Arquivos Educação & Cultura - Página 2 de 33 - Blog do Callado

ensino_medio-sala-de-aula.jpg

Ricardo Callado15/10/20183min

Maior parte está na educação básica

Por Carolina Gonçalves

O número de professores no Brasil passa de 2,5 milhões, segundo censos educacionais do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) referentes a 2017. Desse universo, 340 mil professores estavam atuando. Hoje (15), no Dia do Professor, a Agência Brasil mostra as ideias de quem quer seguir a carreira e de docentes que não abrem mão da profissão.
Sobre a formação profissional dos que estavam em sala de aula, 4,3 mil têm diploma superior; 65,4 mil, especialização; 128,4 mil, mestrado; 143,4 mil, doutorado. Apenas 10 deles não tinham graduação.

A maior parte dos professores (2,192 milhões) é da educação básica, enquanto 349.776 são do ensino superior. As estatísticas educacionais contabilizam os profissionais uma única vez, independentemente de atuarem em mais de uma região geográfica, unidade da Federação, município ou etapa de ensino. Do total de professores, 345,6 mil estão na zona rural.

A maioria dos professores tem entre 30 e 39 anos. Mulheres representam quase 70% do corpo docente no país.

Censo

O Censo Escolar, que coleta dados da educação básica, é coordenado pelo Inep e realizado a partir de informações das secretarias estaduais e municipais de educação e escolas públicas e privadas do país.

A estatística sobre a educação superior, apontadas como a pesquisa mais completa do país, reúne informações sobre as instituições de ensino superior, seus cursos de graduação presencial ou a distância, cursos sequenciais, vagas oferecidas, inscrições, matrículas, ingressantes e concluintes e informações sobre docentes nas diferentes formas de organização acadêmica e categoria administrativa.


ensino_medio1.jpg

Ricardo Callado25/09/20187min

Por Mariana Tokarnia

Escolas particulares de todo o país começam a anunciar os reajustes nas mensalidades que serão cobradas em 2019. Os valores variam de acordo com a região e também com o local onde está o estabelecimento. Pais e responsáveis, no entanto, podem se proteger e questionar as escolas caso percebam aumentos abusivos.
No Distrito Federal, setembro é o mês em que geralmente as instituições começam a fechar os valores que serão cobrados, de acordo com o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe/DF), Álvaro Domingues. “Em geral, divulga-se nesta época do ano para as famílias se planejarem”, diz.

Domingues afirma que não é possível prever uma média de reajuste, uma vez que escolas têm autonomia para decidir os novos valores das mensalidades. “Tem escolas que podem não reajustar o valor, tem escola que reajusta mais do que a inflação, tem escola que reajusta menos. Vai variar”.

Pela Lei 9.870/99, não existe um teto de reajuste escolar. Uma vez que não podem reajustar o valor durante o ano letivo, elas precisam calcular quanto será necessário para cobrir as despesas do próximo ano. Entram no cálculo, por exemplo, os salários dos professores, as contas de luz, água, o aluguel, entre outros gastos.

“O que a gente orienta os gestores da escola é que observem principalmente o mercado, a demanda que existe, a legislação e que façam um planejamento que seja sustentável”, explica Domingues.

A situação varia de acordo com a região do país. No Amazonas, a crise econômica fez com que muitos estudantes trocassem escolas mais caras por escolas mais baratas, até mesmo escolas particulares por escolas públicas. Os reajustes em 2018 variaram de 0% até 7,5%, segundo o diretor de Legislação e Normas do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Privado do Estado do Amazonas, Paulo Sergio Ribeiro.

Para ele, até o ano passado, a crise afetou significativamente as famílias. “A tendência para o ano que vem é iniciar um processo de recuperação. Muitas famílias vêm negociando com as instituições, fazendo antecipação de pagamento, conseguindo descontos, isso tem sido comum”.

Devido ao cenário de retomada, Ribeiro acredita que a tendência é de que as escolas aumentem as mensalidades e que haja menos instituições que mantenham o que cobram atualmente. “É muito difícil a escola manter os mesmos valores. Estamos percebendo uma retomada de crescimento das matrículas”.

De acordo com o Censo da Educação Básica, em 2017, do total de 48,6 milhões de estudantes, cerca de 8,9 milhões eram de escolas particulares. Pouco menos da metade, 4,2 milhões, desses estudantes está na Região Sudeste e 2,3 milhões apenas em São Paulo.

No estado, também não é possível ainda ter uma estimativa dos reajustes, de acordo com o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo, Benjamin Ribeiro. “Tem escolas cuja mensalidade varia de R$ 400 a R$ 500 e escola que cobra R$ 7 mil ou R$ 8 mil por mês, escolas na periferia e outras em áreas nobres, cujos imóveis e, consequentemente, os aluguéis têm preços diferentes”.

A concorrência, segundo Ribeiro, ajuda no controle de preços. “Se uma escola fizer bobagem, o pai muda o filho de instituição. Tem a opção de mudar. A escola não faz um aumento abusivo em função disso, senão acaba tendo problema”.

Direitos dos responsáveis

A Lei 9.870 estabelece que a necessidade do aumento na anuidade deve ser comprovada por meio de uma planilha de custos. Os novos valores, juntamente com os documentos que comprovem o aumento, devem ser fixados em locais visíveis e de fácil acesso na escola 45 dias antes do prazo final para a realização da matrícula, e enviados aos responsáveis quando solicitados.

Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o fato de não existir um valor máximo para o reajuste da mensalidade não impede a contestação do aumento. “Caso o consumidor se depare com um aumento que considere abusivo, ele pode solicitar à escola a justificativa detalhada de tal reajuste”, diz a instituição.

O Idec aconselha que os responsáveis tentem uma resolução amigável. Se preferirem, podem procurar entidades de defesa do consumidor, como o Procon. O instituto diz ainda que caso todas as possibilidades de diálogo tenham se esgotado, é possível entrar com ação no Juizado Especial Cível. “Uma saída adotada por muitos consumidores é reunir um grupo de pais para contestar o aumento na Justiça”, acrescenta.

O presidente da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do Distrito Federal (Aspa-DF), Luis Claudio Megiorin, recomenda aos pais e responsáveis que busquem negociar com as escolas. “Os pais devem negociar, à exaustão, descontos, principalmente se tiverem mais de um filho matriculado. Devem também procurar falar com escola e saber por quê aumentou, conversar com professores para saber se tiveram aumento real e de quanto foi. Os pais podem ajudar professores no sentido de que sejam reconhecidos e valorizados no trabalho. [O reajuste] serve de alerta para os pais verificarem se aquele serviço prestado está compatível com o valor pago”, defende.


fpzzb_abr_140920187902.jpg

Ricardo Callado23/09/20185min

Reflexões políticas e sobre minorias marcaram os dez dias da mostra

Por Luciano Nascimento

Após dez dias de sessões, debates e oficinas, termina hoje a 51ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Os premiados serão revelados numa cerimônia de cerca de três horas de duração, prevista para começar às 18h40 no Cine Brasília, um dos espaços culturais mais tradicionais da capital federal.
Além da premiação oficial, que tem 22 categorias divididas em longa e curta metragem, há a distribuição de nove prêmios por entidades e empresas parceiras da mostra. Este ano, mais uma vez, o festival manteve a tradição de aliar a discussão sobre cinema e produções audiovisuais com temas com forte apelo no debate político. Com isso, o festival criado em plena ditadura mantém a contribuição para reflexão sobre o momento.

Ontem (22), o último dia da mostra competitiva foi marcado por diversas produções que abordaram temática LGBT+. Entre elas, o filme Bixa Travesty, de Kiko Goifman e Claudia Priscilla, sobre a artista Linn da Quebrada. Construído com base em shows de Linn, imagens de arquivo e momentos mais intimistas, o filme traz reflexões sobre questões acerca do corpo não-binário. A película tem a participação musical de Jup do Bairro, Liniker, Raquel Virgínia e Assucena Assucena, da banda Bahias e a Cozinha Mineira.

Também foram apresentados o curta pernambucano de ficção Reforma, que retratou relações homoafetivas entre homens. Outra produção, BR3, mostrou travestis na favela da Maré.

Debate político

O debate político também esteve presente em um documentário de forte impacto. Realizado por Susanna Lira, Torre das Donzelas aborda, com relatos inéditos, as sessões de torturas sofridas pela ex-presidente Dilma Rousseff e suas ex-companheiras de cela do Presídio Tiradentes, em São Paulo.

Torre das Donzelas é o nome dado ao conjunto de celas femininas do presídio. O filme remonta, a partir de fragmentos de lembranças de cada uma delas, as situações vividas na prisão na década de 1970. Nesse cenário, elas se reencontram 45 anos depois para romper com o silêncio e o medo de relatar os horrores de viver sob uma ditadura.

Outro registro sobre a situação vivida pelo país está no documentário Bloqueio, de Victória Álvares e Quentin Delaroche, que retrata a greve dos caminhoneiros, ocorrida em maio deste ano e que paralisou o país, mergulhado em uma crise política e econômica.

Não foi apenas nas telas que o teor político do festival se fez presente. Destaque para a presença de mulheres na direção de seis dos nove longas que concorreram ao prêmio principal. Além da participação de negros e mulheres nos júris e nas comissões que selecionam os filmes.

Descentralização

Este ano, além das atividades no Plano Piloto, as atividades do festival chegaram a 13 regiões administrativas do Distrito Federal. Os filmes selecionados para a mostra competitiva foram exibidos em sessões simultâneas em São Sebastião, no Riacho Fundo, em Sobradinho e em Taguatinga.

Atividades formativas, como oficinas foram realizadas nas cidades de Planaltina, Guará, Recanto das Emas, São Sebastião e Ceilândia, onde Maíra Carvalho, diretora de arte do filme O Último Cine Drive-In, ministrou a oficina Laboratório de Direção de Arte. A formação propôs um passeio sobre métodos, linhas, processos e percursos possíveis da criação na direção de arte de projetos audiovisuais de ficção.


uniceub.jpg

Ricardo Callado20/09/20184min

As inscrições para o ingresso nos cursos presenciais do UniCEUB estão abertas. Os interessados têm até 18 de outubro de 2018 para se candidatar às 4.360 vagas disponíveis em 22 cursos, exceto Medicina.  O ingresso é para o 1º semestre de 2019. A prova será aplicada no dia 20 de outubro, a partir das 15h. A taxa de inscrição varia de R$ 25 a R$ 35. As informações sobre o local da prova estarão impressas no cartão de inscrição do candidato e o resultado dos aprovados será divulgado em 22 de outubro.

Processo seletivo – A avaliação será composta de uma redação (valendo 100 pontos) e de uma prova objetiva com 60 questões de múltipla escolha, sendo: 10 questões de Língua Inglesa, 10 questões de Estudos Sociais (Geografia, História e Atualidades), 20 questões de Ciências, 9 de matemática, Física, Química e Biologia e 20 questões de Língua Portuguesa.

Enem – O candidato com nota superior a 250 pontos no ENEM também pode ingressar no UniCEUB sem prestar o vestibular. É necessário entregar a documentação na Central de Atendimento até 18 de outubro. 

Provas e Gabaritos anteriores – Confira aqui a prova e o gabarito do último processo, realizado em julho deste ano.


Manual do candidato – Confira aqui mais informações sobre o Vestibular 1º/2019.


professor.jpg

Ricardo Callado04/09/20185min

Os salários para o cargo de professor temporário variam de R$ 1.929,43 a R$ 3.858,87, dependendo da jornada de trabalho

O edital de abertura do concurso de Professor Temporário da Secretaria de Estado de Educação do DF (SEEDF), cuja banca organizadora será o Instituto Quadrix, foi publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF), na segunda-feira (3/9). A seleção fará a contratação de profissionais substitutos para atuarem na rede pública de ensino da capital a partir de 2019 e pelo prazo máximo de dois anos.

Os contratados podem cumprir uma jornada de 20 ou 40 horas semanais. O primeiro irá receber R$ 1.929,43, enquanto o segundo R$ 3.858,87. Em todos os casos, serão incluídas gratificações, entre elas, a Gratificação de Atividade Pedagógica (GAPED) no valor de R$ 578,83, para aqueles com carga horária de 20h e R$ 1.157,66 para jornadas de 40h semanais.

Entre as novidades do edital está a inclusão de conteúdos como diretrizes de avaliação educacional, defasagem escolar, Lei Complementar Distrital nº 840/2011, Lei nº 8.069/1990 (dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente) e, na parte de atualidades, o item Realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do Distrito Federal e da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE).

Para a especialista em conhecimentos pedagógicos do IMP Concursos, Madalena Coatio, as tendências pedagógicas merecem destaque. “Outros assuntos que merecem um olhar mais atento: avaliação, currículo, projeto político pedagógico, Educação de Jovens e Adultos, Educação Especial, Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB (em especial os artigos 3, 4, 23, 24, 26) e bases psicológicas da educação (somente para o cargo de Atividades)”, lista.

Os candidatos serão avaliados por meio de prova objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, além de perícia médica, de caráter eliminatório, destinada àqueles que se declararem com deficiência. Todas as fases do processo ocorrerão no DF.

A prova objetiva será composta de 100 itens com valor de 100 pontos. As questões serão divididas entre conhecimentos básicos (30), complementares (30) e específicos (40). O processo terá duração de três horas e a aplicação ocorrerá no dia 14 de outubro.

Segundo Coatio, o aluno precisa se ater à qualidade do material que for usar como base, estudar em um lugar calmo e evitar a dispersão. “Aconselho, inclusive, se desvencilhar das redes sociais”, aponta. Sobre o método de estudo, ela indica a resolução de exercícios. “A revisão diária dos conteúdos estudados é fundamental para a realização de uma boa prova. Por meio de exercícios, aprende-se muito e se esclarece inúmeras dúvidas”.

Em relação à banca escolhida, a professora afirma que embora o Quadrix não tenha tradição nesse tipo de prova, os itens do último concurso foram muito bem elaborados. “A última prova exigiu do candidato que ele conseguisse interligar os diversos conteúdos, sobretudo, da parte pedagógica. O candidato que estuda por palavras soltas ou apenas decorando os conteúdos, certamente, terão dificuldade um pouco maior em relação aos que conseguem articular os conteúdos”, avalia.

A contratação do professor substituto se dará para suprimento de carências provisórias e temporárias decorrentes de afastamentos legais de professor efetivo da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF).  Não há número de vagas estabelecido, os aprovados serão chamados de acordo com a necessidade da SEEDF.

As inscrições poderão ser feitas no site do Quadrix, a partir das 10h de 14 de setembro e vão até às 23h59 de 4 de outubro. O valor da taxa será de R$ 60,00 para o regime de 40h e de R$ 30,00 para 20h. O pagamento deve ser efetuado até 5 de outubro. O resultado final será publicado no dia 29 de novembro, depois de concluídas todas as etapas.


ensino_medio_0-1.jpg

Ricardo Callado07/08/20182min

Por Yara Aquino

O resultado do P-Fies, modalidade do Programa de Financiamento Estudantil, foi divulgado ontem (6) à noite pelo Ministério da Educação e está disponível na página do programa. O P-Fies atende estudantes com renda familiar entre três e cinco salários mínimos e tem o financiamento feito por bancos privados ou fundos constitucionais e de desenvolvimento.

O candidato pré-selecionado no P-Fies deverá comparecer à Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino para validar suas informações em até cinco dias, contados a partir do dia imediatamente subsequente ao da sua pré-seleção na modalidade do P-Fies.

Deverá então comparecer a um agente financeiro em até dez dias, contados a partir do terceiro dia útil imediatamente subsequente à data da validação da inscrição pela CPSA, com a documentação exigida e especificada para fins de contratação e, uma vez aprovada pelo agente financeiro, formalizar a contratação do financiamento.

O Fies concede financiamento a estudantes em cursos superiores de instituições privadas com avaliação positiva pelo Ministério da Educação. Nesta edição do programa são ofertadas pelo menos 155 mil vagas, das quais 50 mil com juro zero.


Enaile-Nutri-Funcional.jpg

Ricardo Callado06/08/201813min

Com a volta das férias, pais têm a missão de selecionar alimentos que sejam nutritivos para a merenda dos filhos.

A NutriCoaching resolveu dar uma forcinha e, além de dicas, traz cinco receitas saudáveis e fáceis de preparar

 O período de volta às aulas chegou e tem muitos pais por aí já atentos ao que incluir na lancheira dos filhos. Mas qual o critério de escolha dos alimentos? Há quem diga que a variedade nutricional é o mais importante. Para a nutricionista Enaile Arrais, da NutriCoaching, concorda com esta afirmação e vai além:  “Esta variedade na ingestão de nutrientes vai favorecer o melhor desenvolvimento físico e cognitivo para um ótimo desempenho escolar e no crescimento da criança. O fundamental para atingirmos essa variedade é, por exemplo, escolher uma fruta diferente a cada dia e compor a lancheira de pelo menos: 1 fruta + 1 fonte de proteína (pode ser iogurte, bolinho de frango ou de atum ou mix de aveia com quinoa em flocos) + 1 fonte de gorduras boas (côco em lascas ou água de côco, mix de castanhas, vitamina de açaí).

Mas atenção: a forma de oferecer esses alimentos – quanto mais fácil os alimentos são oferecidos – influenciará sobremaneira que a criança coma todos os itens da lancheira. Enaile exemplifica: “A fruta já pode estar picada com o mix de aveia com quinoa por cima para que ela coma os dois juntos”.

Mas o que não pode faltar? Para a NutriCoaching, é  interessante sempre ter alguma refeição líquida ou pastosa: sucos, vitaminas, iogurtes, mousses. “Dessa forma, caso a criança não esteja com tanta fome, essas refeições vão ser ingeridas mais facilmente e ela não ficará sem comer nada”, acentua a nutricionista.

O que evitar – “Como na nutrição comportamental nós não aconselhamos os pais incluírem açúcar aos alimentos dos pequenos (até os 2 anos de idade), para que o paladar seja adaptado desde cedo à pouca adição de açúcar às preparações, os sucos e vitaminas da lancheira não deveriam ser oferecidos adoçados. Caso seja um suco de fruta mais forte como o de maracujá e a criança não conseguir tomar puro, procure usar açúcares melhores, como o mel orgânico ou açúcar de coco”, recomenda.

Na lancheira também não é aconselhado oferecer alimentos fritos (que foram preparados com imersão em óleo), alimentos prontos (salgadinhos, biscoitos recheados, refrigerantes e industrializados em geral) e alimentos congelados industrializados. O ideal é que nesta etapa estudantil, os pais dêem continuidade aos hábitos alimentares encontrados na família e em casa, para que os alimentos que sejam ofertados na lancheira sejam bem aceitos.

Frutas da estação – Trabalhar com frutas da estação é muito interessante, já que estas frutas são facilmente encontradas em feiras próximas aos bairros. “Assim, conseguimos adquirir produtos mais frescos e orgânicos, preservando o máximo de nutrientes desses alimentos (os agrotóxicos “impedem” os alimentos e plantas de produzirem, muitas vezes, substancias benéficas ao organismo, que seriam produzidas na agricultura orgânica, por exemplo – além de serem os agrotóxicos prejudiciais à boa saúde humana e principalmente da criança em desenvolvimento.

As frutas de agosto são: banana, laranja, maçã, melão, morango e pêssego. Elas podem ser oferecidas na forma de sucos e vitaminas, como é o caso do morango e do pêssego. Já a banana, melão e maçã é aconselhável que sejam oferecidas já picadas (a maçã pode ser com a casca, bem lavada) com o mix de aveia com quinoa ou com iogurte e castanhas, por exemplo. Os sucos podem ser feitos utilizando a água de coco para trazer o sabor doce mais naturalmente à preparação.

Quando perguntada sobre até quantas calorias deve tero lanche, a profissional da NutrioCoaching afirma que para crianças, o ideal é a qualidade e variedade da alimentação, priorizando uma educação alimentar, e não necessariamente a contagem calórica. “Quando pensamos em calorias, estamos nos referindo mais diretamente às crianças que precisam de um controle de peso. As calorias dos lanches intermediários (meio da manhã e meio da tarde) podem variar entre 250 e 350 kcal”, explica.

E a idade influencia no que escolher para o lanche? Enaile diz que sim e acrescenta: “A forma de oferecer também vai mudar. Quando a criança é menor (até mais ou menos 10 anos de idade) é interessante entregar os alimentos prontos para o consumo, como foi dito mais acima. Já quando é maior que essa idade, a fruta pode ir inteira, por exemplo, incentivando a criança ou o adolescente a descascar as frutas e ter um preparo um pouco maior para o consumo. Quanto mais novo, mais prática deve ser a composição dessa lancheira para o consumo rápido na escola. Lembrando que também é importante sempre estimular a criança a ter contato direto com os alimentos, então cabe aos pais, quando forem preparar algo em família, chamar as crianças para participar e ajudar. Com esse contato com os alimentos, as crianças tendem a aumentar a variedade do que consomem”, finaliza.

 Confira as cinco dicas de receitas saudáveis para o lanche da garotada:

BOLINHOS DE ABOBRINHA

INGREDIENTES 

– 2 abobrinhas médias
– 200g ricota amassada
– 1 ovo
– 2 colheres (sopa) de salsinha picada

– 1 pote de iogurte natural desnatado

– 1 xícara (chá) de farinha de trigo ou farinha de arroz
– 1 colher (chá) de fermento em pó
– 2 colheres (chá) de azeite extravirgem

MODO DE PREPARO

Rale as abobrinhas no ralo grosso e misture o restante dos ingredientes. Modele bolinhas e coloque-as em uma assadeira untada com azeite. Asse em forno alto (200°C), preaquecido, por cerca de 20 minutos ou até que quem dourados.

Rendimento: 20 unidades
Valor calórico por porção: 79 kcal

BOLINHO DE ATUM OU FRANGO 

INGREDIENTES

– 1 clara

– 1 lata de atum (sólido em óleo; descartar o óleo da lata) (ou 5 colheres de sopa de frango desfiado)

– 2 colheres de sopa de aveia em flocos

– 1 colher de sopa de ricota ou queijo cottage

Pode ser acrescentado azeitona, cebola e temperos naturais à gosto

MODO DE PREPARO

Misture todos os ingredientes em uma travessa. Faça os bolinhos e coloque em um refratário untado com azeite extravirgem. Coloque para assar em forno pré-aquecido por aproximadamente 35 minutos.

Rendimento: 12 unidades

Valor calórico por porção: 85 kcal

FROZEN DE MORANGO COM AVEIA 

INGREDIENTES

– 2 copos de iogurte natural desnatado

– 15 morangos

– 1⁄2 xícara (chá) de aveia em flocos

– 1 colher de sopa de mel ou açúcar de côco

MODO DE PREPARO

Leve os iogurtes e os morangos ao freezer por cerca de 4 horas para congelar. Retire e bata no liquidificador junto com o açúcar até formar um creme homogêneo e consistente. Acrescente a aveia e mexa bem.

Rendimento: 3 porções
Valor calórico por porção: 116 kcal

 

BOLO DE BANANA COM CACAU 

INGREDIENTES

– 3 bananas amassadas
– 3 ovos
– 1/2 xícara (chá) de açúcar de côco

– 1 xícara (chá) de farelo de aveia

– 1⁄2 xícara (chá) de farinha de trigo ou farinha de arroz

– 1 colher (sopa) de cacau em pó

– 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
– Azeite para untar
– Farinha de linhaça para polvilhar

– 1⁄2 xícara (chá) de água morna

– 1 pitada de canela

MODO DE PREPARO

Bata em uma batedeira a banana, os ovos, o açúcar, o farelo e a água. Adicione lentamente a farinha, a canela, o cacau em pó e o fermento. Unte uma assadeira com azeite, polvilhe farinha e leve ao forno pré-aquecido em temperatura média (180°C) por cerca de 40 minutos.

Rendimento: 12 porções
Valor calórico por porção: 140 kcal

 

GELATINA DE FRUTAS VERMELHAS 

INGREDIENTES

– 400 ml suco de maçã
– 1⁄2 colher (chá) de canela em pó

– 7 envelopes de gelatina incolor e sem sabor

– 2 xícaras (chá) de morango picado

– 2 xícaras (chá) de framboesa picada

– 1 xícara (chá) de amora picada

MODO DE PREPARO

Em uma panela, ferva o suco com a canela. Retire do fogo e reserve. Dissolva a gelatina de acordo com a recomendação do fabricante e junte ao suco quente. Espere esfriar. Em forminhas individuais untadas com água, distribua as frutas e cubra com o suco misturado com a gelatina. Mantenha na geladeira por 6 horas e desenforme.

Rendimento: 6 porções
Valor calórico por porção: 79 kcal

 

Sobre a NutriCoaching – Fundada em 2015, a Nutricoaching é uma empresa que trabalha com o conceito de Nutrição Comportamental e utiliza como uma de suas ferramentas o Coaching Nutricional. É certificada pela maior empresa de Coaching Nutricional do mundo, a Precision Nutrition. Sua proposta é melhorar a efetividade dos processos de emagrecimento de seus clientes, entregando resultados mais consistentes e perenes. Entre os serviços da empresa estão o Programa Nutricoaching, consulta nutricional, consulta de Medicina Preventiva e Endocrinologia, exame de bioimpedância, além do curso de Coaching Nutricional para Nutricionistas.

SERVIÇO:

NutriCoaching

End.: SHCSW 305 Centro Clínico Sudoeste, sala 246. Sudoeste, Brasília-DF Telefones: 61 3879-2004 / 999230707

Site: www.nutricoaching.co

E-mail: contato@nutricoaching.co Instagram: @nutricoachingco

 


fies-e1482938423996.jpg

Ricardo Callado16/07/20185min

Os alunos interessados em participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no segundo semestre de 2018 já podem concorrer a uma vaga. Desde a zero hora desta segunda-feira, 16, o sistema de inscrições do programa está liberado. Estão sendo ofertadas 155 mil vagas, sendo 50 mil com juro zero. O prazo para inscrição acaba no domingo, 22.

Para se inscrever é preciso acessar a página do Fies Seleção na internet. O Novo Fies é um modelo de financiamento estudantil que divide o programa em diferentes modalidades, oferecendo condições a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. Pode concorrer quem tenha feito uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos e nota acima de zero na redação.

A modalidade juro zero é destinada aos candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil. As outras duas modalidades, chamadas de P-Fies, destinam-se a estudantes com renda familiar de até cinco salários mínimos. Para atender a essa parcela de candidatos, o P-Fies opera com recursos dos Fundos Constitucionais e dos Agentes Operadores de Crédito.

Poderão ser financiados os cursos de graduação com conceito maior ou igual a três no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) ofertados pelas instituições de ensino superior participantes do Fies. Também poderão participar do programa os cursos que, ainda não avaliados pelo Sinaes, estejam autorizados para funcionamento pelo cadastro do Ministério da Educação. Durante o curso, o estudante deve ter aproveitamento acadêmico para permanecer com o financiamento.

O resultado da seleção será publicado em 27 de julho, em chamada única. Os candidatos pré-selecionados na modalidade que exige comprovação de renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos deverão complementar as informações da inscrição no período de 27 a 31 de julho e, posteriormente, efetivar a contratação do financiamento.

Obtenha mais informações no hotsite do programa.

Confira o edital do Fies para o segundo semestre.

Acesse a página do Fies Seleção.


educação-a-distancia2.jpg

Ricardo Callado06/07/20187min

A velocidade das mudanças do mercado de trabalho e as novas tecnologias têm despertado uma forte demanda por cursos de especialização. E em razão da pequena disponibilidade de tempo do profissional multifacetado de hoje, o SENAI CETIQT reformulou sua grade de cursos de pós graduação com programas rápidos que podem ser concluídos em menos tempo e à distância, mas que garantem a tão necessária atualização na carreira, inclusive no que se refere às novidades tecnológicas na área têxtil e de confecção.

A instituição, que é referência em tecnologia, consultoria e formação de mão de obra para o setor têxtil – conceito 4 no MEC – está oferecendo a pós-graduação em ‘Design de Produto de Moda’, a única no Brasil na modalidade à distância, com a finalidade de formar Designers de Produto de Moda. Com duração de um ano, o curso abrange não apenas o vestuário, mas também outros itens do universo da Moda. As aulas teórico-práticas permitem aos alunos uma estreita relação com o mercado por meio de vídeoaulas e webinars com a participação de profissionais de empresas do setor e professores tutores – grandes nomes do mercado – para uma total integração.

E que tal unir a tradição da alfaiataria com a modernidade da tecnologia? Esta é a proposta da nova pós-graduação ‘Gestão e Planejamento de Modelagem: Alfaiataria Industrial’, que tem duração de 360 horas, sendo 288 horas presenciais e 72 horas a distância. Com um programa de capacitação inovador e relevante para modelistas e designers que desejam ampliar as possibilidades de carreira, a especialização fornece ao aluno a habilidade de gerir, planejar e produzir modelagem de alfaiataria industrial.

“O objetivo é formar profissionais de alto nível para atender bem o atual mercado”, pontua Robson Wanka, gerente de educação do SENAI CETIQT. Para tal, o curso é estruturado em módulos que são inaugurados com palestras e workshops de sensibilização ministrados por profissionais de renome. Além disso, os alunos recebem um kit de estudo com software AUDACES360, LECTRA, manequim de moulageprofissional e quatro réguas próprias de modelagem.

Além dessas especializações, o CETIQT lançou a pós-graduação Especialização Master In Business Innovation em Indústria Avançada: Confecção 4.0. O MBI tem duração de seis meses e capacita CEOs e executivos de indústrias do segmento têxtil, de vestuário e confecção para que sejam capazes de elaborar projetos de implantação da Confecção 4.0 em suas empresas, gerando processos industriais mais eficientes, produtivos e sustentáveis. O foco é uma mudança no mindset dos gestores para que consigam trazer inovação para seus processos produtivos.

“A forma de fazer e de consumir moda vem passando por diversas transformações e as empresas brasileiras estão percebendo a necessidade de absorver as novidades. O empresariado têxtil já se movimenta para acompanhar essa transformação e o MBI proporciona um contato real com o que podemos trazer da teoria para a realidade. A partir dele damos corpo a uma comunidade empresarial que pode construir na prática a fábrica do futuro”, explica o gerente de educação do SENAI CETIQT, Robson Wanka, que complementa: “Essa é a hora de repensar, reformular, adequar – e, por que não dizer, superar e surpreender – na descoberta de fontes, tecnologias e novas formas de atuar e produzir. É o futuro que começa a se transformar em presente; uma grande oportunidade para se desenhar o novo parque fabril brasileiro”.

Ao longo de toda a especialização – carga horária de 360 horas à distância e seis encontros presenciais mensais – os alunos-executivos contam com aulas, palestras, videoaulas e dinâmicas colaborativas com vários especialistas, profissionais conceituados em suas áreas de atuação, que compartilham conteúdo, dão dicas e orientações para que os participantes incluam cada vez mais soluções tecnológicas em seus processos e possam aos poucos implantar em suas fábricas o modelo 4.0.

E não é só. A capacitação de educadores ligados à temas da indústria também é preocupação do CETIQT. A pós-graduação em ‘Docência na Educação Profissional e Tecnológica’ tem duração de apenas dois meses e capacita catedráticos do SENAI, graduados em nível superior, para o exercício da docência na educação profissional e tecnológica. O curso, totalmente online, tem foco na formação profissional significativa e qualitativa, atendendo aos pressupostos da Metodologia SENAI de Educação Profissional.

Todos os cursos de pós graduação do SENAI CETIQT estão com as inscrições abertas para turmas que se iniciam ainda este ano. Para saber mais ou se inscrever, acesse https://bit.ly/2CVQJFp.


escola-publica.jpg

Ricardo Callado05/07/20184min

Processo ocorrerá em 13 unidades escolares. Candidatos devem se inscrever em 7 e 8 de agosto

A Secretaria de Educação publicou os editais com as normas e o calendário das eleições complementares para diretores e vice-diretores e conselheiros escolares.

As eleições vão ocorrer em 13 unidades onde os atuais ocupantes dos cargos foram indicados – por ausência de inscritos nas eleições de 2017; em razão de pedidos de exoneração; ou, ainda, por se tratar de colégios recém-inaugurados.

As datas e os horários dos dois processos eleitorais são coincidentes. Ambos em 5 de setembro, com divulgação dos resultados em 6 de setembro. As atividades escolares previstas para o dia da votação serão normais.

As inscrições para os candidatos a gestores — diretor e vice-diretor — e a conselheiros escolares serão em 7 e 8 de agosto, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Os registros deverão ser feitos nas unidades escolares, por meio das comissões eleitorais locais.

As campanhas eleitorais só poderão ocorrer de 17 de agosto a 4 de setembro. A comissão eleitoral local (em cada escola) deverá organizar audiência pública para apresentação dos candidatos de 27 a 31 de agosto.

Podem se candidatar a diretor e a vice-diretor o servidor que estiver:

  • Ativo da carreira magistério público ou assistência à educação
  • Em exercício em alguma unidade escolar da coordenação regional de ensino para a qual concorrerá
  • Na condição de efetivo há, no mínimo, três anos na rede pública de ensino
  • Na condição de efetivo no caso de pedagogo-orientador educacional e de profissional da carreira assistência à educação há, no mínimo, três anos na unidade escolar
  • Apresentar plano de trabalho para a gestão da escola

Podem se candidatar a conselheiro escolar os integrantes da comunidade escolar, composta por:

  • Profissionais da educação
  • Estudantes maiores de 13 anos
  • Servidores efetivos da escola
  • Pais, mães ou responsáveis pelos alunos

São aptos a votar:

  • Profissionais da educação
  • Estudantes maiores de 13 anos
  • Servidores efetivos da escola
  • Pais, mães ou responsáveis pelos alunos

Veja a íntegra do edital para eleição de diretores e vice-diretores.

Veja a íntegra do edita para eleição do conselho escolar.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias