Arquivos Economia - Blog do Callado

brb.jpg

Ricardo Callado20/05/20193min
Vigente a partir de hoje, a campanha apresenta vantagens em quase 20 produtos
Durante os próximos dias, clientes do BRB poderão se beneficiar de um novo Pacote de Benefícios lançado pela Instituição. Com vigência de 20/05 a 30/07, a campanha busca criar uma proposta de valor diferenciada, com uma abordagem voltada para a necessidade de todos.
“Essa é mais uma iniciativa do Banco que visa mostrar aos clientes e à população que um novo BRB está em construção. Um banco mais ágil, moderno e competitivo”, destaca o presidente da Instituição, Paulo Henrique Costa.
São cerca de 20 benefícios, que vão desde a redução da taxa de juros no crédito consignado até produtos de seguridade. O Banco, por exemplo, irá cobrir qualquer cotação de seguro automóvel apresentada pelo cliente, abater 10% do valor, e ainda dividir o pagamento em até 10 vezes sem juros. Entre outras vantagens estão:
– Cheque especial: 10 dias sem juros para cliente com Pacote de Serviços.
– CredReforma: taxas promocionais a partir de 1,99% a.m.
– Pacote de Serviços: isenção de 90 dias na mensalidade.
– Taxas reduzidas no Crédito Consignado.
– 11% de desconto na mensalidade da AABR. De R$ 164,00 por R$ 145,00 no Plano Família.
– 100% de desconto na primeira anuidade do cartão.
– Isenção de anuidade para a segunda bandeira.
– 20% de desconto no Seguro Residencial, pagamento em até 10x sem juros e a 1ª parcela em até 60 dias.
– 10% de desconto no Seguro Vida Mulher, pagamento em até 10x sem juros e check-up grátis.
 
A Campanha tem vigência até o dia 30/07. Todos os produtos e serviços que fazem parte do Pacote de Benefícios podem ser consultados no site http://campanhas.brb.com.br/pacotebenefícios.

Campos-Neto.jpg

Ricardo Callado16/05/20193min

Por Kelly Oliveira

O crescimento da confiança empresarial, a tendência de recuperação gradual do investimento, a taxa básica de juros em seu mínimo histórico estimulando a economia e a recuperação no mercado de crédito são fatores que levarão à retomada do crescimento econômico, segundo avaliação do presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, em audiência pública no Congresso Nacional, hoje (16).
Ontem (15), o BC informou que a atividade econômica registrou recuo no primeiro trimestre deste ano. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) apresentou queda de 0,68%, segundo dados dessazonalizados – ajustados para o período.

Na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), o BC adiantou que a economia poderia apresentar recuo no primeiro trimestre. Segundo o documento, o processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas a expectativa é de retomada adiante, previsão que foi reforçada por Campos Neto na audiência pública.

“O processo de recuperação gradual da atividade econômica sofreu interrupção no período recente, mas o cenário básico do BC contempla sua retomada adiante. Essa hipótese se sustenta, entre outros fatores, no crescimento da confiança empresarial, medida pela Fundação Getulio Vargas, na tendência gradual de recuperação do investimento, conforme indicam dados do IBGE, no patamar estimulativo da política monetária e na recuperação observada no mercado de crédito”, disse Campos Neto aos parlamentares.

Segundo o presidente do BC, a taxa básica de juros, a Selic, em seu mínimo histórico de 6,5% ao ano, tem levado também à queda das taxas de juros reais. “Essas taxas reais, estimadas usando várias medidas, se encontram atualmente próximas de 2,7% ao ano, nível que tende a estimular a economia”, disse.

Autonomia do BC

Campos Neto defendeu mudança na legislação para garantir a autonomia do BC. “Acreditamos ainda que um BC autônomo, como estabelece projeto de lei atualmente em discussão nesse parlamento, proporcionaria uma redução de incertezas econômicas e dos prêmios de risco [retorno adicional cobrado por investidores para aceitar correr maior grau de risco], o que nos levaria a uma melhor condição de consolidar os ganhos recentes e abrir espaço para os novos avanços que o país tanto precisa”, ressaltou.


brb-2-1024x768.jpg

Ricardo Callado15/05/20192min
Servidores, comissionados e efetivos, terão acesso a outros benefícios
O Banco de Brasília oferece, a partir de hoje (15), novas taxas de juros de empréstimo consignado para servidores, comissionados ou efetivos, da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF). As taxas variam agora de 1,15% a 1,80% ao mês. Outros benefícios, como dez dias sem juros no cheque especial e 10% de desconto no seguro auto, fazem parte do pacote.
Em novembro, os servidores da CLDF também vão poder contar um uma nova agência do BRB no local. Ela vai ter padrão de acabamento e personalização, nos moldes de atendimento Millenium Capital, segmento Premium.
“Nosso objetivo é de ser um banco público sólido, moderno, ágil, eficiente e competitivo, protagonista do estímulo à atividade econômica”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa, ao apresentar o novo pacote de benefícios para os servidores.
No encontro com parlamentares distritais ontem, o deputado Robério Negreiros (PSD), segundo secretário da Casa, anunciou a retirada do Projeto de Emenda à Lei Orgânica (Pelo) que objetivava desobrigar os servidores da CLDF a receberem seus salários pelo BRB. Segundo ele, a nova gestão do Banco trabalhou, efetivamente, para oferecer melhorias aos servidores.

ibaneis.jpeg

Ricardo Callado14/05/20194min

O chefe do Executivo visitou o recém-inaugurado Potiguar Caldos, em Planaltina. A rede emprega diretamente 850 pessoas

Por Jéssica Antunes 

O governador Ibaneis Rocha visitou o recém-inaugurado Potiguar Caldos de Planaltina na noite desta segunda-feira (13) acompanhado da equipe econômica do Governo do Distrito Federal (GDF). A rede brasiliense, que conta com 19 estabelecimentos no DF, emprega diretamente 850 pessoas. A intenção, segundo o chefe do Executivo, é enaltecer as iniciativas de empresários que contribuem na luta contra o desemprego na capital federal.

O 19º estabelecimento da rede — entre restaurantes, confeitarias e açougue — abriu as portas para a comunidade de Planaltina na última sexta-feira (10). Após um fim de semana com filas, a clientela foi especial. Além do governador, estiveram presentes o secretário de Fazenda, André Clemente, e o presidente do Banco de Brasília (BRB), Paulo Henrique Costa. “Venho nessa noite marcar esse compromisso com o empresariado do bem, o empresário que quer empreender e gerar emprego no DF. Pra isso andamos acompanhados. Trouxemos a nossa equipe econômica para dar apoio a esse tipo de iniciativa”, afirmou o chefe do Executivo.

Bem recebido pela comunidade local, o governador distribuiu abraços, posou para fotos e recebeu demandas. Ele ainda conheceu a cozinha e fez questão de cumprimentar os funcionários. “Pode ter certeza que os empresários que quiserem investir no DF ou ampliar as suas redes vão ter apoio do governo em todas as suas iniciativas. Nossa meta é gerar emprego, gerar renda, tirar as pessoas das dificuldades e colocar Brasília de novo no rumo do crescimento”, disse.

Flávio Potiguar, o empresário por trás da rede, contou que o crescimento de Planaltina motivou a chegada do restaurante à cidade. Somente no local, são 140 empregos diretos. Até o fim do ano, revelou, novas unidades serão abertas em Sobradinho, Lago Sul e Gama, além de ultrapassar os limites do DF, chegando a Uberlândia (MG).

“O governo tem que contribuir, apoiar a iniciativa de empresários que mesmo em momentos de crise que o país passa tem coragem de colocar recursos, fazer investimentos, gerar emprego e renda”, valorizou o governador. Ibaneis Rocha enalteceu a história da rede, que começou como um pequeno quiosque e agora tem o plano de empregar 1,3 mil pessoas até o fim do ano, com inauguração de outras três unidades na capital.

(Com informações da Agência Brasília)

rubia.jpg

Ricardo Callado14/05/20194min

A contadora de histórias Rúbia Mesquita comenta que ser Microempreendedora Individual foi importante quando precisou do salário maternidade, após o nascimento do filho

Rúbia Mesquita herdou a paixão pela arte de educar da mãe, educadora, e do pai, mágico e contador de histórias. Após 11 anos à frente de um programa de TV infantil na capital mineira, decidiu enfrentar um novo desafio: empreender. Ela começou a fazer shows em escolas, realizar cursos de contação de histórias para educadores e palestras motivacionais em empresas.

Em 2005, Rúbia se formalizou como Microempreendedora Individual para dar continuidade aos seus projetos de recreação e contação de histórias para o público infantil. “O MEI me ajudou bastante. É um modelo fácil, de baixo custo e sem muita burocracia. Foi superimportante para mim, já que me oferece a emissão de nota fiscal, que muitos clientes exigiam, e também proporciona o salário maternidade. Como eu tive meu filho em 2018, foi muito bem-vindo”, comenta a empresária.

Hoje, além de contar histórias em eventos, praças, escolas e trabalhar com cursos de capacitação para educadores e palestras para empresas, a empreendedora tem um canal de histórias e brincadeiras no YouTube com mais de sete mil inscritos e vídeos que possuem mais de 50.000 visualizações.

SEMANA MEI

De 20 a 24 de maio, o Sebrae promove simultaneamente, em todo o país, uma semana inteira com ampla programação digital e presencia. São oficinas, webinários, palestras, seminários e orientações técnicas, que têm como foco apoiar os MEI e os empreendedores interessados em se formalizarem como MEI.

O objetivo da iniciativa é oferecer subsídios para que os empresários possam agregar mais valor aos seus produtos e serviços e alcançar melhores resultados em seus negócios. Presencialmente, serão oferecidos atendimentos especializados, focados nas dificuldades e deficiências gerenciais e de competitividade dos microempreendedores individuais. Pela web, serão disponibilizadas dicas sobre gestão, crédito, finanças, marketing digital, benefícios de ser MEI, direitos e deveres, além de conteúdos específicos para alguns segmentos de maior volume do MEI como Alimentos e Bebidas, Beleza, Construção e Reforma, Energia, Saúde e Bem-estar, Turismo, Vestuário, Calçados e Bolsas.

Para saber mais, entre no site da Semana MEI 


Paco-Brito.jpg

Ricardo Callado10/05/20193min

Vice-governador participa de encontro com investidores chineses em Brasília

Por Lucíola Barbosa
O vice-governador Paco Britto participou, na tarde desta quinta-feira (9), no Clube Monte Líbano, em Brasília, de seminário sobre diálogo de cooperação em infraestrutura China-Brasil, por meio das empresas chinesas no Brasil e do Governo do Distrito Federal. O objetivo do encontro é estabelecer cooperação em áreas de interesse mútuo e prospectar investimentos. Paco Britto foi recebido pelo Embaixador da China no Brasil, Yang Wanming.

Durante discurso, Paco Britto ressaltou mais uma vez a importância das parcerias e sobre “abrir as portas” do DF para os chineses. “Hoje, estamos diante de novos desafios. E para vencê-los, estamos procurando parceiros. Vamos buscar novos caminhos e mostrar dinamismo para a realização de negócios”, frisou, citando, por exemplo, as Parcerias Público-Privadas, como importante ferramenta para a realização desses negócios.

O embaixador Wanming agradeceu a presença do vice-governador, dizendo que está na “expectativa” em levar adiante essa cooperação entre os dois países.

O evento foi dividido em três momentos, entre eles, as rodadas de negócio, com reuniões temáticas, onde as secretarias e os órgãos do GDF tiveram oportunidade de apresentarem seus projetos estratégicos aos diferentes investidores chineses presentes ao local, visando a implementação de projetos conjuntos.

Participaram também do seminário representantes de órgãos e das secretarias de governo; empresários brasileiros e chineses e investidores chineses das áreas de infraestrutura e do setor financeiro, entre outros.

China

A China é desde 2009 o principal parceiro comercial do Brasil e está entre as principais fontes de investimento estrangeiro direto no país, com destaque para os setores de energia e mineração, siderurgia e agronegócio. Além disso, a China é o principal destino das exportações do DF, sendo a soja e o frango os principais produtos.

(Com informações da Agência Brasília)


reforma-da-previdencia-777x437.jpg

Ricardo Callado09/05/201911min

Por Ana Paula Tozzi e Jéssica Costa

Tudo tem uma primeira vez, assim diz o ditado popular. Não vamos fugir à regra: este será o primeiro Papo Jedi em 14 anos de AGR Consultores com conteúdo político. Por quê? Porque acreditamos que temos que nos posicionar. Todos nós. Empresários, colaboradores, profissionais liberais e todos os brasileiros que não fazem parte da pequena elite* que se aposenta com benefícios exclusivos e inacessíveis à grande maioria.

Estive em Brasília na semana passada e o que eu vi por lá, logo ao passar pelas portas do desembargue, foram manifestações contrárias à reforma da Previdência. As faixas, disseminando mentiras deslavadas foram um gatilho para uma sensação de revolta crescente. Brasília, cidade tão distante do “Brasil Real”, onde os políticos se aposentam com “aposentadoria especial” (seriam eles mais especiais que nós?) de até 100% do salário, onde ministros comem lagosta com champanhe, liderando a discussão contra a previdência? Não! Temos que nos unir e começar um movimento de transparência e clareza de forma a sensibilizar o país inteiro desta urgência.

Grandes números

A previdência e a seguridade social são deficitárias em mais de R$290 bilhões de reais. Os argumentos que grupos contrários usam normalmente são apenas para desviar da verdade: você e eu pagamos para que eles possam ganhar mais que nós. Não deveríamos ser todos iguais?

Para entendermos de onde vem o déficit, fiz uma matemática simples, com dados de dezembro de 2017, que apontam um total de 29 milhões de beneficiários que consomem um déficit anual total próximo de R$280 bilhões. No pódio, o funcionalismo público, representado por 737 mil beneficiários, 2,5% do total, consome 20% do déficit. Em segundo lugar, os militares representam 3% do total de pessoas e consomem 7% do déficit. Finalmente, o setor privado representa 94,5% dos beneficiários e consomem 74%. Deu para entender por que Brasília está unida contra o Brasil?

Quais os principais argumentos contra a reforma?

De forma simplista, uns falam que a rigidez da DRU (desvinculação das receitas da união) deveria ser revista, de forma a alocar para a conta da previdência a receita alocada em outras rubricas. Mas, não resolve! Simplesmente porque o bolso é o mesmo. A não existência da DRU deixaria o Tesouro com déficit pois a receita total não é suficiente.

Mas, e se não tivéssemos corrupção? E, se as empresas devedoras da previdência pagassem suas dívidas com a Previdência? Claro que ajuda no momento zero. Porém, ambos os valores somados são da ordem de R$ 600 bi (R$ 150 bi de corrupção* + R$ 450 bilhões* de dívidas). Ou seja, cobrem no máximo dois anos de déficit. Lembre-se que o déficit é gerado de forma recorrente e crescente e esses valores são valores acumulados de décadas e décadas.

Outros grupos de interesse (nome chique de quem tem mais a perder do que nós) afirmam que a reforma é contra os pobres e que a população vai morrer trabalhando para ter direito à aposentadoria. Duas grandes mentiras. Em primeiro lugar, a nova previdência, ao trazer todos os brasileiros do setor público e do setor privado às mesmas regras de aposentadoria traz na verdade mais justiça social. Hoje, os mais pobres mesmo atingindo a idade mínima, têm que continuar trabalhando, uma vez que a aposentadoria é pífia, quando comparada ao do funcionalismo público. Como vimos no gráfico acima, a desigualdade hoje é brutal. Em segundo lugar, a expectativa de vida do brasileiro hoje é de 83 anos, com pequenas variações regionais. Ou seja, se nos aposentarmos com 60/65 anos ainda podemos curtir vários anos de ócio.

 A reforma

O Brasil tem muitas elites com interesses próprios, mas dificilmente com interesses em melhorar o Brasil. Ficou muito claro na semana passada que, por exemplo, para os políticos o que está em jogo aqui é poder: as eleições de 2022. A sinceridade do Paulinho da Força ao afirmar que “se a reforma aprovada for de uma economia acima de R$800 bilhões, o governo terá dinheiro para investir no crescimento do país, logo o Bolsonaro será reeleito”, deixa claro que políticos contrários à reforma não querem ver o Brasil crescer.  Não estão nem aí com o Brasil e muito menos com o brasileiro.

A nova previdência retira os desequilíbrios entre o público e privado, e some com diversas cláusulas de exceção para determinadas profissões. Portanto, é nosso entendimento que sim, deverá ser sucedida de ajustes em alguns salários e planos de carreira. Um bom exemplo, são os professores. A classe está reclamando com a mudança de idade para 60 anos (antes 25 anos de trabalho para mulheres e 30 para homens) quando no nosso ponto de vista deveriam estar lutando por salários melhores ou, por exemplo, por incluir em seus salários horas fora de sala de aula dedicadas ao preparo de conteúdo e a correção de provas. Entendemos que enquanto um professor demora anos de carreira para atingir um salário de R$ 5 mil, elites de “consultores” do senado, da câmara e outros departamentos têm salários inicias de R$ 12 mil, sem em muitos casos ao menos trabalharem tempo integral para servir o estado. Isso tem que ser corrigido, claro!

Corrente a favor do Brasil

Obviamente, nós da AGR não temos a capacidade de amplificar a campanha de forma tão brilhante quanto o Tutinha da Jovem Pan. Também, não temos o tamanho de uma B3, o charme do “Seu Silvio” ou a mídia do Luciano das lojas Havan. Mas, ao apoiarmos claramente a reforma da previdência, queremos criar uma bola de neve a favor do Brasil!

VAMOS TODOS LUTAR POR UM BRASIL MELHOR! REFORMA DA PREVIDÊNCIA JÁ!

* Ana Paula Tozzi é CEO, e Jéssica Costa, sócia da AGR Consultores

 

*Dados da Operação Lava-Jato e dados públicos da dívida previdenciária de empresas

** http://www.portaldatransparencia.gov.br/despesas?ano=2018

*** https://www.jornaldacidadeonline.com.br/noticias/14464/a-revelacao-de-paulinho-da-forca-revela-o-temor-da-oposicao-pela-reforma-da-previdencia-veja-o-video

Fontes: https://www.infomoney.com.br/blogs/economia-e-politica/economia-e-politica-direto-ao-ponto/post/7989579/8-argumentos-para-voce-derrubar-as-falacias-contra-a-reforma-da-previdencia

https://www.valor.com.br/brasil/6098167/deficit-da-seguridade-social-vai-r-281-bi


Roche-Farma-Brasil.jpg

Ricardo Callado06/05/20194min

O programa de aceleração fornece oficinas e mentorias para até doze grupos de pesquisa voltados para saúde, que poderão viabilizar a comercialização de suas tecnologias

Em sinergia com a estratégia de inovação, a Roche, farmacêutica líder global em biotecnologia, em parceria com a Biominas Brasil, que oferece soluções para todos os tipos de negócios em ciências da vida, lança a segunda edição do seu programa de aceleração de grupos de pesquisa brasileiros com foco em saúde, o ASTRo (Applied Science Trail Roche). O objetivo é aproximar pesquisadores acadêmicos do mundo corporativo, por meio de uma série de projetos de capacitação que tornarão viável a comercialização das tecnologias desenvolvidas.

Durante o programa, o grupo de pesquisa irá elaborar o plano de comercialização da sua tecnologia/pesquisa com o apoio de consultores. Após a identificação de mercados potenciais, a equipe de pesquisadores terá oportunidade de interagir com possíveis parceiros e validar a sua estratégia. O programa contempla ainda o desenho de proposta de valor, definição de modelo de negócios; além de workshops, oficinas e mentorias que abordarão temas como mercado, demanda, valor para o cliente, modelo de negócio, difusão da inovação e ecossistema das tecnologias.

“Tivemos ótimas experiências com a primeira edição do ASTRo, cerca de 20 pesquisadores e seis projetos com potencial de venda conseguiram a oportunidade de se apresentar para as empresas”, explica Lênio Alvarenga, diretor médico da Roche Farma Brasil. “Na Roche, nosso principal propósito é oferecer soluções que façam hoje o que os pacientes precisarão no futuro. Com esse programa, vamos capacitar grupos que buscam a inovação aqui no nosso país, para que possam apresentar tecnologias ao mercado e, consequentemente, estimular o ambiente para que o desenvolvimento e viabilização de soluções inovadoras estejam cada vez mais presentes no Brasil”, complementa.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo site (www.programaastro.com.br) até 15 de junho. Serão selecionados até doze grupos de pesquisa provenientes de qualquer instituição no Brasil – que pode ser, por exemplo, uma universidade ou instituto de pesquisa, público ou privado – com projetos de pesquisa ou tecnologias em saúde, com potencial de se converterem em produtos ou serviços para a sociedade. O anúncio das equipes vencedoras será realizado em um evento na Roche, em 1º de agosto, sendo posteriormente disponibilizado no site; e o programa terá início em 19 de agosto de 2019.

Para saber mais, acesse www.programastro.com.br.


Aluguel-imovel.jpg

Ricardo Callado06/05/20199min

Segundo o Wimoveis, maior portal imobiliário da capital federal, o valor médio do metro quadrado na cidade ficou em R$ 8.118,00, no último mês de março

Com o preço médio do metro quadrado cotado a R$ 8.118,00, Brasília lidera o ranking das cidades mais caras para se comprar um imóvel no Distrito Federal, segundo levantamento mensal do Wimoveis, maior portal imobiliário da capital federal, referente ao último mês de março. Entre as regiões, Noroeste (R$ 10.199,00/m²), Sudoeste (R$ 9.327,00/m²) e Asa Norte (R$ 9.153,00/m²), foram as que registraram os valores médios do metro quadrado mais onerosos.

Na contramão de um cenário de queda de preços para venda, que se instaurou praticamente em todo o DF nos últimos 12 meses, Riacho Fundo e Brasília se sobressaíram com variações positivas de preços, de 3,3% e 3%, respectivamente. Já as cidades, cujos valores mais caíram nesse mesmo período, foram Santa Maria (7,6%) e Gama (7,4%).

Confira agora as localidades mais valorizadas e as mais acessíveis para compra de um imóvel no Distrito Federal:

Mais caros (m²) Valorização em 12 meses
Brasília R$ 8.118,00 3%
Cruzeiro R$ 6.431,00 -3,3%
Guará R$ 5.192,00 -3,4%
Mais baratos (m²) Valorização em 12 meses
Santa Maria R$ 2.909,00 -7,6%
Vicente Pires R$ 2.880,00 -1,9%
Sobradinho R$ 2.779,00 -3%

No quesito locação, Brasília também é destaque absoluto. O aluguel na região é o dobro do preço do cobrado nas cidades do entorno. O preço médio mensal, apurado em março de 2019, foi de R$ 2.325,00, 0,8% mais caro que em fevereiro de 2019. A variação positiva acumulada nos últimos 12 meses foi de 2,7%.

Entre as regiões, Noroeste (R$ 2.902,00), Asa Sul (R$ 2.617,00) e Sudoeste (R$ 2.250,00) foram as que registraram os preços para locação mais onerosos no último mês.

Veja agora as cidades mais caras e as mais acessíveis para alugar um imóvel no DF:

 

Mais caros (mensal) Valorização em 12 meses
Brasília R$ 2.325,00 2,7%
Águas Claras R$ 1.325,00 5%
Guará R$ 1.096,00 -11,7%
Mais baratos (mensal) Valorização em 12 meses
Riacho Fundo R$ 926,00 6%
Núcleo Bandeirante R$ 835,00 -0,9%
Santa Maria R$ 785,00 -3,5%

Com 6,2% de rentabilidade anual (índice que mede o potencial de investimento imobiliário de uma região), Brasília, a quarta colocada neste indicador no Distrito Federal, ainda se mantém a frente de algumas das principais metrópoles brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

Para quem deseja investir, compare as rentabilidades de algumas cidades do Distrito Federal:

Mais rentáveis % Tendência em 12 meses
Sobradinho 7% Queda
Vicente Pires 7% Alta
Núcleo Bandeirante 6,5% Alta
Menos rentáveis % Tendência em 12 meses
Santa Maria 5% Alta
Samambaia 4,4% Queda
Guará 4,2% Queda

“Na esteira da retomada da economia, o setor imobiliário já vem dando sinais de aquecimento em todo o País. Em Brasília, o cenário é bastante promissor. A capital federal, que é palco das decisões políticas e econômicas mais importantes do País, está em alta, com boa valorização dos imóveis, tanto para locação quanto para venda. A rentabilidade também está em tendência de alta, portanto, um ótimo momento para investir na região”, destaca o CEO do Wimoveis, Leonardo Paz.

Sobre Wimoveis

Fundado em 1998, o Wimoveis é o maior portal imobiliário do Distrito Federal. Em 2014, foi adquirido pelo Imovelweb, portal que faz parte do grupo argentino Navent, uma das dez maiores empresas de internet da América Latina. Em 2016, o Wimoveis passou por um processo de modernização. Atualmente, conta com mais de 2 milhões de visitas por mês e 56 milhões de pageviews gerados mensalmente.

 

Sobre Imovelweb

Com 20 anos de existência, o Imovelweb é um dos maiores portais do mercado imobiliário do Brasil. Referência em Real Estate, faz parte do grupo argentino Navent, uma das dez maiores empresas de internet da América Latina. Com cerca de 200 colaboradores no Brasil, é uma multinacional sólida, de capilaridade nacional e com a maior capacidade de investimento do mercado em plataforma digital. O Imovelweb se destaca em seu mercado por representar o consumidor em todas as suas necessidades e momentos de vida, oferecendo as melhores oportunidades de negócios do setor imobiliário no Brasil. Mais informações em www.imovelweb.com.br.


Nãotecidos.jpg

Ricardo Callado06/05/20196min

OUTLOOK™ Plus 2019 vai reunir especialistas e apresentar os mais recentes desenvolvimentos do mercado de higiene, cuidados pessoais, médico e filtração

Começa nesta terça-feira (7) e vai até quinta-feira (9) a 3a edição da conferência OUTLOOK™ Plus Latin America, principal encontro do setor de Nãotecidos e Tecidos Técnicos da América Latina. O evento vai reunir os mais recentes produtos e tecnologias para o segmento de higiene, cuidados pessoais, médico e filtração.

Organizado pela Association of the Nonwovens Fabrics Industry (INDA) e European Disposables and Nonwovens Association (EDANA), associações que representam as indústrias americana e europeia de nãotecidos e têxteis técnicos, com apoio da Associação Brasileira da Indústria de Nãotecidos e Tecidos Técnicos (ABINT), o evento contará com 300 profissionais e especialistas com o intuito de analisar as perspectivas econômicas, estatísticas de mercado e os mais recentes produtos e tendências para o setor.

A cerimônia de abertura contará com palestras dos consultores Welber Barral, sócio gerente da Barral M Jorge Consultores sobre “A Perspectiva da Economia Brasileira” e Rafael Pellegrini, analista de pesquisa da Euromonitor International  para falar das “Tendências e Oportunidades no Mercado da Higiene Descartável”. Além disso, o congresso apresentará conteúdos sobre design, produtos e desafios, novas tecnologias, filtração, economia circular e sustentabilidade.

Segundo o presidente da ABINT, Carlos Eduardo Benatto, o segmento de Nãotecido vem se consolidado ano a ano e o papel da entidade é fortalecer a relevância desses produtos no desenvolvimento de importantes setores da economia, além de promover a cadeia produtiva do setor. “A participação em eventos como esse evidenciam as vantagens competitivas dos Nãotecidos, mostrando a importância desse setor para o desenvolvimento econômico do país”, afirma Benatto.

Segundo a ABINT, em 2018, o consumo de Nãotecidos atingiu a marca de 324 mil toneladas e movimentou cerca de US$ 1,1 bilhão no mercado doméstico. O Brasil produziu 312,7 mil toneladas e importou 52,6 mil toneladas. As exportações atingiram 41,1 mil toneladas.

As informações sobre o conteúdo, valores e como participar podem ser obtidas na ABINT, pelos e-mails abint@abint.org.br ou contato@abint.org.br, ou pelos telefones (11) 3032.3015 ou 3823.6087.

Serviço: OUTLOOK™ Plus Latin America

Quando: de 7 a 9 de maio de 2019

Horário: das 8h30 às 117H30 – Sujeito a alteração de acordo com a programação.

Local: Sheraton WTC Hotel – Av. das Nações Unidas, 12559 – Brooklin Novo, São Paulo

 

Sobre a ABINT: Fundada em 1991, a Associação Brasileira das Indústrias de Nãotecidos e Tecidos Técnicos tem como objetivo representar, difundir e defender os interesses da indústria brasileira de Nãotecidos e Tecidos Técnicos, promovendo e apoiando o seu desenvolvimento e o crescimento do mercado de aplicações desses produtos, que são fundamentais a diversos e importantes setores da economia do país.  

Sobre a EDANA: A EDANA,  associação europeia que atende mais de 250 empresas das indústrias de nãotecidos e relacionadas está presente em  mais de 50 países. A sua missão é criar as bases para um crescimento sustentável das indústrias relacionadas através da promoção ativa, da educação e do diálogo. 

Sobre a INDA: INDA, a Associação Americana da Indústria de NãoTecidos, atende centenas de empresas-membro na indústria de nãotecidos com projeção global. Desde 1968, eventos da INDA ajudaram seus membros a se conectar, aprender, inovar e desenvolver seus negócios. Cursos de formação de INDA, dados de mercado, métodos de ensaio, consultoria e representação de questões ajudam os Membros a obter sucesso, fornecendo-lhes as informações de que eles precisam para planejar e executar da melhor maneira as suas estratégias de negócios.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias