2016 dezembro

Bring to the table win-win survival strategies to ensure proactive domination. At the end of the day, going forward, a new normal that has evolved from generation.
medico.jpg

Ricardo Callado31/12/20164min

Interessados têm até 6 de janeiro para se candidatar a uma das 337 vagas, ao todo, para neonatologistas, pediatras e terapeutas intensivistas. Prazo terminaria nesta sexta (30), mas instabilidade no sistema impediu o envio de documentos

A Secretaria de Saúde prorrogou até 6 de janeiro de 2017 o período de inscrição no processo seletivo simplificado para a contratação temporária de 337 médicos de três especialidades: 124 neonatologistas, 107 pediatras e 106 terapeutas intensivistas (adulto). O prazo se encerraria nesta sexta-feira (30).

A ampliação foi necessária devido a uma instabilidade no sistema de inscrições nos últimos quatro dias. Ao tentar enviar os documentos de comprovação de títulos da especialidade escolhida, os candidatos recebiam a mensagem de “acesso negado”.

Os interessados devem se inscrever pelo site da Secretaria de Saúde ou pessoalmente no edifício-sede da pasta, no final da Asa Norte (antigo prédio da Câmara Legislativa).

O processo seletivo será por meio de avaliação curricular. Não haverá provas. A carga de trabalho é de 20 horas semanais, com R$ 6.327 de remuneração. Os aprovados poderão ser contratados por 12 meses, improrrogáveis, enquanto a Saúde elabora um concurso público regular.

Requisitos para participar da seleção de médicos temporários

Para se candidatar como pediatra, é necessário ter certificado de conclusão de residência médica em pediatria, reconhecida pelo Ministério da Educação, ou título de especialista na área reconhecido pela Associação Médica Brasileira (AMB).

No caso dos neonatologistas, quem tiver título em pediatria precisa apenas comprovar experiência profissional de, no mínimo, um ano de trabalho nessa área de competência. Também é possível apresentar certificado de residência médica em neonatologia, reconhecido pelo Ministério da Educação, ou título de especialista nesse campo reconhecido pela Associação Médica Brasileira (AMB).

Os terapeutas intensivistas (adulto) têm de atestar experiência de dois anos como médicos de unidade de terapia intensiva (UTI). Quem não tem atuação comprovada pode apresentar certificado de conclusão de residência médica reconhecido pelo Ministério da Educação na especialidade, ou título de especialista reconhecido pela AMB.

Em todas as categorias é necessário apresentar diploma, devidamente registrado, de conclusão de curso, expedido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério de Educação, bem como registro no Conselho Regional de Medicina.

SERVIÇO

Processo seletivo simplificado para médicos temporários da Secretaria de Saúde
Inscrições prorrogadas até 6 de janeiro de 2017 (sexta-feira)
Pelo site da Secretaria de Saúde ou pessoalmente no edifício-sede da pasta (final da Asa Norte, antigo prédio da Câmara Legislativa)
Mais informações: (61) 99216-3605


onibus-1.png

Ricardo Callado30/12/20165min

Tarifas de linhas circulares internas sobem de R$ 2,25 para R$ 2,50; de ligação curta, de R$ 3 para R$ 3,50; e as de longa distância, integração e metrô, de R$ 4 para R$ 5

Reajuste nas tarifas de transporteOs preços das passagens de ônibus em Brasília vão aumentar na segunda-feira (2). Sobem de R$ 2,25 para R$ 2,50 as linhas circulares internas; de R$ 3 para R$ 3,50 as de ligação curta; e de R$ 4 para R$ 5 as viagens de longa distância e integração e as de metrô.

De acordo com a Secretaria de Mobilidade, o reajuste é necessário para acompanhar a elevação de custos do sistema, manter as gratuidades para estudantes e pessoas com deficiência e compensar os quase dez anos de congelamento das tarifas, enquanto outros índices cresciam (veja a arte).

Em 2006, o salário mínimo era de R$ 350 contra R$ 937 (a partir de 1º de janeiro) — variação de 168%. Os vencimentos de motoristas e cobradores subiram 165%: de R$ 880 para R$ 2.333,45 e de R$ 460,40 para R$ 1.219,84, respectivamente. A inflação aumentou 90,91%, de acordo com o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), e o litro do óleo diesel foi reajustado em 77% — passou de R$ 1,70 para R$ 3.

Os aumentos nas passagens nesse período, já incluídos os anunciados nesta sexta-feira (30), são inferiores a todas essas porcentagens. As linhas circulares internas foram reajustadas em 66,67%, assim como as de viagens de longa distância, do metrô e da integração. Em cifras, isso significa passar de R$ 1,50 para R$ 2,50 para as circulares internas e de R$ 3 para R$ 5,00 para longa distância, metrô e integração. Nas de ligação curta, o reajuste foi de 40%: de R$ 2,50 para R$ 3,50.

O secretário de Mobilidade, Fábio Damaceno, enfatiza os aspectos social e financeiro da medida. “O reajuste vem para garantir o nível de gratuidade no sistema, não interferir na parte social, e ajudar no reequilíbrio das contas do governo, pois o subsídio é muito além do que temos disponibilidade de pagar”, explica.

Em setembro de 2015, o governo de Brasília fez o primeiro reajuste nas tarifas do transporte público em dez anos. A medida reduziu em 23% o complemento tarifário (diferença entre o preço real da passagem e o repassado ao usuário), quantia bancada pelos cofres públicos. Ainda assim, o Estado gastou cerca de R$ 600 milhões em 2016 com o subsídio ao transporte público.

“É necessário reajustar para não estagnar o sistema, buscar um transporte melhor e trazer tecnologia”, complementa o secretário de Mobilidade. A estimativa é reduzir, em 2017, cerca de R$ 180 milhões de gastos — R$ 125 milhões com as cinco empresas de ônibus do DF; R$ 45 milhões com a Companhia do Metropolitano do Distrito Federal (Metrô-DF); e R$ 10 milhões com a Sociedade de Transportes Coletivos de Brasília (TCB).

Em 2014, o governo bancava 16,7% das passagens de transporte público no DF com gratuidades. Esse número subiu para 22% em 2015 e para 27,8% neste ano — valor repassado às empresas de ônibus que integram o sistema do DF, à TCB, às cooperativas e ao Metrô. Em outubro e novembro, o porcentual chegou a 33%, enquanto a média nacional é de 15%.

No caso das empresas que operam as cinco bacias, o governo de Brasília subsidia 50% dos custos. Isso ocorre porque ainda há gastos com a tarifa técnica, e há diferença entre o preço real da passagem e o repassado à população.


joe-valle-e1479916436273.jpeg

Ricardo Callado30/12/20162min

A nova Mesa Diretora da Câmara Legislativa do Distrito Federal toma posse no dia 1º de janeiro, domingo, às 10h, no plenário. A Mesa Diretora, eleita em 15 de dezembro, comandará o Legislativo local no biênio 2017/2018. O presidente eleito da Câmara, deputado Joe Valle (PDT), declarou em sua primeira manifestação após a eleição que defenderá a harmonia entre os poderes distritais, ressaltando que isto não significará subserviência.

Também foram eleitos os novos vice-presidente da Câmara, deputado Wellington Luiz (PMDB); primeiro secretário, deputada Sandra Faraj (SD); segundo secretário, deputado Robério Negreiros (PSDB), e terceiro secretário, deputado Raimundo Ribeiro (PPS).

A posse da nova Mesa Diretora é regulamentada pelo artigo 66 da Lei Orgânica do DF e ainda pelo artigo 11 do Regimento Interno da Câmara Legislativa. Estes artigos preveem a realização da sessão para a posse no dia 1º, às 10h.

Funcionamento –  No período de 26 a 30 de dezembro, a Casa estará fechada, em recesso oficial. Durante o mês de janeiro, a Câmara Legislativa funcionará em horário reduzido, das 13h às 19h, voltando ao horário integral de funcionamento somente a partir de 1º de fevereiro.

 

Composição da Mesa Diretora para o biênio 2017/2018

Presidente: Joe Valle (PDT)

Vice-presidente: Wellington Luiz (PMDB)

Primeira secretária: Sandra Faraj (SD)

Suplente primeira secretaria: Telma Rufino (PROS)

Segundo secretário: Robério Negreiros (PSDB)

Suplente segunda secretaria: Lira (PHS)

Terceiro secretário: Raimundo Ribeiro (PPS)

Suplente terceira secretaria: Cristiano Araújo (PSD)


fachada-detran-graziele-frederico.jpg

Ricardo Callado30/12/20163min

Órgão quer acelerar análises de processos relacionados à Lei Seca. Servidores que aderirem a modalidade terão metas pelo menos 15% superiores

Por Graziele Frederico, G1 DF – Como forma de reduzir os gastos públicos e estimular a produtividade, o Detran do Distrito Federal vai liberar no início de 2017 parte dos servidores para trabalhar de casa. A medida é um projeto piloto e vai durar, inicialmente, seis meses. De acordo com a autarquia, os funcionários que aderirem ao teletrabalho terão metas de desempenho pelo menos até 15% superiores às previstas.

O home office valerá, inicialmente, para os lotados na Gerência de Penalidades, órgão responsável por analisar os processos referentes à Lei Seca. “Como temos uma fiscalização bem efetiva causamos um congestionamento nessas análises”, afirmou o diretor-interino do órgão, Silvain Fonseca.

As regras do teletrabalho foram publicadas no Diário Oficial do DF desta quarta-feira (28). Pelas normas, os servidores deverão se reunir com as chefias imediatas uma vez por semana, para apresentar resultados e acompanhamento dos trabalhos.

Antes de aderirem à modalidade, porém, os interessados passarão por avaliação psicológica que atestará se eles têm o perfil desejado para o projeto. Os “contemplados” ficarão responsáveis por providenciar a estrutura física e tecnológica necessária à realização das atividades fora do Detran.

Fonseca afirma acreditar que, por meio do projeto, as análises dos processos relativos à Lei Seca serão aceleradas. “Queremos desfazer uma sensação de impunidade que a população tem, quando condutores autuados conseguem atrasar as punições em até 12 meses, fazendo uso de recursos.”

O diretor declarou que parte dos funcionários já se disse interessado no home office. Caso algum dos selecionados mude de ideia, é possível solicitar o retorno ao trabalho nas dependências do Detran a qualquer momento. O limite máximo de servidores para o projeto-piloto é de 30% por unidade.

O G1 procurou o Sindicato dos Servidores do Detran para comentar o assunto, mas não recebeu retorno até a publicação desta reportagem. Fonseca afirmou que, entre os benefícios, está o fato de o profissional economizar o tempo de deslocamento até o trabalho.

A Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão informou que a viabilidade do trabalho home office para os servidores do governo do Distrito Federal está sendo estudada inicialmente para os órgãos que forem alocados no Centro Administrativo do DF. Em nota, a secretaria afirmou, porém, que a implementação dessa modalidade de trabalho é complexa e que exige, além de estudos, uma regulamentação apropriada.


Dilma.jpg

Ricardo Callado29/12/20163min

Segundo a defesa, falta à Justiça analisar mais de 8 mil documentos, em 37 volumes, que comprovam a legalidade dos serviços prestados

A defesa da ex-presidente Dilma Rousseff protocolou uma petição no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para ter acesso urgente às provas produzidas nas diligências realizadas na terça-feira (27) pela força-tarefa que investiga as contas da chapa Dilma-Temer em 2014.

Na petição, protocolada na noite de terça-feira, os advogados Arnaldo Versiani, Flavio Caetano e Renato Moura Franco afirmam a perplexidade da defesa pelo fato de as diligências terem sido autorizadas durante o recesso do Poder Judiciário, sem o acompanhamento de auxiliares dos acusados.

Eles também questionam a decisão do relator da ação, ministro Herman Benjamin, que determinou a audiência de pessoas físicas envolvidas diante do juiz auxiliar, Bruno Lorencini, sem que as partes envolvidas no processo estivessem presentes ou fossem intimadas.

“Causa perplexidade que tal decisão permita que sejam colhidos depoimentos pelo juiz auxiliar, em sede do Poder Judiciário, sem o indispensável acompanhamento pelos advogados das partes, violando o princípio da ampla defesa e do contraditório”, escreveram os advogados de Dilma.

Eles pedem ainda que qualquer perícia em documentos colhidos nas diligências, a ser realizada pela força-tarefa que trabalha no caso, não seja feita sem o acompanhamento de auxiliares técnicos das partes envolvidas no processo.

Na terça-feira, três gráficas que prestaram serviço à chapa Dilma-Temer foram alvo de diligências da Polícia Federal (PF), a pedido do TSE. O ministro Herman Benjamin ordenou ainda a quebra de sigilio de 15 pessoas físicas e jurídicas, que segundo ele “demonstraram indícios de irregularidades nos dispêndios eleitorais”.

Pouco depois das diligências, a defesa de Dilma divulgou nota criticando a decisão do ministro e afirmando que a contratação das gráficas em 2014 atendeu a todos os requisitos legais e de prestação de contas.

Segundo a defesa, falta à Justiça analisar mais de 8 mil documentos, em 37 volumes, que comprovam a legalidade dos serviços prestados.

Na terça-feira, após participar de evento em Maceió, o presidente Michel Temer disse que a operação da PF não o preocupa. “Isso é natural. Não há nenhuma irregularidade nisso. A investigação segue adiante com depoimentos, perícias, fatos como esse que visam instruir processo que está no Tribunal Superior. Nenhuma preocupação.”


Marcia-Alencar.jpg

Ricardo Callado29/12/20163min

Ação inédita no país teve a iniciativa conjunta do DF com o Goiás e envolveu mais oito estados

Em julho deste ano, Brasília sediou a instalação do Comitê de Inteligência do Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual. Desde então, 6.645 servidores foram empregados nas operações que resultaram na prisão de 143 pessoas por força de mandado de prisão, 378 prisões em flagrante, foram cumpridos 633 mandados de busca e apreensão e apreensão de 82 armas de fogo e 570 kg de drogas.

A instalação do comitê ocorreu após o Distrito Federal constituir em junho deste ano, de forma inédita no país, o Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual em conjunto com os estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Rondônia, Amazonas, Maranhão, Bahia e Minas Gerais. A secretária de Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar é a vice-presidente do Pacto, que é presidido pelo vice-governador de Goiás, José Eliton de Figuerêdo Júnior.

“Mais que acertada a cooperação técnica firmada entre os governadores das dez unidades da federação que criaram o Pacto Integrador de Segurança Pública Interestadual, trata-se um marco histórico para a segurança pública do Brasil”, comentou a secretária Márcia de Alencar.

O objetivo desta iniciativa do Distrito Federal é desenvolver ações conjuntas entre as forças de segurança desses estados e fazer o controle de armas e drogas nas divisas, bem como combate conjunto do crime contra patrimônio por se tratar de um crime migratório e de oportunidade.

Desde a instalação do Comitê tem sido aplicada a metodologia para mapeamento das organizações criminosas voltadas para roubo e furtos de instituições financeiras, tráfico de drogas, roubo de veículos e de cargas juntamente das organizações que atuam dentro das unidades prisionais desses estados.

“Nós, secretários de Estado da Segurança, já estamos colhendo bons resultados nas operações realizadas em 2016. Hoje, temos os outros estados querendo participar conosco. A ampliação será a nossa meta em 2017″, finalizou a secretária.

Assista aqui o vídeo sobre o Comitê de Inteligência do Pacto Integrador.


abono-salarial.jpg

Ricardo Callado29/12/20162min

O prazo para os trabalhadores sacarem o abono salarial de 2014 nas agências bancárias termina hoje (29). Segundo o Ministério do Trabalho, pouco mais de 900 mil pessoas têm direito a receber o dinheiro e ainda não fizeram o saque. Mais de R$ 794 milhões estão disponíveis.

A retirada do benefício pode ser feita nas agências bancárias, no entanto, se o trabalhador tem o cartão cidadão com senha, poderá sacar em um terminal de autoatendimento da Caixa Econômica ou em casas lotéricas até amanhã (30).

O abono salarial ano-base 2014 está disponível para trabalhadores inscritos no Programa de Integração Social (PIS) ou Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) com pelo menos 30 dias de trabalho com carteira assinada naquele ano e que recebeu remuneração mensal média de no máximo dois salários mínimos.

O PIS é destinado aos trabalhadores do setor privado e o Pasep, aos do setor público.  Para conferir se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar o portal do Ministério do Trabalho.

O prazo para saque começou em julho de 2015 e terminou em junho de 2016, porém, no fechamento do calendário, ainda restavam 1,2 milhão de saques a serem feitos. Por isso, o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador ampliou o prazo de saque até 30 de dezembro de 2016.

O ministério alerta que é comum os atendentes bancários pensarem que se trata do benefício referente a 2015 e, após checar os dados do trabalhador, informar que ele não tem direito ao saque. Neste caso, a orientação é explicar que se trata do abono salarial do ano-base 2014. Caso ainda assim os dados não sejam localizados, é possível pedir para fazer uma atualização cadastral no próprio banco.


Opiniao-nova-logo.jpg

Ricardo Callado29/12/20164min

Por Ricardo Callado


Já se passaram dois anos desde que o Rodrigo Rollemberg (PSB) tomou posse no Palácio do Buriti. Desde janeiro de 2015 que a vida não tem sido fácil para o governo. Foram dois anos de turbulência e bate-cabeça.

Com popularidade baixa, Rollemberg terá que reinventar o governo. Não basta apenas troca de nomes no primeiro escalão. É preciso mudar o jeito de governar. O terceiro ano é decisivo. O quatro será o ano da colheita, seja ela positiva ou negativa.

Existe desde o segundo semestre do ano passado, esquecido em uma das gavetas do Buriti, um Plano de Recuperação de Imagem que poderia ser colocado em prática. Naquela época já deveria ser adotado.

O governo precisa que a população volte a ter esperança. Volte a acreditar que as coisas podem mudar para melhor. Uma coisa é ser realista e transparente, outra é mostrar que o governo está agindo para resolver os problemas.

No primeiro momento, o governo Rollemberg foi levado a adotar a estratégia da discórdia. O método usado era tensionar o máximo para que depois a parte em conflito aceitasse o que governo lhe propõe. Não deu muito certo. Conselhos errados que o governador se arrependeu de ter escutado. E paga até hoje um preço alto por isso.

Para os próximos anos, além de esperança, Rollemberg precisa mostrar eficiência da máquina. Não é mais tempo de apontar culpados do passado ou a crise econômica atual, mesmo sabendo que ela existe e atrapalha muito. O governador tem que apontar os problemas e mostrar como irá resolvê-los. E, principalmente, resolvê-los.

O que está em jogo não é um projeto de poder, mas um modelo de gestão. A nova política, uma gestão moderna e um relacionamento transparente entre os poderes. Se não obtiver êxito, tudo isso será enterrado. A nova política poderá se classificada como a política ineficiente. E a Geração Brasília dará espaço a política tradicional que tem todos os seus defeitos, mas que a população sabe que funciona administrativamente.

Rollemberg precisa recuperar terreno dentro da sua própria casa. O funcionalismo público, que ajuda o governador a administrar, tem que ser resgatado e valorizado. Não se pode deixar que o servidor público veja o governo como um inimigo. Se isso acontecer, o fracasso vai subir a cabeça do GDF.

Sem dinheiro, a hora é de investir no desenvolvimento econômico da cidade. O setor produtivo é sempre um grande parceiro na hora de dificuldade do governo. Basta um aceno, um gesto, para se produzir soluções e derrubar entraves burocráticos do governo.

Rollemberg terá também que intensificar a comunicação com a sociedade. Para isso terá que produzir ações positivas. Se o governo não funcionar, a comunicação não vai conseguir fazer mágica. Mas, no fim do governo, será ela que vai levar a culpa por um eventual fracasso.

Enfim, é preciso reinventar. Um governo novo, com uma mentalidade diferente. E sem ranço. E isso só é feito com união.


dantas.jpg

Ricardo Callado28/12/20167min

Secretário, que passou a coordenar as administrações regionais em setembro, lançou programa de conservação e limpeza 

O secretário Marcos Dantas explica que o programa Cidades Limpas é um grande mutirão de serviços focado nas demandas que são levadas pela população aos administradores regionais. Trata-se de uma ferramenta de gestão que agiliza a prestação dos serviços. Antes, os administradores regionais tinham que procurar cada um dos órgãos do Governo de Brasília para solicitar as melhorias que necessitavam. A Secretaria das Cidades, explica Dantas, centraliza estas demandas e, em esquema de força-tarefa, são acionados os órgãos de governo para uma ação imediata. “Melhorando nossas cidades, estamos cuidando das pessoas”, afirma o secretário.

 

Quais foram as principais ações da Secretaria das Cidades neste ano?

A Secretaria das Cidades foi criada em setembro e, de lá para cá, já conseguimos desempenhar um grande trabalho, mostrando a importância de esta secretaria existir. Era preciso articular melhor as ações dos órgãos centrais do Governo de Brasília com os serviços prestados pelas administrações regionais. Em um primeiro momento, fizemos isso em caráter emergencial, coordenando a força-tarefa de auxílio às vítimas do temporal de Samambaia. Em seguida, lançamos o programa Cidades Limpas, para agilizar a prestação dos serviços de limpeza e conservação nas regiões administrativas.

 

Que inovação o programa Cidades Limpas trouxe?

O Cidades Limpas é um grande mutirão de serviços focado nas demandas que são levadas pela população aos administradores regionais. É uma ferramenta de gestão que agiliza a prestação dos serviços, pois antes os administradores regionais tinham que procurar cada um dos órgãos do Governo de Brasília para solicitar as melhorias que necessitavam. Agora, nós, Secretaria das Cidades, centralizamos estas demandas e, em esquema de força-tarefa, acionamos os órgãos de governo para uma ação imediata. Melhorando nossas cidades, estamos cuidando das pessoas.

 

Que tipo de serviços compõem o Cidades Limpas? Em que Cidades já esteve? Qual o calendário do ano que vem?

Fazemos ações diversas para a melhoria do ambiente urbano: retirada de entulho, reforço da sinalização de trânsito, poda de árvores, roçagem e capina, tapa-buracos, limpeza de rede de drenagem, pintura de meio-fio, substituição de lâmpadas queimadas… O tamanho de cada uma das frentes de trabalho que compõe a força-tarefa é dimensionado de acordo com as necessidades das administrações regionais. O programa foi lançado em novembro no Gama. Já levamos a força-tarefa para o Itapoã, o Paranoá e parte de Ceilândia. O programa continua no ano que vem, a partir da segunda quinzena de janeiro.

 

Além do Cidades Limpas, quais são as outras frentes de trabalho da Secretaria das Cidades?

dantas2A Secretaria tem a missão de mobilizar as administrações regionais para o engajamento nas políticas públicas do governo. Neste sentido, estamos participando do processo de implantação de uma agenda ambiental consistente, que colocará o Distrito Federal em outro patamar civilizatório. Esta agenda diz respeito a maneira como tratamos o lixo. Como parte do processo de fechamento do lixão da Estrutural, que hoje é o maior da América Latina, vamos exigir que os grandes geradores de lixo, como shopping centers e supermercados, se responsabilizem pelo lixo orgânico que produzem. Isso os obriga a produzir menos lixo e a fazer a separação, que é o ponta pé inicial para o processo de reciclagem. Isso também desonera o Estado. Estamos percorrendo às regiões administrativas para fazer este esclarecimento ao setor produtivo.

Outra frente de trabalho é a regularização das feiras do DF. Estamos trabalhando em um programa que buscará a requalificação das nossas feiras públicas, que são muito importantes para a vida social e cultural das nossas cidades. Neste projeto, que pretendemos lançar ainda no primeiro semestre de 2017, pretendemos dar maior segurança jurídica aos feirantes, proporcionar cursos de empreendedorismo e qualificação profissional e revitalizar os espaços onde as feiras estão instaladas.

 

O que o Governo está fazendo para melhorar a vida da população nas regiões administrativas?

Temos trabalhado intensamente para dar maior qualidade de vida à população. Isso se reflete em várias áreas, como por exemplo, a mobilidade – onde houve uma reconhecida melhoria do sistema de transporte público, com construções e reformas de terminais de ônibus e redimensionamento de linhas para atender melhor ao usuário.

Também se reflete nas grandes obras de infraestrutura que estamos fazendo no Sol Nascente, Buritizinho, Vicente Pires e no Condomínio Porto Rico. E nas diversas obras relacionadas ao esporte e ao lazer que entregamos, como, por exemplo, a pista de skate e o parque infantil de Samambaia, a pista de atletismo de São Sebastião, o centro de treinamento do Itapoã e do Paranoá.

As obras do Deck Sul, no Plano Piloto, serão entregues em breve, bem como novas áreas de lazer no parque Jardim Botânico. No início deste mês, também lançamos a consulta pública para que a comunidade decida como aproveitar o espaço às margens do Lago Paranoá. O estilo de vida dos moradores do Distrito Federal tem a ver com a prática de esportes ao ar livre, com os domingos aproveitados em espaços públicos. Estamos trabalhando para potencializar isso em todas as nossas cidades.

 


fies-e1482938423996.jpg

Ricardo Callado28/12/20162min

Termina amanhã (29) o prazo para que os estudantes que fizeram a renovação não simplificada do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) entreguem no Banco do Brasil ou na Caixa Econômica Federal o Documento de Regularidade de Matrícula (DRM) emitido a partir de 25 de novembro e que esteja com o prazo de comparecimento ao banco expirado.

No caso de aditamento não simplificado, quando há alteração nas cláusulas do contrato, como mudança de fiador, por exemplo, o estudante precisa levar a documentação comprobatória ao agente financeiro para finalizar a renovação. Já nos aditamentos simplificados, a renovação é feita a partir da validação do estudante no sistema.

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) prorrogou a validade dos Documentos de Regularidade de Matrícula devido a problemas ocorridos na rede bancária.

Já o prazo para renovação de contrato do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) termina na sexta-feira (30). Inicialmente, o prazo terminaria no dia 31 de outubro, mas foi estendido duas vezes pelo FNDE.

Os contratos do Fies precisam ser renovados todo semestre. O pedido de aditamento é feito inicialmente pelas faculdades e, em seguida, os estudantes devem validar as informações inseridas pelas instituições no SisFies.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Enquete
Qual o melhor critério para escolha dos administradores regionais: