2015 julho

Bring to the table win-win survival strategies to ensure proactive domination. At the end of the day, going forward, a new normal that has evolved from generation.

Ricardo Callado30/07/20156min

banner_opinião

A entrevista do ex-vice-governador Tadeu Filippelli (PMDB) a seção À Queima Roupa, na coluna Eixo Capital, do Coreio Braziliense de domingo, passou despercebida. Quem acompanha a política, viu um duro recado ao governador Rodrigo Rollemberg (PSB). E muito pragmatismo político, disfarçado de mágoa.

Filippelli é hoje chefe de gabinete da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, comandada pelo vice-presidente Michel Temer. Os dois sempre foram muito próximos.

Não é de se espantar a posição ocupada por ele. Filippelli tem muita força dentro do PMDB. Basta lembrar como foi a queda de braço com Joaquim Roriz dentro do partido, que culminou com a saída do ex-governador do DF.

Na micro-entrevista concedida a jornalista Ana Maria Campos, Filippelli falou sobre os pedidos de socorro financeiro feitos pelo governador Rodrigo Rollemberg a presidente Dilma Rousseff. Se ela teria bons olhos em ajudar.

Filippeli primeiro tangenciou afirmando que não seria a questão de olhar com bons olhos. E que jamais a presidente, por motivos políticos, terá um gesto de desatenção com Brasília. Logo em seguida chamou Rollemberg de “desatento aos fatos, à realidade”.

Ele exemplifica: “No dia em que esteve com a presidente, fez, de manhã, o lançamento de um programa de R$ 5 bilhões em obras. À tarde, foi à presidente pedir R$ 2 bilhões para pagar a folha de pagamentos. Não é justo transferir essa responsabilidade para o governo federal”, cutucou Filippelli chamando Rollemberg à realidade.

O ex-vice-governador afirma que do ponto de vista pessoal, não tem absolutamente nada contra o governador Rollemberg. Lembra que depois da eleição, ele foi gentil ao fazer uma visita em sua casa, ainda na fase de transição. “Foi muito produtiva a conversa”, afirma Filippelli.

Na ida para o Palácio do Planalto, houve também um contato muito gentil da parte de Rollemberg, que segundo Filippelli foi correspondida de “forma cuidadosa”. As palavras do chefe de gabinete da Secretaria de Relações Institucionais são calculadas. E muito afiadas.

Ainda na entrevista, Filippelli manda um novo recado: “Mas parece que o governo não assimila o que se fala. Nesse encontro, nós falamos muito sobre transporte público. Acho ainda que ele poderia fazer o grande gol e a transformação do governo dele. Ele pegou uma licitação que foi um grande desafio, mas critica e combate essa ação”.

A área de transportes e a licitação do sistema público foram comandadas por Filippelli no governo passado. Na declaração acima, questiona o governador e defende o seu legado. E deixa a entender que Rollemberg teria concordado em dar seguimento ao sistema implantando por Filippelli. Leia de novo: “Parece que o governo não assimila o que se fala”

Ele encerra a entrevista com outro ponto polêmico: as contas do governo. Filippelli diz que vê com preocupação o fechamento das contas e um possível atraso de salários dos servidores. Alerta o governador para mudar o discurso. E diz que as paralisações recentes não podem mais ser atribuídas ao governo Agnelo. “São reflexos do atual governo. Sinto que não estão sendo tomadas providências para uma gestão cuidadosa da parte financeira”.

Concluindo: a entrevista de Tadeu Filippelli deixou Rollemberg numa situação desconfortável. E dá a entender que se depender do chefe de gabinete da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, o governador pode esquecer ajuda federal.

filippelli rollemberg


metro-blogueiros.jpg

Ricardo Callado30/07/20154min
Foto: Paulo Barros
Foto: Paulo Barros

Sítio institucional destaca os serviços prestados pela empresa à população de Brasília

Um site moderno, com design leve, interativo e com foco em serviços para o usuário. Esse é o conceito do novo sítio institucional da empresa, que estará no ar a partir desta sexta-feira (31). O presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado, fez uma apresentação prévia na manhã de hoje (30) para blogueiros da Associação dos Brasiliense dos Blogueiros Políticos (ABBP), em um encontro no Complexo Administrativo e Operacional (CAO), em Águas Claras.

Os blogueiros também conheceram o cronograma de 21 licitações que serão lançadas pela empresa a partir de agosto. A primeira delas abrange todo o sistema de telecomunicações, com a compra de aproximadamente 200 novos rádios para comunicação entre o Centro de Controle Operacional, as estações e os trens.

O novo site foi desenvolvido pelo próprio Metrô, sem custos, e pretende dar maior interatividade entre o usuário e a companhia, destacando serviços prestados pela empresa e também valorizando os funcionários. Entre os projetos, o Retratos do Metrô, com duas fases: uma delas mostrará a história e realidade dos funcionários da empresa e a outra mostrando quem são os usuários do metrô. O resultado estará exposto, em texto e fotos, pelos corredores da sede da empresa e nas estações.

Os usuários também podem ter acesso à Ouvidoria do Metrô-DF por meio do novo site, em uma página específica que contém, inclusive, uma seção de perguntas e respostas com as dúvidas mais comuns dos usuários. O acesso através de ferramentas como o WhatsApp também está em destaque na página da Ouvidoria.

O aplicativo móvel, lançado pelo Metrô-DF em abril, pode ser baixado por meio do novo site da Companhia. Na página, estão os links para os usuários fazerem o download das versões para os sistemas operacionais Android e iOS.

Durante o encontro, os blogueiros fizeram perguntas e apresentaram sugestões para o site e para melhorar a prestação de serviços aos usuários. Marcelo Dourado afirmou que todas as ações são transparentes e estarão divulgadas no site e nas redes sociais da empresa. “Tudo o que estamos fazendo é com o foco em melhorar a mobilidade dos usuários do transporte público de Brasília. É como sempre digo: o futuro desta cidade está nos trilhos”, destacou.

Após o encontro, os blogueiros conheceram o Centro de Controle Operacional do Metrô-DF, onde funciona o “coração” da empresa, com controladores monitorando todo o sistema. A chefe do CCO, Inalba Galvão, com a experiência de ter sido a primeira piloto do Metrô do país, em Recife (PE), explicou como funciona o trabalho.



Ricardo Callado30/07/20153min

banner_enquantoisso

# O Diário Oficial do Distrito Federal traz hoje a exoneração de Clóvis Barbará, então diretor-geral, da Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans).

# No lugar de Barbará foi nomeado Léo Carlos Cruz. Até ai tudo bem. Uma simples troca.

# Um passarinho contou ao jornalista e blogueiro Odir Ribeiro que a nomeação chega repleta de polêmica e sem bons precedentes.

# Odir afirma que o novo diretor do DFTrans, Léo Carlos Cruz, não resistiu a uma simples pesquisa no Google.

# Léo Cruz foi presidente da Companhia de Transportes Urbanos da Grande Vitória (Ceturb). Por lá, foi acusado de direcionar licitações de ônibus..

# O novo diretor do DFTrans depôs em uma CPI na Assembleia Legislativa do Espírito Santo, no dia 14 de julho.

# As empresas vencedoras do processo licitatório do governo do Espírito Santo foram favorecidas pela Ceturb. Órgão já comandado por Leo Carlos Cruz. É o que diz a CPI.

# Odir Ribeiro encerra dizendo que Léo Carlos Cruz pode até ser inocente. Mas a nomeação é para lá de suspeita. “Investigado em CPI ocupando um cargo de tamanha importância. É ou não incoerente?”, ressalta o blogueiro.

# Até sexta-feira (31), a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão recolherá sugestões para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2016, que detalha os recursos a serem arrecadados e fixa os gastos do ano.

# As contribuições podem ser enviadas para o e-mail orcamento@seplag.df.gov.br. Até ontem foram recebidos 15 e-mails com diversas propostas.

# Todas as sugestões serão avaliadas e, se pertinentes, entrarão no texto do projeto de lei da LOA. As demais seguem para os órgãos citados nas mensagens.

# Conforme calendário estabelecido pela Lei Orgânica do DF, o Executivo tem até 15 de setembro para encaminhar a proposição final à Câmara Legislativa.

# Os deputados distrital devem votar o orçamento até o último dia do ano legislativo — 15 de dezembro.


reuniao-sinpro-gdf.jpg

Ricardo Callado30/07/20153min

reuniao sinpro gdf

Sob o argumento de fazer caixa, o Governo do Distrito Federal tem buscado mecanismos para burlar a legislação, retirando direitos dos trabalhadores

Por André Barreto, do Sinpro-DF – Não à toa, o governador Rodrigo Rollemberg decidiu, por meio do Ofício nº 1.321/2015, descumprir a Lei Complementar nº 840/2011, instituindo o calote da pecúnia da licença-prêmio aos servidores aposentados.

A licença-prêmio tem caráter indenizatório e concede ao servidor efetivo três meses de repouso a cada cinco anos de trabalho. Caso ele abra mão dos descansos – porque quase sempre o próprio GDF impede -, poderá, ao se aposentar, transformá-los em dinheiro, a título de prêmio, como estabelece o artigo 142 da Lei Complementar nº 840/2011. É importante ressaltar que a LC 840 consolidou os direitos e conquistas da classe trabalhadora em 2011.

O argumento de falta de recursos, usado à exaustão por Rollemberg, não cola mais. Até bem pouco tempo, os(as) professores(as) e orientadores(as) arrancaram compromissos do GDF para que a categoria pusesse fim à paralisação do início do ano, em razão de pagamentos atrasados ou fracionados. A mobilização e pressão da categoria surtiram efeito. E o dinheiro apareceu.

Para além disso, em documento datado de 27 de fevereiro de 2015 (veja abaixo), o GDF declarou que “não encaminhou, nem encaminhará, proposta de restrição de direitos dos trabalhadores”.

Sinpro

Mas é justamente o contrário o que está fazendo agora no caso do calote que pretende dar nos aposentados na questão da licença-prêmio.

Mais uma vez, a pressão da categoria será necessária para garantir direitos e fazer com que Rollemberg reveja essa medida absurda, tornando sem efeito o Ofício nº 1.321/2015.


condomínio-Tomahawk.jpg

Ricardo Callado30/07/20153min
A área é considerada a “picanha” do patrimônio da Terracap
A área é considerada a “picanha” do patrimônio da Terracap

Por Ana Maria Campos, da coluna Eixo Capital – A Terracap conseguiu ontem recuperar um tesouro. Decisão unânime da 3ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal considerou pública a gleba hoje cercada onde foram constituídos os condomínios Tomahawk e Mirantes do Castelo. Trata-se de área nobre, no Lago Norte, com uma vista super privilegiada. Pelos planos do GDF, no local será implantada a segunda etapa do Setor Habitacional Taquari. Por ali também vai passar a nova saída norte, composta por sistema viário com 17 km de extensão que ligará a Asa Norte a Sobradinho… Um negócio avaliado em R$ 3,5 bilhões. A área é considerada a “picanha” do patrimônio da Terracap.

Sentença confirmada

A vitória na Justiça não é só da Terracap. É também do juiz Carlos Divino Vieira Rodrigues, que atuava na Vara de Meio Ambiente e hoje é substituto de segundo grau. Em sentença, expedida há dois anos, o magistrado apontou que a área é de propriedade da empresa pública do GDF e não de domínio particular, do espólio de Joaquim Marcelino de Souza. Durante toda a tramitação do processo, o juiz foi duramente atacado por grileiros e advogados do condomínio Tomahawk. A decisão é importante para sinalizar quem é o dono das terras até hoje negociadas para incautos, mas ainda cabe recurso no STJ.

Golpe contra a grilagem

A decisão da Justiça na área dos condomínios Tomahawk e Mirantes do Castelo é um golpe para grileiros do Distrito Federal que até hoje têm cobrado taxas de ocupação e vendido terrenos na região. Para o governador Rodrigo Rollemberg, preocupado com invasão de terras, essa é uma notícia e tanto.


rollemberg-nelson_barbosa.jpg

Ricardo Callado30/07/20153min

A isenção de impostos federais para a Terracap foi tema de encontro entre o governador Rodrigo Rollemberg e o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa. No fim da tarde desta quarta-feira (29), uma reunião entre os dois retomou o diálogo sobre a medida. Se implementada, poderá gerar economia de R$ 301 milhões ao caixa do governo do Distrito Federal.

“Trata-se apenas da imunidade tributária recíproca, tendo em vista que o Distrito Federal não cobra impostos da Terracap e, no nosso entendimento, como o DF tem 51% e a União, 49% da agência, a União deve abrir mão de cobrar esses tributos”, defendeu Rollemberg.

Aprovada em 28 de maio pelo Senado Federal, a emenda da Medida Provisória nº 668, de 2015, que propõe a isenção, foi vetada pela Presidência da República. O texto dá imunidade sobre o Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e o Imposto Territorial Rural sobre propriedades vendidas, cedidas ou usadas por terceiros.

O presidente da Terracap, Alexandre Navarro, presente no compromisso, mostrou-se otimista. “A Constituição Federal diz que empresas que são monopolistas, não têm sócio privado e não distribuem lucros, como é o caso da Terracap, devem gozar de imunidade tributária recíproca”, disse. “O ministro se mostrou sensível e vamos continuar discutindo como fazer esse acerto.” O secretário de Fazenda de Brasília, Leonardo Colombini, também compareceu à reunião.

Venda de terrenos

Ciente da disposição do governo federal para comercializar terrenos da União em todo o País, Rollemberg ofereceu a Terracap para administrar essas negociações. Em contrapartida, a empresa pública ganharia um porcentual sobre cada operação bem-sucedida. “Mostramos que a expertise da Terracap podem ajudar a União na venda desses terrenos”, destacou o governador.



Ricardo Callado29/07/20154min

banner_opinião

O primeiro semestre foi marcado por muitas notícias negativas para o Governo do Distrito Federal nos blogs que são lidos por quem faz política na cidade. A população, em geral, está se acostumando a se informar por meio deles. No entanto, deve haver preocupação por parte de membros do governo que fazem a comunicação.

O governo de Agnelo Queiroz (PT) preferiu ignorar esta fatia do mercado de comunicólogos. Ao mesmo tempo, a Câmara Legislativa aprovou a Emenda a Lei Orgânica Nº 74/2014, que obriga o governo a destinar 10% de sua receita para publicidade a estes veículos. E este é o ponto que esta pegando.

Tanto a Associação Brasiliense dos Blogueiros de Política (ABBP) quanto a Associação de Veículos de Comunicação Comunitária do DF e do Entorno (ASVECOM) são bastante atuantes e fazem a cobertura diária do governo e da política brasilienses. Mas no caso dos blogueiros, a repercussão torna-se grande por conta de propagação de links nas redes sociais. E isto está ganhando força a cada dia.

Muitos assuntos foram destacados exclusivamente por estes blogs e chegaram as páginas dos grandes veículos, jornais, rádios e tevês. Como exemplo, o fechamento do Balaio Café que foi distribuída nas redes sociais e consumida por pessoas ligadas ao movimento cultural. Outra questão tratou da possibilidade, em caso extremo, de o governo demitir servidores públicos para conseguir cumpria a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Aqui, o problema foi dissipado por sindicatos de diversas categorias com ajuda dos blogs. A participação de servidores comissionados do governo anterior no atual também bombou nos blogs da cidade. As encrencas do atual secretário de Saúde, Fábio Gondim, e as gravações da conversa entre deputados e o governador Rodrigo Rollemberg, também ganharam as manchetes. E tudo começou nos blogs.

Importante ressaltar que a audiência destes veículos está crescendo, mais ainda é pequena. No entanto, o maior problema está no poder de propagação via redes sociais. Quem usa Facebook, Twitter e outras redes sabe que um link é fator determinante para que a informação seja considerada séria e relevante. E isto os blogs fazem muito bem.

Para não incorrer no erro da gestão passada, o GDF deveriam abrir o diálogo com esses comunicólogos e dar início a uma relação de respeito. Mais uma vez, está faltando diálogo. Hora de sentar e ouvir. Depois estudar e propor. Para que não digam que “o governo de Rollemberg é como o de Agnelo no que diz respeito à comunicação comunitária”. Até agora, o governo prefere ir na contramão e tratar o assunto como desimportante.



Ricardo Callado29/07/20154min

banner_enquantoisso

# Brasília apresentou, em junho, taxa de desemprego de 14,2%. O índice, de acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego no Distrito Federal (PED-DF), demonstra relativa estabilidade.

# Ou seja, parou de piorar, mas está muito ruim. Em maio, o número registrado chegou a 14,4%. O levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (29), pela Companhia de Planejamento do DF (Codeplan).

# No último mês, os desempregados ficaram estimados em 223 mil pessoas — 2 mil a menos que em maio.

# O Diário Oficial do Distrito Federal traz hoje a exoneração de Irany Domingos Gomes, que ocupava o cargo de administrador regional do Riacho Fundo I

# Até a manha desta quarta-feira nenhuma nota oficial ou declaração pública sobre a saída do administrador.

# Os 5 mil atletas inscritos na 25ª edição da Corrida do Fogo terão de amanhã (30) a sábado, 1º de agosto, para retirar o kit de participação em uma das mais tradicionais provas do circuito de corrida de rua de Brasília.

# A entrega da sacolinha com camiseta, número de peito, squeeze (garrafinha d’água) e boné ou viseira ocorrerá no terceiro piso do Pátio Brasil Shopping, no Setor Comercial Sul, das 10h30 às 22 horas, nos dois primeiros dias, e das 10h30 às 13 horas, no terceiro.

# A prova, na noite de 1º de agosto, com largada às 19 horas, em frente ao Museu Nacional, na Esplanada dos Ministérios, é promovida pelo Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal e faz parte das celebrações de aniversário da corporação.

# Haverá DJs e música ao longo dos percursos de 5 e de 10 quilômetros. Como nos últimos anos, tropas uniformizadas de batalhões militares participarão da corrida

# Centenas de trabalhadores do campo e da cidade coloriram a Praça do Buriti de vermelho na tarde dessa terça feira (28).

# Dezenas de categorias se uniram aos servidores públicos do Distrito Federal e exibiram cartazes, faixas e fizeram falas políticas para protestar contra uma série de atitudes e calotes que lesam direitos e benefícios dos servidores que vem sendo adotados pelo Governo local.

# Também foi um dos pontos de protesto pelos militantes o Projeto de Lei 5.230, de autoria do deputado Cristiano Araújo (PTB), que restringe o direito constitucional de manifestações dos movimentos sociais no Eixo Monumental.

# Aprovado pela Câmara Legislativa na última sessão plenária antes do recesso parlamentar, segundo o deputado Chico Vigilante, o Projeto é qualificado pelos sindicalistas como opressor e ditatorial, pois estabelece tantas exigências e horários que praticamente proíbe qualquer tipo de manifestação popular, cultural e de qualquer natureza no Eixo Monumental.


cartao-material-escolar.jpg

Ricardo Callado29/07/20156min

cartao material escolar

GDF suspendeu o pagamento do Cartão Material Escolar deste ano, e cerca de 130 mil alunos não receberão os R$ 80 prometidos para a compra de cadernos e lápis

No início do ano o governador Rodrigo Rollemberg reduziu o valor pago pelo Cartão Material Escolar de R$ 242 para R$ 80. O assunto é abordado pelo jornalista e blogueiro Professor Chico. Ele lembra que o programa foi criado pelo ex-governador Agnelo Queiroz. O novo governo, segundo o Professor Chico, alega que os recursos foram repassados diretamente para as escolas. Veja a integra do texto:

Talvez pela sensação de “fundo do poço” em que se encontra a saúde pública do DF, outra pasta igualmente importante, e abandonada, tenha caído no esquecimento de parte de nossa imprensa e da população: a educação pública local.

Igualmente, talvez, seguindo as ações do governo de Dilma Rousseff para a área da educação, com cortes profundos em programas vitais para o setor como o FIES, além da não confirmação até agora para a manutenção do mais importante programa de intercambio brasileiro para o próximo ano, o Programa Ciências Sem Fronteiras, todos por excessos de gastos em outras áreas obrigando remanejamentos e cortes nos orçamentos, o Governo de Brasília e seus gestores da educação suspenderam o pagamento do Cartão Material Escolar, (programa inédito no resto do país quando lançado aqui em 2013, por Agnelo Querioz) deste ano, e cerca de 130 mil alunos não receberão os R$ 80,00 reais prometidos para a compra de cadernos e lápis. O GDF alega que os recursos foram repassados diretamente para as escolas.

Logo no início do ano o governo de Rollemberg reduziu o valor pago pelo cartão de R$ 242,00 para R$ 80. A Secretaria de Educação afirma que os pais só receberão os valores no ano que vem, por conta da aprovação apenas no mês passado na CLDF do projeto que regulamenta as ações. E que ainda não teve tempo de fazer um levantamento para saber quem teria direito ou não aos recursos e confeccionar os cartões. Será? E como eram pagos esses valores antes? Não teve algum “pensador” ou “intelectual” capaz de detectar o problema em tempo para ser resolvido nos gabinetes ar refrigerados da SEEDF?

Em recente entrevista a um canal de TV local, o titular da educação, Júlio Gregório, informou que o PDAF (programa de descentralização administrativo e financeira) recebrá os R$ 10 milhões deste ano que deveriam ser usados nos cartões, para a manutenção de escolas e dos projetos pedagógicos. “Uma vez que os pais dos alunos já receberam livro didático e uniforme nessa altura do ano esse recurso para compra de caderno e lápis já deve ter sido equacionado”. Mas não falou da crise financeira no governo e nem na redução do valor do cartão, algo de fácil confirmação no comércio que atende aos pais dos estudantes, em que os empresários estão vendendo fiado na confiança de que os pais em breve recebessem o dinheiro do cartão escolar, enquanto pilhas de débitos se acumulam nos pequenos comércios.

Mais uma ação do governo local “em sintonia” com a falta de sintonias do governo federal. Não custa lembrar, desde já, que muito provavelmente em breve ouviremos denúncias de desvios desses recursos que deveriam ser aplicados no cartão escolar. Depois, tem quem não goste quando dizem que PT e PSB é tudo a ver.

E salve as nossas pátrias educadoras, e viva o governo que insiste em pegar no tranco, mas que fica apenas “rateando” em inaugurações de obras do governo anterior.”



Ricardo Callado29/07/20153min
Fabio Gondim, do Maranhão para Brasília
Fabio Gondim, do Maranhão para Brasília

Os médicos da rede pública, por exemplo, aprovaram, em votação unânime, indicativo de greve para o quinto dia útil de outubro

O jornalista Renato Riella, em seu blog, escreveu sobre a rejeição que o novo secretário de Saúde, Fábio Gondim, vem sofrendo pelos profissionais e entidades ligados ao setor do Distrito Federal. Primeiro suplente de deputado federal pelo PT do Maranhão e  ex-secretário do governo Roseana Sarney, Gondim vem recebendo críticas e manifestações contrárias a sua indicação por todos os lados.

Riella relata que a categoria fez uma assembleia na noite da terça-feira (28) e decidiu cruzar os braços caso o governo do DF deixe de pagar os reajustes previstos em lei ou não efetue corretamente o pagamento dos salários do mês de setembro. Hoje, o Sindicato dos Técnicos e Auxiliares em Radiologia (Sintar-DF) reúne os sindicalizados, para discutir as realidades do setor.

O Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Direta, Autarquias, Fundações e Tribunal de Contas do Distrito Federal (Sindireta) deve fazer assembléia na segunda quinzena de agosto, para decidir o que fazer caso faltem os pagamentos. Ontem, o presidente do SindMédico-DF, Gutemberg Fialho, protocolou no gabinete do governador e na presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal, uma carta em discordância da nomeação do novo secretário de Saúde do DF.

Reclamou que, depois de sete meses de governo, tenha sido nomeada “uma pessoa sem formação na área e sem a mínima experiência”.

O blog do jonalista Renato Riella é http://blogdoriella.com.br/.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Enquete
Qual o melhor critério para escolha dos administradores regionais: