Categoria: Economia

paulo-ocatvio.jpg

Callado29 de janeiro de 20205min

Para Paulo Octávio, Brasília não pode continuar sendo uma cidade limitada e o setor produtivo é a saída para o combate ao desemprego e a política econômica do Governo Ibaneis enche de grandes expectativas os empresários

|Por Toni Duarte||RADAR-DF

O empresário Paulo Octávio, presidente do LIDE Brasília, grupo empresarial que reúne diversos setores com o objetivo de fortalecer a livre iniciativa do desenvolvimento econômico e social afirmou ao Radar-DF, que a interlocução que o governo Ibaneis faz hoje, com atenção as entidades de classe do DF, ajuda a diminuir uma das piores chagas sociais que é o desemprego.

Segundo Paulo Octávio, nos últimos  dez anos muitas empresas brasilienses sucumbiram com as dificuldades impostas pela crise econômica, mas que começam a emergirem com o anúncio de um Refis que vai colocar muitas empresas hoje inadimplentes em situação regular.

“O governo precisa acreditar mais  no setor produtivo. A única forma que nós temos hoje para gerar empregos. É  através de incentivos para que novas empresas apareçam em Brasília e não percam suas forças.

O empresário brasiliense afirmou que os governos chegaram à exaustão e perderam a capacidade de empregar mais pessoas. Paulo Octávio apontou que Brasília conta com uma indústria muito acanhada e que o setor de serviços e comércio tem sido o carro-chefe da economia.

“Existe perspectiva de crescimento do setor industrial? Isso existe. Nós temos que acreditar nesse segmento. Não podemos continuar pensando apenas na Brasília Tombada que não pode ter indústrias. O Plano Piloto não pode, mas no resto do DF as empresas de grande porte podem se instalar”, apontou.

Ele disse que cidades como Taguatinga, Ceilândia, Planaltina e Brazlândia, as quais possuem um setor produtivo atuante, podem se desenvolverem economicamente e se tonarem grandes geradoras de empregos e renda.

“Temos que criar essa cultura de desenvolvimento em todas as cidades do DF. Eu sou totalmente favorável que as cidades do DF tenham as suas áreas de desenvolvimento econômico para que possam empregar a mão de obra local”.

Cerca de 90% dos empregos gerados no DF estão concentrados na região central do Plano Piloto. Para Paulo Octávio isso não é positivo para o fortalecimento do DF.

“O DF tem hoje 33 regiões administrativas, e cada região é uma pequena cidade brasileira. As Regiões Administrativas não possuem autonomia política, mas poderiam ter uma maior autonomia econômica e financeira, desde que possam ter empresas que possam ali gerar impostos, gerar empregos, gerar renda e diminuir a chaga social que essas cidades enfrentam”.

Por fim, Paulo Octávio destacou ainda que o governador Ibaneis mostrou no seu primeiro ano de governo toda a sua capacidade de gestor para tirar Brasília do caos e que as melhorias  são sentidas pela sociedade.

O líder empresarial apontou que vários setores econômicos do DF registraram crescimento com destaques para a Construção Civil, que faz parte do ramo industrial e teve alta de 0,8% no período, o melhor resultado desde junho de 2013.

“Em 2019, a economia do Distrito Federal cresceu acima da média nacional, mas podemos crescer ainda mais. Por isso que é importante essa conexão entre Estado e setor produtivo na valorização dos nossos jovens e no incentivo aos pequenos empresários, para que eles possam crescer e desenvolver seus negócios”, sustentou Paulo Octávio.


brb.jpg

Callado29 de janeiro de 20203min

Acordo faz parte da estratégia de expansão nacional do Banco

Em linha com seu projeto de expansão nacional e fortalecimento da Instituição como Banco de desenvolvimento econômico e social, o BRB assina hoje (29) acordo de cooperação com a Fecomercio do Piauí. A parceria prevê uma maior proximidade do Banco de Brasília com as empresas dos setores de comércio, serviços e turismo do Estado. Além de condições especiais, na oferta de produtos e serviços financeiros, o BRB vai abrir um escritório de negócios, que vai funcionar na Sede da Fecomercio, em Parnaíba.

Desde setembro, o BRB tem firmado parcerias com diversos setores econômicos como parte de sua estratégia de expansão nacional. A ênfase tem sido as regiões do Centro-Oeste e do Nordeste. Acordo semelhante ao que será assinado nesta quarta-feira já foi estabelecido com a Confederação Nacional do Comércio (CNC).

“O ano de 2020 será marcado por nossa expansão através de importantes parcerias, e com o lançamento, nos próximos meses, do nosso Banco Digital. Nosso posicionamento é todo no sentido de transformar o BRB em um banco de fomento, de desenvolvimento econômico e social, com o objetivo de gerar emprego e renda e, de fato, fazer diferença na vida das pessoas”, afirma o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

O escritório de negócios em Parnaíba terá como foco inicial a prospecção de novos clientes e parceria com os setores público e privado, além da preparação para futura instalação de uma agência na região.

Atualmente, o BRB está presente no DF e nos Estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. Além do Piauí, o Banco tem prospectado a abertura de postos de atendimento em Rondônia, Tocantins, Maranhão e Sergipe.


real-dinheiro.jpg

Callado27 de janeiro de 20203min

Por Andreia Verdélio

As instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) reduziram a estimativa para a inflação este ano. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país – caiu de 3,56% para 3,47%. A informação consta no boletim Focus, pesquisa semanal do BC, que traz as projeções de instituições para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação se mantém em 3,75%. A previsão para os anos seguintes também não teve alterações: 3,50% em 2022 e 2023.

A projeção para 2020 está abaixo do centro da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Selic

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente definida em 4,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

De acordo com o boletim, a Selic deve cair para 4,25% ao ano até o fim de 2020. Quando o Copom reduz a Selic, como espera o mercado financeiro, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já a manutenção da Selic indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Para 2021, a expectativa é que a taxa básica suba para 6,25%. Para 2022 e 2023, as instituições estimam que a Selic termine os períodos em 6,5% ao ano.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – se mantém em 2,31% para 2020. As estimativas das instituições financeiras para os anos seguintes, 2021, 2022 e 2023 também continuam em 2,50%.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar está em R$ 4,10 para o fim deste ano e R$ 4,00 para 2021.


comercio-shoppinh.jpg

Callado26 de janeiro de 20203min

Prazo é válido para novas empresas ou para quem foi excluído em 2019

O prazo para que os micro e pequenos empreendedores que foram excluídos do sistema de tributação Simples Nacional – regime que agrega em uma só tarifa impostos federais, estaduais e previdenciários – têm até o dia 31 de janeiro, sexta-feira, para regularizar pendências e aderir novamente ao modelo de tributação.

Para retornar ao sistema, empreendedores não podem ter débito com a Receita Federal ou a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. O prazo também se aplica aos empresários interessados em aderir ao regime pela primeira vez. Se o contribuinte tiver o pedido de reinclusão no Simples aprovado, a empresa será readmitida no regime com data retroativa a 1º de janeiro.

Para empresas em início de atividade, o prazo para a solicitação é de 30 dias contados do último deferimento de inscrição municipal ou estadual, e desde que não tenham decorridos 180 dias da data de abertura do Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ ). Para empresas abertas a partir de 1º de janeiro de 2020, o prazo de adesão é de 60 dias. Todo o processo de adesão é feito exclusivamente pela internet, por meio do Portal do Simples Nacional.

O Simples agrega oito tributos de uma única vez, o que reduz os custos tributários e diminui a burocracia para a manutenção dos negócios. O devedor tem a opção de realizar o pagamento à vista, abater parte da dívida com créditos tributários ou parcelar os débitos em até cinco anos com o pagamento de juros e multa.

Segundo informações da Receita Federal, as principais irregularidades que levam à exclusão do Simples são a falta de documentos, excesso de faturamento, débitos tributários, parcelamentos pendentes ou o exercício pela empresa de atividades não incluídas nesse regime de tributação.


Hélio-Magalhães_CEO-Fórum-2019_Amcham-Brasília_Foto_Gabriel-Souto-1280x848.jpg

Callado24 de janeiro de 20205min
Hélio Magalhães, CEO Fórum 2019 Amcham Brasília (Foto Gabriel Souto)

Em 2020, os TRANSFORMADORES será a temática nacional da Amcham

Com números expressivos alcançados em 2019 e metas ainda maiores para 2020, a Câmara Americana de Comércio, a Amcham Brasília, comemora, este ano, duas décadas de atuação na capital federal. Novidades como a criação do aplicativo Amcham Brasil, mudança de endereço e ampliação da atuação da entidade em Brasília, além do crescimento no número de empresas associadas, marcam o ano que passou e criam grandes e novas expectativas para o ano que se inicia.

Em 2019, as atividades promovidas pela regional alcançaram alguns números que merecem destaque. Foram mais de 80 encontros com temáticas relevantes como diversidade, política, inovação, futuro e recursos humanos, que contaram com mais de 90 palestrantes e especialistas convidados. Além disso, houve a associação de mais de 80 novas empresas e participação de mais de 4 mil executivos nas atividades da Amcham na capital do país.

“Temos a missão de sermos o retrato do mercado privado. Por isso, alinhar conteúdos de ponta e criar uma rede de relacionamento benéfica para os empresários locais são os nossos grandes objetivos. Assim como o mercado, a Amcham Brasília se reinventou diversas vezes ao longo destes 20 anos e assim será nos próximos 20”, esclarece a Coordenadora Regional da Amcham Brasília, Patrícia Amorim.

Os Transformadores

Após trabalhar a temática “Legado e Inovação” através de eventos que trouxeram modelos de sucesso, novas práticas no mercado empresarial e a vivência de especialistas em diversas áreas, com anos de mercado, em 2020, os Transformadores ganham ênfase. São eles, muitas vezes, os responsáveis em promover o avanço do coletivo. Os transformadores costumam ter um perfil corajoso, original e inteligente.

“Concluímos que o Legado e a Inovação são executados por profissionais com perfil transformador. E nada mais justo que focar nestes transformadores e líderes como tema para este ano”, esclarece a coordenadora.

Comemoração dos 20 anos

Em 2019, a Amcham Brasil comemorou 100 anos de atuação no país. Em 2020, as comemorações na sede de Brasília continuam, este ano a instituição completa duas décadas de atuação na capital do país, feito que exige uma programação à altura.

“ Teremos um ano com a Amcham pronta para ser o meio de proximidade e interlocução, não só com o mercado privado, mas também com setores estratégicos do governo. Somos pautados pelas próprias demandas do mercado e queremos estar cada vez mais próximos do dia a dia destes empresários”, afirma Patrícia.

Confira alguns dos eventos de destaque no calendário de 2020:

  • Fevereiro – Plano de Voo – Perspectivas Políticas e Econômicas para 2020 com a presença do comentarista de política e economia, Valdo Cruz.
  • Abril – DF 2030 – em comemoração ao aniversário de Brasília.
  • Junho – CEO Fórum – A Liderança ágil.
  • Agosto CEO Dinner – Jantar em comemoração aos 20 anos da regional.
  • 2ª edição do Amcham Arena – competição de startups.

VOOZ-184_Reduzido.png

Callado22 de janeiro de 20205min

O Sicoobcard Vooz possui fatura digital, limite mínimo de R$ 1000 e muitas outras facilidades

Com o objetivo de expandir os negócios e atender a demanda de mercado, o Sicoob investe em produtos para a faixa etária entre 18 e 35 anos. A novidade no segmento é o Sicoobcard Vooz, cartão da categoria Gold Internacional com as opções de bandeira Mastercard e, em breve, Visa.

O Vooz segue o perfil da juventude, com agilidade na emissão e fatura digital, por meio dos aplicativos Sicoobcard e Sicoob. Ao abrir a conta, o cliente pode receber o cartão na hora, com as funções débito e crédito com limite mínimo de R$ 1000.

“O Vooz não é só um plástico facilitador de compras, é um cartão que enfatiza a voz do cooperativismo, onde a satisfação principal não é só ter e sim SER: ser ouvido, ser transparente, ser parte de algo maior.  É um cartão de atitude. Atitude de fazer a voz do cooperativismo ecoar mais forte. Atitude de pertencer ao Sicoob e de dizer em alto som que aqui todos são donos, participam das decisões e fazem a diferença”, afirma Marcos Chaves Carvalho, Superintendente de Cartões do Bancoob.

O Sicoobcard Vooz permite pagamentos por aproximação, oferece anuidade zero – desde que seja realizada ao menos uma compra, de qualquer valor no crédito ao mês – e taxas de juros mais justas.

Para adquirir o Vooz, basta abrir uma conta em uma das agências do Sicoob ou por meio do aplicativo para celular Faça Parte, incluindo no código de indicação a hashtag #conexaosicoob.

Sobre o Sicoob – O Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil, Sicoob, possui 4,6 milhões de cooperados em todo o país e está presente em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal. É composto por mais de 420 cooperativas singulares, 16 cooperativas centrais e a Confederação Nacional das Cooperativas do Sicoob (Sicoob Confederação). Integram, ainda, o Sistema, o Banco Cooperativo do Brasil do Brasil (Bancoob) e suas subsidiárias (empresas/entidades de: meios eletrônicos de pagamento, consórcios, DTVM, seguradora e previdência) provedoras de produtos e serviços especializados para cooperativas financeiras. A rede Sicoob é a quinta maior entre as instituições financeiras que atuam no país, com mais de 3,1 mil pontos de atendimento. As cooperativas integrantes do Sistema oferecem aos cooperados serviços de conta corrente, crédito, investimento, cartões, previdência, consórcio, seguros, cobrança bancária, adquirência de meios eletrônicos de pagamento, dentre outras soluções financeiras. Mais informações acesse: www.sicoob.com.br.


ceasa.jpeg

Callado22 de janeiro de 20202min

Ideia é facilitar o acesso aos produtos e serviços que o banco oferece e com condições diferenciadas, como descontos na tabela de tarifas de Pessoa Jurídica

O Banco de Brasília (BRB)  firmou uma parceria com as centrais de abastecimento do Distrito Federal (Ceasa) para facilitar o acesso de produtores rurais a produtos e serviços bancários. O termo de cooperação foi assinado em novembro, mas esta semana começou o processo de divulgação das linhas de crédito perante os produtores rurais já cadastrados na central de abastecimento.

“O banco atua para se posicionar como o principal agente financiador da atividade agropecuária do Distrito Federal e regiões de influência. A parceria com a Ceasa é fundamental nesse processo”, afirmou o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa. O acordo prevê ao banco acesso aos dados cadastrais de mais de 680 produtores rurais do DF e região.


Série de linhas e operações do BRB à disposição dos produtores rurais 

– Remuneração no percentual de 95% (noventa e cinco por cento) do Certificado de Depósito Interbancário (CDI) nas aplicações financeiras realizadas em Certificado de Depósito Bancário(CDB)

– Desconto de 58,82% sobre o valor da tabela de tarifas de Pessoa Jurídica

– Atendimento especializado aos clientes para sanar dúvidas sobre abertura de conta corrente, linhas de crédito, acolhimento de projetos e condução de operações de crédito rural ao produtores que atuam nas dependências da Ceasa;

– Disponibilização de espaço do BRB dentro da Ceasa para o atendimento ao produtor rural (Plataforma do Agronegócio)


brb-2.jpg

Callado22 de janeiro de 20203min

Acreditar oferecerá até R$ 15 milhões, que beneficiarão 10 mil famílias. As taxas são baixas, com condições especiais, e a contratação será ágil

Para apoiar o microempreendedor, reduzir barreiras no acesso ao crédito e alavancar o desenvolvimento no Distrito Federal, o Banco de Brasília lança nesta quarta-feira (22) o Acreditar, programa de Microcrédito Produtivo Orientado (MPO).

O produto nasce com a menor taxa do mercado, condições especiais e contratação ágil e digital. O Banco vai disponibilizar até R$ 15 milhões para o programa, que pretende beneficiar aproximadamente 10 mil famílias.

Por meio de um APP, o Acreditar – disponível nas lojas IOS e Android -, empreendedores (pessoas físicas e jurídicas, em especial os que estão à margem do sistema financeiro tradicional) podem ter acesso ao plano.

As taxas serão a partir de 1,85% ao mês e prazo de 24 meses para pagamento. O crédito ofertado vai variar entre R$ 300 a R$ 15 mil reais.

“Como banco público, temos o compromisso de transformar a vida das pessoas, de ser protagonista do desenvolvimento econômico social e humano no Distrito Federal. O Acreditar é mais um importante passo para poder fazer a diferença na vida dos brasilienses”, afirma o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Ele explica que a entidade financeira procurou formatar um produto digital e ágil, reduzindo a burocracia e o prazo de contratação. “A ideia é que o cliente só vá a agência uma única vez, para assinar o contrato. O pré-castrado, a simulação do crédito, as condições e o envio das informações e documentos estarão disponíveis por meio do aplicativo”, acrescenta Paulo Henrique Costa. O prazo para a liberação do crédito é de sete dias.

Na busca para atrair os microempreendedores, agentes de crédito também vão realizar visitas à comunidade para identificar empreendimentos que possam fazer parte do Acreditar. O projeto vai contar com parceria das secretarias da Mulher, da Agricultura, de Juventude, de Trabalho e Emater.

Para solicitar adesão ao Acreditar é preciso ser maior de idade, ter pelo menos seis meses na atividade produtiva e faturamento anual de até R$ 200 mil, entre outras condições.


aluguel.jpg

Callado21 de janeiro de 20202min

Índice é inferior aos 2,06% observados em dezembro de 2019

Por Vitor Abdala

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou inflação de 0,57% na segunda prévia de janeiro deste ano. A taxa é inferior aos 2,06% observados em dezembro de 2019, segundo dados divulgados hoje (21) pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com o resultado da segunda prévia de janeiro, o IGP-M acumula taxa inflação de 7,91% em 12 meses.

Segundo a FGV,  a queda da taxa de dezembro para janeiro foi puxada pelos preços no atacado e no varejo. A inflação do Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, recuou de 2,85% na segunda prévia de dezembro para 0,67% na segunda prévia de janeiro.

A inflação do Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, caiu de 0,74% em dezembro para 0,45% em janeiro.

Por outro lado, o Índice Nacional de Custo da Construção teve taxa de inflação de 0,17% na segunda prévia de janeiro, taxa superior à registrada no mesmo período em dezembro, quando não houve variação de preços.


Janine-Brito-Crédito-Ed-Bittencourt.jpg

Callado21 de janeiro de 20203min
Empresária Janine Brito (Foto Ed Bittencourt)

Por Janine Brito

2020 é o ano do sexagésimo aniversário do “quadradinho”, como é carinhosamente chamada Brasília pelos brasilienses e candangos que vivem por aqui. Rente à Brasília, outra aniversariante irá celebrar seus sessenta anos este ano: a empresa pioneira Pinheiro Ferragens, que colaborou com o fornecimento de materiais para a construção da cidade. Afinal de contas, completam-se seis décadas de uma história que se confunde com a de Brasília.

A convite do ex-presidente Juscelino Kubistchek, o maranhense Getúlio Pinheiro de Brito decidiu se aventurar em terras candangas, apostando todas as suas fichas na cidade que ainda era um canteiro de obras. Audacioso, eu diria. Mas ora, Brasília era uma cidade que precisava de pessoas corajosas para despontar. E uma das estratégias que fez a cidade crescer, foi investir dinheiro e vencer crises econômicas para continuar a todo vapor.  Portanto, se fizermos um paralelo com o cenário atual, vamos ver que a luta é constante.

Para a família Brito, não há dúvidas de que seu Getúlio é um empreendedor nato, e isso foi passado para os filhos. Eu que o diga! Foi muito trabalho duro e a fé que lhe permitiram abrir um negócio próprio, transformando-o, inclusive, em um grande empresário do setor do fornecimento de ferragens em geral. Não passa um dia sem que eu admire e sinta grande orgulho do empreendedor, idealizador, sonhador e sobretudo o pai, que construiu um verdadeiro império de aço para consagrar seu nome e o de sua família nos alicerces do Distrito Federal.

Não é à toa que estamos organizando uma série de ações para comemorar, junto aos clientes e o público em geral, os sessenta anos da empresa que ajudou a levantar Brasília. Se queremos relembrar o início dessa linda história, nada mais coerente que conta-la o ano todo. Me sinto muito feliz por ser parte dessa memória e lisonjeada ao ver que algo, que começou com o fornecimento de matéria-prima para a execução das obras do Eldorado de Juscelino Kubitscheck, se tornou um grande legado. Que comecem os preparativos!

Diretora-executiva da Pinheiro Ferragens * 



Sobre o Blog

Com 15 de existência, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


ricardocallado@gmail.com

55 61 98417 3487


Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial