Arquivos Economia - Página 2 de 54 - Blog do Callado

Divulgação-Dia-dos-Namorados-2.jpeg

Ricardo Callado10/06/20193min

Cerca de 500 mil pessoas devem ir às lojas em busca do presente ideal

Como de costume, os apaixonados sempre saem em busca do presente perfeito pensando em agradar a pessoa amada. A estimativa do Sindicato do Comércio Varejista do DF (Sindivarejista) é um aumento de 4% nas vendas, em relação a 3% do ano passado. Além disso, a expectativa dos empresários é vender R$550 milhões, ou seja, R$60 milhões a mais do que em 2018.

Na lista dos mais procurados está vestuário. Para Millena Lopes, proprietária da loja Vestido de Chita, voltada para o público feminino, esta é uma excelente data para o comércio. Por isso, sempre buscam inovar para alavancar as vendas e ganhar novos clientes.

“Sempre buscamos trazer algo diferente e que atraia o público brasiliense. Neste ano, também fomos além. Vamos oferecer uma consultoria para os homens não errarem no presente ideal para as amadas. Enquanto escolhem, eles poderão degustar um chope gelado”, explica a empresária.

Jantar romântico

Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-DF), o Dia dos Namorados é a data que os estabelecimentos mais lucram. Pensando nisso, casas investem em jantar a luz de velas e menus exclusivos para os casais apaixonados. Assim como o Dom Francisco (Pátio Brasil), que apostou em um menu com referências culinária internacionais a um preço fixo de R$170 para o casal.

Para o chef Gilvan Martins, a expectativa é ainda melhor que no ano passado. Ainda segundo ele, a casa sempre tem pico de reservas nesta época. “O Dia dos Namorados é muito especial para nós. O restaurante sempre lota e, para a data, fizemos questão de agradar os apaixonados com um menu diferenciado e promoção de rótulos de vinho. Neste ano, escolhemos os carros-chefes do nosso cardápio a um valor fixo, sem surpresas na conta”, destaca


carteira_de_trabalho.jpg

Ricardo Callado07/06/20193min

Empresas que importarem máquinas e equipamentos ficarão isentas do imposto

Os secretários do Desenvolvimento Econômico, Ruy Coutinho, e da Fazenda, André Clemente, assinaram nesta quinta-feira (6) portaria regulamentando o programa Emprega DF. O objetivo da medida é incentivar novos empreendimentos e gerar emprego. O programa prevê a redução de 40% a 67% no valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços pago pelos comerciantes e industriais de todos os segmentos do Distrito Federal que comprovarem a viabilidade do negócio e a geração de emprego.

Para aderir ao programa e ter direito ao incentivo fiscal, o empresário terá que apresentar um projeto de viabilidade técnica, econômico-financeiro simplificado com as projeções de investimento, faturamento e novos empregos diretos a serem gerados. Quanto mais emprego criar o empreendimento, mais desconto o empresário terá no ICMS a ser pago.

Para ter direito ao benefício o empresário terá, ainda, que apresentar compromisso ambiental e ter sede no DF. A empresa que adotar um programa de treinamento de mão de obra também terá desconto. Também serão incentivados os empreendimentos que prevejam investimentos em responsabilidade social e ou ambiental, nas áreas educacionais, culturais, esportivas, que reutilizem recursos naturais como a água, reciclem resíduos e tenham programa de eficiência energética.

O programa Emprega DF também prevê a isenção de 50% do ICMS para empresas que importarem máquinas e equipamentos consideradas ativos fixos e destinadas à confecção final do produto a ser comercializado. “Ao criar estes incentivos, estamos fazendo a nossa parte para superar a crise econômica”, disse Ruy Coutinho.

A SDE vai disponibilizar no site um modelo de projeto a ser apresentado pelo setor produtivo como credencial para obter o benefício. A medida faz parte do conjunto de programas do governo para reaquecer a economia local. Quanto mais emprego o projeto econômico gerar, mais desconto o empresário terá no ICMS.

O desconto no imposto será concedido pelo mecanismo tributário do crédito outorgado. Para adotar as medidas, o governo do DF aderiu ao benefício fiscal previsto na legislação do Mato Grosso do Sul e na lei distrital 6.225 de 2018, além das regras estabelecidas pelo Confaz.

* Com informações da Secretaria de Desenvolvimento Econômico


paco-italia.jpeg

Ricardo Callado06/06/20192min
Vice-governador Paco Britto recebe adido comercial da Itália para tratar de negócios envolvendo o DF

Vice-governador Paco Brito recebe adido comercial da Itália no Palácio do Buriti. Conversas avançam em busca de novos investidores para a região

Por Renata Moura

As conversas do GDF com os italianos têm avançado no sentido de trazer para o Distrito Federal novos investimentos estrangeiros. Nesta quarta-feira (5), no Palácio do Buriti, o vice-governador Paco Britto recebeu o adido comercial da Embaixada da Itália, Angelo Biccirè. Sem entrar em detalhes de quais empresas estariam interessadas em se instalar no DF, o diplomata italiano garantiu que os negócios entre Brasília e o país europeu vão avançar.

“Estamos muito felizes com essa nova ideia de o DF atrair investimentos estrangeiros, de privatizar e conceder”, destacou Bicciré. Segundo o representante italiano, as conversas estão sendo construídas há cinco meses. “Temos empresas de grande porte já no Brasil, que estão bastante interessadas em parcerias com o Governo do Distrito Federal”, precisou.

Investidores

O secretário de Relações Internacionais do GDF, Pedro Luiz Rodrigues, é quem costura esses contatos com possíveis investidores estrangeiros. “Até o fim de junho faremos reuniões com grandes empresas italianas para acertar detalhes”, precisou.

Segundo o secretário, ainda não é possível adiantar, em profundidade, com quais empresas o governo está conversando. “Como são negócios, deveremos esperar certos prazos a cumprir antes de anunciar a ideia. Até porque existem as questões do mercado e, também, das empresas que precisam acertar tudo com os conselhos e as diretorias”, afirmou.


brb-mobile-2.jpg

Ricardo Callado03/06/20193min

Adesão em órgãos do GDF como Secretarias da Saúde e Educação ultrapassou 52%

Lançado em março, com o objetivo de ajudar a reestruturar a vida financeira dos clientes (pessoa física) com comprometimento de renda mensal, igual ou superior a 50%, o Programa de Consultoria Financeira do BRB já atendeu mais de sete mil clientes, de um total de 8,9 mil selecionados.

Do total, cerca de cinco mil aderiram ao Programa e buscaram soluções financeiras aderentes às próprias necessidades. Entre os órgãos do GDF, como as Secretaria da Saúde e da Educação, por exemplo, a adesão foi de 53% e 52,5%, respectivamente.

Agora, o programa entra na segunda fase, na qual os interessados em ajustar sua vida financeira, independentemente do grau de comprometimento da renda, podem aderir ao projeto pelo http://consultoriafinanceira.brb.com.br. Nesse espaço, o Banco também disponibilizou dicas, além de um curso à distância sobre o tema.

Na primeira etapa do programa, os clientes com o perfil de elevado comprometimento de renda mensal – todos com vínculo com o GDF – foram contatados pelo Banco via SMS, e convidados a participar do projeto.

Mais educação

Além do Programa de Consultoria Financeira, o BRB também abriu as inscrições para mais uma edição do curso de educação financeira. As aulas serão realizadas entre os dias 4 a 6 de junho, gratuitamente, no Centro de Treinamento do BRB (EQS 410/411 Sul).

O evento é aberto ao público. Mais informações por meio do e-mail educafinan@brb.com.br.


posto-gasolina-precos-tony-winston-03-12-2018-768x512.jpg

Ricardo Callado01/06/20194min

Novo valor vale a partir da meia-noite deste sábado (1°)

Por Vladimir Platonow

A Petrobras anunciou, na noite desta sexta-feira (31), redução nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias. A gasolina teve uma redução de R$ 0,1399 por litro e o diesel, de R$ 0,1383 no valor médio às distribuidoras no país. O novo valor vale a partir da meia-noite deste sábado (1º).
No início da noite, o presidente Jair Bolsonaro postou sobre o anúncio da estatal em sua conta do Twitter.

O preço final ao consumidor, contudo, vai variar de acordo com o local de venda do combustível, pois sobre o valor entregue pelas refinarias incidem impostos municipais e estaduais, além do custo operacional e da mão de obra e da margem de lucro das empresas.

Entre as refinarias com o menor preço da gasolina estão as de São Luis (MA), que vende o litro a R$ 1,78; Itacoatiara (AM), R$ 1,82, e Manaus (AM), a R$ 1,85. Entre as que praticam os valores mais altos estão as de Brasília, R$ 2,08, e Uberaba (MG), R$ 2,07.

No diesel S500, o mais comum nas estradas, os menores preços são praticados pelas refinarias de Itacoatiara (AM), R$ 2,17; Manaus (AM), R$ 2,20, e Maceió, R$ 2,21. Os maiores preços do diesel S500 estão nas refinarias de Uberaba (MG), R$ 2,40, Brasília, R$ 2,41, e Uberlândia (MG), R$ 2,41.

Na refinaria Duque de Caxias, que abastece o estado do Rio, maior produtor de petróleo do país, o litro da gasolina será vendido a R$ 1,97 e o diesel S500, a R$ 2,31. Na refinaria de Paulínia (SP), o litro da gasolina custará R$ 1,99 e o diesel, R$ 2,31.

Política de preços

Segundo a Petrobras, a política de preços para a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras tem como base o preço de paridade de importação, formado pelas cotações internacionais destes produtos mais os custos que importadores teriam, como transporte e taxas portuárias, por exemplo.

“A paridade é necessária porque o mercado brasileiro de combustíveis é aberto à livre concorrência, dando às distribuidoras a alternativa de importar os produtos. Além disso, o preço considera uma margem que cobre os riscos (como volatilidade do câmbio e dos preços)”, explicou a estatal.

A Petrobras destacou também que a gasolina e o diesel vendidos às distribuidoras são diferentes dos produtos no posto de combustíveis: “São os combustíveis tipo A, ou seja, gasolina antes da sua combinação com o etanol e diesel também sem adição de biodiesel. Os produtos vendidos nas bombas ao consumidor final são formados a partir do tipo A misturados a biocombustíveis. Os preços que divulgamos aqui se referem aos produtos tipo A”.

Assista na TV Brasil: Petrobras reduz preço de gasolina e diesel em R$ 0,13 nas refinarias


imposto.jpg

Ricardo Callado30/05/20193min

Por Jonas Valente

Durante todo o dia de hoje (30), quem passar por lojas, postos e outros empreendimentos pode se deparar com grandes promoções. Os descontos fazem parte de uma iniciativa que foi batizada de Dia Livre de Imposto, quando empresas e associações de comerciantes colocam à venda produtos retirando a parte relativa a tributos cobrados por entes públicos federais, estaduais e municipais.
A mobilização visa a chamar a atenção de cidadãos, do setor econômico e de autoridades para problemas do sistema tributário brasileiro, como o grau de incidência de impostos, a complexidade das taxas cobradas e a falta de transparência nessas modalidades de arrecadação.

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL), está confirmada a participação de mais de 2 mil estabelecimentos em mais de 300 cidades, em 16 estados do país.

Em Brasília, a adesão envolveu postos de gasolina, cinco shoppings, redes de farmácia, restaurantes, firmas de produtos para animais e comercializadoras de brinquedos. A CDL DF disponibilizou uma tabela com os estabelecimentos e produtos em desconto .

Desconhecimento

Pesquisa feita pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostrou que 74% dos consumidores entrevistados não procuram saber o quanto pagam de imposto. Apenas 26% vão atrás da informação, em práticas como a conferência da nota fiscal. Desde 2013, é obrigatório discriminar nas notas fiscais a parcela aproximada referente aos tributos de um determinado bem ou serviço.

Além disso, a pesquisa da CNDL ouviu micro e pequenos empresários sobre o nível de conhecimento dos encargos tributários em suas atividades. Dos entrevistados, metade não sabia dizer quanto do faturamento ia para o pagamento de impostos, 31% relataram ter uma noção aproximada e 14% afirmaram conhecer esse percentual.

Entre essa amostra de empreendedores, 65% defenderam uma reforma tributária no país. A avaliação de 90% foi de que o sistema tributário é injusto. Entre os consumidores ouvidos, 95% avaliaram a taxação de atividades comerciais no Brasil como pouco transparente.


brb-agrobrasilia.jpg

Ricardo Callado30/05/20193min

Estimativa de crescimento em negócios efetivos deve chegar a 112%

Cresceu 55% a prospecção do BRB na 12ª edição da Feira Agrobrasília, realizada entre 15 e 18 de maio, no PAD-DF. Ao todo, foram prospectados R$ 198 milhões ante R$ 127 milhões no mesmo evento no ano passado. Do volume total de negócios prospectados, a expectativa é de fechamento efetivo da ordem de R$ 100 milhões. Em 2018, o Banco fechou R$ 47 milhões em negócios. Confirmados os números, o incremento real deverá chegar a 112%.

Durante a Feira, uma das cinco maiores de agronegócio do País, o BRB ofereceu crédito com as melhores taxas do mercado, de 2,5% a 9,55% a.a. A oferta ocorreu com Recursos Obrigatórios (RO) e Recursos Próprios Livres (RPL), e dispensou projeto técnico, para aquisição de máquinas e equipamentos, para os clientes da carteira que protocolaram propostas na Agrobrasília.

“Investir no setor do agronegócio é fundamental para a consolidação do BRB como instrumento de desenvolvimento regional. Estamos trabalhando para que o Banco assuma esse protagonismo. O aumento do volume de negócios prospectados reforça que estamos no caminho certo”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Entre as novidades apresentadas na Feira pelo BRB, estava a possibilidade de financiar até 100% do orçamento e de utilizar o CDU (Concessão de Direito de Uso Oneroso) e CDRU (Concessão de Direito Real de Uso) como garantia das operações de investimento.

As linhas de crédito disponíveis na Feira destinaram-se a custeio, investimento, comercialização e industrialização agropecuários. O cliente Leomar Cenci assinou, durante a Feira, contrato de RPL (Recursos Próprios Livres) para investimento agrícola, e destinou os recursos para a compra de um pulverizador. “A equipe de crédito rural do BRB busca ter um conhecimento e um relacionamento próximo com os produtores com os quais trabalham, para entender o que tem sido feito. Esse é o grande diferencial do Banco”, elogiou.


brb.jpg

Ricardo Callado20/05/20193min
Vigente a partir de hoje, a campanha apresenta vantagens em quase 20 produtos
Durante os próximos dias, clientes do BRB poderão se beneficiar de um novo Pacote de Benefícios lançado pela Instituição. Com vigência de 20/05 a 30/07, a campanha busca criar uma proposta de valor diferenciada, com uma abordagem voltada para a necessidade de todos.
“Essa é mais uma iniciativa do Banco que visa mostrar aos clientes e à população que um novo BRB está em construção. Um banco mais ágil, moderno e competitivo”, destaca o presidente da Instituição, Paulo Henrique Costa.
São cerca de 20 benefícios, que vão desde a redução da taxa de juros no crédito consignado até produtos de seguridade. O Banco, por exemplo, irá cobrir qualquer cotação de seguro automóvel apresentada pelo cliente, abater 10% do valor, e ainda dividir o pagamento em até 10 vezes sem juros. Entre outras vantagens estão:
– Cheque especial: 10 dias sem juros para cliente com Pacote de Serviços.
– CredReforma: taxas promocionais a partir de 1,99% a.m.
– Pacote de Serviços: isenção de 90 dias na mensalidade.
– Taxas reduzidas no Crédito Consignado.
– 11% de desconto na mensalidade da AABR. De R$ 164,00 por R$ 145,00 no Plano Família.
– 100% de desconto na primeira anuidade do cartão.
– Isenção de anuidade para a segunda bandeira.
– 20% de desconto no Seguro Residencial, pagamento em até 10x sem juros e a 1ª parcela em até 60 dias.
– 10% de desconto no Seguro Vida Mulher, pagamento em até 10x sem juros e check-up grátis.
 
A Campanha tem vigência até o dia 30/07. Todos os produtos e serviços que fazem parte do Pacote de Benefícios podem ser consultados no site http://campanhas.brb.com.br/pacotebenefícios.

Campos-Neto.jpg

Ricardo Callado16/05/20193min

Por Kelly Oliveira

O crescimento da confiança empresarial, a tendência de recuperação gradual do investimento, a taxa básica de juros em seu mínimo histórico estimulando a economia e a recuperação no mercado de crédito são fatores que levarão à retomada do crescimento econômico, segundo avaliação do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, em audiência pública no Congresso Nacional, hoje (16).
Ontem (15), o BC informou que a atividade econômica registrou recuo no primeiro trimestre deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou queda de 0,68%, segundo dados dessazonalizados – ajustados para o período.

Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC adiantou que a economia poderia apresentar recuo no primeiro trimestre. Segundo o documento, o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante, previsão que foi reforçada por Campos Neto na audiência pública.

“O processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas o cenário básico do BC contempla sua retomada adiante. Essa hipótese se sustenta, entre outros fatores, no crescimento da confiança empresarial, medida pela Fundação Getulio Vargas, na tendência gradual de recuperação do investimento, conforme indicam dados do IBGE, no patamar estimulativo da política monetária e na recuperação observada no mercado de crédito”, disse Campos Neto aos parlamentares.

Segundo o presidente do BC, a taxa básica de juros, a Selic, em seu mínimo histórico de 6,5% ao ano, tem levado também à queda das taxas de juros reais. “Essas taxas reais, estimadas usando várias medidas, se encontram atualmente próximas de 2,7% ao ano, nível que tende a estimular a economia”, disse.

Autonomia do BC

Campos Neto defendeu mudança na legislação para garantir a autonomia do BC. “Acreditamos ainda que um BC autônomo, como estabelece projeto de lei atualmente em discussão nesse parlamento, proporcionaria uma redução de incertezas econômicas e dos prêmios de risco [retorno adicional cobrado por investidores para aceitar correr maior grau de risco], o que nos levaria a uma melhor condição de consolidar os ganhos recentes e abrir espaço para os novos avanços que o país tanto precisa”, ressaltou.


brb-2-1024x768.jpg

Ricardo Callado15/05/20192min
Servidores, comissionados e efetivos, terão acesso a outros benefícios
O Banco de Brasília oferece, a partir de hoje (15), novas taxas de juros de empréstimo consignado para servidores, comissionados ou efetivos, da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). As taxas variam agora de 1,15% a 1,80% ao mês. Outros benefícios, como dez dias sem juros no cheque especial e 10% de desconto no seguro auto, fazem parte do pacote.
Em novembro, os servidores da CLDF também vão poder contar um uma nova agência do BRB no local. Ela vai ter padrão de acabamento e personalização, nos moldes de atendimento Millenium Capital, segmento Premium.
“Nosso objetivo é de ser um banco público sólido, moderno, ágil, eficiente e competitivo, protagonista do estímulo à atividade econômica”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, ao apresentar o novo pacote de benefícios para os servidores.
No encontro com parlamentares distritais ontem, o deputado Robério Negreiros (PSD), segundo secretário da Casa, anunciou a retirada do Projeto de Emenda à Lei Orgânica (Pelo) que objetivava desobrigar os servidores da CLDF a receberem seus salários pelo BRB. Segundo ele, a nova gestão do Banco trabalhou, efetivamente, para oferecer melhorias aos servidores.


Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias