18/04/2019 Brasília - DF 24°C

Arquivos Educação - Blog do Callado

enem-1.jpg

Ricardo Callado17/04/20194min

Estudantes deverão consultar a Página do Participante

Por Mariana Tokarnia

Participantes que solicitaram a isenção da taxa do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem conferir hoje (17) se os pedidos foram ou não aceitos. O resultado estará disponível na Página do Participante.

Para consultar o resultado, será necessário informar o CPF e a senha criada na hora de fazer a solicitação.

Os estudantes que não tiverem a solicitação aceita poderão entrar com recurso no período de 22 a 26 de abril, também na Página do Participante. O resultado do recurso será divulgado no mesmo endereço, a partir de 2 de maio.

Para participar do exame, os estudantes – com ou sem isenção da taxa – devem fazer a inscrição no período de 6 a 17 de maio.

Ao todo, 3.687.527 estudantes solicitaram a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

O prazo para pedir a isenção da taxa do Enem terminou no último dia 10. A taxa de inscrição deste ano é R$ 85.

Também nesta quarta-feira será divulgado o resultado das justificativas dos estudantes que não pagaram o Enem 2018 e que, por algum motivo, faltaram às provas. Para pedir isenção novamente este ano, esses estudantes tiveram que apresentar uma justificativa da ausência.

Estudantes isentos 

Têm direito à isenção da taxa os estudantes que estão cursando a última série do ensino médio em 2019 em escola da rede pública; aqueles que cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, com renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, o que, em valores de 2019, equivale a R$ 1.497.

São também isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, membros de família de baixa renda com Número de Identificação Social (NIS), único e válido, com renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 499), ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.994).

Enem 2019

O Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. As notas do exame podem ser usadas para ingressar em instituição pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para obter bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superior pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


Uniceub-ceilandia.jpg

Ricardo Callado12/04/20193min

A Instituição vai oferecer mais de 14 cursos de nível superior

O UniCEUB inaugurou nesta quinta-feira (11) sua mais nova unidade em Ceilândia (DF). A instituição oferece 14 cursos de nível superior de graduação na modalidade de Ensino a Distância (EAD), além das opções de especialização na pós-graduação. O Shopping JK, localizado na Avenida Hélio Prates, é a sede do novo polo.

Durante o evento de lançamento, o pró-reitor administrativo do UniCEUB, Gabriel Costa Mallab, comemorou a expansão da rede de ensino superior para outras regiões do DF. “Já temos uma unidade em Taguatinga que é um sucesso, tenho certeza que na Ceilândia também teremos a chance de transformar a vida de centenas de estudantes”.

O reitor do UniCEUB, Getúlio Américo Moreira Lopes, explicou que a Ceilândia foi escolhida para receber a novidade em razão da alta procura dos moradores por vagas no UniCEUB. “Com mais de 400 mil habitantes, essa Região Administrativa sempre registrou uma demanda muito forte pelos nossos cursos. Muitas vezes os estudantes se esquivavam da decisão pela distância do campus”, explica o reitor.

O coordenador geral do EAD no Centro Universitário, Eduardo Marinho Diniz, afirma que a modalidade à distância tem se mostrado uma excelente alternativa para pessoas que conciliam trabalho e estudo. “Esse estilo alia o conforto à praticidade, possibilitando a realização de um sonho”. Outro ponto positivo apontado por Diniz é o reconhecimento cada vez maior do mercado de trabalho para graduados EAD: “As empresas já entenderam que o profissional que opta por esse estilo é gestor do seu próprio tempo, tem perfil independente e proativo”.

No polo de Ceilândia os estudantes poderão optar pelos cursos de Administração, Ciências Contábeis, Gestão Financeira, Gestão Pública, Marketing, Processos Gerenciais, Recursos Humanos, Análise de Sistemas, Banco de Dados, Gestão da Tecnologia da Informação, Segurança da Informação, Pedagogia, Serviço Social e Serviços Jurídicos e Notariais.

Plano de Expansão

Além das unidades de Brasília e Ceilândia, Goiânia e Sete Lagoas já contam com polos educacionais do UniCEUB. Após a inauguração em Ceilândia, a expectativa é continuar o processo de expansão a nível nacional. A previsão é de que, em 2019, outras 10 cidades brasileiras sejam contempladas com o Centro Universitário, que conta com mais de 50 anos de excelência no ensino superior.


ibaneis-1.jpg

Ricardo Callado10/04/20194min

Parceria entre as secretarias de Ciência e de Educação amplia qualificação na área tecnológica para alunos do ensino público

Por Lúcio Flávio

Foi assinado nesta terça-feira (9) um acordo de intenções entre o governo do Distrito Federal – por meio das secretarias de Ciência, Tecnologia e Inovação e de Educação – e a Microsoft que permitirá que alunos e professores do ensino público tenham acesso, de graça, aos programas da empresa. O objetivo é qualificar desde cedo os alunos e promover o aprendizado tecnológico, ao mesmo tempo em que os prepara com vistas ao mercado.

Na prática, o pacote, que ficará na nuvem, poderá ser acessado de qualquer computador por cada aluno, mediante uma senha particular. São mais de 600 mil plataformas Microsoft Office – disponíveis dentro de 30 dias –, que vão oferecer serviços como e-mail e calendário (Outlook), conferências online e mensagens instantâneas (Skype), além de editor de textos (Word) e outra infinidade de recursos.

Aluna do 2º ano do Centro Educacional Stella Dos Cherubins Guimarães Trois, de Planaltina, Linda Ellen de Paula Oliveira, 15 anos, disse que ter acessos a essas ferramentas de graça será bastante proveitoso no dia a dia escolar. “Vai beneficiar de uma maneira extraordinária porque nas escolas públicas os recursos podem ser escassos, e uma pareceria como essa pode desenvolver muito o nosso aprendizado na área de tecnologia”, defendeu.

“Queremos levar tecnologias para essas crianças e transformar suas vidas e a única forma que temos de transformar a vida de uma pessoa é por meio dos estudos, da educação”, afirmou o governador Ibaneis Rocha. Feliz com a presença de mais de 50 estudantes de cinco administrações regionais que prestigiaram a cerimônia, o governador enfatizou: “A educação hoje mudou, estamos cada vez mais num ambiente tecnológico e a partir de agora essa realidade estará ao alcance dos nossos alunos”.

Com um olho no futuro

Segundo o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gilvan Máximo, o benefício financeiro dessa parceria é incalculável. “Essa parceria é um marco, um divisor de águas para as tecnologias e inovações das escolas no DF. É um marco em termos de valor porque implica numa economia de R$ 70 milhões do governo nesta área”, avaliou.

Para o secretário de Educação, Rafael Parente, a iniciativa irá colocar alunos e professores na idade de ouro da tecnologia, preparando uma geração para o futuro. “A gente sabe que os alunos já são nativos digitais, aprendem de forma diferente, 65% dos alunos que estão na escola hoje vão ter profissões que hoje serão extintas no futuro, segundo o Fórum Econômico Mundial, e eles precisam ter acesso às novas ferramentas tecnológicas, porque senão for assim, chegarão defasados no mercado de trabalho”, destacou.

A iniciativa faz parte do compromisso da Microsoft em contribuir com o desenvolvimento do país, por meio do apoio à educação e à atividade empreendedora, disponibilizando tecnologia de ponta e capacitação para alunos, professores e profissionais de instituições de ensino. “Essa parceria coloca em evidência a bandeira da democratização à tecnologia da nossa empresa”, reforçou Ronan Damasco, diretor de Competitividade Nacional da Microsoft.

 


enem.jpg

Ricardo Callado10/04/20195min

Por Mariana Tokarnia

Hoje é o último dia para pedir a isenção da taxa de inscrição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. Os pedidos poderão ser feitos até 23h59, no horário de Brasília, na Página do Participante do Enem. A taxa de inscrição deste ano é R$ 85.

O prazo para pedir a isenção da taxa começou no último dia 1º. Podem solicitar a isenção da taxa os estudantes que estão cursando a última série do ensino médio, em 2019, em escola da rede pública; aqueles que cursaram todo o ensino médio em escola da rede pública ou como bolsista integral na rede privada, com renda, por pessoa, igual ou menor que um salário mínimo e meio, o que, em valores de 2019, equivale a R$ 1.497.

São também isentos os participantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, membros de família de baixa renda com Número de Identificação Social (NIS), único e válido, com renda familiar por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 499), ou renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 2.994).

A isenção de taxa de inscrição não é automática para nenhum grupo de participantes e a solicitação não poderá ser feita durante as inscrições.

Justificativa

Termina também hoje o prazo para que os estudantes que não pagaram o Enem 2018 e que, por algum motivo, faltaram às provas apresentem justificativa e peçam de novo a isenção.

Esses estudantes precisam enviar, também pela Página do Participante, documentos comprobatórios da justificativa da ausência. Os documentos aceitos variam de acordo com a causa: acidentes, mortes na família, internação, trabalho, casamento, emergência médica, intercâmbio acadêmico, entre outros.

A relação dos documentos consta do anexo II do Edital do Enem. Não serão aceitos documentos autodeclaratórios emitidos pelos pais ou responsáveis.

Próximos passos

Os resultados do pedido de isenção e da justificativa de ausência no Enem 2018 serão divulgados no dia 17 de abril.

Os estudantes que não tiverem a solicitação aceita poderão entrar com recurso, no período de 22 a 26 de abril, na Página do Participante. O resultado do recurso será divulgado, no mesmo endereço, a partir de 2 de maio.

Para participar do exame, os estudantes, com ou sem isenção da taxa, devem fazer a inscrição no período de 6 a 17 de maio.

Enem 2019

O Enem será aplicado nos dias 3 e 10 de novembro. No primeiro dia de prova, os participantes responderão a questões de linguagens e ciências humanas e farão a prova de redação. Para isso, terão 5 horas e 30 minutos No segundo dia, os estudantes terão 5 horas para resolver as provas de ciências da natureza e matemática.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no Portal do Inep e no aplicativo oficial do Enem até o dia 13 de novembro. O resultado será divulgado, conforme o edital, em data a ser divulgada posteriormente.

As notas do Enem podem ser usadas para ingressar em instituição pública pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), para obter bolsas de estudo em instituições particulares de ensino superio pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para obter financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


Izalci.jpeg

Ricardo Callado10/04/201912min
Izalci Lucas é autor do projeto da Escola sem Partido na Câmara dos Deputados, foi presidente da comissão da reforma do Ensino Médio e integrou a comissão que elaborou o Plano Nacional de Educação. (foto Jeferson Rudy/Agência Senado)

Senador que era cotado para o MEC critica influência de Olavo de Carvalho e radicalismos no governo

Por Grasielle Castro (do HuffPost Brasi) – Autor do projeto de lei de 2015 que prevê a criação do programa Escola Sem Partido, uma das propostas encampadas por Jair Bolsonaro desde a campanha, o hoje senador Izalci Lucas (PSDB-DF) critica os radicalismos que rondam o Ministério da Educação no atual governo.

Mesmo tendo sido um dos patrocinadores em Brasília da eleição de Bolsonaro,  o tucano critica os desmontes no MEC e a queda de braço entre os grupos que dominam a área, assim como a influência de Olavo de Carvalho, guru ideológico do governo.

“Você viu todos esses esses debates aí, essas polêmicas que foram feitas sobre [o golpe de] 64, sobre o Hino Nacional. (…) Umas coisas ridículas, da forma como foram colocadas”, disse Izalci em entrevista ao HuffPost. “Você cria uma polêmica de um jeito que parece até que esse era o grande problema da educação no Brasil. Tem que ter foco.”

O senador era um dos nomes preferidos da bancada evangélica para substituir Ricardo Vélez no comando do Ministério da Educação, mas o nome escolhido por Jair Bolsonaro, e anunciado na última segunda-feira (8), foi o de Abraham Weintraub, outro professor com perfil ideológico semelhante ao de indicados por Olavo de Carvalho.

Tem que deixar essas questões supérfluas de lado e investir no principal, que é a qualidade.Senador Izalci Lucas

Izalci negou ter se reunido com Bolsonaro no fim de semana e afirma que, na transição, houve interesse da bancada evangélica em apoiar seu nome. Izalci é católico, mas ressalta que há interesses semelhantes entre as duas religiões. A indicação não foi para frente, e uma das barreiras apontadas foi o veto do PSDB, que tem afirmado que não pretende fazer parte do governo.

Para Izalci, a educação é um tema suprapartidário. Mas ele não esconde o incômodo e até um “racha” do PSDB sobre a gestão de Bolsonaro. O senador também discorda que seja interessante negociar com as bancadas temáticas, como Bolsonaro priorizou no início do governo. “Aqui [no Congresso] não se trabalha com frente, se trabalha com partido. Quem define trabalho nas comissões é o partido.”

Leia os principais trechos da entrevista.

HuffPost Brasil: Nesta segunda-feira, o ministro Ricardo Vélez foi demitido após 3 meses de caos na gestão da educação. Na sua opinião, o que deveria mudar na condução do ministério?

Izalci Lucas: Fiz um discurso no Senado no qual li um trecho do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, de 1932, que já reclamava que 43 anos atrás não se priorizava a educação. Há aproximadamente 135 anos o discurso é exatamente o mesmo. É só uma referência para ver o tanto que estamos defasados. O discurso ainda é o mesmo. A gente tem que avançar muito. Participei do debate tanto do PIB para educação, do Pronatec, dos royalties do petróleo, fui também presidente da comissão da reforma do Ensino Médio, do Plano Nacional para a Educação. A gente trabalhou durante esse tempo todo. É evidente que a gente tem que cumprir pelo menos as metas, como o plano para educação integral. A gente não atingiu esse percentual até hoje. A qualidade é fundamental, o que não existe mais. A reforma do Ensino Médio veio na linha para que o jovem consiga ingressar no mercado de trabalho. Tem muito jovem que não estuda nem trabalha. Valorizar, inclusive, a questão do empreendedorismo para os jovens poderem criar novos negócios. Acho que tem que deixar estas questões supérfluas de lado e investir no principal, que é a qualidade.

Izalci em encontro em março com Bolsonaro e os senadores Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), Eduardo Gomes (MDB-TO) e Elmano Férrer (Podemos-PI), Chico Rodrigues (DEM-RR), além do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. (Marcos Corrêa/PR)

A que o senhor se refere quando fala em “questões supérfluas”?

Você vê as polêmicas que foram criadas nos últimos meses. O cara tem que olhar para frente, não dá para ficar olhando para trás, não dá para ficar falando… Você viu todos esses esses debates aí, essas polêmicas que foram feitas sobre [o golpe de] 64, sobre o Hino Nacional. Um negócio assim… Umas coisas ridículas, da forma como foram colocadas. Uma coisa tão natural, tão normal botar o Hino Nacional, aí você cria uma polêmica de um jeito que parece até que esse era o grande problema da educação no Brasil… Tem que ter foco.

Você cria uma polêmica de um jeito que parece até que Hino Nacional era o grande problema da educação no Brasil.

A gente precisa buscar um financiamento adequado para valorizar as instalações, que são péssimas; colocar tecnologia, internet, computador nas escolas. É preciso realmente dar uma formação melhor para os professores, restabelecer agora com a reforma do Ensino Médio, aquele que acho que foi um erro muito grande, que foi acabar com o curso normal. A gente está muito atrasado, tem que avançar.

Como o senhor avalia a influência de Olavo de Carvalho no MEC?

A educação nesse momento tem que ser tratada como um assunto suprapartidário. Tem que ter um movimento em prol da educação independentemente de questão partidária e ideologia. Todo mundo tem que caminhar para mesma direção. O problema é que há alguns grupos, cada um puxando para um lado. Isso aí atrapalha qualquer projeto. Torço para que a coisa funcione. Há uma preocupação muito grande com o andamento do ministério. A gente precisa ter muito cuidado para não deixar que as coisas fiquem para cima da hora. Tem uma série de coisa em cima da hora, como o Enem, que não dá para brincar.

O problema é que há alguns grupos, cada um puxando para um lado. Isso aí atrapalha qualquer projeto.

Como tem sido a relação do PSDB com o governo?

O PSDB sempre defendeu e vai continuar defendendo as reformas. Mesmo na época em que a gente era oposição, a gente avançava. Era um assunto suprapartidário. O que era bom, a gente aprovava. Depois que o PT virou oposição, começou a mudar o sistema. A declaração do PSDB que foi dada na reunião [com o presidente Jair Bolsonaro no início de abril] é que o partido não faria parte do governo. O próprio [ex-presidente] Fernando Henrique, a posição que o Geraldo Alckmin [presidente do PSDB] levou foi a de não participar do governo, mas educação está acima de tudo isso.

Não teria nenhuma inconveniência em ajudar, porque isso aí é irrelevante, educação é uma questão suprapartidária.  É óbvio que se você está no partido, tem que ouvir. A posição do PSDB é continuar lutando pelas reformas, não só a Previdência, como Tributária, evidentemente que sugerindo mudanças. O PSDB não abre mão do BPC (Benefício de Prestação Contínua), da aposentadoria rural… Tem uma série de coisas que precisam de melhora no texto.

Qual a resistência do PSDB em fazer parte do governo, em se assumir como base?

O PSDB tinha candidato próprio nas eleições. No segundo turno, houve um racha. Alguns apoiaram a oposição, outros ficaram neutros. Eu particularmente, em Brasília, apoiei o Bolsonaro. O Doria, em São Paulo, também. A questão não foi discutida, nem votada na Executiva. Como estamos passando por um processo de eleição interna, há perspectiva de mudanças.

Pode-se dizer que a bancada evangélica é base do governo?

Não… As frentes, sejam evangélica, da agricultura ou da segurança pública, são em cima de um tema de todos os partidos. Aqui [no Congresso] não se trabalha com frente; trabalha-se com partido. Quem define trabalho nas comissões é o partido. Tem gente na frente evangélica que não é base, que é de partido que não é governo. A frente é suprapartidária no tema que interessa a ela, mas não se pode dizer que é base. Eu diria que a maioria hoje é base.


Abraham-Weintraub-1.jpg

Ricardo Callado09/04/20193min

Por Pedro Rafael Vilela

O presidente Jair Bolsonaro dará liberdade para que o novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, monte sua equipe na pasta. A informação é do porta-voz da Presidência República, Otávio Rêgo Barros.
“O presidente autoriza e estimula que seus ministros escalem suas equipes”, afirmou em conversa com jornalistas após acompanhar Bolsonaro na cerimônia de sanção da nova lei do Cadastro Positivo, no Palácio do Planalto, na tarde de hoje (8). Em pouco mais de três meses, houve mais de dez demissões em postos do alto escalão do MEC e órgãos vinculados.

Mais cedo, Bolsonaro anunciou que Weintraub é o substituto de Ricardo Vélez Rodríguez no MEC. Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Weintraub foi executivo do mercado financeiro, atuou no grupo Votorantim e foi membro do comitê de Trading da BM&FBovespa. Em 2016, coordenou a apresentação de uma proposta alternativa de reforma da previdência social formulada pelos professores da Unifesp. Antes de se tornar ministro, o professor atuava como secretário executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni.

Ao comentar a troca no MEC, o porta-voz ressaltou a necessidade de melhorar a gestão da pasta. “[O presidente] entendeu que a gente poderia melhorar a gestão do Ministério da Educação, que é tão importante para a consecução dos objetivos do governo, [em] razão disso fez uma seleção de belos nomes que existiam dentro do amplo espectro da nossa academia”, disse. Ele ainda elogiou o perfil do novo ministro. “Obviamente, dá pra avaliar-se que ele é muito preparado, tem inclusive gestão na área financeira”, acrescentou.

Prefeitos

Amanhã (9), o presidente Jair Bolsonaro participa da abertura da 22ª Marcha Nacional dos Prefeitos, em Brasília. O evento é organizado desde 1998 pela Confederação Nacional dos Municípios, e deve reunir mais de 8 mil pessoas na capital federal, entre os gestores e secretários municipais.

Após participar do evento, o presidente dará continuidade aos encontros com presidentes de partidos políticos.


Abraham-Weintraub.jpg

Ricardo Callado08/04/20191min

Por Andreia Verdélio

O presidente Jair Bolsonaro exonerou hoje (8) o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, e anunciou o professor Abraham Weintraub para o cargo.

“Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta”, escreveu Bolsonaro em sua conta no Twitter.

Weintraub é economista, professor da Universidade Federal de São Paulo, e atua como secretário-executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni. Ele assume no lugar do colombiano Ricardo Vélez.

“Aproveito para agradecer ao Prof. Velez pelos serviços prestados”, acrescentou o presidente.


estagio_no_governo_do_DF_agenciabrasilia-458x307.png

Ricardo Callado06/04/20193min

Premiação foi entregue à Secretaria de Fazenda, Planejamento, Orçamento e Gestão em São Paulo

O Programa de Estágios do Governo do Distrito Federal está entre os dez melhores do Brasil. O resultado reflete a preferência dos próprios estagiários e foi reconhecido no 10º Prêmio CIEE Melhores Programas de Estágios. A solenidade de premiação ocorreu nessa quinta-feira (04/05), no Teatro CIEE, localizado em São Paulo.

 A premiação é uma iniciativa do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE) em parceria com a Associação Brasileira de Recursos Humanos de São Paulo (ABRH) e conta com o apoio metodológico do instituto de pesquisa The Gallupe Organization do Brasil, responsável por distinguir e reconhecer as organizações que investem na formação e no treinamento de jovens profissionais, colaborando para que eles sejam inseridos posteriormente no mercado de trabalho.

Participaram do concurso, organizações públicas e privadas, de economia mista e entidades do terceiro setor de todo o País. Apenas 16 instituições foram contempladas.

Reconhecimento

Para o subsecretário de Gestão de Contratos Corporativos (Sucorp), João Ricardo Arco Verde Moraes, que representou a SEFP na solenidade, o prêmio é um reconhecimento, no âmbito nacional, do programa desenvolvido pelo GDF.

“O Programa de Estágios no GDF é gerido pela Secretaria de Fazenda e estamos muito orgulhosos de trazer esse prêmio para casa, pois mostra que o empenho de toda equipe em prol de capacitar esses jovens está impulsionando cada vez mais o avanço da proposta, que é torná-los grandes profissionais”, explicou João Ricardo.

O contrato da SEFP abrange 1.300 estagiários de nível médio e superior. O programa foi feito mediante processo seletivo, avaliado pelos próprios estagiários das empresas e organizações inscritas e validadas, que atingiram as melhores classificações.


DPDF.jpg

Ricardo Callado04/04/20195min

UniCEUB e DPDF firmaram termo de cooperação que permitirá aos alunos de Direito atuarem no atendimento ao público do órgão

Alunos da Clínica de Direitos Humanos do UniCEUB terão a oportunidade de conhecer o trabalho da Defensoria Pública do Distrito Federal (DPDF) e atender ao público no Núcleo de Iniciais. A iniciativa foi viabilizada por meio da assinatura de termo de cooperação técnica entre o UniCEUB e a DPDF, na quarta-feira (03). As ações conjuntas se iniciam já nesta sexta-feira (05), quando os universitários irão visitar a Defensoria, conhecer os projetos e o atendimento.

Presente na solenidade, o reitor do UniCEUB, Getúlio Moreira Lopes, destacou que a atuação entre as instituições visa a transformação social por meio da educação em direitos. “O trabalho de atendimento à comunidade está previsto na responsabilidade social do UniCEUB e fazemos isso de diversas maneiras. Vamos procurar honrar essa parceira e contribuir da melhor maneira possível”, afirmou.

O diretor acadêmico do Centro Universitário, Carlos Alberto, destacou os pontos positivos da parceria: “Esse projeto é vitorioso e tem um reflexo muito grande no meio dos alunos. As oportunidades são sempre colocadas para todos, mas os que conseguem se envolver e se transformar aqui dentro constroem um cenário futuro de um profissional de verdade”.

Na ocasião, a defensora pública-geral do DF, Maria de Nápolis, compartilhou sua experiência. “Já fui estudante e busquei aproveitar todas as oportunidades. Uma delas foi atividade extraclasse em que eu tive contato com pessoas carentes. Ali eu percebi que precisamos conhecer o nosso mundo. Uma coisa é a teoria, outra coisa é a pratica. Aqui os alunos de Direito poderão transformar o conhecimento com base na sociedade de hoje. A DPDF é um laboratório espetacular de conhecimento e os estudantes do UniCEUB serão muito bem vindos”, declarou.

Na prática

O diretor da Escola de Assistência Jurídica (Easjur) da DPDF, Evenin Ávila, apresentou panorama do sistema de Justiça e o avanço das tecnologias no meio. “Temos que ser especialistas em gostar de gente, em entender de diagnóstico social, em fazer a regressão jurídica, social, econômica, executiva, legislativa e encontrar uma saída para levantar o ser humano. Isso é um autor do sistema de Justiça. A educação em direitos é um paradigma de um novo conceito de justiça que foca na cultura de paz, na prevenção, na educação emancipadora em detrimento do controle social que vem sendo desenvolvido no Brasil”, pontuou.

Ávila explicou que, na Easjur, os alunos da Clínica de Direitos Humanos do UniCEUB irão testar a oratória, a persuasão, a empatia e a escuta, entre outras habilidades. Vão conhecer os projetos da DPDF, aprender mais sobre educação em direitos e transformação social. “A educação em direitos é importante porque o Direito nos constitui. Todos precisam conhecer o Direito, mas com uma nova proposta de interação social”, explicou o diretor.

A professora responsável pela Clínica de Direitos Humanos do UniCEUB, Anna Luiza de Castro Gianasi, acompanhou os alunos e agradeceu a cooperação da DPDF no enriquecimento de oportunidades. Para ela, os estudantes estarão ajudando a população assistida pela Defensoria, mas também estarão sendo ajudados, uma vez que se trata de uma excelente oportunidade para a formação profissional e social do operador do Direito. “Estou muito feliz em ver os alunos como protagonistas desse projeto. Todos aqui são igualmente importantes. Esse espaço é de construção de oportunidades”, pontuou.


escola-sala-educação.jpg

Ricardo Callado02/04/20193min
(Foto Pedro Ventura)

São 216 profissionais de apoio administrativo e 34 secretários escolares

A Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF) vai receber o reforço de 250 novos servidores. Esses profissionais irão atuar nas unidades de ensino participantes do projeto Escola que Queremos, uma das cinco bandeiras do programa EducaDF. O secretário de Educação, Rafael Parente, destaca que os novos servidores darão um importante suporte para que os gestores das unidades escolares possam desenvolver seu trabalho.

“O Escola que Queremos nasce com nosso empenho para que o próprio projeto acabe o mais rápido possível, porque isso vai significar que as participantes melhoraram suas notas nas avaliações e que seus alunos estão permanecendo na escola, em vez de desistirem, como vem acontecendo. Será uma era de excelência na educação do Distrito Federal”, disse Rafael Parente.

São 216 candidatos aprovados em concurso público para exercerem o cargo de apoio administrativo e 34, para secretários escolares. A nomeação foi publicada nesta segunda-feira (1º), na Edição Extra do Diário Oficial do DF.

No segundo semestre, mais 250 aprovados no concurso realizado em outubro de 2016 pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe) serão nomeados. Dessa forma, toda a demanda de apoio administrativo e secretários escolares nas unidades de ensino da rede pública do DF será atendida.

Escolas que Queremos

O projeto será lançado em 29 de abril e irá beneficiar 185 escolas. São unidades que pedem uma atenção especial por parte da SEEDF em razão dos baixos indicadores educacionais e altos índices de abandono. A meta é que as avaliações diagnósticas apresentem melhoria e que seja reduzido o número de alunos que desistem de estudar. As escolas que alcançarem esse objetivo sairão posteriormente do projeto.

Essas escolas vão receber apoio desde a infraestrutura, formação pedagógica e engajamento dos profissionais, além de trabalhar as dificuldades de relacionamento com as comunidades nas quais estão inseridas. Entre as ações do projeto está o desenvolvimento de material didático complementar, a formação de gestores e a contratação de mais recursos humanos.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias