar os pontos de maior insatisfação constatados pelos alunos matriculados. Com isso, é possível fazer correções de rota num prazo razoável para aperfeiçoar o serviço oferecido aos estudantes em geral”, explica.

De acordo com o executivo, até o momento, 20% dos comentários demonstram algum grau de descontentamento dos estudantes com seus cursos e/ou faculdades. “O atendimento das secretarias, conforto nas salas de aula e segurança são reclamações frequentes. Outro ponto que também aparece entre as queixas, mas com menor recorrência, é a existência de aulas EaD em cursos presenciais”, informa.

O diretor do Quero Bolsa revela ainda que a meta é colher avaliações de todas as mais de 2,4 mil instituições de ensino do País, incluindo também as universidades públicas. “Acreditamos que a participação dos alunos pode dar um bom panorama de como está a infraestrutura das instituições e a qualidade de ensino. O objetivo é divulgar a existência da ferramenta para o maior número possível de estudantes”, comenta.

Os alunos interessados em opinar sobre seu curso e faculdade devem acessar o endereço https://querobolsa.com.br/avaliacao/novo-curso. Até 23 de março, os autores das avaliações concorrem a um smartphone. O sorteio acontece no dia 6 de abril. Para participar, é obrigatório informar o nome completo, e-mail, telefone e efetuar o login no Facebook. “Com esses dados é possível comprovar a autenticidade da informação prestada”, conclui Marcelo Lima.


tjdft-maria-da-pena.jpg

Ricardo Callado08/03/20182min

O Tribunal de Justiça do DF e dos Territórios, por meio do Núcleo Judiciário da Mulher – NJM/TJDFT, entregou 780 exemplares do livro “Maria da Penha vai à Escola” à Secretaria de Educação do DF. A entrega foi feita ao secretário de Educação Júlio Gregório e ao secretário adjunto Clóvis Sabino, nesta quarta-feira (7), e faz parte da programação da X Semana do Programa Nacional Justiça pela Paz em Casa, que acontece de 5 a 9/3, em todo o país.

O livro foi lançado pelo NJM/TJDFT, SEEDF e demais parceiros no dia 30/3/2017. Os exemplares serão distribuídos pela Secretaria a todas as unidades escolares regulares e conveniadas do Distrito Federal, para que componham o acervo das respectivas bibliotecas. A publicação aborda temas como igualdade de gênero; violência contra a mulher; Lei Maria da Penha; atendimento e intervenção em rede; acolhimento e encaminhamento das situações de violência doméstica; além de reunir vários artigos de profissionais do TJDFT, da SEEDF, do MPDFT, da Defensoria Pública do DF, da Secretaria de Políticas para as Mulheres do DF, da UnB e da ONU Mulheres.

Ainda no mês de março, o NJM/TJDFT distribuirá 2 exemplares do livro para cada uma das bibliotecas localizadas nos fóruns de todas as Circunscrições do DF.

O e-book do livro está disponível para download gratuito pelo site do TJDFT: http://www.tjdft.jus.br/institucional/2a-vice-presidencia/centro-judiciario-mulher/e-book-maria-da-penha-vai-a-escola.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias