Categoria: Economia
Todos os leitos recém-adquiridos estão aparelhados para atendimento a pacientes infectados pelo coronavírus | Foto: Leandro Cipriano / SES

BRBcard-777x437.jpg

Callado6 de abril de 20204min

O Banco de Brasília disponibilizou uma linha de crédito com condições facilitadas e carência de um ano para iniciar o pagamento

Os clientes da Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) poderão prorrogar por até seis meses as parcelas a vencer dos financiamentos imobiliários contraídos com a empresa pública. Para que isso seja possível, a Agência criou um programa que permite que parcelas vincendas sejam transferidas para instituições financeiras.

Por meio de um Termo de Cooperação, o Banco de Brasília (BRB) disponibilizou uma linha de crédito com condições facilitadas e carência de um ano para iniciar o pagamento. A Terracap também dará desconto de até 15% sobre as parcelas que forem transferidas.

O programa foi criado com o objetivo de criar condições para que a Terracap possa manter seus projetos e obras, garantindo o andamento de programas importantes, como a regularização fundiária e as obras de infraestrutura em diversos locais como em Vicente Pires, e, ao mesmo tempo, atender às necessidades dos clientes, sobretudo do setor produtivo, que ganharão uma carência de até um ano para voltar a pagar e ainda com redução de 15% no valor da parcela.

A linha de crédito disponibilizada pelo BRB possui taxas de juros a partir de 0,82% ao mês e até 48 meses para pagamento. O grande diferencial é que a primeira parcela só irá vencer um ano depois da transferência, da Terracap para o Banco, permitindo ao cliente ter tranquilidade enquanto durar a pandemia.

Para isso, o cliente deverá requerer à Terracap o extrato do financiamento com a empresa. Todo esse procedimento pode ser feito via online, pelo portal: www.terracap.gov.br. Basta clicar em “Serviços” e, em seguida, em “Requerimento Online”, após o login selecione o serviço “TERRAFÁCIL”. Este benefício se estende a todas as carteiras – imóveis adquiridos em licitação pública, venda direta ou em Pró-DF. Cerca de 5 mil pessoas podem ser beneficiadas com a medida.

Com o documento em mãos, o cliente deverá solicitar junto ao BRB a contratação do empréstimo. O banco disponibilizou em seu portal diversas maneiras de atendimento a distância. Acesse: https://novo.brb.com.br/

É importante ressaltar, no entanto, que embora a Terracap tenha firmado parceria com o BRB, o cliente pode recorrer a outras instituições financeiras para adquirir liquidez e obter o mesmo desconto junto à Agência.

A partir desta terça-feira (7/4), o call center, assim como a Gerência de Recebíveis Imobiliários da Terracap – GEARI, estarão prontos para atender aos clientes. Mais informações no telefone: no telefone (61) 3350-2222.

Atenção

A Terracap não está realizando atendimentos presenciais, pois aderiu ao decreto nº 40.546, do governador Ibaneis Rocha, adotando, em caráter excepcional e provisório, o teletrabalho. A população continua tendo acesso aos demais serviços da Agência, por meio do portal, do call center e da ouvidoria que permanecem funcionando normalmente.


pascoa.jpg

Callado6 de abril de 20202min

Perda pode representar R$ 738 milhões para setor de comércio

As vendas da Páscoa em 2020 devem registrar queda histórica de 31,6% em relação a 2019. Se for confirmada, representará perda de R$ 738 milhões para o setor de comércio. A estimativa é da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O estudo da CNC, indica ainda que o faturamento do varejo deve alcançar R$ 1,5 bilhão esse ano. No ano passado, ficou em R$ 2,3 bilhões.

A Páscoa é uma das mais importantes datas do comércio brasileiro. O presidente da CNC, José Roberto Tadros, comentou que no início do ano este cenário era inimaginável e acrescentou que esse desempenho é um efeito do isolamento social no setor.

A medida foi indicada pelo Ministério da Saúde e adotado por governos estaduais e municipais no combate ao agravamento da contaminação. “Os efeitos da pandemia de Covid-19 restringiram dramaticamente o fluxo de consumidores nas lojas. Há registro de quedas de 35% no comércio de rua e de 50% nos shopping centers ao longo do mês passado”, explicou.

O economista da CNC, Fábio Bentes, responsável pelo estudo, destacou a influência do aumento do dólar e a aversão ao crédito, por parte do consumidor, para o consumo dos produtos considerados não essenciais. Na visão de Bentes, haverá também efeitos no mercado de trabalho.

“Estes acabam sendo problemas de menor magnitude perto dos efeitos negativos que a crise deverá provocar sobre o mercado de trabalho e, consequentemente, sobre a confiança dos consumidores quanto ao consumo não essencial”.


conta-divida.jpg

Callado6 de abril de 20204min

Valor chega a R$ 200 bilhões, segundo a Febraban

Os cinco maiores bancos do país – Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander – processaram mais de dois milhões de pedidos de renegociação de dívidas. O valor das negociações chega a R$ 200 bilhões, conforme levantamento parcial divulgado pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Nas operações, as instituições deram carência de 2 a 3 meses no vencimento de parcelas em várias linhas, como crédito pessoal, crédito imobiliário, crédito com garantia de imóveis, crédito para aquisição de veículos e capital de giro.

Empresas e pessoas físicas têm reclamado da falta de acesso a essa medida de pausa nos contratos, cobrança de juros referente ao período de prorrogação e dificuldades de contato com os bancos.

Em nota, a Febraban disse que “os bancos estão totalmente sensibilizados com a necessidade de os recursos chegarem rapidamente na ponta e continuarão agindo com foco para que o crédito seja dado nas mãos das pessoas físicas e das empresas”.

“Entendemos a ansiedade de diversos setores, mas é preciso compreender que esse é um processo gradual e complexo, que demanda diversas providências e, em muitos casos, envolvem mudanças regulatórias, a exemplo da linha de liquidez do Banco Central para a compra de Letra Financeira Garantida e a liberação de compulsórios [depósitos que os bancos são obrigados a deixar no Banco Central]”, acrescentou.

Segundo a Febraban, ao contrário do que aconteceu na crise de 2008, desta vez, não há “empoçamento de liquidez” (falta de dinheiro em circulação), “mas sim um aumento substancial nas necessidades por recursos líquidos, o que torna esta crise bem diferente da anterior”. “Além disso, os bancos internacionais cortaram as linhas que dispúnhamos, o que estreitou mais ainda a liquidez do sistema. Mas seguiremos trabalhando, com o Banco Central e governo, para prover liquidez e crédito para quem precisa”, diz a federação.

A Febraban disse que já repactuou “diversas operações com grandes empresas, que demandaram volumes expressivos de recursos, com impactos relevantes sobre a liquidez do setor bancário”.

Pedidos

Caixa: 1 milhão de pedidos em contratos habitacionais, com oferta de R$ 111 bilhões em créditos e carências de até 90 dias.

Bradesco: 635 mil pedidos, que representam 1,036 milhão de contratos.

BB: 200 mil pedidos, em valor equivalente a R$ 60 bilhões.

Santander: 80,9 mil pedidos, em valor equivalente a R$ 11 bilhões.

Itaú: 302,3 mil pedidos, com saldo de R$ 12,1 bilhões e parcelas já prorrogadas em valor financeiro de R$ 679 milhões.

Na linha Caixa Hospitais, foram disponibilizados recursos da ordem de R$ 5 bilhões para 2020.

Folha de pagamento

A Febraban lembrou que os bancos iniciaram hoje a liberação do crédito para financiar a folha de pagamentos de pequenas e médias empresas com faturamento entre R$ 360 mil e R$ 10 milhões de reais. A linha de crédito foi criada por meio de linha provisória, com liberação de R$ 40 bilhões.


izabel-prospera-credito-pedro-ventura-agencia-brasilia-640x427.jpg

Callado3 de abril de 20207min

Programa de crédito para empreendedores das áreas urbanas e rurais, que possuem atividades produtivas de pequeno porte, é aperfeiçoado por conta da pandemia de Covid-19. Saiba como obtê-lo

A crise econômica causada pela pandemia do coronavírus exige bom senso e criatividade dos gestores públicos. Por isso, o Prospera, que é um crédito especial concedido para o atendimento das necessidades financeiras de empreendedores em geral, está passando por reformulações temporárias.

O programa é direcionado a pessoas físicas ou jurídicas, das áreas urbanas e rurais, que possuem atividades produtivas de pequeno porte. Hoje, os valores cedidos variam de R$ 4,2 mil a  R$ 83.000,00 – e parcelas divididas em 36 vezes mensais para quitação.

Agora, o Governo Distrito Federal decidiu melhorar ainda mais as condições do programa: suspende todos os pagamentos das parcelas dos empréstimos em vigor durante a vigência do Decreto 40.583/2020 – e por mais dois meses após o período do Decreto.

O GDF também decidiu cortar em 50% os juros – que já eram o menor do mercado, (aproximadamente de 0,7 % ao mês). Eles passam a ser, em média, de 3% ao ano, sem cobrança de IOF ou de qualquer outra taxa.


Como adquirir o Prospera?  

Requisitos para obtenção do empréstimo

  1. a) Ter mais de 18 anos;
  2. b) Não ter restrições junto a Fazenda Pública do Distrito Federal. Verificar no endereço eletrônico:
  3. c) Não ter restrições na Serasa, exceto para empreendedores cadastrados no bolsa família e grupo solidário conforme legislação vigente.
  4. d) Empreendedores iniciantes e recém formados devem apresentar Plano de negócios, bem como certificado de participação em cursos de gestão de negócios;

Qual é a documentação a ser apresentada?

Pessoa Física

  1. a) CPF e RG (original e cópia)
  2. b) Se for casado: RG e CPF do cônjuge + certidão de casamento (original e cópia)
  3. c) Comprovante de Residência mês atual ou Anterior: Conta de água, luz ou telefone fixo (original e cópia)
  4. d) Duas referências pessoais (nome, endereço e telefone)
  5. e) Duas referências profissionais/comerciais (nome, endereço e telefone)
  6. f) Imprimir Certidão Negativa de Débito junto à Fazenda Pública do DF do CPF:

Pessoa Jurídica

  1. a) Cadastro do CNPJ
  2. b) Alvará de Funcionamento (Se tiver)
  3. c) Contrato Social (Original e Cópia); MEI ou Requerimento de empresário
  4. d) Inscrição Estadual – DIF do CNPJ

Sócio (se houver) 

  1. a) CPF e RG (Original e Cópia)
  2. b) Se for casado: RG e CPF do Cônjuge + Certidão de Casamento (Original e Cópia)
  3. c) Comprovante de Residência mês atual ou Anterior: Conta de água, luz ou telefone fixo (Original e Cópia)
  4. d) Certidão Negativa de Débito junto a Fazenda Pública do DF do CPF:

Garantias

Aval de Terceiro

  1. a) CPF e RG (original e cópia)
  2. b) Comprovante de Residência, Mês atual ou Anterior: Conta de água, luz ou telefone fixo (original e cópia)
  3. c) Se for casado: RG e CPF do cônjuge + Certidão de casamento (original e cópia)
  4. d) Comprovante de renda

–  Se servidor público ou aposentado: último contracheque

– Se empregado de empresa privada: Os três últimos contracheques + Carteira de Trabalho e cópia frente e verso da foto, último contrato e alterações se houver.

– Se pessoa jurídica: Pró-labore (somente original feito pelo contador) acompanhado do Contrato Social ou Declaração de Firma Individual e Declaração de Imposto de Renda do exercício anterior

– Se autônomo: Decore atualizado (Somente Original feito pelo Contador) e Declaração de Imposto de Renda do exercício anterior

Grupo solidário
Mínimo de três e o máximo de cinco participantes (todos contraem empréstimo e avalizam mutuamente)

  1. a) CPF e RG (original e cópia)
  2. b) Comprovante de Residência, Mês atual ou Anterior: Conta de água, luz ou telefone fixo (original e cópia)
  3. c) Se for casado: RG e CPF do Cônjuge + Certidão de casamento (original e cópia)
  4. d) Imprimir Certidão Negativa de Débito junto à Fazenda Pública do DF do CPF:

Para a aquisição de equipamentos são exigidos
– Dois orçamentos emitidos em papel timbrado, com CNPJ  da empresa, assinados pelo vendedor, especificando marca, modelo, data e prazo de validade.


Com os documentos originais, dirija-se ao endereço mais próximo para efetivar sua proposta de empréstimos

Áreas urbanas

Agência Taguatinga:  3255-3790 / 3255-3791 – C4 Lote 3 Avenida das Palmeiras

Agência Plano Piloto: 3255-3789 ou 3255-3725 – SCS QD. 6 LT 10 e 11 ED. Guanabara Sobreloja


banco_central_abr_30091923895.jpg

Callado2 de abril de 20204min

Operações terão prazo de, no mínimo, 30 dias e, no máximo, 359 dias

Por Kelly Oliveira

Instituições financeiras poderão pegar empréstimos com o Banco Central. A previsão é de liberação de R$ 650 bilhões na economia.

Na noite dessa quarta-feira (1º), em reunião extraordinária, o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou o Banco Central (BC) a conceder empréstimos aos bancos tendo como garantia as carteiras de crédito dessas instituições. As operações terão prazo de, no mínimo, 30 dias e, no máximo, 359 dias corridos.

Segundo o BC, a Linha Temporária Especial de Liquidez (LTEL) tem o objetivo de oferecer a liquidez (recursos disponíveis) “necessária para que o Sistema Financeiro Nacional possa se manter estável frente ao aumento da demanda observada no mercado de crédito, fruto dos reflexos da propagação da Covid-19”.

O BC informou em nota, divulgada hoje (2), que a adoção dessas linhas especiais de liquidez pelos principais bancos centrais no mundo tem sido instrumento “amplamente utilizado” como uma das respostas à crise.

“A fim de conferir maior segurança à operação, os créditos serão dados em garantia no âmbito de registradora de ativos financeiros e transferidos ao BC mediante a emissão de uma Letra Financeira Garantida (LFG), depositada em depositário central”, diz o BC.

De acordo com o BC, serão aceitos créditos com níveis baixo de risco, avaliados como AA, A e B, mediante exigência de garantia em valor superior ao do empréstimo, de forma proporcional ao risco das operações de crédito ofertadas em garantia.

O BC informou que estabelecerá os critérios e as condições operacionais.

Contrato com o BC americano

Na reunião extraordinária, o CMN também autorizou o BC a firmar contrato de swap (troca, em inglês) com o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos.

No último dia 19, o BC e o Federal Reserve anunciaram o estabelecimento de uma linha de swap de liquidez em dólares americanos no montante de US$ 60 bilhões, ampliando a oferta potencial de dólar no mercado doméstico.

O acordo de swap entre o Banco Central do Brasil e o Federal Reserve permanecerá em vigor por pelo menos seis meses. “A linha de liquidez soma-se ao conjunto de instrumentos disponíveis do BC para lidar com a alta volatilidade dos mercados em decorrência da pandemia da Covid-19”, disse o BC.


BRBcard-777x437.jpg

Callado31 de março de 20203min

Ferramenta, denominada BRB Conta, pode ser utilizada por empresas que queiram aderir ao Supera-DF, programa lançado para minimizar impactos econômicos da crise do coronavírus

FIQUE EM CASAO BRB atualizou o aplicativo BRB Conta, incluindo a opção para abertura de contas de clientes enquadrados na categoria de pessoa jurídica. Disponível na versão Android desde segunda-feira (30) e, a partir desta terça (31), em IOS, o app simplifica o processo de atendimento de novos clientes, especialmente os que queiram aderir ao Supera-DF.

Este programa, lançado na semana passada para minimizar os impactos financeiros ocasionados pela crise do coronavírus, tem entre suas ações a concessão de até R$ 1 bilhão para a cadeia produtiva.

“Poder disponibilizar o aplicativo em meio à pandemia do coronavírus foi um esforço adicional para atender às empresas em meio à crise da Covid-19”, destaca o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

“A ferramenta complementa nosso portfólio e reforça o compromisso de o BRB ser, cada vez mais, um banco moderno, completo e inovador.”

Por meio do app, os novos clientes enquadrados na categoria Pessoa Jurídica (PJ) passam a ter, na palma da mão, todo o processo de abertura de conta, fornecimento da documentação necessária e acompanhamento da aprovação do crédito totalmente pelo canal digital.

Outra importante medida que faz parte do programa Supera-DF é a oferta de carência de 90 dias para pagamento de crédito imobiliário e outras linhas de crédito, inclusive a modalidade consignada.

Para isso, os cientes precisam estar adimplentes ou com atraso a partir de 18 de março.


GDF_Coronavirus_BlogDoCallado_300x600.gif

Callado30 de março de 20202min

FIQUE EM CASADe acordo com a Receita Federal, o prazo final é 30 de abril

A Receita Federal recebeu, até as 11h desta segunda-feira (30), 8.195.164 declarações do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física (IRPF).

Segundo o supervisor nacional do Imposto de Renda, o auditor-fiscal Joaquim Adir, a expectativa é de que 32 milhões de contribuintes entreguem declaração este ano.

O prazo de entrega da declaração é até 30 de abril.

Os contribuintes poderão obter as orientações sobre a Declaração do IRPF 2020 no endereço  IRPF2020.


banco_central_abr_30091923895.jpg

Callado28 de março de 20203min

Pequenas e médias empresas têm linha para financiar folha de pagamento

FIQUE EM CASA

O Banco Central (BC) poderá solicitar justificativa nos casos em que os bancos negarem concessão de crédito emergencial às pequenas e médias empresas, anunciado na última sexta-feira (27). A previsão é que a linha esteja disponível em duas semanas. A medida visa reduzir os efeitos do coronavírus na economia brasileira.

Ela vai financiar até dois salários mínimos por trabalhador, durante dois meses, das empresas com faturamento anual entre R$ 360 mil a R$ 10 milhões. A medida deve beneficiar 1,4 milhão de empresas, atingindo 12,2 milhões de trabalhadores. Serão liberados R$ 20 bilhões por mês, totalizando R$ 40 bilhões. 

Taxa de juros será de 3,75% ao ano

A taxa de juros será de 3,75% ao ano (atual taxa Selic). Do total a ser liberado por mês (R$ 20 bilhões), R$ 17 bilhões serão recursos do Tesouro Nacional e R$ 3 bilhões dos bancos privados. Serão seis meses de carência e 36 meses para o pagamento.

Segundo o BC, o critério para ter acesso ao crédito é o “bom histórico de atrasos nos últimos 6 meses”. Mas bancos vão seguir seus modelos e políticas de crédito para a concessão dessa linha de crédito.

“O Banco Central, enquanto supervisor do sistema bancário, se assegurará que a política de concessão é não discriminatória. Poderá, se e quando entender conveniente, solicitar a justificativa para os casos em que os bancos negarem a concessão da linha para clientes elegíveis”, disse, em nota, o BC.


brb.jpeg

Callado25 de março de 20203min

Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

A medida é para pessoa física ou jurídica: carência de três meses para o pagamento do crédito imobiliário e demais operações parceladas

FIQUE EM CASAO Banco de Brasília (BRB) decidiu oferecer aos seus clientes – pessoas físicas ou jurídicas – carência de três meses para o pagamento do crédito imobiliário e demais operações parceladas. É mais uma medida para minimizar os impactos econômicos ocasionados pela crise do coronavírus.

No caso do crédito imobiliário, durante a carência, serão cobrados apenas valores referentes ao seguro das operações (valor variável de acordo com a idade, saldo devedor e valor de avaliação do imóvel) e taxa de administração (R$ 25).

“A pandemia causada pelo coronavírus exige de nós todos responsabilidade e a adoção de medidas para minimizar os prejuízos. É o que o BRB, como banco da cidade, tem procurado fazer nesse delicado momento. A concessão de carência de 90 dias é mais uma ação no sentido de cuidar das pessoas e da economia do DF”, afirma o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

A concessão da carência para os produtos de crédito do BRB, no casos de pessoas físicas ou jurídicas,  depende de os clientes estarem adimplentes ou com atraso a partir do dia 18 de março. A prorrogação por 90 dias não é válida no caso de crédito consignado. Para solicitar a prorrogação por 90 dias, o cliente deve entrar em contato por meio dos canais digitais ou do Telebanco 3322-1515.

No caso dos novos contratos, realizado por meio do programa Supera, a carência para pagamento inicial é de seis meses.


brb-2.jpg

Callado25 de março de 20205min

Condições diferenciadas para o setor de turismo de pessoas físicas a jurídicas

FIQUE EM CASAEmpresários e autônomos do turismo terão acesso a linhas de crédito criadas especialmente para atender o setor durante a pandemia do coronavírus. A iniciativa é uma parceria entre a Secretaria de Turismo do DF (Setur-DF) e o Banco de Brasília (BRB) para minimizar os prejuízos durante o período de crise, e estará disponível por seis meses.

Todos os membros do setor de turismo, como artesãos, guias de turismo, agências de viagens, rede hoteleira e de hospedagem, agências de guias de turismo, entre outros, serão beneficiados pela medida, que terá modelos de empréstimo e financiamento. As linhas de crédito oferecidas são a Acreditar – produto de microcrédito do BRB; Progiro – Capital de Giro e BRB Investimento.

“O Governo do Distrito Federal, a Setur e o BRB estão fazendo tudo o que está ao seu alcance para prestar apoio às empresas e trabalhadores do setor de turismo afetadas pelos impactos econômicos decorrentes da pandemia global do coronavírus. Esse momento é crucial para garantirmos o futuro do turismo, para que ele volte a gerar emprego e renda para a nossa população após esse período tão difícil que estamos enfrentando, mas vamos superar com a união de todos”, destaca a secretária de Turismo, Vanessa Mendonça.

“O BRB tem trabalhado fortemente para colaborar com toda a cadeia produtiva impactada economicamente pela crise do coronavírus. Nossa ideia é colaborar com todos os setores que tenham necessidade nesse duro momento que o mundo vive”, complementa o presidente do BRB, Paulo Henrique Costa.

Para ter acesso às linhas do Supera-DF é preciso contatar o BRB pelo 61 3322-1515. As agências estão fechadas, mas há equipes no local para fazer atendimento para as empresas.

Linhas de crédito disponíveis – Serão três modalidades de empréstimo/financiamento:

O Acreditar é um produto de microcrédito orientado que atende com financiamento de  R$ 350 a R$ 15 mil, aval ou grupo solidário e é destinado para pessoas físicas ou jurídicas com faturamento anual de até R$ 200 mil. As taxas de juros são a partir de 1,85% a.m.

Já o Progiro oferece taxas de juros a partir de 0,80% a.m.,  com prazo de 36 meses para pagamento e seis meses de carência.

O BRB Investimento tem prazo de 60 meses para pagamento e até 12 de carência. As taxas de juros são a partir de 0,92% a.m. Tanto o Progiro quanto o BRB Investimento são destinados a empresas de todos os portes.

Condições para adesão das linhas de crédito:

Para ter acesso aos benefícios, pessoas físicas e jurídicas devem atender os critérios estabelecidos. São eles:

Para empresas, comprovar vínculo com o setor de turismo mediante registro em seu CNPJ da Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE;

Para pessoas físicas, comprovar vínculo com o setor de turismo pelo cadastro no CADASTUR ou carteirinha de artesão, no caso dos artesãos;

Ter aprovação da análise cadastral e econômico-financeira, de acordo com a política de crédito adotada pelo BRB.



Sobre o Blog

Com 16 de existência, o Blog do Callado é o 1º Blog Político de Brasília, um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


ricardocallado@gmail.com

55 61 98417 3487


Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial