Arquivos Mais... - Página 2 de 220 - Blog do Callado

Contra-a-extinção-da-Valec-empregados-fazem-manifestação-no-Congresso-Foto-de-José-Rocha-AEPVALEC-5.jpg

Ricardo Callado18/03/20194min

Objetivo é mobilizar sociedade a favor da importância de manutenção da Valec, que corre risco de ser privatizada

Os empregados que integram a Valec,  empresa responsável pela construção e operação de estradas de ferro no Brasil, se uniram pela causa da valorização das ferrovias brasileiras. Juntos, eles lançaram uma mobilização online, o movimento Juntos Pelas Ferrovias. Para criar engajamento social pela causa, eles têm utilizado a participação no Twitter, pelo perfil @pelasferrovias e no Facebook com a página Juntos Pelas Ferrovias.

A mobilização independente dos empregados, unidos em forma de comitê, se iniciou em fevereiro, após a veiculação de notícias sobre a extinção da Valec, empresa responsável pela construção e operação de ferrovias brasileiras. Atualmente, a Valec possui 712 empregados efetivos e concursados, que estão sob risco de perderem seus empregos.

A ameaça de demissão tem preocupado os empregados que atuam na estatal, dentre concursados, empregados antigos e oriundos da Rede Ferroviária Federal (RFFSA) e do Grupo Executivo de Integração da Política de Transporte (Geipot), órgãos já extintos cujos profissionais foram absorvidos pela Valec.

Mobilização política

Além da mobilização online, o grupo tem se mobilizado junto a parlamentares. Na última semana, eles estabeleceram diálogos com diversos senadores e deputados federais para expor a importância de se manter a Valec. Para Luiz Gonzaga Conguê, líder da comissão de empregados, o movimento e a adesão de parlamentares sensíveis à causa da estatal tem crescido. “Temos senadores que estão se pronunciando favoráveis à manutenção da Valec devido à qualidade do quadro técnico da empresa”, avalia.

No último dia 26, o comitê fez sua primeira manifestação contra a extinção da estatal. Em caminhada, eles seguiram da sede da empresa até o Congresso Nacional, onde foi realizada audiência pública da Comissão Permanente de Serviços de Infraestrutura do Senado, com a presença do Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes.

Redução de custos

O grupo tem a seu favor números que comprovam os benefícios da expertise aplicada por seus empregados contratados via concurso público desde 2012. Nesse período, a estatal brasileira conseguiu atingir um dos menores custos do mundo por quilômetro ferroviário implantado. Em uma comparação feita com outros países, na China, esse custo é de  US$ 12,5 milhões e, na Índia, US$ 4,6 milhões. Já o custo de cada quilômetro implantado pela Valec é de 1,8 milhão de dólares


paco-brito.jpg

Ricardo Callado17/03/20193min

Ação é estratégica para que a unidade aumente parque tecnológico e possibilite outras melhorias 

O governador em exercício do Distrito Federal, Paco Britto, firmou o compromisso do GDF com a construção de uma nova subestação de energia elétrica no Hospital de Base do DF (HBDF) para ampliar o parque tecnológico de equipamentos e reforçar o sistema de ar-condicionado, entre outros avanços que dependem de uma melhor eficiência energética.

A determinação foi feita após visita à unidade, neste sábado (16), guiada pelo diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do DF (IGESDF), Francisco Araújo, que expôs a necessidade de agilizar a ação com o envolvimento articulado de diversas áreas do governo para consolidar o projeto, em processo de aprovação na Caixa Econômica Federal. “Vamos mobilizar todos os setores que podem contribuir para acelerar a construção da subestação. É prioridade zero do governo”, anunciou Paco Britto, após visitar diversas áreas do hospital como o pronto-socorro e o refeitório.

Para ele, o IGESDF é salutar. “É a nossa solução para o Distrito Federal”, destacou. “Por isso, estou fazendo essa visita in loco. Está comprovada a melhora do atendimento com abastecimento de insumos e medicamentos, o que vai acontecer nas Unidades de Pronto Atendimento e Hospital Regional de Santa Maria.”

Francisco Araújo avalia como de extrema importância o compromisso assumido pelo governador de reforçar a central elétrica, porque permitirá uma sequência de investimentos. “Conseguiremos ampliar o número de leitos, procedimentos e resolução”, explicou.

O IGESDF é um dos grandes projetos do governo para melhorar a saúde pública, sendo fundamentado em controle público, autonomia administrativa e financeira, com regime próprio de compras, contratações e admissão de pessoal, execução de recursos de ensino e pesquisa, além da transparência com monitoramento e controle obrigatório. O contrato de gestão é baseado em diretrizes, indicadores, metas e plano de ação, construídos a partir de um diagnóstico situacional.

Também participaram da visita a esposa do governador em exercício, Ana Paula Hoff;  o diretor clínico do HBDF, Julio Cesar Ferreira; e o superintendente de administração, general Manoel Pafiadache, entre outras autoridades.


olhos.jpg

Ricardo Callado15/03/20194min

Doença silenciosa nos olhos pode levar à cegueira sem o diagnóstico correto

É comum pessoas com ceratocone, doença que provoca deformidade e afinamento na córnea, desconhecerem ter o distúrbio, pois seus sintomas se confundem com os da miopia e do astigmatismo. A suspeita do ceratocone começa quando o paciente apresenta queixa de baixa visão e aumento progressivo do astigmatismo. A evolução da miopia muito rapidamente também é um forte indício. A doença é classificada em estágios inicial, moderado ou avançado e, sem o diagnóstico correto, pode levar à cegueira. Nos casos mais avançados, a única solução é o transplante de córnea.

De acordo com o oftalmologista Hilton Medeiros, da Clínica de Olhos Dr. João Eugenio, o diagnóstico definitivo desta patologia é feito com base nas características clínicas e com exames objetivos como a topografia corneana e a paquimetria ultrassônica. Segundo ele, as consultas de rotina ao oftalmologista são muito importantes, pois através delas é possível obter um diagnóstico precoce. “Atualmente, existem aparelhos capazes de detectar até estágios subclínicos, quando o paciente ainda não apresenta sintomas importantes”, esclarece.

Com o diagnóstico precoce é possível retardar a velocidade de progressão do ceratocone ou estabilizá-lo com o uso de óculos ou lentes de contato. Às vezes, mesmo com o uso de óculos e lentes é preciso fazer o crosslinking, uma técnica que consiste na ligação de colágeno da córnea com a riboflavina. O resultado deste processo é a criação de mais ligações no estroma, o que aumenta a resistência mecânica da córnea. Com isso, há menor chance de progressão do ceratocone.

Quando o ceratocone se encontra em estágio avançado, somente técnicas cirúrgicas resolvem,  como o implante de segmentos de anel corneano (anel intra-estromal) ou o transplante de córnea. No caso do implante, o procedimento pode ser realizado no ambulatório com anestesia local e oferece o benefício de ser reversível e potencialmente substituível, uma vez que não envolve a remoção de tecido ocular. No caso do transplante, a cirurgia dura em média 40 minutos, e como a córnea é um tecido sem vasos sanguíneos não há sangramento. Em virtude disso, os problemas de rejeição são menores.

A causa exata do ceratocone ainda permanece desconhecida. Porém sabe-se que há propensão genética e que alguns fatores externos atuam acelerando a progressão da doença, como traumas repetitivos durante o hábito de coçar os olhos cronicamente. Acredita-se também que a infecção por alguns vírus possa desencadear reações imunológicas capazes de estimular o distúrbio.


Escola-gestao-compratilhada.jpg

Ricardo Callado15/03/20196min
Estudante teve a vida transformada pela gestão compartilhada/Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Centro Educacional 1 da Estrutural comemora um mês de gestão compartilhada com policiais militares. Disciplina tem influenciado positivamente no comportamento dos alunos

Por Renata Moura

A estudante Natalia Almeida, 13 anos, é prova que a gestão compartilhada no Centro Educacional 1 da Estrutural está no caminho certo. Há um mês no novo modelo, a menina transformou sua vida. Melhorou as notas, a relação com os professores, está mais caprichosa com os cadernos e a ida para o colégio deixou de ser uma imposição dos pais e passou a ser uma escolha para mudar de vida.

“Estou alegre demais. Sinto que estou mais segura. Ninguém mais traz faca para escola, nem ameaça a gente. Vejo que os policiais e os professores gostam mais de mim e se preocupam”, avalia a aluna, que planeja o futuro. “Agora sei o que vou fazer quando crescer. Quero ser policial ou professora”, completa.

A história de Natália até chegar à gestão compartilhada é um enredo que se repete em várias escolas públicas. Convivendo de perto com a violência, a garota perdeu um ano letivo por baixo desempenho em Geografia e Português e por comportamento indisciplinar. “Não sabíamos mais o que fazer com ela. Chegou até a agredir uma professora no ano passado. Agora, está mais calma e comprometida”, avalia a mãe, Simone Coelho Almeida, 33 anos.

Natália perdeu um ano letivo e ganhou maturidade para fazer o 5º ano num novo modelo de gestão escolar. “Agora, todos os dias, ela chega em casa e me mostra os cadernos. Nunca vi tanto capricho”, elogia a mãe. Auxiliar de serviços gerais, Simone diz que a escola da filha mudou muito em um mês com a presença da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).

“Os meninos estão sabendo que têm limites porque os policiais estão lá e não vão deixar ninguém fazer bagunça”, afirma. Simone acredita que a presença dos militares tem ajudado no desempenho de Natalia.

Diretora pedagógica do Centro Educacional 1 da Estrutural, Estela Accioly, comemora o desempenho de Natalia e de outros alunos. “Vemos que, a cada dia, conseguimos avançar mais e mais. Ela (Natália) é apenas um dos vários casos de sucesso que estão se revelando aqui. Eles estão empolgados, sentindo-se orgulhosos de estar na escola. Isto é maravilhoso para a evolução deles no processo de aprendizagem”, avalia.

Doações, disciplina e carinho

A soldado Walkíria Laert, que já foi professora de Educação Física, está ajudando nas atividades disciplinares do Centro Educacional 1 da Estrutural. Queridinha dos alunos, a PM ajuda na organização do recreio. “A gente propõe jogos interativos, queimada, pique-pega. Isto aproxima os meninos da gente e assim conquistamos mais a confiança deles”, explica.

As técnicas disciplinares militares são associadas à solidariedade e afeto dos policiais. “Às vezes, a criança só quer um abraço. A gente se comove com o que eles contam. Ajudamos em tudo que podemos, seja conversando ou falando sobre a importância da disciplina nos estudos. Até nos mobilizar, para arrumar tênis e roupas, já fizemos”, conta.

Segundo ela, os mais de 20 policiais destacados para o trabalho na unidade escolar, que possui cerca de 2 mil alunos, têm um mesmo objetivo. “Reforçamos a autoridade do professor dentro da sala de aula. Ele é o comandante da sala. Trabalhamos destacando o papel dele e a importância dos estudos para a vida deles”, explica.

Walkíria destaca a importância da aproximação dos policiais para resolver casos de “bullying” e brigas entre os estudantes. “Orientamos as conversas entre eles para resolver os conflitos. Temos casos de crianças que voltaram a ser amigas, depois de um bom bate-papo”, conta.

O perfil dos policiais que estão no Centro Educacional 1 da Estrutural contribui com os resultados. “Todos aqui são pais, já trabalharam com crianças ou eram do Batalhão Escolar. Ou seja, têm alguma experiência para lidar com jovens. Isto só contribui com nosso relacionamento diário com eles”, avalia.


inverno-europeu.jpg

Ricardo Callado14/03/201921min

Entre os meses de novembro e abril, a neve na Europa passa a ser um atrativo para quem quer estudar e curtir o frio ao mesmo tempo

Com o calor do verão no Brasil, muitos brasileiros optam por viajar para curtir o inverno europeu. A temporada de neve começa no mês de novembro e vai até abril e é um convite para aqueles que gostam de frio abaixo de zero. É nesse período que a alta temporada de esqui começa.

Destinos como França, Alemanha, Itália e Suíça possuem roteiros diversos para quem quer curtir o frio. A França é cercada de museus, moda e palácios, portanto, ótima saída para quem quer passeios culturais. Já a Alemanha carrega a história de acontecimentos marcantes do século XX, além de possuir paisagens bonitas com seus lagos, florestas e cidades modernas. A Itália é um país cercado de cultura, com gastronomia, arte e design tradicionais. Na Suíça é possível conhecer os alpes, andar de esqui e trenó e ainda provar o melhor leite e o melhor chocolate do mundo.

Pesquisa realizada pela World Study, agência com mais de 20 anos no mercado, aponta índice de aprovação de 83% por parte dos intercambistas que vão para países com neve. Paulo Silva, diretor da World Study Brasília, comenta que a satisfação de quem escolhe por algum destino com neve é completa. “Os alunos se dizem realizados pela experiência. Relatam que a adaptação com o frio não é fácil, pois o frio é realmente muito intenso, mas o prazer pelas atividades que realizam no programa compensa”, afirma o diretor. Segundo ele, os programas que possibilitam ao intercambista ter a experiência de esquiar estão sempre entre os mais procurados.

O esqui foi criado inicialmente para se deslocar em campos nevados, virou um esporte olímpico e hoje é atração turística que pode ser praticada por qualquer idade. Além dele, para se divertir em meio a neve, existe a opção do snowboard. Já para quem não gosta de muita aventura é possível apreciar as paisagens geladas, provar da gastronomia e visitar os pontos turísticos de cada país.

A World Study possui diversos programas com destino para a Europa, entre eles, o Curso de Idiomas, Study and Work, Colônia de férias no exterior e trabalho voluntário. Todos estes destinados para pessoas a partir de 12 anos de idade.

Sobre a World Study – Em 1998, um grupo de entusiastas do intercâmbio cultural e ex-intercambistas, com mais de dez anos de experiência acumulada nesse segmento de mercado, resolveu unir forças para propiciar crescimento cultural, acadêmico e social às pessoas que compartilhavam este entusiasmo. Nasceu, então, a World Study Educação Intercultural que, por meio do intercâmbio, entendido como uma ferramenta educacional, oferece as mais diversificadas opções de experiência internacional (intercâmbio) e um atendimento diferenciado, baseado no aconselhamento individualizado e na adequação do programa ao perfil de cada aluno. Atualmente, a empresa possui unidades em todas as regiões do Brasil e bases no exterior.

 

Praças em que a World Study está presente:

AMAZONAS

CEARÁ

DISTRITO FEDERAL

ESPÍRITO SANTO

GOIÁS

MATO GROSSO

MINAS GERAIS

PARANÁ

RIO DE JANEIRO

RIO GRANDE DO SUL

SANTA CATARINA

SÃO PAULO

SERGIPE

BASES NO EXTERIOR:

BRISNABE (Austrália)

SYDNEY (Austrália)

DUBLIN (Irlanda)


Sala_de_Aula_Divulgacao.jpg

Ricardo Callado14/03/20193min
As provas objetivas serão aplicadas no dia 24 de março
Os concursandos que farão a prova da Secretaria de Estado do Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres e Igualdade Racial e Direitos Humanos (Sedest-DF), no próximo dia 24 de março, terão a chance de revisar os conteúdos mais importantes do edital em um aulão beneficente que será realizado pelo IMP Concursos. O evento acontecerá no próximo domingo, 17, das 8h30 às 11h30, na unidade da Asa Sul (603).

Para participar basta doar um kit de higiene pessoal que deve conter: uma escova de dentes, um creme dental, um desodorante, um sabonete e um pacote de absorvente. As inscrições devem ser feitas somente pelo site (www.impconcursos.com.br) e o evento está sujeito a lotação.

A professora Adriane Sousa vai ministrar as aulas de Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e Lei de Organização Judiciária. A parte de atualidades e conhecimentos específicos do Distrito Federal, como a disciplina Região Integrada de Desenvolvimento Econômico (RIDE), ficará por conta do professor Urani. Os materiais serão elaborados pelos professores e distribuídos durante o curso.

Um dos mais aguardados do ano, o certame oferta 1.884 postos, sendo 314 vagas de caráter imediato, mais 1.570 vagas para formação de cadastro reserva, em cargos de níveis médio e superior. Os salários variam de R$ 2.600,00 a R$ 3.600,00, para jornadas de trabalho de 30 horas semanais.

Serviço:
IMP Concursos
Endereço: L2 Sul – SGAS 603 Conjunto “C”
Data: 17/03
Inscrições: www.impconcursos.com.br
Entrada: kit de higiene pessoal
Telefone: 61 3029 9700
E-mail: contato@impconcursos.com.br


Ferragens-Pinheiro.jpg

Ricardo Callado14/03/20192min

Com a proposta de oferecer um momento especial para clientes e, desse modo, celebrar o Dia do Consumidor (15), a Ferragens Pinheiro, com apoio da Boutique das Delícias e da Viva Paleteria Mexicana, promoverá um café da manhã em homenagem à data.

Segundo a gerente de marketing da Ferragens Pinheiro, Natália Brito, as empresas farão degustação de seus produtos durante o evento. “O bacana dessa parceria é o apoio ao microempreendedor, pois eles têm a oportunidade de divulgar seus produtos sem custo algum”, explica. Na ocasião, serão sorteados vouchers de combos de paleta.

No sábado (16), ainda em comemoração ao Dia do Consumidor, a loja de Taguatinga receberá um workshop de makita, a partir das 8h. Nele, as pessoas poderão aprender mais sobre maquinários (empilhadeira, parafusadeira, furadeira, entre outros).

O café da manhã começará às 8h nas duas lojas da Ferragens Pinheiro (SIA e Taguatinga).

Sobre a Ferragens Pinheiro – Fundada em 1960, a empresa nasceu com o objetivo de comercializar produtos em aço para a construção civil. De base familiar e pioneira na capital, a Ferragens Pinheiro ofereceu grande parte dos materiais para a construção de Brasília. Atualmente, a empresa trabalha com um mix de mais de dois mil produtos comercializados e industrializados. Localizada no Setor de Indústrias de Brasília e Taguatinga, a loja possui moderna estrutura e serviços diferenciados.


startups.jpg

Ricardo Callado14/03/20194min

Empresa é a primeira corretora de seguros a desenvolver esse tipo de iniciativa. Inscrições começam em março.

 A Alper, uma das maiores corretoras de seguros do Brasil, acaba de lançar um programa de aceleração de startups. Com isso, a empresa é a primeira grande corretora do Brasil a desenvolver esse tipo de programa. As inscrições começam no início de março.

De acordo com a empresa, será um programa de nove meses e a ideia é gerar valor em negócios e infraestrutura para as startups selecionadas. Segundo Felipe Sigaud, head da Alper Digital, poderão se inscrever startups de oito segmentos que têm relação com os negócios da Alper: Health Techs, Insurtechs, Fintechs, Analytchs, Artificial Intelligence, Geração de Leads, Soluções em PDV, HR Techs.

“Nós estamos buscando startups que estejam em nível de desenvolvimento, mas com um pipeline criado e vendas recorrentes, que possam resolver de forma escalável e que tenham sinergia com a Alper”, explica Felipe.

Para a 1ª turma de startups selecionadas, o  de programa terá nove meses de duração, no qual elas  trabalharão em um espaço exclusivo dentro da sede da Alper, montado para essa iniciativa, e terão os executivos da corretora como mentores, além de desfrutar das oportunidades de networking com os clientes da Alper. A cada três meses será feita uma avaliação com a presença de investidores, mídia especializada e empresários do setor para avaliar as startups.

Felipe Sigaud reforça que a ideia é que ao final do programa de aceleração “essas startups possam atrair bons investidores, como fundos de investimentos interessados nas soluções que elas apresentam e, possam inclusive fazer negócios na rede de relacionamento da Alper”, afirma.

Marcos Couto, Presidente da Alper, diz que a ideia também é fomentar a inovação dentro da companhia e gerar novos negócios. “Estamos criando um programa onde os próprios colaboradores da corretora possam ajudar essas startups de acordo com a área de atuação de cada profissional. Queremos que eles estejam envolvidos com essas inovações, como facilitadores para as startups e possam contribuir com conhecimento técnico. Essa ideia toda é muito nova para o mercado de corretagem de seguros.

As inscrições começam na primeira semana de março e poderão ser feitas no site da Alper em https://www.alperseguros.com.br/digital


camila_cury1.jpg

Ricardo Callado14/03/20195min

Por Camila Cury

A tecnologia na educação poder ser definida como recursos que facilitam as atividades e comunicação entre professores e alunos.

 Novas ferramentas tecnológicas têm potencial para promover a equidade e qualidade na educação, além de aproximar a escola do universo do aluno. Portais e aplicativos complementam o ensino promovido na sala de aula.

A tecnologia facilita o acompanhamento individual do aluno e abre espaço para a personalização do ensino, ajudando a escalar novas oportunidades de aprendizagem. As tendências para o uso de tecnologia na educação apontam para a convergência de dispositivos eletrônicos, como os smartphones, que ampliam as oportunidades de aprendizagem dentro e fora de sala de aula e geram dados sobre esses processos e as pessoas envolvidas neles.

Computadores, aplicativos, internet, tablets e outras plataformas podem ser utilizados para estimular a imaginação dos alunos e colaborar no trabalho do professor. As consequências são positivas não apenas no “boletim”, mas no desenvolvimento de habilidades e no envolvimento dos estudantes.

O computador jamais substituirá o docente. É extremamente importante a participação dos professores no processo de adoção da tecnologia no aprimoramento do ensinoSão eles que irão lidar diretamente com o tema, com isso, seu interesse torna-se fundamental para o sucesso. O envolvimento dos pais também é de grande importância para que os estudantes se aprofundem nos estudos.

Países desenvolvidos já utilizam a tecnologia no ensino e estão investindo continuamente em salas de aula inteligentes, com recursos como câmeras, lousas eletrônicas, sistemas de áudio e vídeo, entre outros recursos. O uso da tecnologia será mais eficaz quando planejado visando qual impacto pode ter no ensino.

A Escola da Inteligência – maior e mais completo programa mundial de desenvolvimento das habilidades socioemocionais – aposta na utilização da tecnologia para fortalecer o aprendizado e o desenvolvimento das habilidades socioemocionais.  Hoje, atendemos diretamente mais de 330 mil alunos em escolas de todo Brasil.

Sabemos que o bom uso da tecnologia deve estar acompanhado de reformas em outras áreas como o currículo escolar, avaliação e desenvolvimento profissional e socioemocional dos docentes. Para que a tecnologia não se torne apenas um meio, é necessário avaliar as melhores formas de utilizá-la, com o objetivo de trazer apenas benefícios para professores e alunos.

 O reflexo será a motivação e a alegria de ambos em sala de aula.

 *Camila Cury é Psicóloga e Diretora Geral da Escola da Inteligência, Programa Educacional idealizado pelo renomado psiquiatra, escritor e pesquisador, Augusto Cury, que tem como objetivo desenvolver a educação socioemocional no ambiente escolar.

 

Saiba mais sobre a Escola da Inteligência:

www.escoladainteligencia.com.br


carvicie-careca.png

Ricardo Callado14/03/201912min
  1. Quais as principais causas da calvície masculina? Como cada uma das causas provoca a queda?

 Por questões hormonais. Os homens possuem uma quantidade maior de hormônios masculinos, principalmente a testosterona. A princípio os fios ficam com aspecto ralo, apresentando um afinamento progressivo e a posterior queda. Os folículos capilares masculinos têm mais avidez pelo hormônio DHT que provoca a queda dos fios, consequentemente a incidência de calvície é maior.

  1. Porque os homens têm mais pré-disposição a calvície?

 A principal causa de calvície masculina é a alopecia androgenética, que é uma predisposição genética associada a um componente hormonal.

  1. Há como evitar ou retardar a calvície?

 Quando detectada no início a calvície pode ser retardada ou mesmo interrompida com o uso de medicações como vasodilatadores e bloqueadores hormonais, onde já existe a calvície somente o transplante capilar pode resolver, porém nas áreas onde só existe um afinamento dos fios, o processo pode ser retardado ou revertido.

  1. Como detectar se meu cabelo está caindo mais do que deveria?

 Em homens os primeiros sinais surgem na área frontal ou superior da cabeça. É perceptível o formato M na parte frontal, conhecido como “entradas” mais acentuadas nessa região. Além dessas regiões afetadas é possível notar o afinamento dos fios. A queda em forma de coroa (na parte superior da cabeça) também pode surgir. Hoje o paciente consegue ver com evidência os sinais da calvície por meio das fotos (selfie) o que facilita na busca por tratamentos ou implantes em estado inicial da queda capilar.

  

  1. A técnica mais usada é o micro transplante de fio a fio?

A técnica mais usada hoje é a FUE (Follicular Unit Extraction), em português (Extração de Unidades Foliculares). O procedimento consiste na remoção fio a fio diretamente da área doadora. Entre as vantagens podemos citar é a ausência de incisão (corte), sendo assim, não possui cicatriz.

 

  1. Quem pode fazer?

O transplante capilar é indicado a todos que possuem calvície, seja homem ou mulher, desde que haja uma boa área doadora.

  

  1. Passo a passo (desde anestesia até a sutura)

O transplante capilar é realizado da seguinte forma: primeiramente o paciente é encaminhado ao centro cirúrgico já com a área doadora e a área receptora previamente marcada, com o desenho da linha frontal já realizado. O paciente vai ficar de barriga para baixo na maca, devidamente monitorado o tempo todo durante a cirurgia, e vai receber uma anestesia local nesta região doadora. No caso da Técnica FUT, vai ser retirada uma faixa de couro cabeludo que tem em média uma largura de 1 a 2 centímetros e o cumprimento é variável em relação a circunferência da cabeça do paciente, mas geralmente ela vai da região da orelha esquerda até a direita. Posteriormente é realizada uma sutura que difere um pouco das suturas convencionais, ela é feita de uma forma para que no meio da cicatriz nasçam fios de cabelo no futuro, diminuindo um pouco a percepção da cicatriz, e assim ela fica coberta pelos fios remanescentes na parte de cima e de baixo, além de ter fios no meio da cicatriz.

Após isso o paciente é virado de barriga para cima, e recebe a anestesia local na área receptora, que é a área de calvície. Nós implantamos unidades foliculares uma a uma, seguindo um padrão de distribuição que é semelhante a de um couro cabeludo normal, sem calvície, ou seja, a linha frontal que será a nova frente do paciente irá receber unidades foliculares somente de um fio, distribuídas de uma forma irregular, mas um irregular já programado para que tenha sutileza e naturalidade no começo desta linha frontal. Posterior a esta linha, nós faremos uma área de alta densidade com unidades de dois fios, reconstruiremos o topete, que é a região central, com unidades de dois a três fios de cabelo e iremos distribuindo as unidades maiores, de três e quatro fios, conforme vamos percorrendo o escalpe em direção à coroa.

Uma vez terminado este processo, o transplante capilar está completo e o paciente irá receber um pequeno curativo, uma faixa pegando somente a região doadora, então os fios transplantados não receberão curativo nenhum e no outro dia o paciente retorna à clínica para a remoção deste curativo da área doadora e também para fazer a primeira lavagem deste couro cabeludo com a equipe, que vai demonstrar como ele deve realizar estas próximas lavagens, mesmo sendo um processo bem simples. O paciente será medicado para que não haja dor, porém, este é um procedimento extremamente tranquilo do ponto de vista da dor e geralmente no segundo dia do pós-operatório o paciente já está sem dor, mesmo na ausência do uso de medicações.

Nos próximos três meses vai haver a queda do fio de cabelo, ficando somente o bulbo capilar inserido ali no couro cabeludo. Após estes 90 dias é que se iniciará este crescimento dos fios, com a média de um centímetro ao mês, sendo que em seis meses nós vamos ter em média 40 a 50% dos fios já crescendo, e nos nove meses 80% das unidades foliculares já geraram um novo fio e existe uma diferença muito grande em relação à calvície. Com 12 meses já temos a totalidade das unidades com seus fios formados, preenchendo a área de calvície do paciente.

  1. Quantas sessões são indicadas e intervalo entre elas

O número de sessões vai depender do grau de calvície e da qualidade área doadora, em calvícies iniciais ou médias geralmente uma sessão é suficiente. Com as técnicas combinadas que utilizamos hoje em dia podemos fazer 2 cirurgias em dias consecutivos e com isso o paciente não necessita mais aguardar entre uma sessão e outra que anteriormente eram necessários 1 ano de intervalo entre uma e outra cirurgia.

  1. Qual o resultado e quando aparece?

Nos próximos três meses vai haver a queda do fio de cabelo, ficando somente o bulbo capilar inserido ali no couro cabeludo. Após estes 90 dias é que se iniciará este crescimento dos fios, com a média de um centímetro ao mês, sendo que em seis meses nós vamos ter em média 40 a 50% dos fios já crescendo, e nos nove meses 80% das unidades foliculares já geraram um novo fio e existe uma diferença muito grande em relação à calvície. Com 12 meses já temos a totalidade das unidades com seus fios formados, preenchendo a área de calvície do paciente.

  1. Como é a manutenção? É necessária?

Como trata-se de cabelo do próprio paciente, nenhuma manutenção é necessária além dos cuidados normais que temos com os cabelos.

 

  1. Quais cuidados devo ter com os fios no pós-cirúrgico?

Os principais cuidados que o paciente deve ter no pós-operatório são principalmente em relação à higiene do local, a lavagem. Nós solicitamos que o paciente não entre direto na ducha, pelo menos nos primeiros sete dias, que ele utilize uma duchinha ou recipiente plástico para jogar água na cabeça e fazer lavagens diárias do couro cabeludo. Após o sexto dia, nós indicamos ao paciente a utilização de um óleo, para que as crostinhas que são formadas comecem a se desprender. Pedimos ao paciente que fez a cirurgia com a técnica FUT, que é a técnica que retira a faixa do couro cabeludo e tem sutura, que ele evite musculação e esporte de contato por 30 dias. E no caso da técnica FUE (fio a fio), o paciente pode voltar a musculação em sete dias, em ambas as técnicas nós autorizamos a realização de atividades aeróbicas após o sétimo dia, mas sempre pedimos que o paciente evite exposições solares, piscina, praia, por no mínimo sete dias também.

  1. Não ficará textura diferente? Posso tingi-los normalmente?

Por tratar-se dos cabelos do próprio indivíduo sendo transplantados, não haverá diferença entre os fios, e após 1 mês a tonalização já está liberada.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias