Arquivos Educação - Blog do Callado

pdaf_escola_guara_foto_Toninho_Tavares.jpg

Ricardo Callado10/09/20193min

A Secretaria de Educação do Distrito Federal pretende ampliar em 10% o atendimento da educação integral a toda a rede pública de ensino até 2024, ampliando a oferta, até lá, em 3 mil matrículas por ano neste sistema. Calculando pelo número de vagas ofertadas hoje na rede, seriam em torno de 46 mil estudantes.

Atualmente, 7% de toda a rede é atendida pela educação integral nos ensinos fundamental e médio, sendo que o médio aumentou a oferta em 1.200 vagas este ano e agora atende 4 mil estudantes. A Secretaria de Educação começou este ano letivo com 37 mil estudantes e mantém hoje esta mesma oferta, nas mesmas 198 escolas que ofertava em fevereiro.

Nos anos anteriores, 62 escolas deixaram de ofertar vagas integrais, entre 2012 e 2017. Em 2012 o ministério da Educação reduziu o fomento de Mais Educação e só o substituiu no final de 2018 pelo Escola do Adolescente, mas ao secretaria optou por não aderir a este programa.

Para ampliar o número de vagas, a secretaria começou a implantar, neste 2º semestre, um plano de reorganização de toda a rede, com base em mapeamento feito no início deste ano, de forma a ampliar a oferta de vagas na educação integral e organizar a demanda da educação regular em 2020.

O mapeamento revelou, entre outras coisas, escolas onde havia salas de aula ociosas que poderiam atender à demanda da educação integral, bem como outras que poderiam atender à demanda de novas matrículas para o ensino regular. O plano prevê tornar algumas unidades escolares em atendimento 100% de educação integral. Todos esses dados foram cruzados.

O cruzamento revelou, por exemplo, que o Caseb, na 907 Sul, possui salas de aulas ociosas que poderiam passar a atender a 20 salas de alunos da educação integral para um total de 710 estudantes do 6ª ao 9ª anos.

Revelou também que perto do Caseb, dentro da mesma área de atendimento, o CEF 2 oferta, na 107 Sul, vagas para 195 estudantes em tempo integral, nos 6ª e 7ª ano do ensino fundamental, em sete salas de aula.

A proposta da Secretaria é tornar o Caseb totalmente integral uma vez que tem infraestrutura adequada para isso e abrir novas vagas para a educação regular no CEF2 em 2020.

* Com informações da Secretaria de Educação


Carteira-estudantil-digital.jpg

Ricardo Callado09/09/20193min

Por Mariana Tokarnia

A carteira estudantil digital começará a ser emitida em 90 dias e será ofertada nas lojas Google Play e Apple Store. Com o documento, os estudantes vão poder pagar meia-entrada em shows, cinema, teatro e outros eventos culturais. O prazo começa a contar hoje (9), com a publicação da medida provisória (MP) que dispõe sobre o pagamento de meia-entrada no Diário Oficial da União.

O estudante que solicitar a carteira digital terá que consentir com o compartilhamento dos dados cadastrais e pessoais com o Ministério da Educação (MEC) para subsidiar o Sistema Educacional Brasileiro — o novo banco de dados nacional dos alunos, a ser criado e mantido pela pasta.

O MEC poderá usar essas informações apenas para formulação, implementação, execução, avaliação e monitoramento de políticas públicas. O sigilo dos dados pessoais deve ser garantido sempre que possível.

O estudante com idade igual ou superior a 18 anos e o responsável legal pelo aluno menor de idade responderão pelas informações autodeclaradas e estarão sujeitos às sanções administrativas, cíveis e penais previstas em lei na hipótese de fraude.

De acordo com a MP, a carteirinha digital poderá ser emitida pelo MEC; pela Associação Nacional de Pós-Graduandos; pela União Nacional dos Estudantes (UNE); pela União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes); por entidades estudantis estaduais, municipais e distritais; diretórios centrais dos estudantes; centros e diretórios acadêmicos e outras entidades de ensino e associações representativas dos estudantes, conforme definido em ato do ministro da Educação.

O MEC poderá ainda firmar contrato ou instrumento congênere com a Caixa Econômica Federal para emissão gratuita ao estudante do modelo físico da carteira de identificação estudantil.

Segundo a MP, a nova carteira estudantil física solicitada em um ano será válida até 31 de março do ano seguinte e a digital, enquanto o aluno permanecer matriculado em estabelecimento que forneça os níveis e as modalidades de educação e ensino. O documento perderá a validade quando o estudante se desvincular do estabelecimento.


48684216152_98975ce2a8_b.jpg

Ricardo Callado05/09/20195min

MEC planeja adotar regime em 216 unidades de ensino estaduais e municipais até 2023; no Distrito Federal, cinco novos centros educacionais aderem ao programa neste semestre

Por Hédio Ferreira Junior

Prestes a ser adotado em cinco centros educacionais do Distrito Federal – além de quatro já em funcionamento desde o começo do ano –, o modelo de gestão compartilhada com a Polícia Militar foi lançado nesta quinta-feira (5/9) pelo governo federal. Chamado de escolas cívico-militares pelo Ministério da Educação (MEC) – e que será aplicado em parceria com as Forças Armadas –, o modelo deve vigorar em 216 unidades de ensino municipais e estaduais do país até 2023.

O governador Ibaneis Rocha participou da solenidade de lançamento da ação junto ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, no Palácio do Planalto. O objetivo do governo federal é, assim como no DF, construir um ambiente escolar de gestão com parcerias e vínculo entre gestores, professores, militares, estudantes, além de pais e responsáveis.

Com estudos técnicos em mãos que apontam a necessidade de implementação do compartilhamento com a PM nas escolas do DF, o governador Ibaneis reavaliou a decisão de adotar a ação no Gisno, na Asa Norte. O critério de escolha das unidades escolares tem como parâmetro o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e as ocorrências criminais nas regiões das instituições de ensino.

Para Ibaneis, o trabalho agora é de esclarecimento dos benefícios da gestão com quem ainda se apresenta contrário a ela. “Vamos assumindo primeiro aquelas que querem, que já existe manifestação favorável, e aí com uma quantidade maior de escolas e alunos poderemos fazer uma avaliação [dos resultados e da eficácia] mais concreta.”

Teste

Em setembro será a primeira vez que as quatro escolas do DF onde a gestão compartilhada já vigora desde 11 de fevereiro passará pelo exame do Ideb. Por meio dele, policiais militares participam da gestão disciplinar, sendo que a responsabilidade pedagógica continua exclusivamente com as equipes gestoras dos centros educacionais. A meta é aumentar a média do índice que, segundo o MEC, é de 6,99 em colégios militares, e 4,94 nas escolas civis.

No primeiro semestre, o projeto foi implantado em quatro centros educacionais: o CED 03 de Sobradinho; o CED 308 do Recanto das Emas; o CED 01 da Estrutural e o CED 07 da Ceilândia. Já neste segundo semestre o regime de compartilhamento educacional começou no Centro de Ensino Fundamental 19 de Taguatinga (CEF 19), do CEF 407 de Samambaia, do CEF 1 do Núcleo Bandeirante, no Centro Educacional 1 do Itapoã (CED 1). No CED Condomínio Estância III de Planaltina as conversas entre as partes estão em andamento para iniciar a implementação.

Forças Armadas

A União vai colocar à disposição de governos estaduais e das prefeituras a estrutura e os profissionais das Forças Armadas para atuarem em funções administrativas e de gestão. A adesão é voluntária. A garantia do Mec é de que professores civis continuarão responsáveis pelas funções em sala de aula. Atualmente, o Brasil tem 203 escolas desse tipo, em 23 unidades da federação.


UNB.jpg

Ricardo Callado05/09/20192min

São oferecidas mais de 1,3 mil vagas

Terminam hoje (5) as inscrições para o preenchimento de 1,3 mil vagas de licenciatura a distância na Universidade de Brasília (UnB), com polos presenciais nas cidades de Belo Horizonte, Brasília, Cuiabá , Florianópolis, Goiânia , Palmas , Porto Alegre, Rio Branco, São Paulo e Vitória.

Segundo a universidade, a oferta de cursos de graduação a distância visa a ampliar e interiorizar o acesso ao ensino superior público, gratuito e de qualidade no Brasil, além de incentivar a formação de professores da rede pública de ensino.

As inscrições podem ser feitas no site do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).  A taxa de inscrição, de R$ 60,  deve ser paga até o dia 24 de setembro. No momento da inscrição, os participantes devem optar por concorrer a vagas no Sistema Universal, Sistema de Cotas para Escolas Públicas ou Sistema de Cotas para Negros.

A seleção será por meio de prova objetiva e prova de redação em língua portuguesa, previstas para o dia 13 de outubro, no turno da tarde. As provas de verificação de habilidades específicas – somente para os cursos de Artes Visuais, Música e Teatro – estão programadas para novembro.


Novo-Fies.jpg

Ricardo Callado03/09/20193min

O processo seletivo para vagas remanescentes do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) referente ao segundo semestre de 2019 começa nesta quarta-feira (4). As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo site do programa.

As vagas remanescentes são aquelas que não foram ocupadas durante os processos seletivos regulares do Fies. Por exemplo: desistência dos candidatos pré-selecionados ou pela falta de documentação.

edital com os prazos foi publicado na edição dessa segunda-feira (2) do Diário Oficial da União.

Como ocorre desde o segundo semestre de 2015, houve o estabelecimento de cursos prioritários. Até sexta-feira (6), serão ofertadas somente as vagas remanescentes nas áreas de saúde, engenharia e ciência da computação, licenciatura, pedagogia normal e superior.

A partir de sábado (7), as inscrições são abertas para todas as áreas. Os prazos para participar do processo seletivo dependem da situação do estudante. Candidatos não matriculados em Instituição de Educação Superior têm até 11 de setembro para se inscrever. Para os matriculados, o prazo é 29 de novembro.

Para a inscrição, o candidato tem que atender às seguintes condições: ter participado do Enem, a partir da edição de 2010, obtendo média igual ou superior a 450 pontos e nota na redação superior a zero; e possuir renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.

A ocupação das vagas será ocorrerá de acordo com a ordem de conclusão das inscrições, que garantem ao candidato apenas a expectativa de direito à vaga remanescente para a qual se inscreveu. Após a conclusão da inscrição, o candidato tem dois dias úteis para validar as informações na instituição de ensino.

Não pode fazer a inscrição o candidato que não tenha quitado financiamento anterior pelo Fies ou pelo Programa de Crédito Educativo ou aquele que atualmente possua financiamento do Fies.


pdaf_escola_guara_foto_Toninho_Tavares.jpg

Ricardo Callado29/08/20194min

Escolas devem enviar documentação para ter direito aos recursos

As escolas da rede pública de ensino já podem pedir a liberação dos R$ 25 milhões referentes à 2ª parcela do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira (Pdaf) de 2019. A informação foi publicada nesta quarta-feira (28/8) no Diário Oficial do DF, na portaria nº 284. O valor que cabe a cada escola está destalhado no documento

Uma novidade dessa portaria é que as unidades escolares que fazem parte do Escolas que Queremos, uma das cinco bandeiras do programa Educa DF, terão acrescidos 15% do valor-base. Esse incentivo tem o objetivo de melhoria nos indicadores de aprendizagem e de fluxo escolar.

O Escola que Queremos é composto por um grupo de 190 unidades que têm recebido apoio da gestão para melhorias em diversas áreas. Entre elas, infraestrutura, formação pedagógica e engajamento dos profissionais.

A liberação dos recursos depende da avaliação dessa documentação. Portanto, quanto mais rapidamente as escolas a enviarem, com o devido processo no Sistema Eletrônico de Informação (SEI), mais rapidamente será operada a liberação do dinheiro.

Para os repasses previstos na portaria será considerado o valor de R$ 55 por estudante, para as unidades escolares com serviços terceirizados de conservação e limpeza, e R$ 65 para aquelas sem serviços terceirizados de conservação e limpeza, tendo por base o Censo Escolar de 2018.

Procedimentos

As unidades escolares devem enviar a documentação necessária por meio de processos individualizados no SEI, a partir do que estarão habilitadas a receber o dinheiro. A identificação do processo de cada escola deve seguir o seguinte modelo: “Orçamento: Liberação de Recursos – Pdaf 2º semestre de 2019”.

O Pdaf foi criado para gerar autonomia financeira nas unidades escolares e coordenações regionais de ensino (CREs), nos termos do projeto político-pedagógico e dos planos de trabalho de cada uma. Ele pode ser utilizado em serviços como: aquisição de materiais de consumo; contratação de pessoa física ou pessoa jurídica para realização de serviços de manutenção preventiva e corretiva nas instalações físicas do prédio; e pagamento de despesas com água e esgoto, entre outros.

Valor complementar

Também foi publicada no Diário Oficial do DF desta quarta-feira (28/8) a portaria nº 283, que disponibilizou R$ 5.200.426 do Pdaf em caráter complementar. A descentralização é destinada às unidades executoras e às coordenações regionais de ensino, para apoio de escolas da rede pública de ensino do Distrito Federal.

No primeiro semestre foi autorizado o repasse de R$ 48.485.410, referente à primeira parcela do Pdaf. Somado ao valor do segundo semestre, o montante liberado já chega a R$ 73. 485.410 no ano.

* Com informações da Secretaria de Educação


Alunos-do-CEF_05_Sobradinho-ao-Boi_Seu_Teodoro_Crédito_Thiago-S-Araújo.jpg

Ricardo Callado28/08/20196min
(Foto Thiago Araujo)

Projeto “Bumba Meu Boi Tradição e Educação” celebra o mês do Patrimônio Cultural por meio de aula espetáculo

Olhos bem atentos, expressões curiosas e muita concentração. Foi assim que cerca de 40 alunos do 6º e 7º ano do Centro de Ensino Fundamental 05, de Sobradinho, participaram na manhã desta terça-feira, 27/08, da aula espetáculo promovida pelo Centro de Tradições Populares. O objetivo? Conhecer o Bumba Meu Boi de Seu Teodoro, um dos territórios culturais mais importantes e tradicionais do DF, fundado pelo saudoso Mestre Teodoro Freire.  A atividade faz parte do projeto “Bumba Meu Boi Tradição e Educação” que comemora o mês do Patrimônio Cultural, celebrado no dia 17/08. Ao todo, 10 escolas irão participar do projeto idealizado pelo Instituto Candango de Culturas Populares com apoio da Fundação Palmares, que acontece até 30 de agosto.

“Trazer as crianças para o Centro de Tradições Populares, é trazê-las para o berço da cultura candanga. É ensiná-las a transformar o mundo pela arte e pelo afeto. É fazê-las se apropriar de um espaço tão rico, tão bonito e tão nosso”, afirma Stéffanie Oliveira, diretora do Instituto Candango de Culturas Populares.

Recepcionados com toda simpatia e ternura de Mestra Maria, Matriarca do grupo, a criançada assistiu a uma aula, ministrada por Gilvan do Vale, puxador das toadas e membro do grupo há 28 anos, sobre a história do Bumba Meu Boi. No vídeo, Seu Teodoro fala sobre a importância da preservação da cultura popular e detalha, como ninguém, as particularidades de cada um dos cinco sotaques (estilos, formas e expressões) do Bumba Meu Boi.

Aprender brincando

Depois da teoria, a prática, ou melhor, a brincadeira! Os alunos conheceram de perto os personagens e Sotaque da Baixada que compõe o grupo do Bumba Meu Boi de Seu Teodoro: o Boi, a grande estrela da brincadeira, cheio de bordados que fazem referência ao cerrado e ao Mestre do grupo, Pai Francisco, Mãe Catirina, as índias, o Cazumbá, uma mistura de homem e bicho, além dos músicos, responsáveis por dar ritmo à dança.

Para muitos deles essa foi a primeira vez que tiveram contato com a expressão cultural vinda do Maranhão. João Victor Araújo, de 12 anos, se arriscou na matraca e aprovou a atividade. “Eu nunca tinha vindo aqui antes e achei tudo maravilhoso. Adorei os personagens e achei os figurinos lindos”, afirma.

Segundo Mestra Maria, a experiência com as crianças é muito gratificante. “Esse projeto foi pensado para que essas crianças tenham contato com a cultura do Bumba Meu Boi e levem isso para casa, para a família e multipliquem isso na cidade onde moram. Estamos satisfeitos com o resultado desse trabalho, as crianças adoram a atividade, se encantam com os personagens, tambores e figurinos, dançam com a gente. Os olhinhos brilham”, revela.

Para a professora do CEF 05, Tamatatiua Freire, filha de Seu Teodoro, é muito importante que as crianças conheçam o lugar de origem do Bumba Meu Boi de Seu Teodoro. “ Aqui as crianças veem de perto a tradição, o que se desenvolve aqui no Centro de Cultura Popular, os personagens. É a oportunidade que os alunos têm de sair da escola e participarem de uma aula diversificada, dinâmica e muito rica culturalmente. ”

Bumba Meu Boi de Seu Teodoro

O Bumba Meu Boi de Seu Teodoro foi criado, em Sobradinho (DF), em 1963, por Mestre Teodoro Freire. O grupo que é formado por várias gerações de nordestinos, foi reconhecido por seu valor histórico e artístico e declarado Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial por meio do Livro de Celebrações do Distrito Federal, em 2004. É um dos grupos culturais mais antigos da capital federal e participa de importantes eventos da cidade.


27.08.2019-Secretaria-de-Educação-debate-reformulação-do-Ensino-Médio.-Foto-Divulgação-INTER-1024x683.jpg

Ricardo Callado27/08/20197min
Secretaria de Educação debate reformulação do Ensino Médio. Um dos palestrantes foi o subsecretário de Educação Básica da SEEDF, Hélber Vieira. Foto: Divulgação/Secretaria de Educação

Professores se reuniram nesta terça-feira (27 para conhecer projeto-piloto e debater sobre o modelo

Mais um passo para o Novo Ensino Médio no Distrito Federal foi dado, nesta terça-feira (27), com a apresentação do plano de implementação do modelo aos gestores escolares e coordenadores regionais de ensino. Os profissionais da educação se reuniram na Escola de Música de Brasília para conferir a proposta.

Também foi lançada a página do Novo Ensino Médio, com informações sobre a organização; o processo de construção, que teve a participação do corpo docente, dos estudantes e da sociedade; legislação sobre o tema; publicações; vídeos institucionais; e notícias, entre outros pontos.

Um grupo de 14 escolas do Distrito Federal manifestou vontade em implementar um projeto-piloto de reformulação desta etapa da educação básica.  Os resultados serão fundamentais para observar os pontos fortes e os desafios que surgirem a partir da prática com os estudantes. A Secretaria de Educação vai começar realizando o piloto em 4 ou 5 escolas, que serão selecionadas entre as interessadas. A lista das unidades escolares contempladas será divulgada na primeira quinzena de setembro.

“Essa reunião de hoje já é a 101ª apresentação da proposta. Em cada encontro, foram consideradas as contribuições dos diversos segmentos da educação e da sociedade, para que o plano de implementação realmente represente um projeto que contemple os anseios atuais”, pontuou o diretor de Ensino Médio da Secretaria de Educação, Fernando Wirthmann.

O Distrito Federal tem, atualmente, 92 unidades escolares que ofertam o Ensino Médio. Todas puderam participar das discussões do novo modelo que vem ocorrendo desde 2016. O Novo Ensino Médio será implementado no DF de forma gradativa, começando pelo piloto, em 2020, para as turmas de 1º ano. Em 2022, todas as escolas da rede pública estarão adaptadas para o modelo em construção.

“O Novo Ensino Médio é um marco da inovação no Distrito Federal. É uma proposta totalmente aderente ao atual momento da sociedade, com a flexibilização da escolha do conhecimento que considera as diversidades dos indivíduos”, ressaltou o subsecretário de Educação Básica da Secretaria de Educação, Hélber Vieira.

O Novo Ensino Médio é um marco da inovação no Distrito Federal. É uma proposta totalmente aderente ao atual momento da sociedade, com a flexibilização da escolha do conhecimento que considera as diversidades dos indivíduosHélber Vieira, subsecretário de Educação Básica da Secretaria de Educação

Principais mudanças

As principais alterações do Novo Ensino Médio no Distrito Federal foram destacadas na reunião. A primeira mudança é que o regime de oferta passa a ser semestral, ou seja, os três anos serão divididos em seis semestres letivos.

O ponto é que a carga horária das aulas no ensino médio será unificada e funcionará por meio de créditos. Além disto, a matrícula será feita por unidade curricular.

A carga horária total do Novo Ensino Médio será de três mil horas por ano, dividida em dois blocos. O primeiro será de Formação Geral Básica (FGB) com 1.800 horas, que englobará as quatro áreas do conhecimento e será comum para todos os estudantes.

Aulas

Os professores continuarão ministrando as aulas de acordo com as disciplinas que integram a FGB. O que muda é que no Novo Ensino Médio será estimulado ainda mais o trabalho com a interdisciplinaridade e em consonância com os itinerários formativos

Os cursos, seminários, debates e outras abordagens dos itinerários formativos serão feitos a partir do diagnóstico da comunidade escolar e das habilidades do corpo docente de cada unidade.

Para os itinerários formativos, os professores passarão por capacitação com formação continuada. Os estudantes terão formas de oferta diferenciadas, por meio de projeto de vida, eletivas orientadas e trilhas de aprendizagem. Os itinerários serão trabalhados com eixos estruturantes, voltados para investigação científica, processos criativos, empreendedorismo, bem como a mediação e intervenção cultural.

Consultas públicas de 2019

A partir da segunda quinzena de setembro de 2019, começarão as reuniões para discussão da proposta do novo currículo do Ensino Médio. O cronograma está disponível na página do Novo Ensino Médio.

*Com informações da Secretaria de Educação


Centro-de-Ensino-Fundamental-01-do-Lago-Norte.jpg

Ricardo Callado27/08/20193min

O projeto de iniciativa do MPDFT promoverá ações para estimular a cultura da ética dentro e fora do ambiente escolar e premiará o vencedor com R$ 15 mil.

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) lançará, nesta quinta-feira (29), às 9h, o projeto NaMoral, no Centro de Ensino Fundamental 01 do Lago Norte (CELAN). A iniciativa promoverá, ao longo do semestre, ações entre estudantes, integrantes da instituição e outros especialistas sobre assuntos como cidadania, ética e integridade.

“Estamos numa área nobre do Distrito Federal, mas os nossos estudantes são de comunidades de baixa renda como Varjão, Paranoá, Paranoá Parque e Itapoã, e estão em situação de vulnerabilidade. É imensurável receber o NaMoral. Serão essenciais esses debates, essas rodas de conversa na vida deles como estudantes e como cidadãos”, explica a diretora do CELAN, Ana Paula Viégas de Oliveira.

O lançamento contará com atividades culturais – algumas preparadas pelos adolescentes da unidade de ensino. Na sequência, os coordenadores do projeto apresentarão os detalhes da iniciativa e já lançarão a primeira missão. Isso porque o NaMoral é uma espécie de “game”, no qual as instituições de ensino participantes devem cumprir sete metas até dezembro e, com isso, criar ecossistemas de integridade onde estudam.

O trabalho que apresentar melhor resultado receberá como premiação R$ 15 mil, que são oriundos de multas de condenação por atos de corrupção. Os professores envolvidos nas atividades receberão bolsas de pós-graduação.

Serviço:

O quê? Lançamento do Projeto NaMoral

Quando? 29/08 (quinta-feira)

Que horas? 9h

Onde? CELAN – Centro de Ensino Fundamental 01 Lago Norte – Área Especial 04/06 do Lago Norte

Quem vai estar? Estudantes, gestores e corpo docente do Celan, integrantes do MPFDT, integrantes da Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto da Secretaria de Educação do Distrito Federal

Quer saber mais? Daiane Garcez – 9.8383-4859 (Assessora da Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto)


cem-santa-maria-sala-de-aula.jpg

Ricardo Callado23/08/20197min

Primeira etapa será apenas pela internet; inscrições pelo 156 começam em outubro

As inscrições para novas matrículas na rede pública de ensino do Distrito Federal para o ano letivo de 2020 vão começar no dia 25 de setembro e serão realizadas inicialmente pelo site da Secretaria de Educação, em link que será divulgado na data. Pela internet, os novos estudantes devem se inscrever até o dia 24 de outubro. Todos os novos alunos interessados devem possuir CPF.

Já pela central 156, na opção 2, as inscrições para novas matrículas terão início no dia 1º de outubro e seguirão até o dia 24 de outubro, mesma data em que serão finalizadas as realizadas pelo site. O cadastramento e a triagem de novos estudantes com deficiência serão realizados no mesmo período, na coordenação regional de ensino mais próxima da casa ou do trabalho dos pais ou responsáveis.

Segundo a diretora de Acompanhamento da Oferta Educacional (Diofe/Suplav), Pollyana Cardoso, é importante que os interessados em matricular os filhos na rede pública do DF efetuem a inscrição dentro dos prazos estipulados pela Secretaria de Educação.

“Esse período é importante para que façamos o planejamento do ano letivo de 2020, já que a Secretaria de Educação atende todos aqueles que procuram vagas no ensino público”, explica.

Com o total de novos inscritos na rede pública para 2020, a secretaria realiza o cruzamento das vagas disponíveis na rede com as solicitadas e a alocação dos novos estudantes em unidades próximas ao CEP informado no momento da inscrição. “Já no período de vagas remanescentes, que geralmente é aberto após esse planejamento prévio, fica mais difícil conseguir vagas próximas do local  indicado pelo CEP”, frisa Pollyana.

O resultado das inscrições para novas matrículas está previsto para ser divulgado em dezembro, no site da Secretaria de Educação. Já a efetivação da matrícula deve ser realizada em janeiro de 2020, na escola em que o interessado foi contemplado. As vagas remanescentes devem ser abertas apenas após a efetivação das matrículas dos estudantes inscritos no período correto.

Confira aqui outras informações sobre novas matrículas. http://www.se.df.gov.br/novas-matriculas/

EJA

Para maiores de 15 anos que deixaram de estudar e queiram continuar os estudos em 2020, as inscrições para a Educação de Jovens e Adultos (EJA), tanto pela internet quanto pela central 156, terão início em 25 de outubro e seguirão até o dia 1º de novembro.

Todas as regionais de ensino ofertam 1º, 2º e 3º segmentos, para promover o acolhimento das pessoas que se afastaram da escola na idade regular.

CIL e educação profissional

As inscrições para os Centros Interescolares de Línguas (CIL) para o primeiro semestre de 2020 estão previstas para o dia 22 de novembro, para estudantes matriculados na rede pública. Já para a educação profissional, aqueles que quiserem se inscrever para os editais que serão divulgados devem observar a data do dia 19 de novembro.

Renovação e remanejamento

Os procedimentos realizados internamente pelas escolas também têm data marcada. A renovação de matrículas dos estudantes que estão na rede pública de ensino deve ser feita entre os dias 2 e 11 de outubro, na unidade de ensino em que o aluno está matriculado.

Confira aqui todo o procedimento. http://www.se.df.gov.br/renovacao-de-matricula-2/

Já o remanejamento escolar está previsto para começar no dia 21 de outubro, seguindo até o dia 1º de novembro. No remanejamento, o estudante regularmente matriculado na rede pode solicitar mudança para outra unidade escolar.

A solicitação deve ser feita diretamente na Secretaria da escola em que o aluno está matriculado, optando pela unidade para a qual deseja ser remanejado. O remanejamento de estudantes com deficiência está previsto para os dias 1º a 11 de outubro.

Confira aqui mais informações sobre o remanejamento escolar. http://www.se.df.gov.br/remanejamento-escolar-3/

* Com informações da Secretaria de Educação



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Social LikeBox & Feed plugin Powered By Weblizar



Parcerias