Bistro-14-10-2018-Foto.-Davi-Mello-3-1.jpg

Ricardo Callado26/10/20192min
Foto. Davi Mello

A peça “Bistrô” poderá ser assistida todas as terças-feiras do mês, a partir das 20h

Com a proposta de unir arte e gastronomia o Bem Te Vi Restaurante recebe o espetáculo teatral “Bistrô”. As apresentações ocorrem durante todo o mês de novembro, sempre às terças-feiras, a partir das 20h. Os ingressos custam R$ 15 (quinze reais) por pessoa (valores referentes à meia entrada).

A peça, elaborada para ser apresentada em espaços não-convencionais, conta a história do candango Frederico, que procura sentido para sua vida. O espetáculo é ambientado em um café em Brasília, onde Frederico se encontra com Salvador Dalí, Frida Khalo, Clarice Lispector e Tom Jobim. Na trama, ele discute com os colegas seus desejos, dúvidas e sonhos e quais caminhos deve seguir.

Serviço – Bistrô

05, 12, 19 e 26 de novembro

Horário: 20h

Valor: R$ 15 ( meia entrada)

Classificação Indicativa: 14 anos

Bem te Vi Restaurante
Funcionamento: segunda-feira das 11h30 às 15h30; de terça a domingo das 9h às 22h
Endereço: 408 Sul, bloco A, loja 5
Telefone: 3244-6353


Crédito-Urban-Distribution.png

Ricardo Callado23/10/20197min

Aberta a clientes e interessados em cinema, a ação ocorrerá na área de eventos do espaço, instalada no segundo piso do bistrô. No dia 6 de novembro será a vez do longa-metragem “Glory”

Na primeira quarta-feira de novembro (6/11), o Espaço com Cavaná (CRNW 510) dará início ao “Cine Cavaná”, projeto cultural da casa, cujo intuito é oferecer um ambiente intimista para a promoção do diálogo acerca de temas abordados em filmes dos mais variados estilos, sempre com uma pegada profunda e reflexiva.

De acordo com Enilce Versiani, proprietária do espaço, Cavaná significa intenção consciente. “O nome do projeto, portanto, carrega o desejo de trazer à baila temas cotidianos que são importantes para o nosso dia a dia”, afirma a empresária.

O filme de estreia do projeto é “Glory”, de Kristina Grozeva e Petar Valchanov, que depois de exibido, será tema de discussão com o público, sob a intermediação da jornalista Simone Rodrigues.

“Conversaremos, de forma breve, sobre como a crítica avaliou a obra – indicada pela Bulgária ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro – e também sobre o filme anterior da dupla ‘A Lição’”, explica Rodrigues. O encontro está marcado para as 19h e possui vagas gratuitas e limitadas. Portanto, os interessados em participar deverão chegar com antecedência, de pelo menos vinte minutos, na casa para garantir o seu lugar.

O longa venceu mais de 30 prêmios internacionais, entre eles o troféu Don Quixote no Festival de Locarno (Suíça), sendo este o segundo de uma trilogia com filmes inspirados em notícias de jornal – iniciada com o também premiado “A Lição” (2014).

A estória do filme gira em torno da vida de Petrov, um humilde trabalhador ferroviário, que encontra milhões em dinheiro nos trilhos do trem. O homem, por sua vez, decide entregar toda a quantia para a polícia. Como recompensa, ganha um relógio de pulso que, posteriormente, deixa de funcionar. O problema é que Julia Staikova, chefe do departamento de relações públicas do Ministério dos Transportes, perdeu o antigo relógio de Petrov, fazendo com que ele inicie uma busca desenfreada pelo objeto.

Sobre a direção – Kristina Grozeva e Petar Valchanov são búlgaros e se formaram na Escola Nacional de Cinema de Sófia. Depois de terem vários curtas-metragens selecionados para os festivais de Clermont-Ferrand, Busan e Bruxelas, eles tiveram um deles, “Jump”, entre os cinco curtas indicados ao European Film Awards, em 2013.

Juntos, ainda realizaram um média-metragem para a TV, “Forced Landing” (2010). “A Lição” (2014), também lançado no Brasil pela Pandora Filmes, foi o primeiro longa escrito e dirigido pelos dois. Com ele a dupla recebeu diversos prêmios como o de Novos Diretores do 65º Festival Internacional de Cinema de San Sebastián. “Glory” é o segundo filme ficcional dos diretores.

SERVIÇO:

O que: Cine Cavaná

Quando: Quarta-feira (6/11), às 19h

Onde: CRNW 510 Bloco B Lote 2 Loja 9 – Noroeste, Brasília-DF

Quanto: Gratuito

Informações:  (61) 99646-7242

 

Sobre o Espaço com Cavaná – De origem hebraica, Cavaná significa intenção consciente, foco do coração. É a intenção amorosa e dedicada que injetamos em todos os nossos atos, desde uma gastronomia saudável e afetiva até palestras sobre espiritualidade. Tudo pode ser realizado com Cavaná.

Criar um ambiente cuja intenção fosse proporcionar o autoconhecimento e a conexão entre corpo e mente passou a ser o sonho de Enilce Versiani, após abrir as portas de sua casa, nos últimos quatro anos, para realização de palestras e atividades voltadas para a sabedoria milenar da Cabalá. Surgiu então o Espaço com Cavaná – Café e Bistrô, um local acolhedor, uma casa para compartilhar, ideal para prática de meditação, Theta Healing e Constelação Familiar; e para a realização de palestras com temas holísticos, debates sobre filmes e afins. Além disso, é possível desfrutar de uma gastronomia saudável e afetiva.

SERVIÇO:

ESPAÇO COM CAVANÁ

Endereço: CRNW 510 Bloco B Lote 2 Loja 9 – Noroeste, Brasília-DF

Telefone: (61) 99646-7242

Funcionamento: De terça a quinta, das 16h às 22h; sexta, das 16h às 23h; e sábados e domingos, das 9h às 16h.


pessoas-conectadas.jpg

Ricardo Callado23/10/20193min

O que para alguns é apenas brincadeira, há casos que podem levar até um ano de prisão

Sabe-se que as redes sociais vieram para aproximar as pessoas, inclusive para fazer novas amizades. Entretanto, casos de perfis falsos, também conhecidos como fakes, têm sido cada vez mais recorrentes para bisbilhotar anonimamente, se passar por outra pessoa e até mesmo difamar. Porém, muitos internautas não sabem que utilizar imagens e dados de terceiros pode levar à prisão por falsidade ideológica.

De acordo com a especialista em direito penal Hanna Gomes, do escritório Kolbe Advogados Associados,  criar uma conta com fotos que estão em domínio público ou de pessoas que não existam não é tipificado em lei. “Nesse caso esta prática não é considerada um crime, pois o internauta apenas está infringindo alguma regra dos termos de serviço da rede social”, explica a especialista.

Porém, quando se utiliza imagens, dados, nomes de pessoas reais, sejam de famosos ou não, é crime de falsidade ideológica e está previsto no artigo 307 Código Penal. “Um indivíduo que se passa por outro, mesmo que na internet, pode pegar de 3 meses a 1 ano pela falsa identidade”, diz a advogada.

Hanna afirma também que anonimato é proibido pela Constituição Federal. “Mesmo que o perfil seja de uma pessoa fictícia, o internauta viola uma norma constitucional”, ressalta. Além disso, a maioria dos usuários acham que estão “protegidos” por estarem atrás das telas, porém, atualmente, a polícia já possui ferramentas que possibilitam a identificação, principalmente em casos de crimes cibernéticos.

A advogada complementa que as pessoas que tiveram os dados utilizados no perfil fake, em caso comprovado de prejuízo à imagem ou honra, pode entrar na justiça e pedir danos morais.


eu-amo-brasilia.jpg

Ricardo Callado23/10/20197min

Por Letycia Bond

O Serviço Social do Comércio no Distrito Federal (Sesc-DF) recebe até 8 de novembro inscrições para as oficinas do 1º Festival Afirmativo de Dança. Realizado em parceria com a Fundação Cultural Palmares, o evento será de 18 a 23 de novembro e tem como tema “O corpo negro em movimento”.

A oficina de Dança Contemporânea será ministrada pelo bailarino Rodrigo Leopolldo, do Balé Teatro Guaíra, e a de Passinho, por Marcelly Mello, conhecida no mundo do funk como “Celly IDD” (IDD é uma sigla que remete a “Imperatriz da Dança”). A seleção compreende entrevista por escrito e apresentação em vídeo.

“O passinho é escancaradamente contemporâneo, porque nasce nos anos 2000. É o mais contemporâneo possível. É uma linguagem brasileira, 100% nossa. Sofre uma criminalização, como o samba sofreu em seu momento, e a capoeira, em seu momento, que não coincidentemente foram difundidos pelo movimento negro e são de origem periférica. A gente sabe, então, que o ataque é ao coletivo. Não se pode permitir que [o passinho] seja abatido em decolagem”, disse a idealizadora do festival e técnica de cultura do Sesc-DF, Aryane Sánchez.

Ela destaca que o tema da edição se justifica pela premência de se deslocar o negro da posição de subalternidade a que tem sido historicamente submetido. Essa subjugação, afirma Aryane, afasta os artistas de sua ancestralidade, tendo também ressoado nas escolas de dança.

“É a temática mais urgente para um país de maioria negra e um dos maiores países negros fora da África. A nossa educação em dança ainda é muito colonial, embranquecida, eurocêntrica”, diz.

“Nesse festival, presenciando esses talentos, essas linguagens, não vai haver dúvida de que descendemos de reis e rainhas, de onde a gente vem, de onde vêm esses corpos. Tem uma frase que diz: Viemos de longe. Éramos reis e rainhas até essa interrupção, esse sequestro. Essa mancha que a gente ainda vive no dia a dia ainda impacta a liberdade criativa, mas também a propriedade intelectual como um todo. Por isso, é a questão mais urgente”, acrescentou.

Segundo Aryane, outro cerceamento que persiste nos dias de hoje atinge dançarinos homens. O motivo, disse, é o fato de que parte da sociedade ainda rejeita modelos de masculinidade não heteronormativos, que permitem que o homem expresse sua sensibilidade livremente. O assunto será discutido no painel “Dança, Masculinidades e Negritude”, marcado para 18 de novembro.

“Muitas vezes o homem vai manifestar talento, ver algo que vai inspirá-lo, mas, na hora de expressar esse desejo para a família, não vai ser acolhido. Quando ele entra na dança é muito comum que ofereçam bolsas, formas de reter esse homem. Temos que dar a mão para o homem que quer dançar”, afirma.

Confira a programação completa do festival:

De 18 a 23 de Novembro de 2019

Sesc Setor Comercial Sul Quadra 02, Bloco C. Edifício Presidente Dutra. Atrás da estação de metrô Galeria.

Classificação indicativa: livre

Entrada gratuita

Mais informações: 61 3319 4414

18 a 23 de novembro, das 10 às 12h – Sala de Dança. Oficina de Dança Contemporânea, com Rodrigo Leopolldo (SP). Seleção de bolsistas pelo e-mail teatrosescsilviobarbato@gmail.com, até o dia 8 de novembro

18 a 23 de novembro, das 14 às 16h – Sala de Dança. Oficina de Passinho, com Celly IDD (RJ). Seleção de bolsistas pelo e-mail teatrosescsilviobarbato@gmail.com, até o dia 8 de novembro

18 de novembro, às 19h – Teatro Sesc Silvio Barbato. Painel “Dança, Masculinidades e Negritude”, com Rodrigo Leopolldo (SP), Guiga Preto (DF) e MC Dextape (CE). Mediação: Vinícius Dias (RJ). Encerramento com apresentação solo do bailarino Rodrigo Leopolldo (SP)

19 de novembro, às 19h – Teatro Sesc Silvio Barbato. Painel “Pretas em Cena”, com Celly IDD (RJ), Calila das Mercês (BA), Tainá Cary e Lídia Dallet (DF). Mediação: Jô Gomes (DF). Encerramento com apresentação solo das bailarinas Jô Gomes e Celly IDD (RJ)

20 de novembro, às 18h – Área Externa do Sesc SCS. Slam das 6 –  Edição Excelência Negra, com MC Dextape (CE), Rodrigo Leopolldo (SP), Celly IDD (RJ), Lídia Dallet, Cleudes Pessoa, Debrete, Haynna Jaciara e convidados.

21 de novembro, às 19h – Teatro Sesc Silvio Barbato. Painel “O Olhar Negro por trás das lentes”, com Denise Camargo, Jéssi Barros, Profa. Edileuza Penha, Cleudes Pessoa e Marcus Azevedo. Mediação: Victor Hugo VH, com a exibição dos curtas  Negra Luz, Afronte e Mulheres de Barro, na presença de seus diretores.

22 de novembro, às 19h – Teatro Sesc Silvio Barbato. Mostra de Solos do 1° Festival Afirmativo de Dança, com Celly IDD & Rodrigo Leopolldo. Participações de Jô Gomes (Danças Afro), Graduada Coral (capoeira) e Petrônio Paixão (Charme – Grupo Pegada Black).

23 de novembro, das 15h às 17h – Sala de Dança. Aulão de Funk e Dança Contemporânea para crianças, com Celly IDD e Rodrigo Leopolldo. Inscrições gratuitas pelo e-mail: teatrosescsilviobarbato@gmail.com

23 de novembro, às 19h. Mostra Coreográfica do 1° Festival Afirmativo de Dança e entrega de certificados. Participação dos bailarinos Celly IDD e Rodrigo Leopolldo.


laveyou-Ana-Paula.jpg

Ricardo Callado23/10/20195min

Por Flávio Resende

Águas Claras acaba de ganhar um novo empreendimento com conceito inovador de lavagem de roupas, baseado nos sistemas self-service e pay-per-use (pague para usar). Instalada no Vitrinni Shopping, a novidade chama-se LaveYou e é dirigida pela empresária paulistana Ana Paula dos Santos, de 46 anos, que também é moradora da Região Administrativa. A ideia do negócio surgiu no momento em que Ana Paula observou que nada parecido era ofertado na região. “Pesquisamos bastante para chegarmos neste modelo de negócio”, explica. Com expectativa de ampliar os serviços prestados já no ano que vem, a LaveYou tem como público pessoas que não abrem mão de comodidade e conforto perto de casa e por um preço acessível. A entrevista a seguir, Ana Paula conta da experiência de ser empreendedora e de como surgiu a ideia de montar uma lavanderia com este formato:

Quando surgiu a LaveYou?

A lavanderia foi um presente do “alto”. Em abril deste ano, passei em frente a uma operação semelhante instalada no Sudoeste, que me chamou bastante a atenção. Fiz contato com o proprietário, que me tratou super bem e me explicou como funcionava este mercado. Dali em diante, mergulhei no universo das lavanderias e fui buscar entender o que meu público esperava de um fornecedor deste serviço. Depois de muita pesquisa, visitas técnicas, plano de negócio e busca de conhecimento, abri as portas no último dia 28 de setembro.

Qual o conceito do negócio?

A proposta da LaveYou é oferecer ao público praticidade, rapidez e baixo custo nos serviços de higienização de roupas do dia a dia, por meio do sistema self-service. Além disso, a lavanderia oferece um ambiente agradável, moderno e prático, onde o consumidor tem a chance de realizar atividades, como acessar a internet ou ver um filme, enquanto espera pela conclusão dos serviços. Até o ano que vem, a ideia é oferecer também o serviço de delivery, facilitando ainda mais a vida do cliente. Outro segmento atendido pela LaveYou é o empresarial, com a higienização de uniformes, toalhas (de restaurantes, de salão de beleza, de clínicas de estética, de clínicas odontológicas), cortinas, e demais itens de ambientes corporativos, como edredons, cortinas e redes.

  Como funciona, na prática, o serviço?

O cesto é um modelo único e utilizado como medida para lavar ou secar uma carga de roupa na máquina. Ele comporta aproximadamente 20 peças, mas o número de itens dependerá do volume e peso ocupado por cada peça de roupa, tornando-se uma opção mais econômica para a limpeza de roupas do dia a dia, como calças e camisas, mas também comporta a higienização de lençóis, por exemplo. Tudo isso por um valor fixo de R$ 30.

 Qual o perfil do público?

Nosso público varia entre 27 e 45 anos e consome muitas informações online. Em resumo, precisa de agilidade e praticidade por conta da carreira profissional.

 

Lavanderia LAVEYOU | Self-Service
 Rua 13 Norte, Loja 121, Vitrinni Shopping, Piso Boulevard (próximo ao estacionamento rotativo)

(61) 99807.1616

Email: lavanderialaveyou@gmail.com

Aberta todos os dias, inclusive feriados, até às 23h


banda-rock-beats-reproducao-facebook.jpg

Ricardo Callado22/10/20193min

Para esta segunda edição a festa será a fantasia  em um show repleto de participações especiais

A cantora Daniela Firme e a Banda Rock Beats costumam organizar eventos paralelamente aos seus shows regulares nas casas noturnas e eventos da capital. Além da tradicional festa de aniversário da banda, que ocorre anualmente e já teve 3 edições, também produzem a Live Party, festa que promove participações inusitadas da Rock Beats com outros artistas de destaque na cena brasiliense. A novidade deste ano é que a festa será a fantasia e acontecerá em espaço totalmente coberto no Clube da Aeronáutica. Serão distribuídos “welcome shots” e haverá concurso de fantasia mais original, com a entrega de um voucher de cem reais de consumação para o vencedor.

Na primeira edição, cujo tema foi o St. Patrick’s Day, reuniu  cerca de 1000 pessoas ávidas por assistir música ao vivo de qualidade. “Sempre buscamos trazer a interação do pop rock com variados estilos e isso é muito legal porque acaba gerando intercâmbios entre diversas linguagens musicais, além de proporcionar uma experiência muito mais interessante para o público”, diz Daniela. Já passaram pela Live Party artistas como Digão (Raimundos), o guitarrista Haroldinho Mattos, as cantoras Célia Porto e Georgia W Alô e Gidesmi Alves, violoncelista da Orquestra Sinfônica. As atrações de 2019 serão divulgadas em breve.

A Live Party – Fantasy Edition oferecerá ao público drinks exclusivamente criados para o evento, além de contar com um chef renomado para cuidar da parte gastronômica. Na edição de 2018, a alimentação ficou por conta do chef Jimmy Ogro (conhecido por seu bloco gastronômico no programa Mais Você, da TV Globo, comandado pela apresentadora Ana Maria Braga). Nos intervalos, DJs comandarão a pista de dança tocando o melhor dos anos 70, 80, 90 e 00.

Serviço:

Live Party – Fantasy Edition

Atrações: Banda Rock Beats e convidados

Local: Clube da Aeronáutica

Data: 01/11/19 (Sexta)

Horário: 21h

Ingressos: R$ 60 reais (2o lote) / R$ 70 (na bilheteria do evento)


as-aventuras-de-nina-2.png

Ricardo Callado16/10/20194min

Ao todo, 8 obras diferentes podem ser resgatadas por beneficiários do programa, que inclui população de baixa renda, idosos, pessoas com deficiência e alunos de escolas públicas. Basta fazer o cadastro na plataforma e solicitar o livro, que é entregue em casa

O Programa Eu Faço Cultura está com mais de 400 exemplares de 8 títulos diferentes disponíveis para resgate em sua plataforma. Quem tiver interessado em receber em casa gratuitamente o livro só precisa se cadastrar no site www.eufacocultura.com.br e, estando dentro do público beneficiado pelo Programa (alunos de escolas públicas, idosos, pessoas de baixa renda, pessoas com deficiência e microempreendedores individuais), fazer o pedido.

A maioria dos livros disponíveis é voltada ao público infantil, como as obras “As Aventuras de Nina”, “O Menino que perdia as palavras” e “É porque eu tenho um professor”. Um dos destaques é o livro “Onde está o Bóris”, uma história divertida e cheia de aventuras sobre o desaparecimento de um gato. A trama aborda temas complexos como a quantidade de vezes que as meninas são interrompidas por meninos (manterrupting), empatia e inclusão.

Para os adultos, está disponível para resgate a biografia “O Fabuloso Zé Rodrix”, que traz histórias e episódios do multifacetado artista, que possuía habilidades como compositor, multi-instrumentista, escritor, produtor musical, diretor e muito mais. Zé Rodrix é autor de sucessos como Casa no campo, Mestre Jonas e Soy Latino Americano.

Iniciativa da Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal), o Programa Eu Faço Cultura democratiza e impulsiona o mercado cultural. O resgate dos livros, bem como de outros produtos culturais, como teatros, shows e filmes, pode ser feito por escolas públicas, idosos, pessoas de baixa renda, pessoas com deficiência e microempreendedores individuais. Tudo pelo site www.eufacocultura.com.br.

Confira a lista completa dos livros que estão atualmente disponíveis no programa:
– É porque eu tenho um professor, de Kobi Yamada;
– Onde está o Bóris, de Janine Rodrigues;
– Bichos de cá, de Xavier Bartaburu e Edson Penha;
– As aventuras da Nina: meu irmão é um gigante, de Andréa Cordeiro;
– Peixe de Abril, de Simone Mota e Elise Carpentier;
– O menino que perdia as palavras, de Lau Furquim e Flavio Capi;
– Que cabelo é essa, Bela?, de Simone Mota;
– O Fabuloso Zé Rodrix, de Toninho Vaz.


Rei-da-Derivada-no-JK-Shopping-_-Crédito_Telmo-Ximenes..jpg

Ricardo Callado15/10/20194min

O evento que é um grande sucesso e está conquistando cada vez mais admiradores, volta ao JK Shopping para sua 19ª edição

No próximo fim de semana (19 e 20) o JK Shopping recebe mais uma edição da competição matemática mais divertida de todos os tempos: O Rei e Rainha da Derivada. A divertida maratona tem como um dos principais objetivos desmistificar a derivada, conceito matemático que faz parte da disciplina de Cálculo I e está presente em todos cursos da área de exatas, que é para muitos alunos, sinônimo de temor.

O encontro, coordenado pelo professor de Cálculo da UnB, Ricardo Fragelli, vai reunir universitários de todo o DF. Nesta etapa, são esperados cerca de 200 estudantes para dois dias de competição, no sábado, 19/10 das 10 às 19h e domingo, 20/10, das 13h às 20h, na praça de eventos.

Além do jogo, haverá oficinas para o público. Serão atividades lúdicas voltadas para estimular o gosto pela matemática em crianças, adolescentes e adultos.

 

O Jogo 

O Rei e Rainha da Derivada é um jogo de matemática em que os participantes resolvem problemas em duplas. O par que resolve mais rapidamente ganha mais pontos e, a cada rodada, são formadas novas duplas, de maneira que todos formem equipes com os outros participantes. Quem fizer mais pontos, ganha o título de Rei ou a Rainha da Derivada.

As inscrições são abertas a estudantes do ensino superior, são gratuitas e podem ser feitas no site www.reidaderivada.com.

 

Rei da Derivada

Local: JK Shopping – Avenida Hélio Prates, QNM 34 (entre Taguatinga e Ceilândia)

Data: 19 e 20 (sábado e domingo)

Horário: Sábado das 10h às 19h e domingo das 13h às 20h

Entrada: Gratuita

Classificação indicativa: Livre

Informações: (61) 3246-8601

www.jkshoppingdf.com.br

Facebook.com.br/jkshoppingdf


Brasília-52º-Festival-de-Brasília-do-Cinema-Brasileiro-BRB.jpg

Ricardo Callado13/10/20192min

Inscrições para participar dos cursos já estão abertas no site oficial do evento que ocorrerá entre os dias 22 de novembro e 1º de dezembro

A 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro se aproxima e, com ela, as oficinas formativas com temas relacionados à Sétima Arte. Previstas para o mesmo período em que ocorre o Festival, entre os dias 22 de novembro e 1º de dezembro, as oficinas já estão com as inscrições abertas.

Serão seis oficinas formativas dentro e fora do Plano Piloto, levando a cultura cinematográfica a diferentes Regiões Administrativas do Distrito Federal.

As ações fazem parte de um dos objetivos do Festival, que é descentralizar o conhecimento sobre cinema e aprimorar o perfil de profissionais do audiovisual no DF. Os interessados devem preencher o formulário de inscrição para participar da pré-seleção disponível em  www.festivaldebrasilia.com.br.

Confira matéria na íntegra no site do Festival.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa


Induspina.jpg

Ricardo Callado10/10/20199min

Pré-estreia está marcada neste sábado, para convidados, no Itaú Cinemas, do CasaPark. O goiano Orédio Alves de Rezende recebe também, no mesmo dia, o Título de Cidadão Honorário de Brasília, concedido pela Câmara Legislativa do DF, proposto pelo deputado Daniel Donizet

Prestes a completar 60 anos, Brasília ainda tem vivos alguns dos pioneiros que ajudaram em sua construção. Um deles é o goiano Orédio Alves de Rezende, cuja história é tema central do documentário “O Legado de um Pioneiro”, que estreia neste sábado, dia 12, em sessão exclusiva para convidados, no Itaú Cinemas, do CasaPark. O filme, dirigido por Rafael Pires e concebido, roteirizado e produzido pelo filho do protagonista, o jornalista Flávio Resende, traz um apanhado dos principais acontecimentos da vida de Orédio, que trouxe a primeira rede de autopeças para a capital da República, em 1958, que se mantém aberta até hoje, na 514 Sul.

Na oportunidade, logo após a sessão, Orédio Alves de Rezende receberá o Título de Cidadão Honorário de Brasília, concedido pela Câmara Legislativa do DF, proposto pelo deputado Daniel Donizet (PSDB-DF).

Com esta sessão única, o filme, com duração de uma hora, não entra em cartaz nos cinemas. Mas estará disponível no YouTube a partir do dia 1º de novembro.

Sobre a empresa

Pouca gente sabe, mas há empresas em atuação no Distrito Federal, nascidas aqui, mais antigas do que a própria capital. É o caso da Induspina Autopeças, que em junho completou 62 anos de mercado, tendo sido líder em seu segmento, com cinco lojas, por mais de duas décadas (1970 e 1980).

À frente da empresa está o pioneiro Orédio Alves de Rezende, goiano de Pires do Rio, que chegou em Brasília, vindo de Anápolis (GO), em 1957, com a missão de abrir na Cidade Livre o braço (no setor de autopeças) do Grupo Pina, organização goiana em que trabalhava desde os 17 anos, como faxineiro.

Com a posterior ajuda dos sócios  Sebastião Feliciano, Antônio Delgado Torres (in memorian) e do irmão mais velho Omélio Alves de Rezende, o jovem Orédio, na época com 22 anos, deixou família e amigos, agarrando-se ao que viria a ser a maior oportunidade de sua vida, capaz de tirar a sua família do estado de privação econômica em que se encontrava à época.

Em 2001, o empresário foi reconhecido e agraciado na primeira edição do projeto Mercador Candango, realizado pela Fecomércio-DF.

O trabalho como alicerce

Filho e irmão de hansenianos, Orédio viu o pai e o irmão serem levados de casa para uma “Colônia de Leprosos”, em Goiânia, aos sete anos. A partir daí, passou a ser “o homem da casa”, ajudando a mãe, pobre e semianalfabeta, a sobreviver e a criar a irmã, cinco anos mais nova.

Hoje, aos 83 anos, em pleno tratamento de um Linfoma nos Gânglios, Orédio está afastado, há cerca de cinco anos, da gestão dos negócios. Dedica-se, atualmente, à sua grande paixão: a fazenda Santa Rosa, a 78km de Brasília, próxima a Alexânia. Sua esposa Ana Rosa, de 64, e o filho Bruno Resende, de 42 anos, tocam o negócio e administram os imóveis da família.

Pioneirismo

Ao falar no crescimento de Brasília ao longo de 59 anos de existência, é impossível não mencionar a importância de empresários que resolveram abrir seus negócios antes mesmo da nova capital estar pronta. Eles investiram e acreditaram na cidade, desempenhando um papel fundamental para o desenvolvimento econômico e social da nova capital. Diversas empresas se instalaram, principalmente, na antiga Cidade Livre, que recebeu boa parte dos candangos que saíram de diversas localidades do Brasil para tentar uma vida melhor. A trajetória dessas empresas se confundem com a própria história de Brasília. Participaram efetivamente da construção da nova capital e ainda continuam contribuindo para o desenvolvimento da cidade.

A Induspina nasceu em 1948, em Anápolis. Três anos antes da inauguração da atual capital do país, abriu uma filial no DF. Criada pela tradicional família Pina, do Estado de Goiás, que possuía diversos negócios na região, a Induspina tinha matriz em Anápolis e unidades em Goiânia, Ceres, Goianésia e, por último, em Brasília.

As dificuldades foram muitas. O então vendedor (Orédio) deixou escola, amigos e familiares para assumir o cargo de gerente, em um lugar inóspito, onde tudo estava começando. Naquele tempo, apenas duas empresas atuavam no ramo de autopeças em Brasília: a Induspina e a Autopeças Moreira. Teve que enfrentar diversos obstáculos. O principal deles era a falta de uma comunicação mais ágil. “Várias peças vinham de São Paulo e, às vezes, demoravam quase um mês para chegar. Hoje temos Internet. Tudo é muito mais rápido e contamos com uma logística bem mais ágil e eficiente”, afirma.

Em 1964, finalmente, os sócios da empresa ofereceram a Orédio uma participação nos negócios, proposta que aceitou prontamente.  No início, chegou a fornecer produtos para todas as construtoras e empresas que trabalharam na construção de Brasília.

De acordo com Orédio, um dos fatores que determinaram o sucesso e a longevidade de seu negócio foi a persistência, não apenas dele, mas de seus sócios (Sebastião, Antônio e Omélio). “Eu diria que nossa perseverança e coragem para o trabalho fizeram a diferença. Fico orgulhoso, após todo esse tempo e as dificuldades que enfrentamos, em saber que a minha empresa ainda tem credibilidade, que é reconhecida pela seriedade e bom atendimento. O respeito que temos de todos que trabalham conosco e do consumidor nos motiva a continuar”, diz.

SERVIÇO:

Induspina Autopeças

CRS 514 Bl. A loja 59 – Asa Sul – Brasília-DF

Tel.: (61) 3245-6100



Sobre o Blog

Com 15 de existência, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Social LikeBox & Feed plugin Powered By Weblizar



Parcerias