OPINIÃO | Mais amor a Brasília, por favor!!!, por Ricardo Callado

Por Ricardo Callado

Brasília merece ser bem cuidada. Ser respeitada. Brasília é a nossa casa. Quando falamos em casa, logo imaginamos o lugar onde moramos com a nossa família. Mas a cidade em que vivemos também é nossa casa, e por isso temos a obrigação de cuidar dela.

Ao completar 57 anos, a capital dos brasileiros passa por problemas. E nossos representantes não conseguem resolve-los, seja por negligência ou incompetência. Ou por ambos. Buracos, insegurança, trânsito caótico e serviços públicos que deixam a desejar fazem parte do dia-a-dia do brasiliense.

A Brasília que queremos e merecemos não é essa. Ela já existiu. Mas precisa passar por constante transformação. Como qualquer outra cidade que cresce. O patrimônio cultural e o tombamento precisam ser respeitados. Mas sem engessamento.

Não pode paralisar a capital como se fosse uma múmia. Nós precisamos de metrô, mais ciclovias, passagens de pedestres, duplicação de vias. Mais escolas e hospitais. De áreas residenciais e comerciais legalizadas e sem especulação.

Precisamos de políticos que sejam comprometidos com a cidade. Brasília não é mais a mesma de 50 anos. A cidade cresceu. Esse não é o problema. O que pega é a falta de ação dos governantes que não conseguiram preparar Brasília ao seu crescimento.

A culpa também é nossa. Somos nós que escolhemos os representantes. Não adianta xingar governador, vice, senadores e deputados enquanto continuamos colocando sempre os mesmos lá. Ou trocando uns pelo outros, que no final sempre acaba no mais do mesmo.

Também não temos culpa pelos políticos que os outros estados mandam para cá. Lá eles também não sabem votar. Não é um exclusividade do brasiliense. Aí quando acontece um mal feito no Congresso Nacional ou no Palácio do Planalto a culpa é de Brasília. É injusto, mas é real.

Brasília é talvez a melhor cidade brasileira para se morar. Tem um povo honesto e trabalhador que enfrenta congestionamentos todos os dias para ganhar o pão. Corrupto tem em todo canto.

O que precisa são as coisas simples. Cuidar das ruas, das praças, do povo. Planejar as cidades. Brasília quer um prefeito. Alguém que ame a cidade, que cuide. Não vejo dificuldades em tapar buracos, por exemplo. Entretanto, o que mais se vê são crateras. Um privilégio espalhado do Lago Sul ao Sol Nascente. Unindo as classes sociais nas críticas.

Os governantes que tivemos nos últimos anos levaram a cidade ao estado falimentar que se encontra hoje e luta para sair. Não temos mais o direito a errar. O passado bate a porta para nos lembrar.

Devemos fazer a nossa parte como cidadãos. Não apenas nas escolhas dos políticos. Também cuidando de nossa cidade com exemplos de cidadania, como manter a cidade limpa. Certas atitudes deixam o dia a dia mais leve.

Aplique o amor em doses diárias, compartilhe respeito, solidariedade, generosidade, gestos de gentileza, carinho, sorria.

O céu de Brasília é nosso. O desgaste político também é. Não adianta ter um céu lindo, enquanto aqui em baixo tudo vai mal. Precisamos aprender a votar. E fazer a nossa parte. Por amor a Brasília, por favor.

Facebook Profile photo

Jornalista, blogueiro, escritor e consultor político. Exerceu a função de secretário de Comunicação Social do Governo do Distrito Federal. Foi Diretor de Redação do Grupo Comunidade de Comunicação – responsável pelos jornais da Comunidade e O Coletivo. É autor do livro PANDORA – e outros fatos que abalaram a política de Brasília.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 


Topo