2016 outubro

Bring to the table win-win survival strategies to ensure proactive domination. At the end of the day, going forward, a new normal that has evolved from generation.
izalci-e1477482641246.jpg

Ricardo Callado31/10/20163min

A Comissão Mista que analisa a Medida Provisória de reformulação do Ensino Médio (MP 746/16) inicia, nesta terça-feira (1), as audiências públicas para debater o assunto, que ganhou destaque nos noticiários nos últimos dias. O encontro será no Plenário 6, do Anexo II do Senado Federal, a partir das 14h30 e receberá oito profissionais da área de Educação.

Para o presidente da Comissão, deputado federal Izalci (PSDB-DF), apesar de o assunto estar sendo debatido há alguns anos no Congresso, as audiências são importantes para que todas as opiniões sejam ouvidas. “É um tema fundamental para a Educação no Brasil e vamos trabalhar para que a votação ocorra depois de um amplo e democrático debate”, disse.

A MP ainda será debatida em mais seis encontros que já estão marcados para os dias 8,9,16,22,23 e 29 de novembro de 2016, com a presença de professores, coordenadores, pesquisadores, secretários e ex-ministros da Educação, como Aloizio Mercadante e Fernando Haddad.

 

Convidados da audiência pública (1° de novembro):

  • Alessio Costa Lima – Presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime)
  • Eduardo Deschamps – Presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação  (Consed)
  • João Antônio Cabral de Monlevade – Consultor Legislativo do Senado Federal
  • José Francisco Soares – Presidente da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educaçã (CNE)
  • Maria Helena Guimarães de Castro – Secretária-Executiva do Ministério da Educação (MEC)
  • Maria Inês Fini – Presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)
  • Heleno Araújo – Coordenador do Fórum Nacional de Educação
  • Rossieli Soares da Silva – Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC)

 

 


iris-caiado.jpg

Ricardo Callado31/10/20164min

A vitória de Iris Rezende (PMDB) nas urnas em Goiânia no domingo (30) deve-se à junção de carisma, trajetória política e projeto de governo. A avaliação do presidente regional do Democratas, Ronaldo Caiado, é de que o peemedebista soube conquistar a admiração de todas as gerações de eleitores.

“Iris Rezende construiu uma escola política. Algo que nos sensibilizou, especialmente no segundo turno, foi a paixão que ele despertou não apenas nos eleitores de mais idade como também nos mais jovens. É algo impressionante”, enalteceu.

Para o senador, outro mérito do futuro prefeito é que ele sabe conquistar a adesão da população, o que é importante neste momento em que Goiânia precisa ser recuperada. “Poucos conseguem a parceria dos moradores como ele. Todos se sentem como construtores da mudança. A capacidade de Iris de aglutinar é seu diferencial como gestor”, avaliou.
Outra qualidade de Iris Rezende é o amplo conhecimento das necessidades de Goiânia, até porque conduziu aqui as suas maiores obras. “Iris conhece todas as deficiências da capital. Tem muita facilidade para governar. É como um cirurgião que já fez uma cirurgia mil vezes e agora opera com muito mais facilidade”, comparou.
Politicamente, Ronaldo Caiado se arrisca a dizer que Iris Rezende jamais irá se aposentar. “Ele tem uma vocação nata e experiência acumulada, fatores importantes para continuar no processo político. Tenho certeza que ficará quatro anos no mandato e será o grande orientador para 2018”, disse.
O democrata disse ainda que a vitória de Iris Rezende consagra a vitória das oposições, iniciada em 2014. “Desde 2014 as oposições entenderam a necessidade de se aglutinar. Naquela época fui o grande beneficiário. Agora a nossa coligação, juntamente com o prestígio de Iris Rezende, o consagrou como vencedor”, comemorou.
Será, segundo o parlamentar, a grande chance de mudar as práticas políticas do Estado. “O povo goiano se cansou da corrupção no governo, que se arrasta há 20 anos. Da mesma forma que o Brasil reagiu Goiás também está reagindo. A população já não aguentar mais uma política caracterizada por sucessivos escândalos, que tira recursos da saúde e da educação”, lamentou.



Eleições-2016-1.jpg

Ricardo Callado31/10/20165min

Os resultados do segundo turno já são conhecidos nas 57 cidades do país onde houve votação neste domingo (30). Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as eleições envolveram cerca de 32,9 milhões de eleitores.

Aqueles que não puderam comparecer às urnas e não justificaram o voto hoje, podem preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição) e entregá-lo em qualquer cartório eleitoral ou enviá-lo, via postal,  ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito em até 60 dias após cada turno de votação, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito.

O prazo para que isso seja feito é até 1º de dezembro, com relação ao primeiro turno, e, até 29 de dezembro de 2016, com relação ao segundo turno.

O TSE registrou mais de 300 ocorrências e mais de 80 prisões durante o período de votação. Na maioria dos casos, a Justiça Eleitoral flagrou cabos eleitorais fazendo propaganda para candidatos, a tradicional “boca de urna”. De acordo com os dados, nenhum candidato foi preso.

Após acompanhar o começo da apuração de votos do segundo turno, o presidente da Corte, Gilmar Mendes, disse que a eleição “transcorreu em clima de paz e normalidade” mesmo nos municípios que precisaram de reforço de segurança, como São Luis, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

Confira os resultados:

Alagoas

Maceió: Rui Palmeira (PSDB)

Amapá

Mácapá: Clécio (Rede)

Amazonas

Manaus: Artur Virgilio Neto (PSDB)

Bahia

Vitória da Conquista: Herzem Gusmão (PMDB)

Ceará

Fortaleza: Roberto Cláudio (PDT)

Caucaia: Naumi Amorim (PMB)

Espírito Santo

Vitória: Luciano (PPS)

Vila Velha: Max Filho (PSDB)

Cariacica: Juninho (PPS)

Serra: Audifax (Rede)

Goiás

Goiânia: Iris Rezende (PMDB)

Anápolis: Roberto do Orion (PTB)

Maranhão

São Luís: Edivaldo Holanda Júnior (PDT)

Mato Grosso

Cuiabá: Emanuel Pinheiro (PMDB)

Mato Grosso do Sul

Campo Grande: Marquinhos Trad (PSD)

Minas Gerais

Belo Horizonte: Kalil (PHS)

Contagem: Alex de Freitas (PSDB)

Montes Claros: Humberto Souto (PPS)

Juiz de Fora: Bruno Siqueira (PMDB)

Pará

Belém: Zenaldo Coutinho (PSDB)

Paraná

Curitiba: Rafael Greca (PMN)

Maringá: Ulisses Maia (PDT)

Ponta Gossa: Marcelo Rangel (PPS)

Pernambuco

Recife: Geraldo Julio (PSB)

Caruaru: Raquel Lyra (PSDB)

Jaboatão: Anderson Ferreira (PR)

Olinda: professor Lupercio (SD)

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro: Marcelo Crivella (PRB)

Volta Redonda: Samuca Silva (PV)

Duque de Caxias: Washington Reis (PMDB)

Petrópolis: Bernardo Rossi (PMDB)

São Gonçalo: José Luiz Nanci (PPS)

Belford Roxo: Waguinho (PMDB)

Niterói: Rodrigo Neves (PV)

Nova Iguaçu: Rogerio Lisboa (PR)

Rio Grande do Sul

Porto Alegre: Nelson Marchezan Junior (PSDB)

Canoas: Busato (PTB)

Caxias do Sul: Daniel Guerra (PRB)

Santa Maria: Pozzobom (PSDB)

Rondônia

Porto Velho: Dr. Hildon (PSDB)

Santa Catarina

Florianópolis: Gean Loureiro (PMDB)

Joinville: Udo Dohler (PMDB)

Blumenau: Napoleão Bernardes (PSDB)

São Paulo

Santo André: Paulo Serra (PSDB)

Bauru: Gazetta (PSD)

Sorocaba: Crespo (DEM)

Diadema: Lauro Michels (PV)

Guarulhos: Guti (PSB)

Ribeirão Preto: Duarte Nogueira (PSDB)

São Bernardo do Campo: Orlando Morando (PSDB)

Mauá: Atila Jacomussi (PSB)

Osasco: Rogério Lins (PTN)

Guarujá: Valter Suman (PSB)

Suzano: Rodrigo Ashiuchi (PR)

Franca: Gilson de Souza (DEM)

Jundiaí: Luiz Fernando Machado (PSDB)

Sergipe

Aracaju: Edvaldo Nogueira (PCdoB)

Pará 

Belém: Zenaldo Coutinho (PSDB)

 



hora-do-enem.jpg

Ricardo Callado31/10/20162min



Está se preparando para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e quer intensificar os estudos nesta reta final? Com o Dicas para o Enem você terá acesso a 30 videoaulas inéditas de professores renomados com formação em diversas áreas do conhecimento.

A iniciativa é uma parceria do Prof. Reginaldo Veras e da Universidade Leonel Brizola (ULB), que criaram esse projeto no intuito de ajudar os candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio.

Para ter acesso ilimitado ao conteúdo basta acessar o site www.reginaldoveras.com.br e assistir aos vídeos quantas vezes quiser.

Não se esqueça de compartilhar o link com os seus amigos e familiares que também estão se preparando. Bons estudos!


iris-rezende.jpg

Ricardo Callado30/10/20165min

O prefeito eleito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), diz que as prioridades da sua gestão serão saúde, educação e trânsito. Ele venceu Vanderlan Cardoso (PSB) na disputa pelo segundo turno da capital goiana. Em entrevista coletiva, Iris destacou que pretende melhorar o trânsito na capital e os centros de Assistência Integrada à Saúde (Cais), além de investir em educação em tempo integral.

Emocionado, Rezende disse que quando abriu vantagem sobre o concorrente, se ajoelhou e agradeceu a Deus. Ele lembrou de fatos quando esteve à frente da prefeitura em outras três vezes e garantiu que nunca se privilegiou da posição política para obter vantagens. “Neste momento em que o mundo político está praticamente hostilizado pela maioria da população brasileira, um político de 82 anos se elege prefeito. Isso porque o meu comportamento em todos os mandatos foi alvo de exemplo. Nunca aceitei ao meu lado aproveitadores ou aqueles que tivessem interesses pessoais.”

Após o resultado, o candidato derrotado Vanderlan Cardoso disse que respeita a vontade popular e reconheceu que Íris Rezende era um candidato forte, pois já foi prefeito da capital por três vezes. “Política é assim mesmo. Quase 300 mil votos aqui em Goiânia é uma vitória. Começamos com 11% das intenções de voto, agora fechamos com quase 43%. Acho que faltou a população entender que o nosso projeto era para desenvolver Goiânia. Só tenho que desejar que o candidato tenha condições de cumprir todas as promessas. Não houve erros na nossa campanha, só houve acertos”, disse. E garantiu que, como oposição, vai cobrar a implementação das propostas apresentadas por Rezende.

Apuração

A forte chuva que atingiu a capital atrasou o início da apuração das urnas. De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral, os votos começariam a ser apurados às 17h10, mas o levantamento começou com cerca de 15 minutos de atraso. Apesar disso, a eleição na capital foi tranquila, sem nenhuma ocorrência grave, segundo o Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO).

Goiânia registrou casos relacionados, por exemplo, a problemas com urnas ou impressoras, ausência de mesários e cadernos de votação perdidos, mas o TRE não soube informar o total de ocorrências no município, declarou apenas que foram 32 casos de problemas com urnas.

O secretário de Tecnologia da Informação do TRE-GO, Dory Rodrigues, explicou que o segundo turno, em geral, é mais tranquilo que o primeiro. Ele disse que neste domingo (30) a cidade ficou limpa, não havia panfletos ou “santinhos” nas ruas.

Rodrigues chamou a atenção para o índice de abstenção. Hoje, 24% dos eleitores não compareceram às urnas. No primeiro turno, o número foi 20%. “O segundo turno foi mais tranquilo por vários motivos. Uma votação só para o cargo de prefeito torna a votação mais simples para o eleitor, ele faz isso de maneira mais rápida. O cidadão também passou pelo primeiro turno, se acostumou com a urna. O mesário também pega o jeito de identificar o eleitor, mas nós percebemos que houve uma ausência maior no segundo turno em relação ao primeiro.”

 



Eleições-2016.jpg

Ricardo Callado30/10/20165min

O segundo turno das eleições municipais mostrou crescimento do PSDB e queda do PT na conquista de prefeituras.

O desempenho petista no segundo turno confirmou a tendência de queda que já havia sido apontada no primeiro turno. O partido não elegeu nenhum dos sete candidatos com os quais disputou hoje (30). Na região do ABC, onde nasceu o partido, nenhum dos dois candidatos conseguiram vitória.

No Recife, única capital em que disputou a prefeitura no segundo turno, o PT viu o atual prefeito Geraldo Júlio (PSB) vencer João Paulo (PT) por uma grande margem de votos, quase 200 mil. Já na gaúcha Santa Maria, a disputa foi apertada: o petista Valdeci Oliveira perdeu para o tucano Pozzobom por apenas 226 votos.

Candidatos petistas também disputaram em Mauá (SP), Anápolis (GO), Juiz de Fora (MG) e Vitória da Conquista (BA).

PSDB

Por outro lado, o maior rival do Partido dos Trabalhadores, o PSDB conseguiu eleger 14 das 19 prefeituras que disputou em segundo turno. Os tucanos concorreram em oito capitais e venceram em cinco delas: Porto Alegre (RS), Belém (PA), Maceió (AL), Porto Velho (RO) e Manaus (AM).

Além disso, embora tenham sido derrotados em Belo Horizonte (MG), residência eleitoral do presidente do partido, senador Aécio Neves, os tucanos tiveram bom desempenho no ABC paulista. Em São Bernardo do Campo (SP), cidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Orlando Morando (PSDB) ganhou com 59% dos votos válidos.

Em Santo André, Paulo Serra (PSDB) teve 78% dos votos, enquanto o petista Carlos Grana alcançou apenas 21%. Os tucanos levaram ainda Ribeirão Preto, cidade do ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci, com Duarte Nogueira sendo eleito por 56% dos votos válidos.

PMDB

Já o PMDB, maior partido do país, elegeu prefeitos de três das seis capitais que disputou: Goiânia (GO), com Iris Rezende sendo eleito prefeito pela quarta vez; Florianópolis (SC), com Gean Loureiro; e Cuiabá (MT), com Emanuel Pinheiro.

No total, o partido levou oito das 15 cidades que disputou no segundo turno. Em Macapá (AP), residência eleitoral do ex-presidente da República e uma das principais lideranças peemedebistas, José Sarney, o partido perdeu a disputa da prefeitura para a Rede.

Comparação com 2012

Em 2012, quando a ex-presidenta Dilma Rousseff ainda governava, o desempenho do PT nas eleições municipais foi muito superior ao de agora. O partido tinha eleito, naquele ano, 630 prefeitos em primeiro tuno, e levou 21 para o segundo turno. Desses, oito foram eleitos.

Mantendo a tendência de crescimento já apresentada no primeiro turno desta eleição, o PSDB continuou em trajetória ascendente neste segundo turno em relação a 2012. Nas últimas eleições, o partido elegeu 686 prefeitos em primeiro turno e enviou 17 para o segundo turno, tendo eleito oito prefeitos na segunda fase. Este ano, foram eleitos 14 dos 19 candidatos tucanos que disputaram o segundo turno.

Nas eleições municipais passadas (2012), o PMDB elegeu 1.015 em primeiro turno e disputou com 16 candidatos o segundo turno, elegendo mais seis. Agora, o partido disputou o segundo turno com 15 candidatos e conquistou oito prefeituras.

 



Roberto-do-Órion.jpg

Ricardo Callado30/10/20163min

Roberto do Órion (PTB) será o novo prefeito de Anápolis a partir de janeiro de 2017. Eleito em segundo turno, neste domingo, com 51,23% dos votos válidos, ele terá como vice o pastor Márcio Cândido. Eles derrotaram nas urnas o candidato João Gomes (PT) que tentava a reeleição após passar seis anos como vice-prefeito na gestão de Antônio Gomide, e mais dois como prefeito após a saída de Gomide para concorrer ao governo do estado, em 2014.

Em discurso após o resultado, Roberto do Órion – da coligação Competência para Inovar, que reúne PTB, PSD, SD, PMB, PROS, REDE, PRB, PPS e PTN – disse que uma das prioridades do seu governo será garantir o fornecimento de água para a população. “Eu nem vou esperar para janeiro. Essa semana ainda quero discutir isso com o governador Marconi Perillo”. A comemoração pela vitória ocorreu embaixo de muito chuva.

Órion, que no primeiro turno foi o segundo colocado, com 21,56% dos votos, contra 29,92% de João Gomes, conseguiu reverter a corrida eleitoral. Aos 38 anos de idade, este será o seu primeiro mandato. Além de ser farmacêutico e empresário, ele é dono de um curso pré-vestibular em Anápolis.

A disputa pela prefeitura de Anápolis foi acirrada, com apenas 4.255 votos de diferença entre os dois candidatos. “Se você vence com um voto já é vitória. Nós sabíamos que seria uma eleição dura, enfrentamos a máquina pública e fizemos uma campanha diferente, com pouco dinheiro”, comentou o prefeito eleito.

O promotor eleitoral de Anápolis, Carlos Alexandre Marques, disse que as eleições municipais deste ano foram tranquilas e o destaque foi o alto número de abstenções: 60.929 eleitores – mais de 23% do eleitorado – não compareceram às urnas no segundo turno na cidade. “A abstenção é também um recado do eleitor com a desesperança do sistema político que estamos vivenciando no Brasil”, falou.

O promotor destacou que a principal ocorrência do segundo turno em Anápolis foi a de uma mesária conduzida à sede da Polícia Federal por ser filha de um candidato a vereador, o que proibido pela Justiça Eleitoral.

 



Telma-Rufino-e1469187514569.jpg

Ricardo Callado30/10/20162min


Parlamentar está em observação; ela sofreu um infarto em agosto de 2015. Caso não é considerado grave, mas médicos optaram por mantê-la internada

A deputada distrital Telma Rufino (sem partido) foi internada na madrugada deste domingo (30) depois de sentir dores no peito. Ela estava dormindo em sua casa, em Arniqueiras, quando sentiu as dores. Segundo a assessoria da parlamentar, o quadro não foi considerado grave pelos médicos do hospital particular de Taguatinga onde ela foi atendida.

A junta médica preferiu mantê-la internada para monitorar o estado de saúde. O caso pediu maior atenção dos médicos porque ela sofreu um infarto em agosto de 2015.

 

 

 



rollemberg-celina.jpg

Ricardo Callado30/10/20164min

O Superior Tribunal de Justiça poderá de forma indireta, decidir nos próximos dias o futuro do Governo do Distrito Federal e o futuro político de Rodrigo Rollemberg

Por Edson Sombra, d’Na Varanda – A deputada distrital e presidente afastada Celina Leão Hizim Ferreira pediu ao Superior Tribunal de Justiça, para retornar ao comando da Câmara Legislativa do Distrito Federal, posto do qual foi afastada em meio as suspeitas levantadas pela Operação Drácon. O pedido está nas mãos do ministro Antônio Saldanha Palheiro, da Sexta Turma do STJ e deve ser decidido ainda na primeira quinzena de novembro.

Se o ministro autorizar o retorno da presidente afastada Celina Leão à presidência da Câmara Legislativa, uma das primeiras medidas da parlamentar deve ser aceitar o processamento dos pedidos de impeachment do governador Rodrigo Rollemberg. Não é segredo para ninguém que a parlamentar propala aos quatro cantos do DF que a operação Drácon foi urdida no Palácio do Buriti.

Ao determinar o prosseguimento dos pedidos de impeachment do atual governador, acreditam os conselheiros da presidente afastada Celina Leão, a parlamentar poderá angariar prestígio junto à população e dos servidores públicos do DF, insatisfeitos com a atual gestão do governador. Com tal demonstração de força de Celina Leão, talvez haja tempo até mesmo para colocar em prática o projeto de reeleição da Mesa Diretora. Coisa que nenhum outro presidente da casa conseguiu.

Os interlocutores mais próximos da presidente afastada acreditam que ela pode se tornar uma espécie de “Eduardo Cunha de saias”, que, ao fulminar o chefe do Executivo, se torne uma espécie de “malvado favorito” da população. Lembram os mais próximos da parlamentar, que mesmo acusado de gravíssimos casos de corrupção, por causa da aceitação do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, Eduardo Cunha era ovacionado por grande maioria da população.

Assim, o ministro Antônio Saldanha Palheiro, caso se defina pela volta de Celina Leão à presidência da CLDF, ainda que por poucos dias, pode estar colocando fim ao governo de Rodrigo Rollemberg, porque aceito o pedido de cassação, a pressão popular sobre os deputados será enorme e culminará com o precoce fim do governo.

De certo modo, o julgamento do Habeas Corpus 376763 representa um embate entre a presidente afastada Celina Leão e o governador Rodrigo Rollemberg. Mas se o STJ não devolver a presidência do legislativo a Celina, a ela ainda restará um suspiro de esperança, tentará que o  STF o faça.

Nessa briga apenas um sairá vivo politicamente. Quem será?

 



telefone.jpg

Ricardo Callado30/10/20162min

A partir de hoje (30), as chamadas de telefones fixos entre 587 municípios vizinhos deixarão de ser cobradas como interurbanas e terão a mesma tarifa das chamadas locais. A queda de preços beneficiará consumidores de 281 municípios da Região Sul; 199 da Região Nordeste; 69 do Sudeste; e 38 municípios da Região Norte.

A estimativa da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é que a mudança resulte em uma redução de 60% no custo desse tipo de ligação nessas localidades. O benefício real da mudança vai depender do plano de serviço contratado pelo assinante.

As alterações do regulamento sobre áreas locais para a telefonia fixa foram publicadas no dia 3 de maio e a agência havia dado prazo de 180 dias para entrada em vigor da medida, que vence neste domingo.

A relação dos municípios afetados pela medida pode ser consultada no site da Anatel.

 



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Enquete
Qual o melhor critério para escolha dos administradores regionais: