21/10/2019 Brasília - DF 24°C
as-aventuras-de-nina-2.png

Ricardo Callado16/10/20194min

Ao todo, 8 obras diferentes podem ser resgatadas por beneficiários do programa, que inclui população de baixa renda, idosos, pessoas com deficiência e alunos de escolas públicas. Basta fazer o cadastro na plataforma e solicitar o livro, que é entregue em casa

O Programa Eu Faço Cultura está com mais de 400 exemplares de 8 títulos diferentes disponíveis para resgate em sua plataforma. Quem tiver interessado em receber em casa gratuitamente o livro só precisa se cadastrar no site www.eufacocultura.com.br e, estando dentro do público beneficiado pelo Programa (alunos de escolas públicas, idosos, pessoas de baixa renda, pessoas com deficiência e microempreendedores individuais), fazer o pedido.

A maioria dos livros disponíveis é voltada ao público infantil, como as obras “As Aventuras de Nina”, “O Menino que perdia as palavras” e “É porque eu tenho um professor”. Um dos destaques é o livro “Onde está o Bóris”, uma história divertida e cheia de aventuras sobre o desaparecimento de um gato. A trama aborda temas complexos como a quantidade de vezes que as meninas são interrompidas por meninos (manterrupting), empatia e inclusão.

Para os adultos, está disponível para resgate a biografia “O Fabuloso Zé Rodrix”, que traz histórias e episódios do multifacetado artista, que possuía habilidades como compositor, multi-instrumentista, escritor, produtor musical, diretor e muito mais. Zé Rodrix é autor de sucessos como Casa no campo, Mestre Jonas e Soy Latino Americano.

Iniciativa da Fenae (Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal), o Programa Eu Faço Cultura democratiza e impulsiona o mercado cultural. O resgate dos livros, bem como de outros produtos culturais, como teatros, shows e filmes, pode ser feito por escolas públicas, idosos, pessoas de baixa renda, pessoas com deficiência e microempreendedores individuais. Tudo pelo site www.eufacocultura.com.br.

Confira a lista completa dos livros que estão atualmente disponíveis no programa:
– É porque eu tenho um professor, de Kobi Yamada;
– Onde está o Bóris, de Janine Rodrigues;
– Bichos de cá, de Xavier Bartaburu e Edson Penha;
– As aventuras da Nina: meu irmão é um gigante, de Andréa Cordeiro;
– Peixe de Abril, de Simone Mota e Elise Carpentier;
– O menino que perdia as palavras, de Lau Furquim e Flavio Capi;
– Que cabelo é essa, Bela?, de Simone Mota;
– O Fabuloso Zé Rodrix, de Toninho Vaz.


Rei-da-Derivada-no-JK-Shopping-_-Crédito_Telmo-Ximenes..jpg

Ricardo Callado15/10/20194min

O evento que é um grande sucesso e está conquistando cada vez mais admiradores, volta ao JK Shopping para sua 19ª edição

No próximo fim de semana (19 e 20) o JK Shopping recebe mais uma edição da competição matemática mais divertida de todos os tempos: O Rei e Rainha da Derivada. A divertida maratona tem como um dos principais objetivos desmistificar a derivada, conceito matemático que faz parte da disciplina de Cálculo I e está presente em todos cursos da área de exatas, que é para muitos alunos, sinônimo de temor.

O encontro, coordenado pelo professor de Cálculo da UnB, Ricardo Fragelli, vai reunir universitários de todo o DF. Nesta etapa, são esperados cerca de 200 estudantes para dois dias de competição, no sábado, 19/10 das 10 às 19h e domingo, 20/10, das 13h às 20h, na praça de eventos.

Além do jogo, haverá oficinas para o público. Serão atividades lúdicas voltadas para estimular o gosto pela matemática em crianças, adolescentes e adultos.

 

O Jogo 

O Rei e Rainha da Derivada é um jogo de matemática em que os participantes resolvem problemas em duplas. O par que resolve mais rapidamente ganha mais pontos e, a cada rodada, são formadas novas duplas, de maneira que todos formem equipes com os outros participantes. Quem fizer mais pontos, ganha o título de Rei ou a Rainha da Derivada.

As inscrições são abertas a estudantes do ensino superior, são gratuitas e podem ser feitas no site www.reidaderivada.com.

 

Rei da Derivada

Local: JK Shopping – Avenida Hélio Prates, QNM 34 (entre Taguatinga e Ceilândia)

Data: 19 e 20 (sábado e domingo)

Horário: Sábado das 10h às 19h e domingo das 13h às 20h

Entrada: Gratuita

Classificação indicativa: Livre

Informações: (61) 3246-8601

www.jkshoppingdf.com.br

Facebook.com.br/jkshoppingdf


Brasília-52º-Festival-de-Brasília-do-Cinema-Brasileiro-BRB.jpg

Ricardo Callado13/10/20192min

Inscrições para participar dos cursos já estão abertas no site oficial do evento que ocorrerá entre os dias 22 de novembro e 1º de dezembro

A 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro se aproxima e, com ela, as oficinas formativas com temas relacionados à Sétima Arte. Previstas para o mesmo período em que ocorre o Festival, entre os dias 22 de novembro e 1º de dezembro, as oficinas já estão com as inscrições abertas.

Serão seis oficinas formativas dentro e fora do Plano Piloto, levando a cultura cinematográfica a diferentes Regiões Administrativas do Distrito Federal.

As ações fazem parte de um dos objetivos do Festival, que é descentralizar o conhecimento sobre cinema e aprimorar o perfil de profissionais do audiovisual no DF. Os interessados devem preencher o formulário de inscrição para participar da pré-seleção disponível em  www.festivaldebrasilia.com.br.

Confira matéria na íntegra no site do Festival.

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa


Induspina.jpg

Ricardo Callado10/10/20199min

Pré-estreia está marcada neste sábado, para convidados, no Itaú Cinemas, do CasaPark. O goiano Orédio Alves de Rezende recebe também, no mesmo dia, o Título de Cidadão Honorário de Brasília, concedido pela Câmara Legislativa do DF, proposto pelo deputado Daniel Donizet

Prestes a completar 60 anos, Brasília ainda tem vivos alguns dos pioneiros que ajudaram em sua construção. Um deles é o goiano Orédio Alves de Rezende, cuja história é tema central do documentário “O Legado de um Pioneiro”, que estreia neste sábado, dia 12, em sessão exclusiva para convidados, no Itaú Cinemas, do CasaPark. O filme, dirigido por Rafael Pires e concebido, roteirizado e produzido pelo filho do protagonista, o jornalista Flávio Resende, traz um apanhado dos principais acontecimentos da vida de Orédio, que trouxe a primeira rede de autopeças para a capital da República, em 1958, que se mantém aberta até hoje, na 514 Sul.

Na oportunidade, logo após a sessão, Orédio Alves de Rezende receberá o Título de Cidadão Honorário de Brasília, concedido pela Câmara Legislativa do DF, proposto pelo deputado Daniel Donizet (PSDB-DF).

Com esta sessão única, o filme, com duração de uma hora, não entra em cartaz nos cinemas. Mas estará disponível no YouTube a partir do dia 1º de novembro.

Sobre a empresa

Pouca gente sabe, mas há empresas em atuação no Distrito Federal, nascidas aqui, mais antigas do que a própria capital. É o caso da Induspina Autopeças, que em junho completou 62 anos de mercado, tendo sido líder em seu segmento, com cinco lojas, por mais de duas décadas (1970 e 1980).

À frente da empresa está o pioneiro Orédio Alves de Rezende, goiano de Pires do Rio, que chegou em Brasília, vindo de Anápolis (GO), em 1957, com a missão de abrir na Cidade Livre o braço (no setor de autopeças) do Grupo Pina, organização goiana em que trabalhava desde os 17 anos, como faxineiro.

Com a posterior ajuda dos sócios  Sebastião Feliciano, Antônio Delgado Torres (in memorian) e do irmão mais velho Omélio Alves de Rezende, o jovem Orédio, na época com 22 anos, deixou família e amigos, agarrando-se ao que viria a ser a maior oportunidade de sua vida, capaz de tirar a sua família do estado de privação econômica em que se encontrava à época.

Em 2001, o empresário foi reconhecido e agraciado na primeira edição do projeto Mercador Candango, realizado pela Fecomércio-DF.

O trabalho como alicerce

Filho e irmão de hansenianos, Orédio viu o pai e o irmão serem levados de casa para uma “Colônia de Leprosos”, em Goiânia, aos sete anos. A partir daí, passou a ser “o homem da casa”, ajudando a mãe, pobre e semianalfabeta, a sobreviver e a criar a irmã, cinco anos mais nova.

Hoje, aos 83 anos, em pleno tratamento de um Linfoma nos Gânglios, Orédio está afastado, há cerca de cinco anos, da gestão dos negócios. Dedica-se, atualmente, à sua grande paixão: a fazenda Santa Rosa, a 78km de Brasília, próxima a Alexânia. Sua esposa Ana Rosa, de 64, e o filho Bruno Resende, de 42 anos, tocam o negócio e administram os imóveis da família.

Pioneirismo

Ao falar no crescimento de Brasília ao longo de 59 anos de existência, é impossível não mencionar a importância de empresários que resolveram abrir seus negócios antes mesmo da nova capital estar pronta. Eles investiram e acreditaram na cidade, desempenhando um papel fundamental para o desenvolvimento econômico e social da nova capital. Diversas empresas se instalaram, principalmente, na antiga Cidade Livre, que recebeu boa parte dos candangos que saíram de diversas localidades do Brasil para tentar uma vida melhor. A trajetória dessas empresas se confundem com a própria história de Brasília. Participaram efetivamente da construção da nova capital e ainda continuam contribuindo para o desenvolvimento da cidade.

A Induspina nasceu em 1948, em Anápolis. Três anos antes da inauguração da atual capital do país, abriu uma filial no DF. Criada pela tradicional família Pina, do Estado de Goiás, que possuía diversos negócios na região, a Induspina tinha matriz em Anápolis e unidades em Goiânia, Ceres, Goianésia e, por último, em Brasília.

As dificuldades foram muitas. O então vendedor (Orédio) deixou escola, amigos e familiares para assumir o cargo de gerente, em um lugar inóspito, onde tudo estava começando. Naquele tempo, apenas duas empresas atuavam no ramo de autopeças em Brasília: a Induspina e a Autopeças Moreira. Teve que enfrentar diversos obstáculos. O principal deles era a falta de uma comunicação mais ágil. “Várias peças vinham de São Paulo e, às vezes, demoravam quase um mês para chegar. Hoje temos Internet. Tudo é muito mais rápido e contamos com uma logística bem mais ágil e eficiente”, afirma.

Em 1964, finalmente, os sócios da empresa ofereceram a Orédio uma participação nos negócios, proposta que aceitou prontamente.  No início, chegou a fornecer produtos para todas as construtoras e empresas que trabalharam na construção de Brasília.

De acordo com Orédio, um dos fatores que determinaram o sucesso e a longevidade de seu negócio foi a persistência, não apenas dele, mas de seus sócios (Sebastião, Antônio e Omélio). “Eu diria que nossa perseverança e coragem para o trabalho fizeram a diferença. Fico orgulhoso, após todo esse tempo e as dificuldades que enfrentamos, em saber que a minha empresa ainda tem credibilidade, que é reconhecida pela seriedade e bom atendimento. O respeito que temos de todos que trabalham conosco e do consumidor nos motiva a continuar”, diz.

SERVIÇO:

Induspina Autopeças

CRS 514 Bl. A loja 59 – Asa Sul – Brasília-DF

Tel.: (61) 3245-6100


Raiz-do-Circo-por-Bento-Viana.jpg

Ricardo Callado08/10/20196min

De 11 a 16 de outubro, com apresentações gratuitas

“Tombei, tombei, tornei, tombá,

a Brincadeira já vai começar”

Respeitável público! Está chegando a Brasília, de 11 a 16 de outubro, o 2° Festival Mestres e Mestras de Circo que vai levar ao público malabaristas, acrobatas, pernas de pau, palhaços e palhaças de vários lugares do mundo: Distrito Federal, Ceará, Goiás, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Peru, Colômbia e Argentina.

Na sexta-feira, dia 11, a abertura será com um cortejo  circo cênico musical, na Rodoviária do Plano Piloto, a partir das 16h30, um grande encontro dos participantes do festival com o público.

As apresentações gratuitas vão acontecer na rodoviária do Plano Piloto, Parque da Cidade, Torre de TV, área externa da Funarte, e em sessões para escolas públicas de Ceilândia, Varjão e Planaltina. Esse ano, a Mostra tem como novidade em sua programação cabarés e Varietés, com Circo Teatro Rebote + Palhaço Satin e Trupe Raiz do Circo + Palhaço Alecrim.

Segundo Ankomarcio Saúde, o palhaço Xaubraubrau,  um dos coordenadores do festival, o objetivo é que os artistas troquem experiências e que o público possa ver diferentes possibilidades das linguagens circenses.

O destaque da programação fica por conta da presença do mestre argentino internacionalmente conhecido, palhaço Tomate.  Victor Tomate Ávalos, o Tomate, é um comediante, palhaço extravagante e mordaz. O artista centra seu trabalho todo na construção de balões, fazendo instrumentos, personagens e dispositivos para falar de tipos sociais, de estruturas políticas com um humor para toda a família. Em quase 20 anos de palcos e aplausos, já percorreu mais de 20 países com seu espetáculo solo.

Outro destaque é o cabaré dos Irmãos Saúde que está comemorando 18 anos de estrada.  Para essa festa eles tem como convidadas: Luisa Adjuto e Illyusha Montezuma (DF) e Tomate (ARG) e Guga Morales ( RJ).

 

PROGRAMAÇÃO

SEXTA 11.10 – 17h00

CORTEJO CIRCO CÊNICO MUSICAL – RODOVIÁRIA DO PLANO PILOTO

 

SÁBADO 12.10

Parque da Cidade – Parque Ana Lídia

10:00 – Brincadeiras de Circo – DF

              Mamulengo sem Fronteira -DF

Torre

13:30 – Oficina de Malabares, Perna de Peru e Brinquedos populares

15:00 – Grito de Liberdade – DF (FUNARTE)

16:00 – Margarina Bailarina – RS (RUA)

               João Artigos – RJ (RUA)

17:00 – Cia Boca do Lixo – GO (CIRCO)

18:00 – Palhaço Satin – CO (RUA)

19:00 – Cabaré Brincantes com Irmãos Saúde + Pé de Cerrado e convidados: Luiza Adjuto, Illyusha Montezuma, Tomate e Guga Morales. Apresentação (CIRCO)

DOMINGO

Torre

13:00 – Mesa de Conversa – Tema: Programação de Festivais Mediador: Ankomarcio Saúde (Festival Mestres de Circo).

Convidados: Targan (assessor de cultura – Sesc DF);

                        Erica Mesquita (idealizadora do Festirua)

13:00 – Oficiana de Malabares, Perna de Pau e Brinquedos populares

15:00 – Cia Circo Teatro Rebote + Palhaço Satin- DF, PE, CO (RUA)

16:00 – Trupe Raiz do Circo + Palhaço Alecrim – DF e CE (CIRCO)

17:00 – Guga Morales – RJ (RUA)

18:00 – Tomate – ARG (CIRCO)

               Ventoinha de Canudo – DF (CIRCO)

Encerramento circo cênico musical

APRESENTAÇÕES NAS ESCOLAS

16.10

14:30 – Ceilândia Norte – Mamulengo sem Fronteira -DF

Centro Comunitário da Criança

16.10

09:30 – Planaltina – Cia Circo Teatro Rebote – DF e PE

Instituto Aprender

Endereço: Área Especial 01 Qd 03/04 – Jardim Roriz
(Antiga feira do Roriz)

14:30 – Varjão – Trupe Raiz do Circo – DF

 Creche Tia Angelina


cine-brasilia.jpg

Ricardo Callado06/10/20193min
Foto: Tony Winston

Por Letycia Bond

Começa na próxima quarta-feira (9), no Cine Brasília, a Mostra de Cinema Taiwanês 2019. Serão exibidos dez filmes até o dia 13 de outubro.

Entre as obras escolhidas está o documentário A Foley Artist, que conta a história de Mr. Hu Ding-Yi, o especialista taiwanês mais experiente em arte de foley, técnica que consiste em adicionar efeitos sonoros aos filmes, como sons de passos e portas se abrindo e fechando. Apesar de sua expertise, Ding-Yi enfrentou uma crise profissional, já que seu trabalho começou a ser substituído por recursos de sonorização digitais e passou a ser considerado obsoleto. Ao todo, ele dedicou 40 anos ao exercício dessa função, participando de 70 produções cinematográficas.

Além do filme dirigido por Wan-Jo Wang, integra a programação o filme Dust in the Wind (Poeira no vento), de Hou Hsiao-Hsien. O filme compõe a trilogia do diretor e explora o processo de amadurecimento do garoto Ah-yuan, que se alista ao Exército e acaba perdendo seu amor de infância.

No dia 12 de outubro, o público poderá conferir uma exibição seguida de debate. Na data, haverá uma sessão de Crystal Boys (Rapazes Cristais), obra que denuncia a homofobia em Taiwan, na década de 1970. A dimensão da obra ganhou força este ano, quando Taiwan se tornou o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento homoafetivo.

A mostra realizada na capital federal é organizada pelo Escritório Econômico e Cultural de Taipei no Brasil. A entrada para o evento é gratuita.


Centro-Internacional-de-Convenções-do-Brasil.jpg

Ricardo Callado05/10/20192min

Evento vai até terça-feira (8) com os melhores atletas do mundo

O Grand Slam Brasília começa neste domingo (6) no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). O local tem capacidade para três mil torcedores, a entrada é gratuita, mas sujeita a lotação.

Serão três dias de evento com os melhores judocas do mundo brigando por pontos pela vaga olímpica. As lutas preliminares serão  das 10h às 14h. E às 16h começam as finais. A cerimônia de abertura será realizada na segunda-feira (7), às 15h30.

Não é permitida a entrada de itens pontiagudos e cortantes, alimentos, latas e garrafas.

Haverá ônibus gratuito entre a Rodoviário do Plano Piloto e o CICB saindo da Plataforma A. No domingo os ônibus partem das 9h às 14h . Na segunda e na terça-feira  das 9h às 19h.  Uma pessoa da organização do evento  vai auxiliar o acesso ao transporte que sairá de hora em hora.

O Detran também vai modificar o trânsito na região do CICB. Nos dias 6, 7 e 8 os agentes vão implantar o sentido único na via que passa em frente ao Centro Internacional de Convenções do Brasil. Das 9h às 20h o trânsito será permitido apenas no sentido em direção ao Clube dos Bombeiros.

  • Com informações da Secretaria de Esportes

008-Foto-de-Marcelo-Dischinger-1.jpg

Ricardo Callado04/10/201915min
(Foto: Marcelo Dischinger/Divulgação)

Com muita irreverência e improviso, músicos agitam cenário cultural de Ceilândia. A entrada é gratuita

Os moradores de Ceilândia poderão assistir, gratuitamente, neste domingo (6/10), às 19h, a uma apresentação banda brasiliense Liga Tripa, uma das mais tradicionais e antigas do Distrito Federal. O evento será no SESC Ceilândia (QNN 27 – lote B – Área Especial). No show, intitulado Liga Tripa 35 anos, serão apresentadas músicas autorais, de alguns integrantes do grupo e outros parceiros que participaram ativamente da vida cultural de Brasília desde a década de 70.

O Liga Tripa foi criado em uma época em que a capital do país era vista como uma cidade sem referenciais culturais próprias e hoje é considerado como fio condutor de toda uma geração de artistas locais e nacionais. No cenário árido dos tempos de ditadura, o Liga Tripa inventou seu próprio espaço ao começar a tocar e cantar nas ruas. “A gente ocupou um espaço que psicologicamente não pertencia à população”, conta Aldo Justo, um dos integrantes. Já no início dos anos 80 o grupo era apontado, pela imprensa local, como “a cara de Brasília” e “o mais brasiliense dos grupos musicais”.

Nesse projeto Liga Tripa 35 anos, a banda já fez outras quatro apresentações este ano: duas em Mato Grosso (Cuiabá e Chapada dos Guimarães) nos dias 27 e 29 de junho e duas em Goiás (Pirenópolis e Goiânia) nos dias 20 e 21 de julho. Depois do SESC Ceilândia, o grupo se apresentará no Clube do Choro no dia 6 de novembro.

As apresentações do Liga Tripa sempre surpreendem pela ousadia e improviso. O grupo seduz o público e cria com ele uma imediata identificação. Seus temas são visões poéticas da paisagem do cerrado, da arquitetura brasiliense e do modo de viver numa cidade incomum. A criatividade dos integrantes também traz ao espectador a sensação de assistir a algo diferente no panorama da MPB, com canções de altíssima qualidade, letras com uma poesia forte e incomum e as fusões rítmicas que caracterizam todo o seu trabalho musical: sambas sem sotaque carioca nem baiano, baiões e frevos com sabor candango, marcantes influências do jazz e da música experimental.

Um dos aspectos desse experimentalismo tornou-se marca registrada do Liga Tripa: o contrabaixo de origem africana construído artesanalmente, com uma corda só, que funciona como baixo ou como percussão. Essa originalidade sonora se completa com a mistura de violões, cavaquinho, flauta, percussão e vozes em coro.

Em 2015, o grupo lançou um disco com a retrospectiva de sua obra. O repertório está em um livreto/CD: Liga Tripa 35 anos, com fotos de eventos, shows e pessoas que integram o universo do grupo, contando histórias e momentos vividos em várias décadas de muita arte e música na rua e em palcos alternativos.

As apresentações contam com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) do Distrito Federal. Haverá espaço reservado nos shows para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção, com sinalização adequada e com um guia par recebê-las e orientá-las.

 

SERVIÇO:

Show Liga Tripa 35 anos

Data: 6/10/2019 (Domingo)

Horário: 19h

Local: Teatro Newton Rossi (SESC CEILÂNDIA)

Endereço: QNN 27 – Lote B, Área Especial, Ceilândia Norte

Entrada: Gratuita

Classificação: Livre

OBS: Haverá recepcionista e espaço reservado para cadeirantes e pessoas com dificuldades de locomoção.

 

INTEGRANTES:

  1. Aldo Justo (fundador do grupo) – voz e violão;
  2. Carrapa do Cavaquinho – voz e cavaquinho;
  3. Fino – percussão e efeitos;
  4. Jonatas Caloro – voz e contrabaixo monocórdio acústico e violão;
  5. Sérgio Duboc – voz e violão
  6. Toninho Alves – voz e flauta transversal;
  7. André Arraes – percussão e contrabaixo monocórdio acústico

REPERTÓRIO DO SHOW:

  1. Juriti – Aldo Justo e Paulo Tovar
  2. Travessia do Eixão – Nonato Veras e Nicolas Behr
  3. Desperte a sua Loucura – Nonato Veras
  4. Labareda – Nonato Veras
  5. Eguinha – Guilherme Reis, Renato Matos, Luciano Porto, Maurício Araújo e Aloísio Batata.
  6. Ninando o Cavaquinho – Carrapa do Cavaquinho e Ita Catta Preta
  7. Cores – Aldo Justo e Carlos (Ceará) Batalha.
  8. Propriedade Particular – Aldo Justo
  9. Quase Vintes Dentes – Aldo Justo
  10. Edifício Ninguém Mora Lá – Sérgio Duboc e Vicente Sá
  11. Fruta do Mal – Aldo Justo, Nonato Veras e Paulo Tovar
  12. Samba da Rua 8 – Sérgio Duboc, Flávio Faria e Vicente Sá
  13. Por Prazer – Toninho Alves
  14. Cheiro da Vida – Aldo Justo e Mardônio Sarmento
  15. Horário de Verão – Caloro, Aldo Justo, Sérgio Duboc, Paulo Tovar e Toninho.

Mais informações:

Papo Firme

Luciano Lima entrevista Sérgio Duboc e Aldo Justo, do Liga Tripa, em 2013, sobre um dos trabalhos do Liga: CD – É se há! Um pouco da história do grupo.

Gravação para a TV, realizada no Teatro dos Bancários;

“Ligada” no Açougue Cultural  T-BONE, projeto Bienal do B de poesia de Brasília;

O grupo em uma “ligada” após o show, na praça da vila Planalto, em 2017.

Homenagem a Paulo Tovar, grande músico da nossa cidade. Gravado pela TV UnB, em 2010, música: EDIFÍCIO NINGUÉM MORA LÁ – de Sérgio Duboc e Vicente Sá;

TV Brasília – aniversário do Beirute, Bar tradicional de Brasília; a famosa “ligada” do grupo, que canta no meio das pessoas, envolvendo todos os presentes numa energia contagiante.

Show no Feitiço Mineiro; bar tradicional de Brasília; música Labareda.


IMG_2872.jpg

Ricardo Callado02/10/20196min

Edição desse ano acontece novamente na Torre de TV Digital e conta com artistas de renome na cena nacional e internacional

Um dos eventos mais aguardados dos fãs de música eletrônica está chegando novamente. O Federal Music 2019 tem data marcada para o dia 11 de outubro, sexta-feira e véspera de feriado, a partir das 21h. Após o sucesso do ano passado, a produção optou por realizar a festa no mesmo lugar: a Torre de TV Digital. Serão 12 horas ininterruptas de muito som com artistas de ponta, em uma das melhores vistas da cidade.

Como sempre, o line-up é a atração principal da noite. Mais de 30 grandes nomes da cena eletrônica internacional e nacional vão marcar presença nas pickups, como o holandês Nicky Romero, o israelense Astrix e o jovem brazuca Illusionize. A lista segue com Vini Vici, Infected Mushroom, Gabe, Hi-Profile, Chapeleiro, Liu, Mandragora e muito mais.

Submundo aquático

O tema do Federal Music nesse ano é uma viagem às profundezas do oceano. Em 2018, o tema foi um mundo pós-moderno em que a civilização transcendeu a Terra e se uniu por meio da música. Em 2019, esta mesma civilização se uniu para levar sua mensagem de paz, amor e união para o submundo aquático. A união dos povos e o surgimento de uma identidade sonora própria deram origem ao reino Omnia.

No dia 11 de outubro, três representantes de Omnia, virão à terra firme para transmitir seus ideais. Altum, Spero e Unio encontraram uma maneira de tocar os corações humanos: a música. “O convite esse ano é para as pessoas participarem dessa missão e contribuirem com boas vibrações para fazer acontecer”, explica Rafael Freire, também conhecido como Áquila, um dos produtores e DJs do line-up.

Estrutura

Para as mais de 30 atrações, o evento vai contar com três palcos, tendo o maior deles uma cenografia aquática de quase 40 metros de largura e 20 metros de altura. Além disso, muitos efeitos especiais e um gigante painel de led com 20 metros de largura e 18 metros de altura no mainstage. Para repor as energias, o público terá à disposição uma praça de alimentação e bares temáticos com drinks deliciosos – tudo com uma vista privilegiada de Brasília.

Serviço

Federal Music 2019 – Reino de Omnia

Data: 11 de outubro, sexta-feira

Horário: a partir das 21h

Local: Torre de TV Digital

Line-up:

Nicky Romero

Astrix

Illusionize

Vini Vici

Infected Mushroom

Gabe

Hi-Profile

Chapeleiro

Liu

Mandragora

Sevenn

OMIKI

Fractall B2B Rocksted

Clubbers

Aura Vortex

Rocksted

Fractall

Pirate Snake

D-Stroyer

CIC

Hiipocoon

Dakar

Freakaholics

MKJay

Wizards

Aquila

Out_Ctrl

JhonK

Rode

Rodrigo Bouzon

Caique Nunes

Space Sheeps

Matheus Hartmann

Rivkah

Tundra

K-Bchir

Ingressos online: http://bit.ly/federalmusic2019


Exposição-São-Francisco-de-Assis_créditos_José-Gonçalo-2.jpg

Ricardo Callado01/10/20192min

O Templo da Boa Vontade (TBV) apresenta exposição em homenagem a São Francisco de Assis, patrono da Legião da Boa Vontade (LBV). A mostra faz parte das comemorações dos 30 anos do TBV — monumento mais visitado da capital brasileira, segundo dados oficiais da Secretaria de Estado de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF) —, cuja programação inclui também apresentações culturais, espetáculos musicais, exposições artísticas e encontros ecumênicos.

A mostra conta com a participação de artistas consagrados, entre eles Angélica Bittencourt, Toninho de Souza, Rose Cardoso, Ralfe Braga, Rosana Cruz, Anselmo Rodrigues, Fatinha e Gil Marcelino. Com a utilização de técnicas, cores e expressões diversas, eles reverenciam o santo mais querido e retratado por artistas no Brasil e no mundo.

A exposição, que ficará aberta à visitação de 3 a 13 de outubro, das 8 às 20 horas, no Salão Nobre do Templo da Boa Vontade, visa propiciar uma reflexão sobre a vida de São Francisco de Assis, seu exemplo de bondade, humildade, amor e dedicação aos mais necessitados, aos animais e à Natureza.

Para outras informações, acesse www.amigosdotbv.com.br ou ligue para o tel.: (61) 3114-1070.

SERVIÇO

Evento: Exposição “São Francisco de Assis”

Local: Salão Nobre do Templo da Boa Vontade (TBV)

Endereço: Quadra 915 Sul — Brasília/DF

Visitação: De 3 a 13 de outubro, das 8 às 20 horas

Entrada: gratuita

Classificação: livre

Instagram: @templodaboavontadetbv

Outras informações: (61) 3114-1070 | www.amigosdotbv.org



Sobre o Blog

Com 15 de existência, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Social LikeBox & Feed plugin Powered By Weblizar



Parcerias