Arquivos Saúde - Página 2 de 28 - Blog do Callado

hospital_base_foto_Gabriel_Jabur-768x512.jpg

Ricardo Callado02/03/20193min

Centro cirúrgico do Hospital de Base conta com quatro salas para operações de urgência

O Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) manterá normalmente a realização de cirurgias eletivas, durante o Carnaval, no Hospital de Base. Para segunda-feira (4), estão previstos 21 procedimentos de diversas especialidades, entre elas trauma, ortopedia e proctologia. Já o planejamento para quarta-feira (6) está sendo finalizado.

A chefe da unidade do centro cirúrgico do hospital, Patrícia Peres, informa que esta é a segunda vez que o instituto segue a determinação durante as festividades carnavalescas. “Faz parte da política do IGESDF não parar de fazer os procedimentos”, afirma. “Nossas equipes trabalharão normalmente para realizar as cirurgias agendadas.”

Segundo a médica, além dessa medida, adotada após a transformação do modelo de gestão, o Hospital de Base passou a destinar quatro salas de cirurgia para operações de urgência e emergência durante feriados, quando há maior probabilidade de ocorrência de traumas. “Com isso, temos mais capacidade de resolução, caso aumente a demanda.”

O diretor clínico do IGESDF, Júlio César Ferreira, lembra que o Hospital de Base atende casos de maior gravidade. “Por isso, durante o Carnaval, essa é a unidade referenciada para traumas de média e alta complexidade no Distrito Federal”, ressalta.

O foco do centro de trauma do hospital, durante essa temporada, é o atendimento a casos de traumatismos encefálicos e infarto, informa o diretor de Atenção à Saúde da unidade, Rodrigo Caselli. “Nos casos simples, a orientação é que a população procure os hospitais regionais”, atenta o médico.

Com informações do IGESDF


Osnei-Okumoto.jpg

Ricardo Callado28/02/20196min

Esse é o resultado da produção de 14 hospitais da rede, desde 1º de janeiro. Programa foi lançado pelo governador para ações emergenciais em áreas estratégicas

O SOS DF Saúde atingiu o número de 10.164 cirurgias feitas na rede pública de Saúde do Distrito Federal. Os dados são parciais e resultado da produção de 14 hospitais da rede, contabilizada desde 1º de janeiro. A força-tarefa faz parte do SOS DF, lançado pelo governador Ibaneis Rocha para garantir ações emergenciais em áreas estratégicas do governo.

Na Saúde, o foco é a realização de cirurgias eletivas e de urgência/emergência. Dos 14 hospitais da rede, o que realizou mais cirurgias em janeiro e fevereiro foi o Base, com um total de 2.432 procedimentos feitos, seguido do Gama, com 1.330, e Sobradinho, com 1303. Em comparação aos dois primeiros meses de 2018, a gestão passada realizou 4.862 cirurgias eletivas e de urgência/emergência, incluindo as cesarianas.

A força-tarefa, que vai durar seis meses em razão do decreto de emergência, foi possível graças à articulação dos secretários-adjuntos da pasta com as chefias nos hospitais, e à sensibilização dos profissionais, o que possibilitou a abertura de um terceiro turno e a formação de equipes completas para utilização de salas cirúrgicas.

“Estabelecemos uma rotina com os hospitais da rede, de tal forma que pudéssemos realizar as cirurgias eletivas e atender às pessoas que estavam esperando há anos nas filas”, destacou o secretário de Saúde, Osnei Okumoto. Segundo a secretária adjunta, Renata Rainha, a reorganização das escalas foi um dos pontos que permitiu esse aumento nos procedimentos.

Pagamentos

Em apenas dois meses de gestão, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal saldou compromissos de, pelo menos, nove anos e pagou R$ 21,3 milhões a 6.243 servidores da pasta, montante referente a dívidas de Trabalho por Tempo Determinado (TPD), licenças-prêmio não usufruídas e demais verbas indenizatórias.

Um total de 314 servidores da pasta, entre aposentados, pensionistas e exonerados no período entre 2002 e 2010, receberam em fevereiro R$ 9,9 milhões em licenças-prêmio que não foram usufruídas, o que corresponde a um valor médio R$ 31.705 para cada servidor. A pasta já tinha quitado, no início do ano, o montante de R$ 1,4 milhão em licenças-prêmio não usufruídas, para 53 servidores. Com o novo aporte em fevereiro, esse valor sobe para R$ 11, 4 milhões.

A Secretaria de Saúde também pagou em fevereiro o valor de R$ 4,8 milhões referente ao TPD de outubro do ano passado. Foram beneficiados 2.771 servidores da pasta. Outro pagamento de benefícios já tinha ocorrido nesta gestão, em janeiro deste ano. Naquela ocasião, 3.105 servidores da pasta foram beneficiados com o depósito de R$ 5 milhões, valor referente à TPD de setembro de 2018 e demais verbas indenizatórias.

Segundo Okumoto, além dos pagamentos, a pasta pretende fazer uma gestão que escuta os servidores, seja indo até as unidades, seja recebendo os profissionais no gabinete. “Vamos resgatar a credibilidade do servidor”, destacou.

Carnaval

Para o Carnaval, a Secretaria de Saúde ampliou os estoques de camisinha em 800 mil unidades. Os interessados podem retirar os preservativos nas unidades básicas de saúde, no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) da Rodoviária do Plano Piloto, no Hospital Dia da Asa Sul e junto aos parceiros da pasta, como blocos carnavalescos, sociedade civil organizada e diversas entidades empresariais, que trabalharão na prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) durante a folia.

Durante os quatro dias de festa, haverá uma tenda fixa no Carnaval Social do Estádio Mané Garrincha, local onde terá também um trailer para realização de testes rápidos de HIV e sífilis.

“A previsão é de que sejam feitos 60 testes de HIV e 60 de sífilis em cinco horas de trabalho por dia. Também está prevista a distribuição de 20 mil preservativos, cinco mil géis lubrificantes e 500 preservativos femininos por dia”, completou Okumoto.

*Com informações da Secretaria de Saúde


mulher-correndo-no-parque.jpg

Ricardo Callado27/02/20193min

O evento ocorrerá em homenagem ao Dia Internacional da Mulher e terá programação com aferição de pressão, aulas de zumba e atividades infantis

Uma manhã dedicada ao público feminino, com o objetivo de chamar atenção para os cuidados necessários ao corpo e à saúde. Assim será a Caminhada Saúde da Mulher, realizada no dia 10 de março, a partir das 10h, no Taguaparque (área verde, próximo ao parque infantil). O evento será realizado pelo IMEB (Imagens Médicas de Brasília) em homenagem do Dia Internacional da Mulher.

Além da caminhada, a ocasião oferecerá às participantes palestras sobre a importância da saúde para a autoestima da mulher, dicas de alimentação e como prevenir as doenças mais comuns em mulheres. O momento será conduzido pela médica endocrinologista e diretora do IMEB, Noêmia Barra.

A programação também será marcada pela oferta de serviços de saúde, como aferição de pressão arterial e cálculo de IMC (Índice de Massa Corpórea), e por sorteio de exames de bioimpedância, que indicam a quantidade aproximada de músculo, osso e gordura do corpo, sendo, portanto, essenciais para avaliar resultados de dietas. “Preparamos uma programação totalmente gratuita e voltada para a saúde da mulher. Todas que se fizerem presentes terão à sua disposição nossos profissionais, que estarão preparados para atende-las da melhor maneira possível, prestando esclarecimentos e tirando dúvidas durante o evento”, afirma a diretora.

E como saúde de qualidade está diretamente ligada a movimento corporal, o público poderá participar ainda de aulas de zumba e alongamento, com instrutores especializados. As crianças também não ficarão de fora e terão atividades especialmente preparadas para elas.

Além de gratuito, o evento contemplará os primeiros 150 participantes a chegarem ao local com kits contendo brindes.

SERVIÇO:

Caminhada Saúde da Mulher

 Data: 10 de março de 2019

Horário: a partir das 10h

Local:Taguaparque (área verde, próximo ao parque infantil)

Inscrição: gratuita (no local do evento)

 


LuzFotografia.jpg

Ricardo Callado26/02/20193min
Em comemoração ao Dia da Mulher, médica e ex paciente oncológica no DF trazem atividade de maquiagem no dia 8 de março, a partir das 10h, no Núcleo de Oncologia do Hospital Universitário de Brasília (HuB)
Para amenizar o dia a dia de pacientes vítimas de câncer no Distrito Federal, a Médica Oncologista Ludmila Thommen, em parceria com a equipe paulista do programa ‘De Bem Com Você’ e apoio da instagrammer brasiliense Bel, criadora da página ‘Câncer sem Tabu’, oferecem no dia 8 de março, em comemoração ao Dia Internacional Da Mulher, uma oficina especial de automaquiagem para pacientes em tratamento.

O projeto gratuito para mulheres em tratamento no Hospital Universitário de Brasília – HuB (604/605 L2 Norte), acontece no serviço de oncologia da própria unidade de saúde. A ação terá capacidade de 12 vagas no período da manhã, às 10h, e mais 12 vagas no período da tarde a partir das 14h.  As inscrições podem ser feitas pelas pacientes do HuB no balcão de informação da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) no próprio hospital.

Por meio da oficina, que acontece com a colaboração voluntária de profissionais maquiadores e assistentes, o programa irá ensinar para as pacientes em Brasília, técnicas de automaquiagem e dicas de beleza. Além disso, será oferecida uma sessão de fotos e um lanche especial para as participantes da ação. Ludmila conta que o objetivo é amenizar os efeitos das transformações causadas durante a quimioterapia, radioterapia e outros tratamentos oncológicos necessários para a cura da doença.
“A doença afeta muitas camadas na vida dessas mulheres. O câncer abala principalmente a autoestima e a beleza delas. Acredito que por meio da oficina, com o ato de se maquiar, elas possam elevar os cuidados com a beleza. Muitas pacientes chegam tristes e saem com a autoestima renovada com o sorriso estampado no rosto”, diz a oncologista.

Serviço
Especial Dia da Mulher – Oficina gratuita de automaquiagem para pacientes do HuB
Endereço: Hospital Universitário de Brasília – HuB (604/605 L2 Norte)
Data: Dia 8 de março
Horário: Manhã a partir das 10h / Tarde a partir das 14h


beatris.jpg

Ricardo Callado21/02/20195min

Por não aguentar mais tanta perseguição, pela primeira vez, a gestora da saúde, professora e mestranda em Administração Pública, Beatris Gautério de Lima, recorre aos veículos de comunicação do DF, para dizer que nunca foi condenada pela Justiça, não responde a processos em nenhum tribunal do país e jamais foi presa pela Polícia Federal, conforme as  notícias espalhadas por seus detratores

Por Toni Duarte//RADAR-DF

Beatris Gautério já não sabe o que fazer, além de recorrer a justiça para fazer parar uma campanha difamatória contra a sua pessoa, que ganhou espaço em alguns veículos de comunicação do DF, após ser empossada no cargo de diretora-executiva do Fundo de Saúde do Distrito Federal pelo governador Ibaneis Rocha.

Ela diz ainda não saber de onde parte a feroz campanha difamatória contra a sua pessoa, a qual vem afetando a sua vida profissional, bem como a dignidade humana e moral de sua família. “Isso tem que parar”, desabafou nesta quarta-feira (20/02) ao Radar-DF.

A gestora afirmou, que durante a sua trajetória profissional como: Compradora do Programa Antártico Brasileiro da Marinha do Brasil; Assessora do Secretário de Infraestrutura da Secretaria de Saúde do DF; Chefe de Administração Geral da Secretaria Estado de Saúde do DF; Chefe de Administração Geral da Secretaria de Estado de Fazenda do DF; Consultora da Organização Mundial da Saúde e Consultora de Gestão em Saúde na Fiocruz, nunca se envolveu com qualquer ato ilícito como seus difamadores tentam imputar a ela.

“A publicação divulgada na mídia eletrônica, vinculando-me a eventuais atos ilícitos, tanto no governo federal, quanto no governo distrital, são inverídicas e distorcidas, gratuitamente ofensivas a minha reputação, dignidade e decoro”, disse.

Alguns sites de notícia do DF dão conta que o diretora-executiva do Fundo de Saúde do Distrito Federal, Beatris Gautério de Lima é investigada pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal em inquérito ligado à apuração de suposta fraude em licitação do Ministério da Saúde.

Segundo a notícia, Beatris estaria envolvida em um esquema criminoso de fraude em processo licitatório de 2013, para locação de automóveis a fim de atender o Distrito Sanitário Especial Indígena na Bahia (DSEI-BA).

“Estão fazendo uma campanha violenta e de desconstrução contra a minha pessoa na tentativa de fazer uma mentira virar verdade”. Fui levada ao constrangimento a dar explicações a Controladoria-Geral e ao próprio governador Ibaneis Rocha, em cima de acusações que não são verdadeiras”, afirmou.

Beatris apontou que não existe contra ela qualquer condenação cível ou criminal, em via judicial, policial ou administrava, conforme indicam as certidões negativas emitidas pelo Tribunal de Justiça do DF; Tribunal Regional Federal da 1ª Região (que possui o Estado da Bahia como jurisdicionado, bem como certidões emitidas pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal; Tribunal de Contas da União, além de certidões negativas emitidas pelo Ministério Público e certidão de antecedentes criminais da Polícia Federal.

A gestora esclareceu que em 2014, se apresentou espontaneamente a Polícia Federal em Brasília, onde prestou esclarecimentos sobre fatos que estavam sendo investigados em decorrência de publicações na imprensa que envolvia o seu nome, cujas divulgações desabonavam a sua conduta profissional.

“Meu nome não faz parte do inquérito como réu ou indiciado”.

Ao Radar ela explicou ainda que se sente uma cidadã acuada diante de uma campanha sórdida e difamatória. “Sou obrigada a recorrer à justiça para proteger a minha honra e a dignidade da minha família. Isso tem que parar”, desabafou.


hran.jpg

Ricardo Callado16/02/20194min

Objetivo da ação é recolher entulhos para limpar áreas externas das unidades. Nos próximos dias, equipamentos obsoletos e sem uso também serão retirados para reciclagem

O Hospital Regional de Taguatinga e o HRAN começaram nesta sexta (15) a receber as ações de limpeza do SOS DF. Pela primeira vez, uma operação específica de recolhimento de entulho em unidades de saúde está sendo realizada pelo SLU. “É determinação do governador darmos esse apoio em toda a rede de saúde”, explicou o diretor-presidente do SLU, Félix Palazzo.

Hoje, foram recolhidos restos de podas e madeiras em decomposição que encheram três caminhões. O material segue com destino à Unidade de Recebimento de Entulho (URE) da Estrutural. “Todo esse material será levado para ser aterrado da maneira correta e sem prejuízos para a população. Da forma que estão aqui vira até foco de dengue”, avalia um dos gerentes operacionais do SLU, João Eudes.

Segundo João Eudes, o trabalho será feito em pelo menos duas etapas. A primeira de retirada de materiais em decomposição; e a segunda, será feita por cooperativas de reciclagem de materiais como aço e ferro. “Hoje recolhemos apenas esses pedaços de madeiras e papelões em decomposição. Na próxima etapa, serão recolhidos esses resíduos mais pesados”, explicou Eudes.

A diretora de Patrimônio e Catálogo do HRT, Mariana Ferreira, acompanhou os trabalhos do SLU. “Ficamos felizes porque desocupamos espaços. Isto é importante para todos porque teremos mais espaço limpo e organizado”, avaliou a servidora. Segundo ela, a unidade já pode dispensar 160 equipamentos, que estão obsoletos e sem possibilidade de manutenção ou conserto. “São armações de macas, cadeiras, armários, equipamentos que não têm o que ser feito para recuperar. Só estão entulhando aqui”, explica.

Há previsão de que as ações do SLU sejam levadas também para os hospitais regionais de Ceilândia, Samambaia e Gama ainda na segunda-feira. Outras unidades de saúde receberão o SOS DF ao longo da próxima semana.

SLU no SOS DF

A participação do SLU no SOS DF tem como objetivo promover a limpeza das regiões administrativas e outros pontos da capital. Entre as ações estão remoção manual e mecanizada de entulho, frisagem, varrição, catação de lixo e pintura de meio-fio.

Segundo balanço de janeiro, o órgão fez a remoção de 19.887 toneladas de entulho de forma mecanizada, além de outras 399 toneladas recolhidas manualmente. Também registrou 7.840 quilômetros de serviço de varrição, número equivalente a 560 vezes a extensão do Eixão. O serviço de catação de papéis contou com a atuação de 178 equipes, e a prestação de serviços diversos, incluindo a pintura de meio-fio, com 47 equipes.

(Com informações da Agência Brasília)


Nefrologia.jpg

Ricardo Callado08/02/20196min

Em Brasília, clínica de nefrologia envolve pacientes, familiares e funcionários no enfrentamento da doença renal crônica

Pacientes em tratamento da doença renal crônica (DRC) que recebem atendimento de equipe multidisciplinar têm um salto na qualidade de vida. Em Brasília-DF, a equipe de um instituto de nefrologia percebeu, ao inserir diferentes abordagens no tratamento psicológico, que é possível produzir efeitos ainda mais satisfatórios no quadro clínico de seus pacientes. Além de novas técnicas adotadas, a estratégia incluiu no programa familiares do paciente e seus próprios funcionários.

Para quebrar a resistência de familiares e dos próprios clientes no enfrentamento da DRC, o Instituto de Nefrologia de Brasília – Ineb, instituiu nas suas duas unidades – Águas Claras e Ceilândia as rodadas de conversas. Os encontros ocorrem mensalmente e o aumento no número de participantes é crescente. Já são cerca de 50 pessoas que integram o grupo e que estreitaram as relações.

“Alguns deles já se tornaram amigos e se veem também em outras ocasiões. E é justamente este o objetivo, contribuir com o bem-estar de todos, pacientes e a família. Este projeto tem ajudado a aproximar a família na rotina do tratamento do dialítico, de estimular a empatia nas duas pontas”, afirma Leslie Figueiredo, psicóloga do Ineb.

O compartilhamento dos desafios, a oportunidade de se expressar com pessoas que vivem a mesma realidade, tudo isso é despertado pelo ambiente criado, que começa com uma confraternização para depois passar para os trabalhos, que incluem técnicas de psicoterapia. Muitas famílias têm acompanhado mais de perto o tratamento de seus entes, se interessado pelos processos, os cuidados necessários, as restrições. Segundo Leslie, essa construção de laços contribui com a eficácia do tratamento. “O paciente sai fortalecido, especialmente nos quadros de depressão, outro reflexo da doença renal. A percepção do que afeta sua estabilidade emocional e as orientações que recebe sobre como lidar com estas questões ampliam a autoestima, o bem-estar e tudo isso reflete significativamente na eficácia das sessões de hemodiálise”, completa.

Psicodrama

Outra abordagem de trabalho que contribui com a evolução psicológica do paciente é a análise psicodramática. Inédita em Brasília no tratamento de renais crônicos, esta linha de trabalho foi adotada no instituto como complemento, principalmente para pacientes com diagnósticos de depressão e ansiedade, doenças psíquicas mais frequentas. “O paciente, ao receber o diagnóstico da doença renal, tem o comportamento da negação.

A análise psicodramática reúne técnicas de espelhos nas intervenções psicológicas com os pacientes renais crônicos. Por meio da dramatização, o paciente é colocado na posição de expectador para alcançar uma nova condição de vida e bem-estar mental. “Há depoimentos de pacientes que transformaram sua forma de lidar com a doença e que hoje conseguem encarar o problema com mais serenidade. Eles ficam mais abertos para falar de suas angústias, passo primordial para enfrentar a doença”, explica.

Funcionários

Todos os funcionários têm a oportunidade de receber atendimento psicológico em plantões de urgência. Cada profissional avaliado passa por duas sessões e um retorno. Em eventual necessidade, é feito o encaminhamento para atendimento com outro profissional, por questões éticas.

Segundo Leslie, há procura de trabalhadores de todos os setores da clínica. “Eles se sentem à vontade para compartilhar seus problemas e receber orientações. E relatam uma melhoria no ambiente familiar depois da experiência, uma evolução também percebida no ambiente de trabalho, a produtividade e, principalmente, na empatia com os pacientes”, finaliza.

Sobre o Ineb

O Instituto de Nefrologia de Brasília, que nasceu da fusão do Instituto de Nefrologia e da Renal Vida, une tecnologia de ponta, humanização e individualização do tratamento. Faz parte da Alvo Corporações, holding com trabalho especializado em unidades de saúde voltadas à nefrologia e hemodiálise que prestam atendimento inovador, hotelaria premium e serviço da mais alta qualidade. Saiba mais em http://inebbrasilia.com.br.


Tratamento-de-feridas.jpg

Ricardo Callado06/02/20195min

No Distrito Federal, o Cenfe Wound Care, centro especializado em tratamento de ferimentos, adota a prática e potencializa a cura de lesões de pacientes em assistência domiciliar

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a modalidade Home Care passou a ser utilizada no Brasil apenas na década de 90. No entanto, a oferta do serviço por clínicas especializadas quase triplicou nos últimos anos; fato atribuído ao envelhecimento da população e à quantidade de planos de saúde que oferecem cobertura para tal. Dentre as muitas modalidades de cuidados possíveis em um Home Care, o tratamento de feridas está entre elas.

Em Brasília o serviço já pode ser encontrado para solucionar de forma integrada casos mais simples e mais complexos, como pé diabético; lesão por pressão; dermatite; ulceras venosas e arteriais; lesões neuropáticas; feridas neoplásicas e tumorais e feridas crônicas infectadas.  Para tratá-las, inúmeras tecnologias são utilizadas.

“O paciente pode contar com ozonioterapia, prática integrativa e complementar de baixo custo, com poder antimicrobiano e capaz de reduzir o tempo de cicatrização da lesão; a terapia de fotobiomodulação, que também conhecemos por laserterapia e ledterapia, que consiste em ferramenta terapêutica para acelerar a cicatrização de feridas crônicas; curativo a vácuo e oxigenoterapia, com oxigênio tópico”, explica Everaldo Batista, coordenador de negócios do Cenfe, ambulatório clínico especializado na área, o Cenfe Wound Care.

Além da assistência em nível ambulatorial, o Cenfe trabalha de forma integrada à assistência médica domiciliar com os provedores locais. Em conjunto com esses provedores, oferecemos todos os cuidados ao tratamento da lesão na residência do paciente, favorecendo a recuperação da ferida”, afirma Batista. Através desse método, o estabelecimento potencializa a recuperação dos pacientes para que a cura da lesão seja efetiva.

A primeira etapa de atendimento para o tratamento de lesões é a avaliação do paciente – atualmente gratuita – que pode ser realizada no ambulatório ou no domicílio. As expensas do tratamento são variáveis e dependem do grau de complexidade da lesão.

Tratamentos oferecidos pelo Cenfe: Curativo por pressão negativa; curativos com o uso de coberturas especiais, cateter central de inserção periférica (PICC) e acesso venoso central, em domicílio, guiado por ultrassom; exame diagnóstico em casa para avaliação de trombose venosa profunda”, avaliação interdisciplinar periódica da nutrição, acompanhamento psicológico, explica o coordenador.

Sobre o Cenfe – O Cenfe é o primeiro centro de tratamento de pessoas lesionadas por feridas crônicas ou agudas, com regime tanto ambulatorial quanto domiciliar. O serviço é oferecido por uma equipe qualificada e interdisciplinar, formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas e nutricionistas. O corpo clínico tem como responsável técnico o Dr. Igor Nunes e Souza, que é cirurgião geral e vascular, formado pela Universidade de Brasília (UnB) e membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular e pela Enfermeira Larissa Pignata, especialista em dermatologia.

SERVIÇO:

 

Cenfe Wound Care

atendimento@Cenfewdc.com.br

(61) 3045-6280

 


ibaneis-2.jpg

Ricardo Callado02/02/201911min

Entre os destaques, as 5.203 cirurgias realizadas pelo SOS DF Saúde, o lançamento de pacote de melhorias para os profissionais do setor e a ampliação do modelo do IHB

O secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, apresentou, nesta sexta-feira (01/02), um balanço dos primeiros 30 dias de choque de gestão para reestruturar a situação da pasta. Na lista dos avanços para reverter a situação, o secretário citou a ampliação do modelo do Instituto Hospital de Base (IHB), que após a sanção do governador Ibaneis Rocha, passou a ser Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (IGESDF) e foi ampliado para as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e o Hospital Regional de Santa Maria (HMIB).

Okumoto fez uma descrição da situação das unidades de saúde. “Deparamo-nos com o caos nos serviços públicos de saúde. Equipamentos sem contrato de manutenção, aproximadamente 40% dos insumos e medicamento em falta, bandeira vermelha nos hospitais e uma infraestrutura completamente precária”, destacou. A situação se repete na rede, assim como as internações de pacientes até 60 dias em hospitais e UPAs, em razão da insuficiência de insumos e de profissionais.

“A reestruturação da secretaria é muito importante, porque ela não funciona única e exclusivamente com uma ação pontual, mas precisamos de um combo de atividades: exames, medicamentos, médicos, infraestrutura para atender o paciente, sistemas de informação”, enumerou.

O secretário adjunto de Gestão, Sérgio Costa, esclareceu que as UPAs foram descredenciadas pelo Ministério da Saúde porque estão trabalhando com capacidade instalada reduzida. “Vamos redimensionar essas estruturas que, hoje, não funcionam como porta de entrada de urgência e emergência como deveriam”, esclareceu. Segundo ele, equipes estão nas UPAs e no Hospital Regional de Santa Maria para reestabelecer o perfil para o qual ele foi projetado.

Servidores

Okumoto explicou, também, que será feito um chamamento de servidores que já atuam nas UPAs e no HRSM, que terão prioridade em atuar no IGESDF. Posteriormente, será definido concurso para contratação via regime celetista e reforçar os recursos humanos.

A realização de 5.230 cirurgias de urgência e eletivas, de 1º a 30 de janeiro, foram destaque na fala do secretário. “É um quantitativo expressivo, frente aos procedimentos realizados no final de 2018, que eram, majoritariamente, de urgência. Agora, estamos promovendo muitas cirurgias eletivas. Um exemplo foi o anúncio, feito nesta sexta-feira (1º) pelo governador Ibaneis Rocha, das 508 cirurgias pediátricas no Hospital da Criança de Brasília”, ressaltou.

Ele citou, ainda, que os gestores estão buscando alternativas para zerar as filas de cirurgias, como a abertura de um terceiro turno noturno no centro cirúrgico, bem como a promoção desses procedimentos para finais de semana. “Também avaliamos outras necessidades, como a realização de exames, que estamos analisando para colocar as filas em dia”, finalizou.

Assistência

Em 30 dias, o balanço do SOS DF Saúde aponta que foram realizadas 5.203 cirurgias nos hospitais. Outros marcos foram a entrega de 391 produtos de órtese e prótese e de 390 cadeiras de rodas para paraplégicos adultos.

Para melhorar o atendimento de pacientes com insuficiência renal, foi realizada uma avaliação da estrutura do Hospital Regional de Taguatinga com o objetivo de ampliar a diálise peritoneal em 130 novas vagas. Também foi iniciado um estudo para a criação de novos leitos dialíticos no Hospital Regional da Asa Norte e dado andamento ao processo de compra de equipamentos de nefrologia, como osmose reversa, máquina de HR e ultrassons.

Entre as ações, também estão o início do trabalho para redução da mortalidade materna por sepse (infecção generalizada). Houve, ainda, encaminhamento de pacientes para o serviço de home care, acompanhamento de habilitação de novas equipes de atenção domiciliar, programação e gerenciamento de medicamentos estratégicos, e cadastramento de 127 pacientes de Nutrição Enteral Domiciliar, além de 1.292 atendimentos realizados na área.

Recursos humanos

A Secretaria lançou um pacote de melhorias para os profissionais, que somam investimento de R$ 300 milhões. Entre as principais ações, estão o pagamento de R$ 3,8 milhões referentes ao Trabalho em Período Definido (TPD), atrasado desde 2018. Também foi anunciada a ampliação de carga horária de servidores de 20h para 40h semanais. E foi permitida a ampliação do prazo para usar o banco de horas de 30 dias para 180 dias.

A pasta autorizou a nomeação de 561 concursados e o pagamento de licença prêmio, para aposentados no valor de R$ 140 milhões, com previsão de depósito até março.

Abastecimento

Diversas ações foram realizadas para melhorar o abastecimento de medicamentos e insumos. Foram adquiridos 2,5 milhões de fitas glicêmicas e feita a compra emergencial de itens, como luvas e compressas cirúrgicas.

Foram iniciados processos de solicitação de registro de preços de materiais e medicamentos que irão abastecer a rede, e foi feito levantamento dos processos de aquisição regular que apresentam impasses para a conclusão. Também está em andamento o processo de implementação do modelo de consignação para Órteses, Próteses e Materiais Especiais, que possibilitará compras mais racionais. 

Reabastecimento

Foram abertos 28 pregões, com 345 itens, entre medicamentos e insumos; publicação de reabertura de 18 pregões de 2018, com mais 215 itens; elaboração de 31 minutas de edital; conclusão de 26 pregões de anos anteriores; e acompanhamento e condução de 58 pregões iniciados em anos anteriores.

Infraestrutura e orçamento

A lista de ações contempla a recuperação das instalações elétricas e hidráulicas do Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Também foi elaborado plano para recuperação estrutural do HRT, o qual será providenciado para outros hospitais. Houve, ainda, recuperação de tomógrafos dos hospitais regionais do Gama e de Ceilândia, a reforma do HMIB e construção do edifício destinado a abrigar um aparelho de radioterapia no HRT.

Na área de compras, quanto às despesas empenhadas, o total foi de R$ 813.958.797,18. Já as despesas pagas somam R$ 671.080.406,72. 

Reestruturação administrativa

A Secretaria iniciou as ações para ampliar o modelo Instituto Hospital de Base (IHB) para o Hospital Regional de Santa Maria e as seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). O Projeto de Lei nº 1/2019 foi aprovado neste mês pela Câmara Legislativa do DF. Também foi autorizada a reorganização das portarias nº 77 e 78, da Atenção Primária, para dar agilidade aos atendimentos.

Foram promovidas 25 oficinas para orientar o corpo de gestores sobre a elaboração de propostas para modificar a estrutura organizacional, que deve ganhar mais dinamismo para otimizar o fluxo dos trabalhos. 

Faturamento

A Secretaria pretende ampliar o registro do faturamento nos sistemas do Ministério da Saúde e incrementar a captação de recursos federais. Atualmente, a pasta já recebe o teto, que representa o montante aproximado de R$ 28 milhões. A ideia é ampliar esse valor. Para pleitear o aumento junto ao governo federal, a pasta lançou o Plano de Ação de Melhoria do Faturamento. 

Vigilância

Diversas ações de combate ao mosquito transmissor da dengue foram realizadas, entre elas: 40.339 inspeções de imóveis; 1.817 tratamentos focais de imóveis; aplicação de UBV pesado no Lago Norte, Lago Sul, São Sebastião, Planaltina e Samambaia; e preparação de 60 caminhonetes e 5 carros de Ultra Baixo Volume (UBV), doados pelo Ministério da Saúde para ações em todo o DF.

Outras medidas incluem 1.131 inspeções sanitárias; 297 licenças de funcionamento emitidas; 157.743 doses de vacinas distribuídas, 695 ampolas de soros/imunoglobulinas, 600 doses de vacina antirrábica animal e 108 testes tuberculínicos (PPD). Para a administração dos imunobiológicos, foram distribuídas 129.780 seringas e 4.003 insumos, como caixas térmicas e termômetros. Além disso, foram feitas a revisão do calendário de vacinação 2019; a vacinação de 100 cães; a realização de 95 exames de leishmaniose; cinco investigações de óbitos relacionados ao trabalho, três buscas ativas de acidente de trabalho, e cinco notificações de agravos à saúde do trabalhador.

Dados

Em janeiro, foram atualizados os bancos de dados do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), do Sistema de Informações Ambulatoriais (SIA) e do Sistema de Informações Hospitalares (SIH), que compõem informações da Sala de Situação.


medicamentos-remedios.jpg

Ricardo Callado01/02/20195min

Conheça a nova geração de medicamentos e terapias têm ajudado no combate ao câncer no país

O cigarro, sedentarismo, má alimentação e poluição estão entre os principais fatores de risco para o surgimento de tumores. Para reforçar a ideia de prevenção, foi criado o Dia Mundial de Combate ao Câncer, que é comemorado no dia 4 de fevereiro. Em Brasília, a Médica Oncologista Ludmila Thommen sinaliza o que há de novo sobre os avanços no tratamento da doença.
Entre as novidades, está o succinato de ribociclibe e o palbociclibe. Essas medicações foram aprovadas no último ano pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, sendo indicada em combinação com um inibidor de aromatase para o tratamento de mulheres na pós menopausa com câncer de mama RH+/HER2- em estágio avançado ou metastático. É indicado como terapia inicial podendo postergar a necessidade de uso de quimioterapia citotóxica. Ou seja, é um tratamento de primeira linha para câncer de mama avançado positivo para receptores hormonais.

A Oncologista Ludmila Thommen, conta que a medicação representa uma mudança de paradigma no cenário de tratamento do câncer de mama já que o mecanismo de ação é bloquear a atividade de enzimas conhecidas como quinasesdependentes de ciclinas (CDK) 4 e 6, que são importantes para regular a maneira em como as células crescem e se dividem. “Ao bloquear as CDK4 e CDK6, retarda o crescimento das células RH-positivas do câncer de mama”, diz.
De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres brasileiras depois do câncer de pele não melanoma. A estimativa é de que em 2019, serão cerca de 60 mil novos casos da doença. Estima-se que 20% a 50% dos pacientes com câncer de mama em estágio inicial cheguem à fase metastática.

“Os resultados do estudo com o medicamento succinato de ribociclibe e o palbociclibe nos levam a crer que a terapia combinada chega como um novo padrão de cuidados para o tratamento inicial de câncer de mama avançado ou metastático RH+/HER2-, sendo esse o tipo mais comum da doença”, conta a oncologista Ludmila.

“É fato, o tratamento do câncer de mama evoluiu muito nos últimos anos, o índice de cura aumentou incrivelmente com as novas técnicas cirúrgicas, a radioterapia e os novos medicamentos. Com o progresso da medicina, pacientes que antes tinham poucas opções de tratamento hoje conseguem viver muitos anos com qualidade de vida. Mesmo nas mulheres que têm doença metastática e não podem ser curadas, muitas novas opções de tratamento estão disponíveis”, ressalta a oncologista.

Palestra gratuita
A médica que abraça diversas causas de mulheres no tratamento do câncer de mama no Distrito Federal, organizou para o dia 8 de fevereiro, em comemoração ao Dia Mundial de Combate ao Câncer, uma palestra de conscientização sobre a doença. O evento aberto ao público, começa às 13h no serviço de oncologia do Hospital Universitário de Brasília – HuB (604/605 L2 Norte). E terá a presença da Médica Oncologista Ludmila Thommen e da criadora do projeto Câncer sem Tabu, Isabel Costa – ela venceu o câncer é irá contar em sua palestra como é a vida após a doença.
Serviço
Palestra motivacional Dia Mundial de Combate ao Câncer
Endereço: Hospital Universitário de Brasília – HuB (604/605 L2 Norte)
Horário: Sex das 13:00 às 14:00
Contato: (61) 2028 5000



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias