Arquivos Brasília - Blog do Callado

vacina-dengue.jpg

Ricardo Callado25/05/20196min

Serão montadas tendas em seis cidades do DF, nas áreas das UBS. Elas vão funcionar todos os dias por três semanas

Por Jessica Antunes
O Governo do Distrito Federal lança força-tarefa para tratar pacientes com suspeita de dengue por três semanas. Serão seis centros específicos de atendimento para agir de forma emergencial no principal fator de atenção imediata à doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti: a hidratação. A ação começa às 12h deste sábado (25), com tendas de Hospital de Campanha que começam a ser montadas às 7h nas áreas das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Varjão, Candangolândia, Itapoã, Planaltina, Estrutural e Sobradinho II receberão as estruturas. Três ambulâncias serão disponibilizadas pelo Corpo de Bombeiros (CBMDF) para transportar pacientes mais graves. A corporação também vai alterar o protocolo de atendimento para dar prioridade aos casos de dengue — sem deixar de atender as demais ocorrências emergenciais.

Os centros funcionarão por três semanas, de domingo a domingo, das 7h às 19h. Depois disso, os pacientes serão atendidos nos hospitais. As Administrações Regionais também estão envolvidas, dando suporte operacional nas cidades.

A partir de agora, todos os pacientes com suspeita de dengue terão classificação de risco única em toda a rede de atenção de saúde pública. A medida evita retrabalho e maior espera dos pacientes entre as unidades. “Isso vai servir para determinação de fluxo dos pacientes com dengue. Neste momento, há necesside de atendimento de grande número de pacientes e vamos utilizar tendas disponibilizadas pelo Samu em seis localidades, classificadas de acordo com o índice epidemiológico”, explica o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Para o trabalho, são necessários sais de reidratação oral para o paciente levar para casa, soro fisiológico, insumos para aplicar o soro e medicamentos. Da cordo com Ricardo Ramos, subsecretário de Atenção Integral à Saúde, a hidratação é o principal tratamento inicial para a dengue, porque “no início da doença a principal repercussão é hemodinâmica”. O médico explica que, com a reposição de líquidos, é possível minimizar esses efeitos. “A desidratação pode piorar esse quadro.” Além disso, com a padronização da classificação de risco, o paciente que precisar ser encaminhado ao hospital não precisará passar por nova classificação para atendimento.

Dengue

O Protocolo de Manejo Clínico da Dengue é definido pelo Ministério da Saúde a partir dos sintomas apresentados. A pessoa tem suspeita de dengue se tiver febre persistente e mais dois sintomas, como dor no corpo, dor atrás dos olhos, vômito. Nesses casos, o paciente será acolhido e classificado em quatro grupos, que vão desde encaminhamento dentro da rede – hidratação oral e liberação – até necessidade de internação em virtude da gravidade do caso. Não é preciso teste rápido ou sorológico para iniciar o atendimento ao paciente, mas ele é necessário para dar continuidade ao tratamento.

“Para evitar a doença, tem que ter manejo ambiental, evitar água empoçada e focos de mosquito para que não prolifere. Se há suspeita, já pode começar a tratar em casa, mantendo a hidratação, e ir a uma UBS, que é porta de entrada para atendimento”, explica Ricardo, subsecretário de Atenção Integral à Saúde. Serão 36 pessoas trabalhando nessas unidades — 1 enfermeiro e mais cinco técnicos. Os profissionais interessados atenderão a uma circular da Secretaria de Saúde de convocação para crise.

Esses servidores terão o bônus de horas extras e atuarão fora do expediente. Mariana Rodrigues, subsecretária de Logística em Saúde da Secretaria de Saúde, garante que há recursos suficientes para viabilizar a força-tarefa e que serão distribuídos conforme necessidade apontada por cada unidade.

Confira a localização dos Centros de Hidratação:

Varjão
UBS 1 – Vila Varjão, quadra 5, nº 5, conjunto A, lote 17

Candangolândia
UBS 1 – Área Especial, quadra 5/7

Itapoã
UBS 1 – QD 378, Área Especial, Del Lago

Planaltina
UBS 4 – Quadra 18 conjunto H AE 1, St Residencial Leste, Buritis IV

Estrutural
UBS 1 – Área Especial 2, Avenida Central

Sobradinho II
UBS 2 – Rodovia DF-420, Setor de Mansões, n°1.

(Com informações da Agência Brasília)


sejus-df.jpg

Ricardo Callado24/05/20195min

O esquema fraudulento envolvendo funerárias é antigo no DF. Há 16 processos de apuração envolvendo irregularidades no setor

A Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal (Sejus) atua para regulamentar os serviços funerários no Distrito Federal (DF). A iniciativa visa acabar com fraudes contratuais, atestados de óbitos assinados sem legalidade, além de irregularidades nos transbordos, dentre outros problemas que vinham se arrastando nos últimos anos.

Nesse sentido, foi publicado nesta quinta-feira (23), no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), edital de convocação de audiência pública a ser realizada no dia 5 de junho próximo, no auditório da Escola de Governo do DF (EGOV-DF), para debater a outorga de permissão para exploração de serviços funerários no Distrito Federal.

Desde o começo da gestão atual, a orientação do Secretário da Sejus, Gustavo Rocha, deu-se no sentido de regulamentar o setor. “Precisamos corrigir os procedimentos para aprimorar os serviços à população em uma área muito sensível e que mexe com as pessoas num momento de vulnerabilidade”, afirmou Gustavo Rocha.

A Sejus, através da Subsecretaria de Assuntos Funerários (Suaf), vem realizando reuniões com representantes das empresas funerárias para oferecer diversos esclarecimentos sobre as novas regras. Atualmente as funerárias e funcionam por meio de permissão do Termo de Ajuste de Conduta (TAC).

A primeira reunião aconteceu na terça-feira (14 de maio), no auditório da Sejus, na antiga Rodoferroviária. “O objetivo é também ouvir os representantes das funerárias, melhorar e dar continuidade ao trabalho com mais clareza”, explicou o Subsecretário de Assuntos Funerários, Manoel Antunes.

As ações da Sejus visam dar transparência às licitações e contratações; debater o edital de concorrência nº 01/2018 – SEJUS, que visa a outorga de permissão para exploração de serviços funerários no Distrito Federal, em razão de diversas impugnações e da suspensão por parte do Tribunal de Contas do Distrito Federal-TCDF.

Audiência

A audiência prevista no edital publicado nesta quinta-feira (23) será às 9h do dia 5 de junho, no auditório da Escola de Governo do Distrito Federal -EGOV, localizado no SGO, Quadra 01, Lote 01, Blocos A/B. A reunião será aberta a toda sociedade, sendo que os interessados que quiserem participar efetivamente, deverão encaminhar suas manifestações, questionamentos e sugestões a respeito da matéria previamente, até o dia 29 de maio, às 18h, para o e-mail: licitacoessf@sejus.df.gov.br.

Máfia das Funerárias

O esquema fraudulento envolvendo funerárias é antigo no DF. Corpos transportados na calada da noite de forma clandestina por veículos descredenciados, fraudes contratuais e atestados de óbitos assinados sem qualquer legalidade são alguns praticados, mesmo após investidas policiais e do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT). O chefe da Unidade de Assuntos Funerários, Manoel Antunes, informou que a Sejus tem, hoje, 16 processos de apuração envolvendo irregularidades em 16 funerárias.

*Com informações da Secretaria de Justiça e Cidadania


Feira-Enova3.jpeg

Ricardo Callado24/05/20192min
Exposição com diversas liquidações será no dia 2 de junho, a partir das 10 horas, e a entrada é gratuita
A tradicional feira de produtos artesanais de Brasília está de volta. A Enova será uma edição especial do dia dos namorados com diversos produtos em liquidação. A exposição acontece na Belini Café – The Coffee Experience (114 sul), no próximo dia 02 de Junho. O evento conta com mais de dez expositores brasilienses que estarão com seus produtos artesanais à venda, das 10h às 18h.

O projeto que está em seu sexto ano traz acessórios, bijuterias, roupas, produtos infantis, entre outros, valorizando o trabalho de artistas, artesãos, designers e estilistas de Brasília. Além dos produtos tradicionais, os expositores trarão um espaço terapêutico com massagem, aurículo, mandalas e, também a Caixinha da Maruka somente com produtos autorais.

Serviço
Enova – Feira de Produtos Autorais
Data: 02/06
Local: Belini Café – The Coffee Experience (CLS 114 Bloco B Loja 07 – Asa Sul)
Horário: 10h às 18h
*Entrada gratuita

Escola-Classe-da-Vila-do-RCG.jpg

Ricardo Callado24/05/20192min

A iniciativa da Escola Classe da Vila RCG terá programação especial no SAAN e no Noroeste

Os moradores das invasões no SAAN (Setor de Armazenagem e Abastecimento Norte) e no Noroeste terão um sábado diferente. Isso porque a equipe da Escola Classe da Vila do RCG (Regimento de Cavalaria de Guardas) realizará no dia 25/05, das 8h às 12h, uma ação social voltada a 96 famílias e 104 crianças que vivem nessas localidades. A maioria tem os filhos matriculados na unidade de ensino e precisa de gestos como esse para se sentir valorizada.

A programação prevê atividades variadas. Entre elas, um café da manhã para integrar o grupo, apresentação teatral e distribuição de cestas básicas, cobertores, roupas e brinquedos.

“Vamos levar um pouco de carinho e atenção. Cerca de 80% dos nossos estudantes são dessas invasões. Essas famílias precisam saber que nos preocupamos com elas”, explica a diretora Cláudia Garcia.

Quer contribuir com a ação social? Basta entregar os donativos (alimentos, roupas, cobertores e brinquedos) na própria unidade de ensino, que fica no Setor Militar Complementar.


vicente-pires-1.jpg

Ricardo Callado22/05/20193min

Para atender a demanda, uma força tarefa de homens e máquinas vem trabalhando numa jornada diária de 15 horas por dia

Por Lúcio Flávio

Se tudo der certo, o asfalto chegará a Vicente Pires neste sábado nas principais ruas da cidade. Esse é o plano do Gabinete de Gestão Integrada, em funcionamento desde que as obras emergenciais foram sanadas após fortes chuvas que castigaram a região, substituindo o comitê de gestão de crise. Para tanto, uma força tarefa de homens e máquinas vem trabalhando numa jornada diária de 15 horas por dia envolvendo, além da Novacap, DER, claro, outros órgãos do GDF como Detran, CEB, Defesa Civil, Bombeiros, entre outros. “Aqui as obras não param”, revela Daniel de Castro, o administrador da cidade. “Temos sido gigantes para resolver os problemas da cidade”, admite o gestor.

O foco no momento são as compactações das ruas 3, 3B, 3C, 4, 4B, 6, 8 e 10 que estão prestes a receber a massa asfáltica. Os trabalhos são intensos. Em algumas dessas vias, antes da compactação, que é o preparo do chão para receber o asfalto, estão sendo feitos trabalhos de drenagem. A expectativa é que, de sexta para sábado, parte da 3C e da 10 sejam os primeiros trechos a serem pavimentados. O processo demanda cinco etapas: nivelamento da rua, condensamento do chão, aplicação de BGS (britas granuladas), piche e, por último, a massa asfáltica.

Morador da rua 10, William da Silva Nascimento está animado com as obras, apesar dos transtornos. “Atrapalha os carros e as pessoas a circularem, mas vai ficar bom, está melhorando, ainda bem que o governo dessa vez agiu rápido”, elogiou. “A gente está torcendo que melhore por que do jeito que estava era um caos, pelo menos tem gente trabalhando direto”, constata a mineira Marli Barbosa.

Para dar dinamismo e celeridade aos trabalhos que vem sendo realizados diariamente em Vicente Pires, um comitê de gestão de rua formado por 16 grupos de WhatsApp foi criado, tendo como participantes servidores da RA e moradores. “Cada grupo tem um coordenador da nossa administração que ouve as demandas da população numa barraca com mesa e cadeira, identificamos os problemas, que pode ser desde um cano quebrado, por exemplo, a um buraco na rua e tentamos solucionar o impasse o mais rápido possível”, detalha o coordenador da Rua 10, Carlos Eduardo. “Desde a chuva para cá, colocamos mais de 200 toneladas de asfalto na cidade de tapa buraco”, conta o administrador.


cafe_foto_divulgação-2.jpg

Ricardo Callado21/05/20194min

Vai um cafézinho? No mês em que se comemora o Dia Nacional do Café (24 de maio), descubra um pouco mais sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Seja o pingado, coado, espresso, forte, com ou sem açúcar; o café é, indiscutivelmente, uma das principais paixões brasileiras. Somente no ano de 2018, o consumo da bebida por aqui aumentou mais de 3%, o que equivale a 1,1 milhão de toneladas do produto, de acordo com levantamento feito ano passado pelo Euromonitor International. O valor representa cerca de 16% do consumo global, o que fez com que o Brasil tomasse o lugar dos Estados Unidos, assumindo o posto de maior consumidor de café de todo o mundo.

Originado na Etiópia no século VII, o grão apareceu no País Tropical no século XVIII, por volta de 1727. Crescendo aos poucos pelo país e com o plantio favorecido pelo clima, o café foi o principal produto de exportação da economia brasileira entre os séculos XIX e XX, o que garantiu capital suficiente para urbanizar cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Hoje em dia, a média anual de consumo entre os brasileiros é de 839 xícaras por ano.

Produção

Desde a chegada dos grãos até o empacotamento final, o processo dura cerca de 24h. O café percorre  várias etapas até chegar à xícara. Primeiro acontece a fermentação, que consiste em remover a camada de mucilagem que vem junto ao grão, e logo após eles vão para a secagem. Depois de secos e ainda verdes, eles passam pela prova, em que profissionais analisam a qualidade dos grãos, e, só então, vão para a torra. Após serem torrados, vão para a moagem e, finalmente, para as prateleiras.

Fabricar um café de qualidade não é uma tarefa fácil, pois o público brasileiro é exigente. De acordo com o diretor de marketing e vendas da tradicional marca brasiliense Café do Sítio, Ricardo Barbosa, o interesse pelos sabores, texturas e processos envolvidos na produção têm crescido entre os consumidores.

Você sabia?

 

  • Além do atual posto de maior consumidor de café do mundo, o Brasil também é o maior produtor da iguaria. Só em 2018, o país exportou mais de 35 milhões de sacas;
  • O café é a segunda bebida mais consumida em todo o mundo, ficando atrás apenas da água;
  • Além de uma delícia, o café pode ser um grande aliado da saúde. Além de aumentar performance física por conta da cafeína, ele é riquíssimo em antioxidantes, e faz com que desacelere  o envelhecimento e ajuda na prevenção de algumas doenças;
  • O café também dá um up na beleza! Misturado com água em uma espécie de “pastinha”, pode ser usado para esfoliar a pele, como máscara facial e até para diminuir olheiras. Isso é possível graças à cafeína, que ativa a microcirculação e atua como firmadora e hidratante.

image001.jpg

Ricardo Callado21/05/201926min

Em Brasília, área localizada no Setor Bancário Sul, com potencial de construção de 19 mil m2, vai a leilão com lance mínimo de R$ 31,8 milhões – dia 06 de junho, às 11 horas

O Banco do Brasil (BB) anuncia leilão de 41 imóveis localizados em cidades do estado de São Paulo e em Brasília, que será realizado no dia 06 de junho, às 11 horas, com lances presenciais e a distância.

Na capital federal, destaque para o imóvel do disputado Setor Bancário Sul de Brasília (SBS). Com potencial construtivo de 19 mil m2, o terreno possui 1.031,64m², com área construída de 6763,315m² (entre pavimentos térreo e subsolo), e será leiloado a um lance mínimo de R$ 31,8 milhões. 

De acordo com Carla Umino, Leiloeira Oficial da Lance no Leilão, empresa contratada para realizar os leilões judiciais e extrajudiciais do Banco do Brasil, a compra de um imóvel no SBS representa uma oportunidade significativa de investimento, tendo em vista a localização estratégica para negócios e a saturação de áreas à venda na região.

Segundo Carla, o imóvel em questão destina-se a multi family offices, consórcios, grandes grupos de investimento, instituições bancárias ou até mesmo escritórios.

Já no estado de São Paulo, serão ofertados imóveis de agências desativadas do BB, apartamentos, além de espaços comerciais e residenciais, localizados em 32 cidades. Os lances partem de R$ 37,2 mil. Há também uma fração de terreno em Guarani D´oeste, cujo lance mínimo é R$400,00. Entre as oportunidades do leilão estão o prédio da agência desativada do BB, localizada no município de Amparo (foto ao lado), cujo lance mínimo é de R$ 1.764 milhão, e da cidade de Dois Córregos, com lance a partir de R$ 920 mil.

Os interessados podem fazer seus lances presencialmente ou a distância, pelo site www.lancenoleilao.com.br/bb. É necessário fazer um cadastro no site com até 48 horas de antecedência ao leilão. Já os lances presenciais podem ser realizados na rua Doutor Bento Teobaldo de Ferraz, 190, Barra Funda, São Paulo. Podem participar pessoas físicas e jurídicas.

Importante frisar que o Banco do Brasil ficará responsável por quitar eventuais valores não quitados de IPTU, ITR, CCIR, laudêmio (taxa de transação para a União) e condomínio, até a efetivação do registro da transferência do imóvel ao arrematante. Para visualizar a descrição dos imóveis e o edital, acesse www.lancenoleilao.com.br/bb

Serviço:

  • Leilão de imóveis do Banco do Brasil em Brasília e São Paulo.
  • Dia: 06 de junho
  • Horário: 11 horas
  • Como participar:

Mais informações:

Carla Sobreira Umino – Lance no Leilão

11 2359-7351 / atendimento@lancenoleilao.com.br / www.lancenoleilao.com.br/bb

Imóveis Leilão do Banco do Brasil

Brasília (DF)

Lote 41 – Brasília – Imóvel Urbano no setor Bancário Sul, com área de terreno com 1031,64m², área construída de 6763,315m², e construtivo de19.783,12 m². Situado na SBS QD 1 BL M PJ 35, em Brasília DF. Descrito na matrícula nº 11816 1º CRI Brasília DF.  Lance Mínimo: R$ 31.814.000,00 (trinta e um milhões e oitocentos e quatorze mil reais).

 

Cidades do Estado de São Paulo (SP)

Lote 01: AMPARO – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio comercial, situado na Praça Monsenhor João Batista Lisboa, 64, Centro, Amparo. Matrícula 4.929, do CRI LOCAL. Venda com aprox. 13% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ R$ 1.764.000,00;

Lote 02: ARARAQUARA – Apartamento nº 201 do condomínio “Parque Arpoador”, com área real privativa de 45,540m², área real de uso comum 36,136m², área real total de 94,176m², na Avenida 01 (Rua Maria Marcelina de Campos, 500, bairro Parque Atlanta, Araraquara, Matrícula 137.357 do 1º CRI LOCAL. Venda com aprox. 44% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 67.000,00;

Lote 03: BAURU – Apartamento nº 408, bloco 06, do Parque Bogotá, com área real privativa coberta de 46,630m², área real de uso comum de 33,251m², área real de estacionamento 11,500m², e área real total de 91,381m², garagem, na Rua Jorge Schneyder Filho 11-05, Bauru, matrícula 117.947 do 2º CRI LOCAL. Ocupado. Venda com aprox. 25% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ R$ 96.000,00;

Lote 04: DOIS CORREGOS (foto ao lado) – AGÊNCIA DESATIVADA – 01  prédio, dentro de um terreno com área de 596,40m², na Praça Major Carlos Neves, 61, Centro, Dois Córregos, matrícula 602 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 10% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 920.000,00;

Lote 05: GARÇA – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 terreno com a área de 2.361,36 m2, contendo um prédio construído edificado sobre a quadra 53-A, com a área construída de 1.202,88 m2, sob nº 37 da Alameda Mathias Manchini, esquina com a Avenida Dr. Labieno da Costa Machado, Garça -SP, matrícula nº 2.840 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 2.106.000,00;

Lote 06: GUARÁ – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 Prédio com área de 457,70m², dentro de um terreno com área de 1.037,40m², na Rua Carlos de Campos, 243, Centro, Guará, matrícula 345, do CRI de Ituverava. Venda com aprox. 12% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 495.000,00;

Lote 07: GUARANI D’OESTE: Imóvel urbano: Pertence ao BANCO DO BRASIL uma fração de 2/21, de um terreno com área de 968,00m², na rua Joaquim Maria de Oliveira, s/n, Centro, Guarani d´Oeste – SP. Matrícula 11.468 do CRI de Fernandópolis – SP. Lance Mínimo R$ 400,00;

Lote 08: IGARAPAVA – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio com área de 525,00m², dentro de um terreno com área de 672,00m², na Rua Cerqueira Cesar, 502, Centro, Igarapava – SP. Matrícula 11.270 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo R$ 597.000,00;

Lote 09: ITAPIRA – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio comercial na Rua Francisco Glicério, 221, Centro, Itapira – SP. Matrícula 3.984 e 7.390, do CRI LOCAL. Venda com aprox. 19% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 1.034.000,00;

Lote 10: JABOTICABAL – 01 residência com área construída de 50,09m², dentro de um terreno, lote 10, quadra 20 do loteamento Residencial Jaboticabal, com área total de 192,99m², na Rua Izidoro Garcia nº 450, Jaboticabal-SP. Matrícula 29.748 do CRI LOCAL. Ocupado. Venda com aprox. 45% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 37.200,00;

Lote 11: JUNQUEIRÓPOLIS – 01 residência com área de 630,18m², dentro de um terreno com área de 495,00m², na Avenida Sete de Setembro, 1.547, Centro, Junqueirópolis – SP. Matrícula 10.478 do CRI LOCAL. Ocupado. Venda com aprox. 7% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 359.000,00;

Lote 12: LINS – 01 prédio residencial com área construída de 222 m², dentro de um terreno sob n° 12 da quadra 4, com área total de 300m², na Rua Fernando Costa, 91- Junqueira- Lins – SP. Matrícula n° 2.787 do CRI de Lins- SP. Ocupado. Venda com aprox. 31% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 170.000,00;

Lote 13: MAIRIPORÃ – 01 residência dentro de um terreno com área 6.822,00m² na Rua São Felipe, s/nº (prolongamento do Caminho 08), Lote 03, Quadra GL 14, Bairro São Vicente, Mairiporã – SP. Matrícula 2.508 do CRI LOCAL. Ocupado. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 129.000,00;

Lote 14: MARÍLIA – Apartamento nº 302, do bloco 22 no Condomínio Marrocos Residenciais Casablanca, com área real privativa de 44,010m², área real de uso comum de 37,586m², área real de estacionamento 12,500m², e área real total de 94,096m², garagem, na Rua Avenida Doutor Hercules Galletti, 98-A, Jardim Califórnia, Marília – SP. Matrícula 68.577 do 1º CRI LOCAL. Ocupado. Lance Mínimo: R$ 94.000,00;

Lote 15: MARÍLIA – Apartamento nº 302, do bloco 13 no Condomínio Marrocos Residenciais Casablanca, com área real privativa de 44,010m², área real de uso comum de 37,586m², área real de estacionamento 12,500m², e área real total de 94,096m², garagem, na Rua Avenida Doutor Hercules Galletti, 98, Jardim Califórnia, Marilia – SP. Matrícula 68.433 do 1º CRI LOCAL. Ocupado. Lance Mínimo: R$ 106.000,00;

Lote 16: MARTINÓPOLIS – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio comercial com área de 984,848m², dentro de um terreno com área de 1.076,80m², na Avenida Cel. João Gomes Martins, 668, Centro, Martinópolis – SP. Matrícula 691 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 1.040.000,00;

Lote 17: MIRASSOL – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio, dentro de um terreno com área de 442,00m², na rua Quintino Bocaiuva, 21-38, 21-50 e 21-52, Centro, Mirassol – SP. Matrícula 58.477, do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo R$ 1.088.000,00;

Lote 18: MONTE AZUL PAULISTA – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio, dentro de um terreno com área de 514,90m², na Praça Rio Branco, 204, Centro, Monte Azul Paulista – SP. Matrícula 430 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 13% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 633.000,00;

Lote 19: NHANDEARA – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 Prédio com área de 232,25m², dentro de um terreno com área de 200,00m², na Rua Dr. Antônio Belchior da Silveira, 1.234, Centro, Nhandeara – SP. Matrícula 5.604 do CRI LOCAL. Lance Mínimo: R$ 346.000,00;

Lote 20: PENAPÓLIS – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 Prédio, dentro de um terreno com área de 722,00m², na Praça Dr. Carlos Sampaio Filho, 15, Centro, Penápolis – SP. Matrícula 1.673 do CRI LOCAL. Lance Mínimo: R$ 1.418.000,00;

Lote 21: PIRAJU – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio com área de 696,70m², dentro de um terreno com área de 345,64m², na Praça Ataliba Leonel, 121, centro, Piraju – SP. Matrícula 2.145 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 609.000,00;

Lote 22: PIRAJUÍ – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio comercial com área de 886,20 m², dentro de um terreno com área de 968,00 m², situado na Praça Dr Pedro da Rocha Braga, 160, Centro, Pirajuí – SP. Matrícula 456 do CRI LOCAL. Lance Mínimo: R$ 835.000,00;

Lote 23: PRESIDENTE VENCESLAU – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio, dentro de um terreno com área de 840,00m², na Travessa Tenente Oswaldo Barbosa, 42, Centro, Presidente Venceslau – SP. Matrícula 12.791 que tem origem na transcrição da matrícula 10.227 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 759.000,00;

Lote 24: RIBEIRÃO PRETO – Apartamento nº 401, bloco 15, do Parque Reino da Escócia, com área privativa de 44,250m², área comum de 50,821m², totalizando uma área de 95,071m², vaga de garagem nº 220, na Rua José Barense, 1155, Residencial Greenville, Ribeirão Preto – SP. Matrícula 172.951 do 2º CRI LOCAL. Lance Mínimo: R$ 116.000,00;

Lote 25: RIBEIRÃO PRETO – Apartamento nº 34, torre 1, do bloco A, Vitta Ribeirão Verde II, com área privativa de 42,820m², área comum de divisão proporcional de 23,150m² incluída nesta área 01 vaga de garagem, totalizando uma área de 102,630m² na Rua Antonia Mugnatto Marincek, 2.205, Jd. Aeroporto, Ribeirão Preto – SP. Matrícula 167.530 do 2º CRI LOCAL. Ocupado. Lance Mínimo: R$ 111.000,00;

Lote 26: RIBEIRÃO PRETO – Apartamento nº 101, bloco 33, do Parque Reino da Escócia, com área privativa de 44,250m², área comum de divisão proporcional de 28,650m², relativa a área livre, e a área comum de divisão proporcional de 54,112m², totalizando a área de 127,012m², vaga de garagem, na Rua Jose Barense, 1.155, Residencial Green Ville, Ribeirão Preto – SP. Matrícula 173.227 do 2º CRI LOCAL. Ocupado.  Lance Mínimo: R$ 134.000,00;

Lote 27: SANTA RITA DO PASSA QUATRO – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 um prédio comercial, dentro de um terreno com área de 897,60m², na Rua Vitor Meirelles, 373, Centro,  Santa Rita do Passa Quatro – SP. Matrícula 226 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 943.000,00; 

Lote 28: SÃO BERNARDO DO CAMPO – Apartamento nº 11, Edifício Esplanada, Bloco A, com área útil de 56,3975m², área comum de 37,0452m², área total construída de 93,4427m², vaga de garagem na Avenida do Taboão, 2.700, bairro Suisso, São Bernardo do Campo – SP. Matrícula 45.379 do 1º CRI LOCAL. Ocupado.  Lance Mínimo: R$ 145.000,00;

Lote 29: SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – AGÊNCIA DESATIVADA –  01 prédio comercial, dentro de um terreno com área de 484,00m², na rua Bernardino de Campos, 1903, Vila Maceno, São José do Rio Preto – SP. Matrícula 2.930 do 2º CRI LOCAL. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 537.000,00;

Lote 30: SÃO JOSÉ DO RIO PRETO – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 Prédio com área de 97,00m², dentro de um terreno com área de 380,34m², na Rua Tiradentes, 2.150, Centro, São Jose do Rio Preto – SP. Matrículas 26.655 e 177.377, ambas do 1º CRI LOCAL. Lance Mínimo: R$ 545.000,00;

Lote 31: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS – Apartamento nº 31 localizado no 3º andar Bloco B-35, Parque Residencial Primavera, com a área útil de uso exclusivo de 49,41m², área comum de 50,98m², totalizando 100,39m² de área construída, vaga no estacionamento na Rua Lamartine Maia da Silva Torres, nº 177, Bosque dos Eucaliptos, São José dos Campos – SP. Matrícula 111.949 do CRI LOCAL. Ocupado. Venda com aprox. 53% inferior a última oferta,Lance Mínimo: R$ 59.000,00;

Lote 32: SÃO PAULO – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio, dentro de um terreno com área de 302,50m², na Rua Turiassú, 1318, Bairro Perdizes, São Paulo – SP. Matrícula 112.227 do 2º CRI de São Paulo – SP. Venda com aprox. 11% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 1.877.000,00;

Lote 33: SÃO PAULO – 01 prédio, dentro de um terreno com área de 163,50m², na Rua Fernando Marchesini, 28, Freguesia do Ó, São Paulo – SP. Matrícula 11.435 do 8º CRI DE SÃO PAULO. Ocupado. Venda com aprox. 44% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 152.000,00;

Lote 34: SÃO PAULO – 01 residência com área de 397,70m², dentro de um terreno com área de 1.308,00m², situada à Rua Tamburá, 117, Praia Azul, Guarapiranga – São Paulo SP. Matrícula 304.464 do 11º CRI de São Paulo. Ocupado. Lance Mínimo: R$ 459.000,00;

Lote 35: SÃO PEDRO – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio comercial, dentro de um terreno com área de 450,00m², na Rua Valentim Amaral, 949, Centro, São Pedro – SP. Matrícula 1.278 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 12% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 488.000,00;

Lote 36:  SÃO ROQUE – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio com área de 1.270,80m², dentro de um terreno com área de 602,26m², na Rua Quinze de Novembro, 28, centro, São Roque – SP. Matrícula 12.568 do CRI LOCAL. Venda com aprox. 12% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 3.181.000,00; 

Lote 37: SÃO SIMÃO – AGÊNCIA DESATIVADA – 01 prédio comercial com área de 1.200,00 m², dentro de um terreno com área de 2.869,71 m², na Rua Deodoro da Fonseca, 1026, Centro, São Simão – SP. Matrícula 4924, do CRI LOCAL. Venda com aprox. 13% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 1.159.000,00;

Lote 38: SOROCABA – 01 terreno, na Rua Henrique Fiori S/N, Bairro Terra Vermelha, município de Sorocaba-SP. Melhor descrito na matrícula 33.404 do 1º CRI LOCAL. Venda com aprox. 10% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 1.041.000,00; 

Lote 39: SOROCABA – Apartamento 24 do condomínio Residencial Jardim Betânia, com a área privativa de 52,00m², área comum de 4,217m², perfazendo a área total de 56,217m², 01 vaga de garagem, na rua Benedito Dias Batista, 130, bairro Jardim Betania. Matrícula 169.949 do 1º CRI LOCAL. Ocupado.  Lance Mínimo: R$ 118.000,00;

Lote 40: SOROCABA – 01 Prédio Residencial com área construída de 146,45m², dentro de um terreno com área de 200,00m², designado por Lote nº 11, da Quadra |C-4| do Loteamento denominado |Jardim Piazza Di Roma|, situada à Rua Manoel Gabriel Vieira, 232, Sorocaba-SP. Matrícula 72.212 do 2º CRI LOCAL. Ocupado. Venda com aprox. 28% inferior a última oferta, Lance Mínimo: R$ 164.000,00;

***


carro-eletrico.jpg

Ricardo Callado21/05/20195min

Brasília receberá 16 carros elétricos para serem compartilhados a partir do segundo semestre desse ano

Brasília receberá um projeto pioneiro de compartilhamento de veículos elétricos a partir do segundo semestre deste ano. A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Governo do Distrito Federal fecharam uma parceria que irá disponibilizar inicialmente 16 carros do modelo Twizy, da marca Renault, para serem usados por servidores distritais.

Além disso, o projeto terá 35 eletropostos (pontos de recarga) que serão instalados nas ruas da capital do país e servirão para abastecer qualquer veículo elétrico, sem custos aos usuários. Isso tornará Brasília uma das cidades brasileiras com maior número de eletropostos.

O Distrito Federal tem vantagens para o uso de carros elétricos, tais como o relevo predominantemente plano, o que reduz o consumo de bateria, a temperatura favorável e a tensão de 220 volts, dispensando adaptações para a instalação dos eletropostos. Além disso, a cidade apresenta o segundo pior tempo médio de espera por ônibus ou metrô no mundo: 28 minutos, o que revela a necessidade de melhorias na mobilidade urbana.

“A ABDI defende uma política de eletromobilidade como uma alternativa para o futuro das nossas cidades. Construímos um Laboratório Vivo em parceria com o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e testamos as soluções que vamos implementar neste projeto em Brasília. A decisão de trazer para a capital do país esta proposta se deve também pela disposição do Governo do Distrito Federal que se prontificou a realizar esta parceria”, destacou Guto Ferreira, presidente da ABDI.

O governo distrital tem uma frota de 1.927 veículos próprios e 572 alugados que, apenas com manutenção e combustível, consomem R$ 16 milhões por ano. A previsão é que este custo caia expressivamente (aproximadamente R$ 8 milhões, a depender da adesão dos usuários e de testes a serem realizados). Com isso, o investimento de R$ 2,3 milhões da ABDI para a implantação do projeto, será rapidamente abatido.

Os carros serão compartilhados por um software (Mobi-e), desenvolvido pelo PTI e usado no espaço da usina em Foz do Iguaçu (PR), que permite reservar os veículos disponíveis e acompanhar a localização deles. O aplicativo rastreia o automóvel, monitora a velocidade, a carga de bateria, as rotas percorridas e até mede a quantidade de emissão de gás carbônico que deixou de ser enviada para a atmosfera.

Os carros são desbloqueados com os crachás dos funcionários cadastrados no sistema. Os veículos serão cedidos ao governo distrital em forma de comodato, com cláusulas sobre operação, manutenção, taxas e seguros. “É muito importante demonstrar as soluções em ambiente real, em uma cidade com características que permitam a avaliação dos resultados para a população e para a indústria associada. E dentre as soluções, o compartilhamento de veículos elétricos encontra-se em fase mais madura, com testes sólidos no Parque Tecnológico e na Itaipu Binacional. A ABDI tem como objetivo mudar o pensamento da nossa sociedade para que as novas tecnologias tenham mais aderência e o compartilhamento de veículos elétricos é uma delas, é o futuro da nossa mobilidade”, finaliza Guto Ferreira.


veiculo-eletrico.jpg

Ricardo Callado20/05/201912min

Novidade, na qual o GDF investe e que conta com apoio de parcerias, representa um salto de qualidade de vida para todo o DF

Por Lúcio Flávio e Renato Ferraz

Causaram  sensação, na última quinta-feira (16), fotos e vídeos do governador Ibaneis Rocha guiando pela cidade um minicarro elétrico. A aventura viralizou nas redes sociais e mostrou que, além de arrojado e afeito a desafios, o chefe do Executivo está na vanguarda da mobilidade urbana e sustentabilidade. E já estuda implantar por aqui o veículo como transporte compartilhado nos moldes do que já acontece com os patinetes e as bicicletas. O primeiro passo foi dado nesta segunda-feira (20), com o anúncio de uma parceria, em forma de acordo de cooperação, entre o GDF, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI).

“Esse modelo de compartilhamento em ambiente real é pioneiro no Brasil”, informou o secretário de Ciências e Tecnologia e Inovação, Gilvan Máximo. “A ideia é que, depois do projeto piloto, possamos expandir a ideia de forma gratuita para a população.” Também presente ao evento de assinatura do acordo, realizado no Palácio do Buriti, o o secretário de Projetos Especiais, Everardo Gueiros, destacou: “De nossa parte, foi só tentar auxiliar. Já estamos nessa parceria público privada. Esse é um projeto que vai dar muitos frutos e que nos orgulha muito. Espero que consigamos, num futuro breve, expandir a ideia do DF para todo o Brasil”.

Esse modelo de compartilhamento em ambiente real é pioneiro no Brasil. A ideia é que, depois do projeto piloto, possamos expandir a ideia de forma gratuita para a populaçãoGilvan Máximo, secretário de Ciências e Tecnologia e Inovação

O custo da iniciativa experimental de implantação dos carros elétricos para o GDF será zero. Todo o investimento ficará a cargo da ABDI, que pretende investir R$ 2,3 milhões no projeto inserido dentro dos programas de cidades inteligentes e de integrar toda a Esplanada dos Ministérios com tecnologias que possam ser renováveis e reduzam os custos das administrações públicas. Atualmente, o GDF tem gastos em manutenção e combustíveis de sua frota estimado em R$ 16 milhões por ano. Se o projeto for utilizado 100% dentro do previsto, a estimativa de economia neste setor será de 50%.

“Esse é um tema discutido no Brasil e no mundo inteiro”, lembrou o presidente da ABDI, Guto Ferreira. “A partir da parceria que nós, da ABDI, fizemos com o Parque Tecnológico de Itaipu, nasceu a busca de um governo ou cidade e Brasília saiu na frente. Assim que o governador soube da iniciativa, imediatamente disse que queria usar o veículo em Brasília, dando uma prova definitiva de que é possível fazer um trabalho atendendo ao anseio da sociedade na velocidade que ela merece, que é a velocidade digital e não analógica”.

A circulação dos carros elétricos visa, entre outras vantagens, melhorar a mobilidade urbana, disseminar as tecnologias, economia de recursos, fomentar a cadeia produtiva de elétricos no Brasil, além claro, de diminuir a ação de poluentes na atmosferas.

Caráter experimental

A meta é que, a partir do segundo semestre deste ano, servidores selecionados e alguns secretários usem o modelo em caráter experimental para ir e voltar de reuniões. Os 20 modelos Twizy, disponibilizados pela marca Renault, circularão apenas no Distrito Federal em áreas específicas do Plano Piloto como os ministérios e os órgãos do GDF. Os veículos serão cedidos ao governo distrital em forma de comodato, com cláusulas sobre operação, manutenção, taxas e seguros, compartilhados por um software desenvolvido pelo Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), que permite reservar os veículos disponíveis e acompanhar a localização deles. O aplicativo rastreia o automóvel, monitora a velocidade, a carga de bateria, as rotas percorridas e até mede a quantidade de emissão de gás carbônico que deixou de ser enviada para a atmosfera. Os carros poderão ser desbloqueados com os crachás dos funcionários cadastrados no programa experimental.

Nessa primeira etapa do projeto, serão instalados, sem custo para os usuários, 35 eletrospostos (pontos de recarga) conectados a redes elétricas nos estacionamentos de órgãos federais e locais vinculados ao programa. Os “tótens de combustíveis” serão identificados por sinalizações no chão, nos moldes dos espaços reservados para deficientes, bombeiros e policiais. Brasília será a cidade com maior número de eletropostos do país. “Isso é absolutamente importante, porque colocamos eletropostos justamente na cidade em que é a sede do poder nacional”, enfatizou Guto Ferreira. “Não existe melhor exemplo de começar esse projeto, por Brasília.”

Na segunda fase do projeto de implantação dos carros elétricos na cidade, serão disponibilizados mais 20 modelos e, num terceiro momento, outros dez. O secretário Gilvan Máximo não descartou negociações com outras montadoras dessa nova tecnologia. “Todas as montadoras estão trabalhando com carros elétricos, e nós vamos procurá-las, [atendendo]  a determinação do governador para que possamos trazer para Brasília alguma indústria, queremos fazer do DF o primeiro Estado, cidade totalmente inteligente do Brasil e da América Latina.”

Após a coletiva de apresentação do projeto, alguns profissionais da impressa puderam fazer o teste drive no carrinho. Chamativos, os modelos têm design futuristas, com portas transparentes que abrem para cima. Com capacidade para andar a até  80km/h e autonomia de 100km com bateria carregada, os veículos, pelo tamanho, são perfeitos para os centros urbanos, encaixando-se em qualquer vaga. “É uma iniciativa que traz um impacto muito grande no eixo da mobilidade da cidade, dentro desse conceito de cidade inteligente”, Gilvan Máximo.

Uso sempre vantajoso

O fenômeno citycar – feito para uso exclusivo em cidades – não tem volta: algum dia você abrirá a carteira e comprará um. Todas as grandes marcas, de todos os continentes já têm modelos.

O Twizy ainda não está à venda. Só é comercializado em parcerias como esta, entre Renault/Itaipu/ABDI e o Governo do Distrito Federal, dentro de propostas de mobilidade zero emissão. Pelo menos 150 veículos destes circulam pelo país. É um carrinho de 2,33m de comprimento e 1,23m de largura. Na Europa, onde é vendido regularmente em alguns países, custa 8 mil euros – cifra equivalente a R$ 37 mil, pela cotação desta segunda-feira (20).

O motor 100% elétrico gera potência equivalente a 20cv e tem autonomia de até 100km (quanto mais rápida for a condução, mais energia se gasta). É facílimo de se conduzir: não tem marchas, e o torque (a força), até mesmo numa ladeira, é constante. Basta acelerar e frear.

O espaço é mínimo, principalmente para quem vai atrás. Este condutor, de 1,80m de altura, nada sofreu num rápido teste no entorno do Palácio do Buriti. A relação preço-tamanho é proporcionalmente equilibrada, mas o modelo se torna mais justo – na verdade, imprescindível – com a quantidade de benefícios que oferta paralelamente.

As vantagens aparecem para o bolso (o veículo tem manutenção barata), para os ouvidos (é tão silencioso que vem com um sensor sonoro para alertar os pedestres), para o meio ambiente (pesa 450kg e usa energia limpa, com zero de emissões) e, enfim, como um todo, para as cidades (transporta apenas duas pessoas). A média de ocupação por veículo, hoje, é de 1,4; e o Twizy, por fim, ainda ocupa menos espaço nas ruas, seja em movimento ou parado.

Curiosidades

  • Estrela das campanhas da Renault no Brasil, a cantora Anitta ganhou um Twizy. A artista disse que viu um exemplar na França e se apaixonou. “Ele encanta todo mundo por onde passa”, declarou, recentemente.
  • A parceria da Renault com a Itaipu vem desde 2013, quando as duas empresas começaram a montar um lote de Twizy, em Foz do Iguaçu. No fim do ano passado, ambas criaram um centro de treinamento para manutenção de veículos elétricos.
  • A Renault já vendeu (ou doou) mil carros na América Latina. O milésimo foi um Zoe, que fará parte de um estudo de mobilidade elétrica compartilhada da construtora MRV Engenharia.
  • Mais de 350 mil elétricos já foram vendidos no mundo, até o fim de 2018. A China, é de longe, o país que quem mais produz – consome.

(Com informações da Agência Brasília)


Reservatorio-santa-maria.jpg

Ricardo Callado20/05/20195min

Responsável pelo abastecimento da maior parte do Plano Piloto, Lago Sul e Paranoá

O reservatório de Santa Maria atingiu 100% de sua capacidade neste domingo (19/5). Responsável pelo abastecimento da maior parte do Plano Piloto, Lago Sul e Paranoá, o reservatório, que chegou ao volume mínimo de 21,8%, em 5 novembro de 2017, durante o período crítico de escassez hídrica, começou a se recuperar em abril do ano seguinte, em decorrência de novas obras de captação e redução do consumo.

Por suas características, o Santa Maria, ao contrário do Descoberto, recuperou-se mais lentamente, após o período de escassez. Além de ser menor, o reservatório é abastecido apenas por pequenos riachos. A barragem do Descoberto, que atende mais de 60% da população do DF, atingiu sua capacidade máxima pós crise hídrica, em 27 de dezembro do ano passado. A intensidade das últimas chuvas contribuiu para a permanência do volume máximo, com pequenas variações.

Sistema de Informações sobre Recursos Hídricos (SIRH), que monitora diariamente o nível dos reservatórios e pode ser conferido pelo site da Adasa, indica que a barragem de Santa Maria atingiu pela primeira vez a sua capacidade máxima em 15 de março de 1989.

A situação se repetiu a cada ano, até 1994, e alternadamente a partir de 1997. Nos últimos dez anos, a barragem de Santa Maria atingiu sete vezes o volume total. A última, antes da crise hídrica, foi em junho de 2015.

A Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) recomenda que apesar dos bons resultados é importante a manutenção das boas práticas de consumo de água.

Dados do Reservatório do Santa Maria (2009 a 2018)  

2018 – Reservatório começa a se recuperar e atinge 50% de sua capacidade, em 05 de abril. Em outubro, no auge da seca, o volume é de 48,6% e a partir daí a barragem retoma o processo de recuperação até os dias de hoje.

2017 – DF enfrenta situação crítica de escassez hídrica. Volume mínimo do Santa Maria é de 21,8 %, em 05 de novembro.

2016 – Início do período de escassez hídrica. Reservatório de Santa Maria atinge o volume mínimo de 40,3%, em 19 de novembro.

2015 – Volume do reservatório volta a atingir 100% a partir de 27 de abril, e permanece assim até 27 de junho.

2014 – Barragem mantém capacidade máxima por cerca de seis meses: de 22 de janeiro a 5 de julho

2013 –Santa Maria volta a atingir o volume máximo a partir de 16 de janeiro até 11 de maio.

2012 – Reservatório mantém 100% de sua capacidade, até 30 de junho.

2011 – Barragem chega à capacidade máxima em 5 de março , permanece por curto período até 2 de maio, e volta a atingir o volume total em 22 de dezembro daquele ano.

2010  – O Santa Maria atingiu o volume de 100%  entre os dias 6 de abril e 27 de maio.

2009 – Volume do reservatório variou de 79,1% a 89.3%

*Com informações da Adasa



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias