Brasília

viaduto.jpg

Ricardo Callado24/02/20183min

A Galeria dos Estados, região do desabamento de parte de um viaduto em Brasília, começou hoje (24) a passar por limpeza, verificação do sistema de drenagem, retirada de infiltrações e restauração da laje do forro. O trabalho está sendo feito pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) neste final de semana, com interdição da passagem de pedestres pela área subterrânea.

No último dia 6, uma faixa da pista no sentido Asa Norte, do viaduto da principal via de Brasília – o Eixão Sul – desabou, atingindo parcialmente um restaurante. Não houve vítimas.

O presidente da Novacap, Júlio Menegotto, disse que será feita uma inspeção completa na galeria para fazer a licitação de restauração. “Vamos fazer reformas pontuais no reforço de alguma laje, algum pilar e vamos fazer o escoramento dessa área. Vamos trabalhar todo o final de semana para que segunda-feira (26) de manhã o pedestre possa voltar a circular nessa área”, acrescentou.

Na próxima semana, também serão feitos reparos em locais próximos à queda do viaduto, como escadas e tesourinhas.

Segundo o administrador de Brasília, Gustavo Carvalho Amaral, no caso das lojas da galeria que precisarem de reparos, serão feitas notificações aos lojistas com remanejamento. “O objetivo é é realocar os lojistas na parte superior para que não tenham prejuízo”, disse. Os lojistas pagam taxa pelo uso da área pública.

Demolição

O bloco de concreto que caiu deverá ser demolido neste final de semana, de madrugada, segundo o presidente da Novacap. Após a demolição, o material será reciclado para ser transformado em meio-fio e tampas de boca de lobo. Menegotto explicou que a Novacap usa há cerca de seis meses máquinas especiais para fazer a reciclagem de concreto, além de coleta de água da chuva para esse trabalho. “Vamos triturar e separar em três tipos de materiais. Lá, ele vai virar meio-fio, tampa de boca de lobo”.


tjdft.jpg

Ricardo Callado24/02/20182min

Decisão foi adotada em liminar concedida pela desembargadora Leila Arlanch, do TJDFT. Descumprimento da medida vale multa de R$ 100 mil por dia ao sindicato da categoria

A Justiça do Distrito Federal declarou, neste sábado (24), a ilegalidade da greve dos policiais civis de Brasília, decretada na terça-feira (20), e determinou o imediato retorno da categoria ao trabalho.

Em decisão liminar, a desembargadora Leila Cristina Garbin Arlanch, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Território (TJDFT), fixou em R$ 100 mil ao dia a multa imposta ao Sindicato dos Policiais Civis a cada dia de descumprimento da medida.

A paralisação, de três dias, foi decretada na terça-feira (20), com indicativo de greve geral por tempo indeterminado à assembleia convocada para segunda-feira (26). A liminar foi expedida na quinta–feira (22) e mandada hoje à publicação no Diário de Justiça.

No despacho, a desembargadora cita a tese adotada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para fins de repercussão geral, que proíbe greves em serviços públicos essenciais, como a área de segurança pública.

Segundo a magistrada, em decisão do Pleno no julgamento de recurso extraordinário, em abri de 2017, o STF entendeu que “o direito de greve, sob qualquer forma ou modalidade, é vedado a policiais civis e a todos os servidores públicos que atuam diretamente na área de segurança pública”.

A decisão da desembargadora atende ação declaratória de ilegalidade da paralisação movida pelo governo de Brasília. Na petição, o Executivo alega que, além de ilegal, a greve traz prejuízos à segurança pública e pode acarretar distúrbios indevidos à sociedade.


carro-antigo-1.jpg

Ricardo Callado24/02/20182min

Uma boa opção para quem curte modelos clássicos do automobilismo é o “CasaPark Drive Experience”, exposição de hot rod’s (veículos que saíram de circulação no mercado e continuam sendo o xodó dos colecionadores) que segue até 26 de fevereiro na Praça Central do CasaPark, entre 10h e 22h   exceto no domingo (25), em que começa 12h e termina às 20h.

Impreterivelmente nessa edição, o público vai conferir de perto 15 modelos clássicos do automobilismo, entre eles o Dodge Coupe 40′, um curioso exemplar de Mad Max, que é o destaque da mostra.

A escolha do empresário Gilmar Farias, proprietário da coleção particular e da V12 Motors, foi feita a dedo. Os carros são um Ford 34′ Estilo Americano; Chevrolet Impala 65′; Chevrolet Gigante 49′; Austin Pick Up 52′; Porsche 56′ 356-A; Fusca 69′; Ford F1 49′; Pick Up Internacional 49′; Dodge Charger 72′; Espron BMW (famoso modelo ícone do projeto de Nelson Piquet na década de 90); Carro de Corrida da F3 (em homenagem ao piloto brasileiro Pedro Cardoso, que corre na GP-2); Kombi e Moto Cafe Racer 60′; Dodge Coupe 40’; além de lambretas e motos de 70′.

“Convidamos todas as pessoas, sobretudo as que gostam de carros e motos clássicas, para visitar a mostra. Para nós é um prazer receber um evento tão benquisto pelo público”, afirma Iran Valença, superintendente do CasaPark e curador do evento.


policia-civil-sinpol.jpg

Ricardo Callado24/02/20184min
O aumento da criminalidade e a escalada da violência no Distrito Federal, a cada dia, tornam-se mais evidentes, apesar dos esforços do governo em mostrar um quadro diferente. Para expor, então, essa realidade de forma clara, o Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF), lançou nesta sexta, 23, o jornal “Brasília Capital do Crime – Um jornal que demonstra o descaso do Governo Rollemberg com a Segurança Pública”.
A publicação, que terá periodicidade quinzenal, faz um apanhado dos principais crimes no período. Além de levantamentos próprios e conteúdo inédito, o jornal traz, sobretudo, matérias que foram divulgadas pelos principais veículos de comunicação do Distrito Federal. Quando publicadas juntas, essas notícias e fotos chocantes não deixam dúvida de que é a população brasiliense que tem pagado o preço pelo descuido do GDF no combate à criminalidade.
O propósito do jornal é contrapor o discurso oficial do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) de que a Segurança Pública da capital do país está muito bem, obrigado. Na verdade, ao longo dos últimos anos, tem sido promovida uma verdadeira precarização da pasta, sobretudo da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) e, como consequência, a insegurança deixa suas marcas na ruas brasilienses.
Em oito páginas, a primeira edição do periódico mostra toda a barbárie registrada no DF, apenas nos primeiros 36 dias do ano. Foram dezenas de homicídios, estupros e sequestros-relâmpago e milhares de roubos, dos mais diversos tipos – de veículo, de celular, a comércio, a transeunte ou em transporte coletivo.
Além da versão digital, disponível aqui (imagens fortes) [https://goo.gl/zPnVUL], 50 mil exemplares do jornal Brasília Capital do Crime também serão distribuídos, nos próximos dias, em locais de grande circulação. Enquanto isso, já está em finalização a segunda edição do periódico que, por sua vez, trará os crimes ocorridos no período de Carnaval.
“Enquanto vários estados tem lutado por verbas federais para a Segurança Pública, o DF conta com um repasse bilionário da União destinado prioritariamente à manutenção da área”, lembra o presidente do Sinpol-DF, Rodrigo Franco “Gaúcho”.
“Em 2018, GDF receberá R$ 13,7 bilhões do Fundo Constitucional e, ainda assim, a população brasiliense lida com uma sensação de insegurança como nunca houve na cidade”, afirma Gaúcho. Ele ressalta ainda que “isso ocorre porque o desvio dos recursos para outras áreas se tornou comum e o sucateamento da Polícia Civil, responsável pelas investigações, inclusive contra crimes de corrupção e colarinho branco, parece ser um dos grandes objetivos do atual governo”.

fabrica-social.jpg

Ricardo Callado22/02/20183min

Os interessados em qualificação profissional terão do dia 17 a 26 de fevereiro para se inscreverem no processo seletivo da Fábrica Social, unidade da Secretaria do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedestmidh). O Edital de Chamada Pública foi divulgado no Diário Oficial do Distrito Federal na quarta-feira (14).

Serão ofertadas duas mil vagas e mais cadastro reserva em seis cursos gratuitos: Confecção Industrial e Malharia (1.000 vagas); Confecção Industrial em Máquina Reta (800 vagas); Instalação e Manutenção de Sistemas Fotovoltaicos (Painéis Solares com 50 vagas); Produção e Cultivo de Alimentos Saudáveis (Hortas com 50 vagas); Marcenaria Criativa (com materiais recicláveis e 50 vagas) e Construção Civil (com 50 vagas).

Para participar do processo seletivo é necessário estar inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal, residir no DF, ter familiar de R$ 170,00, possuir idade mínima de 16 anos e não ter participado de nenhum curso ofertado pela Fábrica. As inscrições podem ser feitas pela internet, www.trabalho.df.gov/fabrica-social.html, preencher o formulário, ou por telefone, pelo número ‪0800 645 9445, nos dias úteis das 7h ‪às 19h, e aos sábados domingos e feriados no horário das 8h ‪às 18h.

Os dois mil novos alunos serão selecionados via sorteio, por meio de sistema informatizado, no próximo dia 27. Os ganhadores serão informados por telefone, entre os dias 28 e ‪2 de março, para que seja agendada a efetivação da matrícula, que será feita pessoalmente na Fábrica. A lista dos selecionados será divulgada por este site.

As vagas serão destinadas da seguinte forma: 85% para cadastro geral; 5% para pessoas com deficiência – PCD; 5% para idosos PI (60 anos completos ou a completar até ‪01/03/2018) e 5% para adolescentes em conflito com a lei – ACL, a partir de 14 (quatorze) anos completos e 18 (dezoito) anos incompletos, ambos até ‪01/03/2018, que já cumpriram medida socioeducativa ou que a estejam cumprindo, em regime semiaberto ou aberto.


WhatsApp-Image-2018-02-22-at-10.43.36.jpeg

Ricardo Callado22/02/20184min

Com fomento do FAC (Fundo Apoio à Cultura), artistas locais, referência na arte de criar espetáculos de contação de histórias, montam obra cênica em celebração ao legado literário de Sylvia Orthof

Contação de histórias pinça divertidas narrativas das páginas de obras literárias de Sylvia Orthof, para composição de interpretações cênicas que prometem divertir e surpreender crianças e adultos

“Firimfimfoca – histórias de uma fada carioca”, dirigido por Joana Abreu, conta histórias dos livros: “A fada lá de Pasárgada”; “A bruxa Uxa e o elefantinhozinhozinhozinho”; “Foi o ovo? Uma ova!”; “O bisavô e dentadura”; “O sapato que miava”; “Fraca fracola a galinha d”Angola”; e “Maria vai com as outras”, sete no total, de autoria da escritora Sylvia Orthof.

Onde encontrar um elefantinhozinhozinho?; E um personagem que ora é bruxa, ora fada?; E o que dizer de um sapato que mia?; E sobre a dentadura de um certo bisavô?; Em Firimfimfoca – histórias de uma fada carioca, crianças de ‘todas as idades’ irão se envolver com estas divertidas histórias e personagens em contações nas vozes e interpretações de Aldanei Menegaz, Míriam Rocha , Simone Carneiro e Tino Freitas, interprete e autor da trilha sonora original,composta para o espetáculo.

A temporada, de 10 apresentações, tem estreia no dia 26 de fevereiro e segue até o 3 de março, percorrendo Centros de Ensino Fundamental, Escolas Classe e Bibliotecas Públicas de Brazlândia, SIA e Cidade Estrutural. Todas as sessões têm entrada franca; e algumas são abertas à comunidade. “Optamos por escolas e bibliotecas, com a intenção de promover o acesso de crianças ao universo literário brasileiro”, conta Aldanei Menegaz, moradora de Brazlândia, proponente do projeto contemplado pelo FAC Regionalizado.

Sylvia Orthof (1932-1997), natural de Petrópolis (RJ), tinha forte vínculo com Brasília, onde morou entre 1960 e 1971. Foi professora de teatro na Universidade de Brasília (UnB), onde colaborou na criação de um teatro universitário. À época, dirigiu “Teatro Candanguinho”, programa teatral de bonecos, na TV Brasília, e foi coordenadora do Teatro do SESI. Publicou seu primeiro livro infantil do total de 135, em 1981, “Mudanças no Galinheiro Mudam as Coisas por Inteiro”. Em reconhecimento à sua obra, recebeu prêmios importantes como o Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro e o selo Altamente Recomendável para Crianças, da FNLIJ (Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil).

Programação

Em BRAZLÂNDIA:
26 e 27/02, no CEM 01, às 10h e às 16h
28/02, no CEF Vendinha, às 10h, e no CENEBRAZ, às 16h
No SIA:
OI/03, na Escola Classe SRIA, às 10h e às 16h
Na CIDADE ESTRUTURAL:
02/03, na Biblioteca Pública, às 10h
03/03, na Biblioteca Pública, às 16h

Direção: Joana Abreu
Elenco: Aldanei Menegaz, Míriam Rocha e Simone Carneiro e Tino Freitas
Direção musical: Tino Freitas
Contatos para entrevistas: Joana Abreu, (62) 9.9294.0101 e joana.teatro@gmail.com


Metrô-DF-assina-contrato-para-planejamento-de-transporte-sobre-trilhos.jpg

Ricardo Callado21/02/20183min

Documento é essencial para a continuidade do sistema metroviário e garante a obtenção de financiamentos junto a operadores financeiros

O Instituto do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos do Distrito Federal (IBRAM) renovou, nesta quarta-feira, a Licença de Operação da Linha 1 do Sistema de Transporte Metroviário do DF, com validade de 10 anos. O licenciamento ambiental é essencial para a continuidade o funcionamento das estações e circulação de trens em sete regiões administrativas (Plano Piloto, Guará, Park Way, Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia), em várias áreas do Plano Diretor de Ordenamento Territorial do DF.

O presidente do IBRAM, Aldo César Vieira Fernandes, disse que a Licença de Operação com validade de 10 anos só foi possível pela confiança e responsabilidade ambiental com que a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) desenvolve desde a década de 90 ao dar início às primeiras estações. Em geral, as licenças ambientais são concedidas por quatro anos. “A empresa vem operando o sistema metroviário em condições ambientais favoráveis. É uma satisfação para o IBRAM conceder essa Licença de Operação a um modal de transporte com energia limpa”, afirmou.

Segundo o presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, a companhia se preocupa em preservar o meio ambiente, dar uma destinação de resíduos sólidos de maneira adequada e atendendo às exigências da legislação. “A renovação da licença é concedida em um momento de expansão do sistema, com o anúncio da abertura de mais três estações (106 Sul, 110 Sul e Estrada Parque), além de mais duas estações em Samambaia”, ressaltou.

O diretor do Departamento de Operação e Manutenção do Metrô-DF, Carlos Alexandre da Cunha, destacou que a renovação da Licença de Operação é exigência para que a empresa venha a obter financiamentos junto ao BNDES, que cobra, anualmente, o documento.


PPM-2015.jpg

Ricardo Callado21/02/20189min

O Prêmio Profissionais da Música (PPM), idealizado pelo músico e produtor Gustavo Ribeiro de Vasconcellos, acontecerá em Brasília no shopping, Pier 21 de 16 a 21 de abril. Em sua 4ª edição, o “PPM 2018 — E aí, qual é a sua Bossa?” contemplará representantes de 53 categorias do mercado profissional da música e homenageará Roberto Menescal, um dos fundadores da Bossa Nova e personalidade atuante no mundo da música aos 80 anos de idade.

A escolha desses nomes começa a se delinear a partir desta semana com a divulgação dos finalistas, resultado da votação feita entre os próprios inscritos. Até 3 de março o público poderá selecionar os seus preferidos via  internet (www.ppm.art.br) bastando, para isso, preencher um simples cadastro. No mesmo período, o júri, fará sua seleção. O cálculo entre as três votações –inscritos, público e júri–, com pesos 1, 0,5 e 2, respectivamente, apontará os vitoriosos que serão revelados durante o evento e premiados com o troféu A Parada da Música.  

O PPM tem como objetivo expor e reconhecer a contribuição dos diversos profissionais envolvidos na criação, produção e circulação de obras e produções musicais e audiovisuais dentro dos mais variados setores. “Nossa proposta é colaborar para o desenvolvimento de oportunidades e novos negócios deste grande setor que é a música a partir da convergência com outros segmentos. Assim, podemos expandir fronteiras ao promover intercâmbios e disseminar legados, compartilhando experiências e emo&ccedi l;ões”, explica Gustavo.

Luciano Lima e Idovan Araújo no PPM 2016

Na 4ª edição, o PPM receberá profissionais do Brasil. Durante uma semana de evento, os participantes terão à disposição uma extensa programação composta de painéis, palestras, pocket shows e exibição de documentários musicais. Outro atrativo será o espaço destinado ao network e negócios entre os participantes montado nas instalações do Shopping Pier 21 às margens do lago Paranoá de Brasília

RÁDIO FEDERAL NOVAMENTE ENTRES AS MELHORES DO BRASIL

A emissora via web brasiliense Rádio Federal vem conquistando o seu espaço e o gosto dos brasilienses, surpreendendo inclusive as emissoras ditas convencionais. Aliás, ganhou respeito de muitos ouvintes internautas espalhados pelo Brasil e no Exterior. E para provar todo o sucesso da Rádio Federal, comandada pelo jovem brasiliense Idovan Araújo, a emissora é novamente uma das finalistas do Prêmio Profissionais da Música 2018, um dos mais importantes prêmios da música do Brasil. A Rádio Federal é a única emissora web do Centro-Oeste entre as finalistas. Vale lembrar também que a Rádio Federal ganhou o PPM em 2015, como melhor web rádio do Brasil, e o programa É PAPO FIRME, produzido e apresentado pelo jornalista e radialista Luciano Lima, ganhou, em 2016, o prêmio de Melhor Programa de Rádio do Brasil. Para participar da votação é só acessar o site www.ppm.art.br. A Rádio Federal disputa no segmento Convergência,categoriMelhor Web Rádio.

CONHEÇA OS SEGMENTOS E CATEGORIAS DO PPM 

SEGMENTO CRIAÇÃO:

Autor; Autora; Cantor; Cantora; Instrumentista Popular; Instrumentista Erudito; Arranjador; Artistas/Intérpretes; Hip Hop & Rap; Instrumental; Rock; Blues; Hardcore; Groove & Pop; Raiz Regional; Cultura Popular; Samba; Choro; Eletrônico; Projetos Musicais Especiais (shows, álbuns digitais, CDs, DVDs ou projetos); Infantil; Educativo; Bloco de Carnaval; Som de Rua; Orquestras; Grupos Vocais e Trilha de TV e Cinema.

PRODUÇÃO:

Editora (Pessoa Jurídica); Produtor Musical; Produtor Artístico; Produtor Executivo; Produtor de Trilhas Sonoras para TV e Cinema; Selos e Gravadoras; Engenheiros de Gravação; Engenheiros de Mixagem; Engenheiros de Masterização; Designer; Fotógrafo; Agência de Comunicação; Diretores de Vídeo Clips; Produtor de Evento; Escritórios de Agenciamento de Artistas; Estúdios de Gravação e Mixagem e Estúdios de Masterização.

CONVERGÊNCIA:

Festivais de Música; Start Ups; DJs; Projetos Culturais Musicais; Canais de Divulgação de Música; Programas de WebTV; Web Rádio; VJs; Rádios Públicas e Privadas; Programas de Rádio; Canal de YouTube; Plataformas de Negócios e Escolas de Música.

HOMENAGEADO

Com uma carreira de mais de 50 anos, o violonista, compositor e produtor Roberto Menescal, autor de clássicos como “O Barquinho”, “VocêNós e o Mar” e “Rio”, é o homenageado da 4ª edição do PPM. O artista capixaba que também é a cara do Rio de Janeiro, participou de trilhas sonoras de filmes como Joana FrancesaBye Bye Brasil e Sabor da Paixão, e tem quatro livros biográficos publicados. Aos 80 anos, ele continua se apresentando ao redor do mundo, além de atuar como produtor musical.

Na 1ª edição (2015), o homenageado foi o poeta e artista Renato Russo. Na 2ª (2016), o autor e compositor mineiro Fernando Brant foi a personalidade reverenciada. Já a 3ª (2017) focou no coletivo a partir do argumento de que uma associação é resultado de união e colaboração, permitindo expansão e evolução. Assim, a homenagem foi para os 15 anos da Associação Brasileira de Música Independente (ABMI), tendo como símbolos, três de seus fundadores: o m& uacute;sico e maestro Benjamim Taubkin, o produtor Pena Schmidt e o autor e publicitário Thomas Roth. Para este ano, Roberto Menescal, um dos ícones da Bossa Nova, estilo musical que completa 60 anos. Através deles, importantes movimentos musicais brasileiros foram relembrados como o rock de Brasília, Clube da Esquina, MPB e, agora, a Bossa Nova.


AGE-20-02-Foto-Lucas-C.-Ribeiro-Sinpol-DF-1.jpeg

Ricardo Callado20/02/20182min

Em Assembleia Geral Extraordinária convocada pelo Sindicato dos Policiais Civis do DF (Sinpol-DF) e realizada na tarde desta terça-feira (20), os policiais civis decidiram por  uma greve de 72 horas a partir das 8h desta quarta-feira (21). Até as 8h de sábado (24), em todas as delegacias do DF só serão registrados flagrantes e ocorrências de crimes graves, como homicídio, latrocínio e estupro.

A decisão dos policiais vem como protesto pela intransigência do governo Rollemberg em avançar as negociações salariais com o governo que se nega a apresentar proposta de recomposição das perdas que já chegam a 50% dos salários.

“O governo de Rodrigo Rollemberg tem sucateado a segurança pública do Distrito Federal de diversas formas e uma das mais graves é a desvalorização dos policiais civis. Foi o descaso do governo e cansaço da categoria que desencadeou essa paralisação”, afirma Rodrigo Franco Gaúcho, presidente do Sinpol-DF.

Uma nova assembleia, também com indicativo de greve, acontecerá na próxima segunda-feira (26), 14h30, na Praça do Buriti.


MontagemForumMundialAgua19022018ToninhoTavaresAgenciaBrasilia_5-banner-768x512.jpg

Ricardo Callado20/02/20187min

Estacionamento e parte do estádio vão receber Vila Cidadã, feira, exposição e espaço para credenciamento. Serão instaladas quatro tendas de grande porte, com 40 mil metros quadrados de área

A menos de um mês do início do 8º Fórum Mundial da Água, a montagem da estrutura está em ritmo acelerado. No Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha, é erguida a armação metálica que sustentará as tendas onde ficarão a Vila Cidadã, a feira, a exposição e a área de credenciamentos.

A menos de um mês do início do 8º Fórum Mundial da Água, a montagem da estrutura está em ritmo acelerado. Serão instaladas quatro tendas de grande porte, com 40 mil metros quadrados de área.
A menos de um mês do início do 8º Fórum Mundial da Água, a montagem da estrutura está em ritmo acelerado. Serão instaladas quatro tendas de grande porte, com 40 mil metros quadrados de área. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Em 15 dias de atividade, mais de 50% das obras foram executadas. A etapa atual abrange os pilares metálicos e a formação do piso. Eles são a base para a colocação da cobertura — quatro tendas do tipo galpão —, que está em fabricação e soma 40 mil metros quadrados de área. A expectativa é que o espaço esteja pronto na primeira semana de março.

A obra é de grande porte, compatível com a dimensão do evento, como destaca o diretor-executivo do fórum, Ricardo Andrade. “É a Copa do Mundo da Água, em que teremos a oportunidade de discutir temas relacionados à gestão dos recursos hídricos de forma ampla”, compara.

Apenas a área da exposição compreende 12 mil metros quadrados, o equivalente a dois campos de futebol. A área da feira e da Vila Cidadã, por sua vez, terá acesso gratuito mediante credenciamento.

A montagem da estrutura, no Mané Garrincha, é executada pela Premier Eventos. A empresa foi contratada pela Agência Nacional de Águas (ANA) por meio de licitação do tipo ata de registro de preço.

Essa modalidade garante a escolha do menor preço oferecido — nesse caso, custo total de R$ 4.766.553,99. A ata foi publicada no Diário Oficial da União de 25 de janeiro de 2018.

O governo de Brasília, por sua vez, é responsável pela readequação do Centro de Convenções Ulysses Guimarães. No local, ocorrerão abertura e encerramento do encontro, palestras e painéis com representantes internacionais.

O evento é orçado em R$ 80 milhões, dos quais R$ 50 milhões são custeados pelos governos de Brasília e federal. Nele, a colocação da estrutura começa em 26 de fevereiro.

Inscrições para o fórum estão abertas

Quem quiser acompanhar os debates no Centro de Convenções pode se inscrever por meio do site oficial do evento, na aba Inscrições. Os ingressos dão direito à participação da abertura, do encerramento, das sessões do fórum, dos almoços e dos eventos culturais na exposição e na feira.

O segundo lote será vendido até 28 de fevereiro. Brasileiros e cidadãos de países que não integram a Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) têm 50% de desconto no cadastro.

Estudantes, por sua vez, têm abatimento de até 80% na adesão. A partir de 1º de março, começa a venda do terceiro lote de ingressos.

O que é o Fórum Mundial da Água

Criado em 1996 pelo Conselho Mundial da Água, o fórum foi idealizado para estabelecer compromissos políticos acerca dos recursos hídricos.

Em Brasília, ele é organizado pelo Conselho Mundial da Água, pelo governo local — representado pela Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento do DF (Adasa) — e pelo Ministério do Meio Ambiente, por meio da Agência Nacional das Águas (ANA).

O fórum ocorre a cada três anos e já passou por: Daegu, Coreia do Sul (2015); Marselha, França (2012); Istambul, Turquia (2009); Cidade do México, México (2006); Kyoto, Japão (2003); Haia, Holanda (2000); e Marrakesh, no Marrocos (1997).

8º Fórum Mundial da Água

De 18 a 23 de março

No Centro de Convenções Ulysses Guimarães e no Estádio nacional de Brasília Mané Garrincha

Inscrições abertas no site oficial do evento



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Enquete
Qual o melhor critério para escolha dos administradores regionais: