Arquivos Secretaria de Saúde - Blog do Callado

secretaria-de-saúde.jpg

Ricardo Callado05/06/20183min

Médicos, dentistas, biomédicos, técnicos de enfermagem e farmacêuticos estão entre as especialidades convocadas. Novos servidores têm 30 dias para tomar posse 

O governo de Brasília nomeou nesta terça-feira (5) 1.052 profissionais para trabalhar na rede pública de saúde. A convocação foi publicada no Diário Oficial do DF de hoje.

Médicos, dentistas, técnicos de enfermagem, farmacêuticos aprovados em concurso público de 2014 estão entre as especialidades nomeadas.

  • 283 médicos
  • 146 técnicos administrativos
  • 131 auxiliares operacionais
  • 115 técnicos de enfermagem
  • 91 técnicos de higiene bucal
  • 91 cirurgiões dentistas
  • 33 enfermeiros
  • 33 biomédicos
  • 27 fisioterapeutas
  • 25 técnico laboratório patologia clínica
  • 15 técnicos laboratório de anatomia patológica
  • 10 técnicos de nutrição
  • 10 técnicos de radiologia
  • 10 nutricionistas
  • 10 psicólogos
  • 10 terapeutas ocupacionais
  • 5 assistentes sociais
  • 4 farmacêuticos – bioquímico laboratório
  • 2 biólogos
  • 1 enfermeiro do trabalho

Os 283 médicos estão divididos em:

  • 130 pediatras
  • 62 anestesistas
  • 26 radiologistas
  • 15 neonatologistas
  • 12 médicos do trabalho
  • 10 psiquiatras
  • 10 médicos especialistas em anatomia patológica
  • 4 clínicas médicas
  • 4 de medicina intensiva adulto
  • 4 gastroenterologistas
  • 2 otorrinolaringologistas
  • 2 urologistas
  • 1 cirurgião plástico
  • 1 oftalmologista

Os concursados vão ocupar vagas dos aprovados que não tomaram posse (nomeação tornada sem efeito), de aposentados e de servidores exonerados.

De acordo com a Secretaria de Saúde, foram convocados, desde 2015, cerca de 8 mil aprovados em concursos públicos na área.

Os profissionais convocados têm 30 dias para tomar posse do cargo. A lista de documentos exigidos e mais informações estão no site da pasta.


unidades-básicas-de-saúde.jpg

Ricardo Callado25/05/20183min

Medida está entre as tomadas pelo governo de Brasília devido à paralisação dos caminhoneiros em todo o País. Unidades básicas de saúde (UBS) ficarão fechadas. Um dos objetivos é garantir o estoque de medicamentos

A continuidade da paralisação dos caminhoneiros forçou a Secretaria de Saúde a tomar medidas para garantir o estoque de medicamentos, materiais médico-hospitalares e insumos da rede pública neste fim de semana.

De sábado (26) a segunda-feira (28), serão priorizados casos de urgência e emergências nos hospitais de todo o Distrito Federal.

As unidades básicas de saúde (UBS) ficarão fechadas, e as consultas ambulatoriais em hospitais e policlínicas serão suspensas.

A suspensão também vale para cirurgias e procedimentos agendados para esses dias. A remarcação será feita na primeira oportunidade. Não há prejuízo para cirurgias de urgência.

A Saúde determinou também que o transporte de pacientes para exames seja feito apenas em casos de urgência. Além disso, veículos para serviços administrativos não deverão rodar até segunda-feira (28).

Os servidores das referidas áreas serão realocados para os atendimentos de urgência  e emergência e demais serviços ininterruptos. Para isso, os superintendentes das Regiões de Saúde devem adaptar serviço e mão de obra, a fim de que garantir o melhor atendimento possível à população.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), por sua vez, mantém a prestação do serviço nas ocorrências graves de emergência. Se encontrar dificuldade nos serviços hospitalares, deve dar início ao protocolo de crise.

A secretaria alerta ainda que qualquer servidor poderá ser convocado a atuar, independentemente do serviço, se o cenário se mantiver.

A determinação foi acordada entre o secretário de Saúde, Humberto Fonseca; secretários-adjuntos de Saúde; a subsecretária de Infraestrutura, Liliane Menegotto; os superintendentes das Regiões de Saúde; o diretor-geral do Complexo Regulador, Sandro Rodrigues; e o diretor do Samu, Newton Batista.


coletiva-h1n1-renato-araujo-agencia-brasilia-640x427.jpg

Ricardo Callado11/04/20183min

Até agora, foram três casos da doença, dos quais um resultou na morte de um homem de 54 anos, conforme divulgado em coletiva nesta quarta (11). Vacinação na rede pública começará em 23 de abril para os grupos prioritários

A Secretaria de Saúde confirmou um óbito no Distrito Federal por influenza A do subtipo H1N1. Até agora, são três casos da doença — dois evoluíram para cura, e um resultou na morte de um homem de 54 anos com doença hematológica (sanguínea). As informações foram repassadas em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (11).

A diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Maria Beatriz Ruy, o secretári de Saúde, Humberto Fonseca; e o subsecretário de Vigilância em Saúde, Marcos Quito
A diretora de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Saúde, Maria Beatriz Ruy; o secretário de Saúde, Humberto Fonseca; e o subsecretário de Vigilância em Saúde, Marcos Quito. Foto: Renato Araújo/Agência Brasília

A campanha de vacinação para os grupos prioritários começará na rede pública do DF em 23 de abril.

“O vírus do H1N1 está circulando no DF, o que não ocorreu no ano passado. Estamos agora em uma grande sazonalidade de doenças respiratórias, mas não é algo que foge à normalidade”, disse o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, sobre o aumento de casos de doenças respiratórias nesse período.

Ele destacou que a melhor forma de prevenção é a vacina e alertou para a baixa adesão da população-alvo à campanha em 2017. Por isso, a meta de atingir 90% de cobertura dos grupos de risco não foi alcançada, e o Ministério da Saúde decidiu estender a imunização para qualquer pessoa.

Até o último boletim epidemiológico, referente ao período de 31 de dezembro de 2017 a 31 de março de 2018, Brasília registrou 223 casos de síndrome respiratória aguda grave — 164 deles em moradores da capital federal. Desses 164, em 76 os exames apontaram positivo para vírus respiratórios.


secretaria-de-saude.jpg

Ricardo Callado30/03/20183min

Convocação foi publicada em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal 

Em edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal, publicada nessa quinta-feira (29), foram nomeados 1.485 servidores da Saúde. Os cargos fazem parte dos 1.621 divulgados em 14 de março pelo governador Rodrigo Rollemberg.

Entre os nomeados estão:

  • 295 médicos
  • 256 enfermeiros
  • 767 técnicos
  • 136 fisioterapeutas
  • 31 especialistas

De acordo com a Casa Civil, foram convocados ontem 24 auditores de controle interno para as Secretarias de Fazenda e de Planejamento e 10 servidores para a Controladoria-Geral do DF.

Além dessas, as nomeações anunciadas por Rollemberg incluíam 63 profissionais para a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF). Eles foram designados para os cargos em 16 de março. Já as convocações para o Instituto de Defesa do Consumidor do DF (Procon-DF) saíram na sexta-feira (23).

No caso do Metrô-DF, as vagas integram a segunda leva de nomeações para completar 188 profissionais. A primeira foi em fevereiro com o chamamento de 62 pessoas. A última convocará 63 e está prevista para o primeiro semestre deste ano.

O calendário de nomeações confirmadas para 2018 incluem 242 agentes do sistema socioeducativo e 20 servidores da Secretaria de Cultura — entre eles, 10 para a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro. Em maio, serão 114 agentes penitenciários.

Outra categoria que receberá reforço é a Polícia Civil do DF. Serão nomeados 160 policiais — 65 delegados, 65 peritos e 30 papiloscopistas — de maio a dezembro.

Antes das contratações anunciadas pelo governador em março, o Executivo local já havia chamado 1.435 servidores novos apenas em 2018. Somados com os números desde 2015, foram 10.949: 1.410 do primeiro ano da atual gestão, 3.866 de 2016 e 4.238 de 2017.


secretaria-de-saude.jpg

Ricardo Callado27/03/20183min

De acordo com o cargo, teste será em 3, 10 ou 17 de junho. Inscrições vão até 30 de abril, e salários variam de R$ 1,7 mil a R$ 12,6 mil

As datas das provas objetivas do concurso público da Secretaria de Saúde foram alteradas. Os testes dos quatro editais seriam em 3 de junho deste ano, mas o dia permanece apenas para os cargos previstos no Edital nº 6. As outras datas são:

  • 10 de junho – Editais nº 5 e nº 7
  • 17 de junho – Edital nº 8

As mudanças foram publicadas nessa segunda (26) no Diário Oficial do Distrito Federal, que apresentou outras alterações referentes ao processo seletivo.

Vagas, salários e cargas horárias

No edital 5, são 20 vagas, divididas igualmente entre técnicos de laboratório e contabilidade. A remuneração será de R$ 1.735 para 20 horas semanais.

No edital 6, estão previstas 294 vagas de provimento imediato e formação de cadastro de reserva, em 24 especialidades do cargo de médico. O salário será de R$ 6.327, para carga horária 20 horas semanais —para a especialidade médico da família e comunidade são 40 horas, com remuneração de R$ 12.654.

O de número 7 destina-se a selecionar candidatos para 72 vagas de provimento imediato e formação de cadastro de reserva, em 11 especialidades do cargo de especialista em saúde, entre eles, administrador, analista de sistemas e contador. O salário é de R$ 3.055 para 20 horas semanais.

Já o edital 8 abre 30 vagas, das quais 20 para enfermeiro obstetra. Nesse caso, a remuneração é de R$ 3.055 para 20 horas semanais. As outras 10 vagas são para enfermeiro de família e comunidade, com salário de R$ 6.110 para 40 horas semanais.

Concurso da Secretaria de Saúde

Inscrições até 30 de abril (segunda-feira)

Exclusivamente pelo site do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades)

416 vagas


secretaria-de-saúde.jpg

Ricardo Callado21/03/20184min

Inscrições vão até 30 de abril, pelo site do Iades. Salários variam de R$ 1,7 mil a R$ 12,6 mil

Estão abertas as inscrições do concurso público para a Secretaria de Saúde, com 416 vagas e cadastro de reserva para níveis médio e superior. Os interessados podem se candidatar até as 22 horas de 30 de abril, exclusivamente via internet, pelo site do Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades). O valor da inscrição varia de R$ 50 a R$ 80.

As provas objetivas dos editais de número 5, 6, 7 e 8 serão aplicadas na data provável de 3 de junho de 2018. No edital 5, são 20 vagas, divididas igualmente entre técnicos de laboratório e contabilidade. A remuneração será de R$ 1.735 para 20 horas semanais.

No edital 6, estão previstas 294 vagas de provimento imediato e formação de cadastro de reserva, em 24 especialidades do cargo de médico. O salário será de R$ 6.327, para carga horária 20 horas semanais —para a especialidade médico da família e comunidade são 40 horas, com remuneração de R$ 12.654.

O de número 7 destina-se a selecionar candidatos para 72 vagas de provimento imediato e formação de cadastro de reserva, em 11 especialidades do cargo de especialista em saúde, entre eles, administrador, analista de sistemas e contador. O salário é de R$ 3.055 para 20 horas semanais.

Já o edital 8 abre 30 vagas, das quais 20 para enfermeiro obstetra. Nesse caso, a remuneração é de R$ 3.055 para 20 horas semanais. As outras 10 vagas são para enfermeiro de família e comunidade, com salário de R$ 6.110 para 40 horas semanais.

A banca responsável pelo concurso publicou, na terça-feira (19), retificações para os editais. Veja as mudanças:

Suspensão de concurso do Instituto Hospital de Base

O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região suspendeu nessa segunda-feira (19) o primeiro processo seletivo para o Instituto Hospital de Base. O concurso tem o objetivo de contratar 708 profissionais, entre médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Em nota, o instituto afirmou que vai recorrer da decisão e que a determinação do tribunal não invalida as etapas do processo seletivo ocorridas até o momento. A divulgação do resultado final estava prevista para esta sexta-feira (23).

Concurso da Secretaria de Saúde

Inscrições até 30 de abril

Exclusivamente pelo site do Iades

416 vagas


secretaria-de-saúde.jpg

Ricardo Callado05/03/20183min

Quatro editais foram publicados nesta segunda (5). Há vagas para níveis médio e superior. A maioria, 294, é para médicos

Divulgados nesta segunda-feira (5), quatro editais da Secretaria de Saúde preveem a contratação de 414 profissionais de diversas especialidades e níveis de formação. Os concursos contam com cargos de provimento imediato, a serem preenchidos de acordo com a disponibilidade orçamentária da pasta, e de cadastro reserva.

Entre as vagas estão 20 para técnico em saúde de nível médio; 292 para médicos; 30 para enfermeiros e 20 para técnico em saúde de nível superior. Em todas as categorias, as nomeações ocorrerão em duas etapas: uma em 2018 e outra em 2019.

As provas objetivas de língua portuguesa, conhecimentos gerais, raciocínio lógico e conhecimentos específicos serão aplicadas pelo Instituto Americano de Desenvolvimento (Iades). A instituição também fará a avaliação de título, no caso de cargos com formação superior.

Interessados têm de 20 de março a 30 de abril para fazer a inscrição, por meio do site da banca examinadora. Os concursos ocorrerão em 3 de junho, com data provável de divulgação dos resultados em 6 de julho.

Com a saída do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), em outubro de 2017, o governo de Brasília pôde retomar nomeações e abertura de novos concursos. Desde então, foi autorizada a nomeação de:

  • 92 enfermeiros
  • 200 agentes penitenciários
  • 12 procuradores
  •  35 auditores internos
  •  1.035 profissionais da Educação

febre-amarela.jpg

Ricardo Callado28/02/20183min

Um caso de febre amarela em humano no Distrito Federal (DF) foi confirmado este ano pela Secretaria de Saúde. Ele ocorreu em janeiro, na Granja do Torto, e o paciente foi curado. De acordo com a secretaria, trata-se de um caso autóctone, ou seja, doença contraída no DF.

“O paciente relatou o início dos sintomas entre os dias 8 e 10 de janeiro, período em que esteve em seu local de trabalho, na Granja do Torto. Além disso, ele não se deslocou para outra unidade da Federação nos 15 dias que antecederam o início dos sintomas”, diz a nota divulgada pela secretaria.

A confirmação da doença ocorreu após três exames realizados no Laboratório Central (Lacen). As amostras foram também encaminhadas para contraprova ao Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo. “Em todos os testes o resultado foi positivo para febre amarela”.

A secretaria informa ainda que Vigilância Ambiental realizou ações na Granja do Torto, como identificação e eliminação de focos de mosquito, verificação da existência de circulação de primatas não humanos e fez uso de inseticida (fumacê), em três ciclos, na época da notificação.

De primeiro de janeiro até ontem (27), a Secretaria de Saúde registrou 29 casos suspeitos de febre amarela silvestre. Destes, 25 casos são de residentes no DF e quatro de pessoas de outras localidades.

Dos casos de moradores no DF, 22 foram descartados e um confirmado, permanecendo os demais (dois casos) em investigação. Os quatro casos suspeitos em residentes de outras cidades fora do DF foram todos descartados.

“A Secretaria de Saúde ressalta que a cobertura vacinal do Distrito Federal é alta e que não há motivo para preocupação por parte da população. Todas as salas de imunização do DF estão abastecidas com a vacina contra a febre amarela”, encerra a nota.


posse-servidores-405-servidores-saude-rollemberg-denio-simoes-640x427.jpg

Ricardo Callado25/01/20184min

São 293 médicos, 50 técnicos administrativos, 12 enfermeiros, 5 assistentes sociais, 4 terapeutas ocupacionais, entre outros, aprovados em concurso público de 2014

Nomeados nas edições de 27 e 29 de dezembro do Diário Oficial do Distrito Federal tomaram posse como servidores da Secretaria de Saúde na manhã desta quinta-feira (25).

Eles participaram de solenidade no auditório da Imprensa Nacional, no Setor de Indústrias Gráficas, com presença do governador Rodrigo Rollemberg. Ao todo, 405 pessoas tiveram o nome na publicação oficial daqueles dias.

Os novos servidores entregaram a documentação no Núcleo de Admissão da Secretaria de Saúde, na sede da pasta.

“Com as posses de hoje, demos posse no nosso governo a 4,3 mil servidores da saúde”, comemorou o governador. Segundo ele, esse reforço vai garantir mais médicos para a atenção primária e para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgências (Samu).

“No universo de 32 mil servidores [número total da Secretaria de Saúde], chegar a 4,3 mil nomeações desde 2015 demonstra o esforço em recompor e aumentar o quadro de pessoal da saúde”, observou o secretário adjunto de Assistência à Saúde, Daniel Seabra.

O chefe do Executivo local adiantou ainda que, em fevereiro, serão nomeados mais profissionais, principalmente técnicos de enfermagem, que possibilitarão a abertura de mais leitos nos hospitais.

A maioria dos nomeados em dezembro, 293, é formada por médicos. A lista ainda conta com 50 técnicos administrativos, 12 enfermeiros, cinco assistentes sociais e quatro terapeutas ocupacionais, entre outros.

Todos foram aprovados em concurso de 2014 da Secretaria de Saúde.

“Estou com muita expectativa em assumir meu cargo na cobertura da atenção primária. É muito importante termos médicos da família, que atuam perto das residências e diminuem as lotações dos hospitais”, disse Carolina Japiassu, de 30 anos, que tomou posse como médica da Estratégia Saúde da Família.

Fernanda Tolentino, de 28 anos, faz residência médica no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Como não estava formada em 2014, solicitou a ida para o fim da fila dos convocados.

Ela será empossada no cargo de clínica médica. “Estou feliz, apesar de ter um pouco de receio por ser algo novo. Como já conheço o trabalho na secretaria, consigo ficar menos ansiosa, mas é o primeiro cargo público que vou assumir”, disse.

Já para a advogada Jéssica Leite Melo, de 28 anos, a posse no cargo de técnica administrativa é uma chance de ter um emprego estável.

“Já tinha vontade de ser servidora pública e estou muito feliz de assumir esse cargo. Tenho advogado na iniciativa privada, mas estava à espera da convocação”, relatou.


coletiva-febre-amarela-denio-simoes-1-640x427.jpg

Ricardo Callado29/12/20177min

Outras duas vítimas foram infectadas fora de Brasília. Todas as medidas sanitárias e epidemiológicas foram tomadas no momento da notificação. Situação do paciente se agravou em decorrência de anemia falciforme

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (29), a Secretaria de Saúde confirmou a primeira morte por febre amarela contraída no Distrito Federal por um residente. A vítima, um homem de 43 anos, morava no Sudoeste. O caso é o primeiro autóctone (em natural da região) dos três registros notificados em 2017.

A investigação epidemiológica foi iniciada em 20 de novembro com a notificação no banco de dados da secretaria. De acordo com a pasta, o paciente procurou atendimento médico em hospital privado em 17 de novembro. Dois dias depois, retornou com o quadro mais grave e foi internado.

No período subsequente, a partir do dia 20, foram feitos os exames laboratoriais no Laboratório Central de Saúde Pública, e a secretaria iniciou as ações ambientais recomendadas, como análise nos cenários de circulação da vítima.

O diagnóstico foi confirmado laboratorialmente em 21 de dezembro. De acordo com os resultados, a evolução para o óbito foi agravada em decorrência de anemia falciforme. A vítima tinha registro de vacinação, que tem eficácia de 95 a 99%.

Todas as medidas sanitárias e epidemiológicas foram tomadas no momento da notificação, de acordo com o subsecretário de Vigilância à Saúde, Marcus Vinícius Quito. “Foram feitas varreduras nas áreas de contato, captura e análise dos vetores”

Para amenizar o risco de propagação da doença no DF, a secretaria desencadeou ações como análise da situação dos residentes das áreas suspeitas e o chamado bloqueio vacinal, com 166 novas doses aplicadas só no fim de semana subsequente ao óbito.

Também foram expedidas orientações aos serviços de saúde e vigilância sobre os casos suspeitos. “Como o DF é caracterizado como região de possível risco de disseminação da doença, agimos prontamente com todas as medidas ambientais e epidemiológicas”, declarou Quito.

Ele também destacou a necessidade de administração da vacina, sobretudo em crianças. O subsecretário informou que a pasta dispõe de estoque suficiente para cobrir a população e que, caso faltem doses, o Ministério de Saúde poderá ser acionado para o repasse.

“Não há cenário para pânico. A orientação à população é: monitorar os reservatórios de reprodução do vetor Aedes aegypti, além de manter a vacinação em dia”, reforçou o subsecretario.

Caso haja algum foco que a pessoa não consiga combater, deve acionar a Vigilância Ambiental em Saúde pelo número da ouvidoria 160 ou pelo número 99287-6635.

De acordo com a pasta, a situação no DF continua controlada devido à ampla cobertura vacinal. A orientação do governo é que a população receba duas aplicações ao longo da vida.

Crianças devem tomar uma dose aos 9 meses e um reforço aos quatro anos de idade. Para os adultos, é recomendada uma injeção de reforço dez anos após a primeira. A repetição desnecessária de aplicações pode prejudicar o organismo.

Gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pessoas com imunossupressão e aquelas com mais de 60 anos só devem se vacinar mediante avaliação médica criteriosa.

Em caso de dúvida, o cidadão pode ser orientado por um profissional de saúde nas salas de vacina espalhadas no DF.

Casos de febre amarela no DF

De acordo com a Secretaria de Saúde, em 2000, houve o surto mais grave de febre amarela na região, com 40 registros — 38 deles de moradores de outras unidades federativas, mas diagnosticados no DF.

Em 2008, foram 13 diagnósticos da enfermidade na capital. Após esse período, o DF não teve mais infecção por febre amarela em residentes. Em 2015, as regiões administrativas anotaram três pacientes procedentes de outras localidades, dos quais dois morreram.

Características e sintomas da doença

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, transmitida somente pela picada de mosquitos. É comum em macacos, os principais hospedeiros do vírus.

A infecção é dividida em silvestre ou urbana. No primeiro tipo, o vírus passa do macaco para o mosquito e depois para o homem, em ambientes de matas e vegetações.

á a urbana ocorre nas cidades, podendo ser transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya.

Os sintomas da doença incluem febre alta, dores no corpo e nas articulações, náuseas e vômito. Em alguns casos, a doença pode evoluir após um breve período de melhora.

Surgem então sintomas como icterícia (coloração amarelada da pele), hemorragia, choque e insuficiência de múltiplos órgãos, podendo levar à morte do paciente.

Já nos primeiros sinais de manifestação da doença, deve-se procurar ajuda médica. Não há nenhum tratamento específico, só os sintomas são tratados.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias