Arquivos Educação & Cultura - Blog do Callado

enem.jpg

Ricardo Callado10/11/20185min

Por Mariana Tokarnia

As provas do Enem 2018 voltam a ser aplicadas neste domingo (11). Os candidatos vão responder as questões sobre ciências da natureza e matemática. Ao todo, 5.513.726 estudantes estão inscritos. No último domingo (4), 4,1 milhões de estudantes fizeram o exame, registrando-se o menor percentual de faltosos desde 2009 – 24,9% do total de 5,5 milhões de inscritos. Foram aplicadas provas de linguagem, ciências humanas e redação.

O que pode levar

 Documento oficial e caneta: os participantes deverão levar um documento oficial de identificação original, com foto e caneta esferográfica de tinta preta, fabricada em material transparente. Os dois itens são os únicos obrigatórios para o exame. Os documentos válidos são as carteiras de Identidade expedidas por secretarias de Segurança Pública, pelas Forças Armadas, pela Polícia Militar e Polícia Federal; Carteira de Trabalho e Previdência Social; passaporte; Carteira Nacional de Habilitação, com fotografia e identidade funcional. Outros documentos específicos podem ser consultados na página do Enem.

 Lanche: os estudantes podem levar um lanche. Caso seja caseiro e não esteja embrulhado em material transparente como papel filme, ele será fiscalizado antes de ser liberado.

– Cartão de Confirmação: é aconselhável levar o Cartão de Confirmação de Inscrição impresso. No cartão constam o local de prova do estudante, além da opção de língua estrangeira escolhida e, se for o caso, atendimento específico ou especializado solicitado. O cartão pode ser acessado na Página do Participante ou pelo aplicativodo Enem 2018, disponível para download na App Store e na Google Play. É preciso informar o CPF e a senha cadastrada na inscrição.

– Declaração de Comparecimento: os estudantes poderão levar também a Declaração de Comparecimento impressa para assinatura do chefe de Sala, caso precise do documento para justificar, por exemplo, falta no trabalho. A declaração está disponível também na Página do Participante.

O que não pode levar

– Itens proibidos no Enem: borracha; caneta de material não transparente; corretivo; dispositivos eletrônicos, como wearable tech, calculadoras, agendas eletrônicas, telefones celulares, smartphones, tablets, ipods, gravadores, pen drive, mp3, relógio e alarmes;  fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados imagens, vídeos e mensagens; impressos e anotações; lápis; lapiseira; livros e manuais.

– Antes de entrar na sala de prova, os participantes deverão guardar no envelope porta-objetos, fornecido pelo aplicador, o telefone celular e quaisquer outros equipamentos eletrônicos desligados. Também deverão ser guardados todos os itens proibidos no Enem.

– Segundo o Inep, o envelope porta-objetos deverá ser lacrado e identificado pelo participante antes de ingressar na sala de provas, e ser mantido até a saída definitiva do local de provas debaixo da carteira durante a realização das provas.

– Carteiras de identidade digitais não poderão ser usadas no exame. Isso porque haverá três checagens de identidade e uma delas ocorrerá durante a prova, quando o uso do celular é proibido.


enem_estudante.jpg

Ricardo Callado09/11/20186min

Por Mariana Tokarnia

Neste domingo (4), estudantes de todo o país farão as provas de ciências da natureza e matemática do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). AAgência Brasilconversou com professores que deram dicas de como se sair bem no exame. Segundo eles, é importante não desistir, mesmo que não tenha ido muito bem no primeiro dia de prova.
“Não dá para abrir mão do segundo dia de prova de jeito nenhum”, disse a coordenadora pedagógica de ensino médio do Colégio Renascença, de São Paulo, Glaucimara Baraldi.  “Não dá para considerar que o jogo terminou sem ter terminado de verdade. Não dá para prever qual o tamanho da chance [de ser aprovado em uma faculdade], por mais que não tenha ido bem no primeiro dia”.Glaucimara orienta os estudantes a, no dia da prova, começarem pelas questões que têm mais facilidade, assim, sobrará mais tempo para as questões mais difíceis. Chutar, só em último caso. “Não deixe questões em branco. Em último caso, chutar, mas chutar usando algumas estratégias. Não é colocando tudo na B, por exemplo. É ler com atenção e descartar as alternativas mais absurdas”, aconselha.

Segundo a coordenadora, mesmo o segundo dia de exame exige interpretação. “Prestar bastante atenção pois o próprio enunciado da questão pode conter coisas para a resposta e até mesmo as próprias alternativas”.

Ainda dá para estudar

Mesmo a pouco mais de 24h para o exame, o professor de matemática do Anglo Vestibulares, também de São Paulo, Thiago Dutra, diz que ainda dá tempo de estudar, com tranquilidade. “Sempre nessa reta final, a gente fala para os alunos darem olhada nos assuntos que apareceram nos últimos anos do Enem. Razão e proporção é disparado o que mais cai em matemática no Enem”, diz.

O estudo, no entanto, não pode ajudar a aumentar a ansiedade. Segundo Dutra, não é necessário resolver todas as questões. “Às vezes, só de olharem as resoluções das questões, que estão disponíveis na internet, já ajuda a associar ideias. O estudante consegue perceber padrão de raciocínio e esses padrões são prováveis de aparecerem na prova neste final de semana”.

Dutra aconselha os estudantes a relerem inclusive a primeira etapa do Enem, aplicada no último final de semana, quando os estudantes fizeram provas de linguagem, ciências humanas e redação. “Contextos criados nas questões de humanas podem ser aproveitados nas provas de exatas. O próprio tema da redação pode voltar a aparecer na prova de matemática”. O tema da redação deste ano foi “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

Correção da prova

A correção do Enem é feita usando a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI), em que o valor de cada questão varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item.

Dessa forma, um item em que grande número dos candidatos acertou a resposta será considerado fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. Já o estudante que acertar uma questão com alto índice de erros ganhará mais pontos por aquele item.

O sistema de correção permite ainda detectar chutes, uma vez que cada item não tem uma pontuação fixa. Explicando de forma simplificada, se um candidato acertou apenas questões fáceis e uma difícil, ele ganhará menos pontos pela questão difícil do que outro candidato que acertou mais questões de maior dificuldade.

Enem 2018

No último domingo, 4,1 milhões de estudantes fizeram o exame, registrando-se o menor percentual de faltosos desde 2009 – 24,9% do total de 5,5 milhões de inscritos. Foram aplicadas provas de linguagem, ciências humanas e redação.

A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).


livro.jpg

Ricardo Callado06/11/20183min

Lançamento das obras e sessão de autógrafos será nesta sábado, dia 10, na Livraria Leitura do Terraço Shopping

Alunos do Colégio Logosófico de Brasília lançam neste sábado, dia 10, livros de autoria própria na livraria Leitura do Terraço Shopping. O projeto desenvolvido em sala de aula deu origem a 101 títulos, entre os temas abordados: poesia, educação financeira, profissões, refugiados e outros assuntos que vão desde a ficção até temas atuais. As obras foram escritas e ilustradas pelos estudantes com idades entre 6 e 10 anos. A sessão de autógrafos será aberta ao público, das 10h às 15h.

A atividade é uma parceria com a Estante Mágica que tem por objetivo transformar crianças em jovens autores, além de fomentar e estimular a escrita e a leitura. O projeto já atingiu mais de 200 mil crianças em todo o país. Por meio de uma plataforma online acessível a escolas públicas e privadas, é possível levar o e-book para as prateleiras.

“É um projeto desafiador e gratificante. Nosso objetivo é contribuir para o desenvolvimento de habilidades que ajudem na formação de cidadãos mais conscientes e preparados. Conseguimos construir um universo de engajamento desde as crianças até os familiares. São histórias que vão desde o cotidiano deles até contos fantasiosos. E poder fazer esse momento de autógrafos para os familiares, amigos e convidados é concretizar toda essa dedicação em livros e autores mirins”, explica a educadora Lucia Andrade, diretora do Colégio Logosófico de Brasília.

Serviço:

Sessão de autógrafos – Estante Mágica

Data: 10 de novembro de 2018

Horário: 10h

Local: Livraria Leitura – Terraço Shopping

Informações: (61) 3326.4205


enem.jpg

Ricardo Callado02/11/20189min
Estudantes fazem a prova do Enem – Foto Wilson Dias/Arquivo Agência Brasil

Por Mariana Tokarnia

A prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deverá ser mais exigente este ano, e os estudantes deverão estar atentos, sobretudo ao uso da língua portuguesa, segundo o coordenador pedagógico do Vetor Vestibulares, Rubens César Carnevale, que foi corretor da redação do Enem por três anos seguidos, de 2014 a 2016.
“O que aparece na correção do Enem é a gramática instrumental. O aluno tem que ser usuário do idioma. Não precisa ser especialista, não tem que saber nomenclatura, mas tem que saber usar”, diz.

Neste domingo (4), os 5,5 milhões inscritos no Enem farão as provas de linguagem, ciências humanas e redação. Terão para isso, o tempo de 5 horas e 30 minutos. O Enem continua no dia 11 de novembro, com as provas de ciências da natureza e matemática.

O rigor da correção, segundo o professor, tem aumentado a cada ano. Em 2018, a previsão é que os corretores estejam mais exigentes, principalmente em relação ao uso da língua portuguesa. Pelo menos duas competências das cinco avaliadas no Enem cobram explicitamente o idioma.

“O Enem tem aperfeiçoado o método de correção. Não tem mais a expectativa de que aconteça o que ocorreu há quatro anos, quando alunos colocavam receitas ou hinos e tiravam nota. A expectativa não é mais essa. O treinamento dos corretores está mais rigoroso. Vai ter treinamento depois da prova. Isso é feito em todas as bancas de vestibular”, afirmou.

Para ir bem na prova, o professor dá algumas dicas, como fazer um rascunho com os principais tópicos que pretende abordar no texto. Além disso, dar atenção ao primeiro parágrafo porque ele vai definir o estilo e a linha de discurso: “O melhor é já causar uma boa primeira impressão”.

Se o tema for polêmico, Carnevale recomenda que os estudantes coloquem a visão contrária para que o avaliador entenda que o autor da dissertação compreende o panorama completo. Apesar disso, ressalta: “O texto deve ter uma conclusão clara e, embora seja possível listar outros pontos de vista na redação, não deve haver dúvida sobre a mensagem que o autor do texto pretende passar”.

Na proposta de intervenção, exigida no texto, o estudante deve deixar claro alguns elementos, primeiro, o agente, que é quem vai tomar a medida; a ação necessária; depois o meio para que seja executada e a finalidade da intervenção. Desde o ano passado, desrespeito aos direitos humanos não é mais motivo para zerar a redação inteira, mas, ainda poderá zerar uma das competências, resultando em perda de 200 pontos.

Capacitação

Em 2018, a correção será de responsabilidade da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O preparo dos corretores começou em agosto. Segundo a FGV, todos os supervisores e avaliadores de redação do Enem passaram por uma capacitação a distância por cerca de um mês. A seleção dos melhores foi baseada em uma série de avaliações realizadas ao longo desse curso.

Além da capacitação a distância, os avaliadores também participarão, nos dias 24 e 25 de novembro, de uma capacitação presencial. Antes do início da correção efetiva, eles passam ainda por um pré-teste.

Durante a correção efetiva, que começará no dia 28 de novembro, os supervisores e coordenadores acompanham diariamente o desempenho dos avaliadores por meio de relatórios gerados pelo software de correção, com números em tempo real, para que os alinhamentos ocorram de forma rápida, sem prejuízos aos participantes.

Correção

Os textos serão avaliados por, pelo menos, dois professores, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro. A redação será avaliada considerando-se cinco competências. Para cada uma delas, os avaliadores darão uma nota de 0 a 200. A soma desses pontos comporá a nota total de cada avaliador, que pode chegar a 1 mil pontos.

A nota final do participante será a média aritmética das notas totais atribuídas pelos dois avaliadores.

Caso as notas atribuídas individualmente pelos avaliadores tiverem uma diferença de mais de 100 pontos, ou a nota de qualquer uma das competências tiver uma diferença de mais de 80 pontos, a redação passará por um terceiro avaliador. Nesse caso, a nota final será a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximarem.

Se a diferença continuar depois da terceira avaliação, a redação será avaliada por uma banca presencial composta por três professores, que atribuirá a nota final do participante.

Competências

As competências avaliadas nas redações são:

Competência 1: Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa. Competência 2: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa.

Competência 3: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.

Competência 4: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação.

Competência 5: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado que respeite os direitos humanos.

Redação nota zero

As redações do Enem receberão a nota zero nos seguintes casos:

Fuga total ao tema;

Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;

Caso tenham até sete linhas, tamanho considerado insuficiente;

Cópia integral de um ou mais textos motivadores da Proposta de Redação e/ou de textos motivadores apresentados no Caderno de Questões;

Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação, tais como números ou sinais gráficos fora do texto;

Parte deliberadamente desconectada do tema proposto;

Assinatura, nome, apelido ou rubrica fora do local devidamente designado para a assinatura do participante;

Texto predominantemente em língua estrangeira;

Folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

Mais detalhes e exemplos de redações de edições anteriores podem ser acessadas na Cartilha do Participante.


escola-tecnica-sedf-2016.jpg

Ricardo Callado29/10/20184min

Cadastros para mais de 3,2 mil vagas para jovens e adultos devem ser feitos pelo site da Secretaria de Educação

Por Vinícius Brandão 
Alunos do ensino médio do Distrito Federal podem concorrer a 3.239 vagas em cursos técnicos profissionalizantes gratuitos que serão oferecidos em 2019 em diversas escolas da cidade.

As inscrições deverão ser feitas desta segunda-feira (29) até 8 de novembro pelo site da Secretaria de Educação.

Unidade de ensino Curso Vagas
Centro de Educação Profissional – Escola Técnica de Brasília Eletrônica 252
Eletrotécnica 252
Informática 360
Telecomunicações 168
Centro de Educação Profissional – Escola Técnica de Ceilândia Administração 315
Administração integrado à educação de jovens e adultos (a distância)  100
Informática 315

 

Informática integrado à Educação de Jovens e Adultos (a distância) 100
Logística 140
Centro de Educação Profissional – Escola Técnica de Planaltina Análises clínicas 140
Enfermagem 95
Nutrição e dietética 95
Saúde bucal 145
Centro de Educação Profissional Articulado do Guará – Professora Teresa Ondina Maltese Computação Gráfica 216
Enfermagem 200
Centro Educacional 2 (CEd 2) do Cruzeiro Serviços públicos integrado à educação de jovens e adultos 70
Centro Educacional Irmã Maria Regina Velanes Regis Controle ambiental integrado à educação de jovens e adultos 46
Centro de Ensino Médio Integrado (Cemi) do Gama Informática integrado ao ensino médio 80
Cemi do Cruzeiro Informática para internet integrado ao ensino médio 150
Centro de Educação Stella dos Cherubins Guimarães Trois Informática para internet integrado ao ensino médio 140

No caso do Cemi do Gama, o candidato deverá ir à unidade de 29 de outubro a 13 de novembro para homologar e validar a inscrição presencialmente, depois de ter feito a etapa on-line.


Aulão-com-Vinho.jpeg

Ricardo Callado23/10/20186min

“Ele te pega pela mão e te leva aonde você quer chegar”, afirma ex-aluno

Métodos diferenciados de ensino e que possuem eficácia são sempre um adianto na hora de iniciar os estudos, certo? E foi assim que o professor de Informática e especialista em concursos públicos, Deodato Neto, começou a fazer sucesso. Ele realiza aulões de madrugada, aulões com degustação de vinhos, aulões de véspera, aulões dentro de ônibus, em viagens para concursos que serão realizados em outros estados, aulões em bares, e muito mais.

Com quase 30 mil seguidores em seu Instagram, ele afirma que é um desafio diário manter os alunos interessados. “A informática tornou-se algo essencial para o trabalho, lazer, ou até para proporcionar a aproximação das pessoas. Essa é a realidade, afinal, é a principal ferramenta de comunicação nos dias de hoje. No entanto, na hora de responder uma questão dessa disciplina em um concurso público, muitas vezes o assunto parece ser algo desconhecido, nada familiar, e isso acaba prejudicando muitos estudantes. Por isso, é importante encontrar uma forma de manter os alunos interessados”, explica.

Segundo o internacionalista e ex-aluno, Vinícius Soares, Deodato tem uma didática totalmente diferente. “Para mim, Informática sempre foi uma matéria maçante, e ele faz com que fique leve, divertido e que a gente realmente aprenda. A aula flui e  a didática faz a gente se interessar, as horas voam, as brincadeiras que ele faz, relacionadas ao conteúdo, fixa a matéria na nossa cabeça para a hora da prova. Além disso, o Deodato é um parceirão, te pega pela mão e te leva aonde você quer chegar, basta a gente demonstrar interesse”.

As aulas têm diferenciais de horários, como o aulão da madrugada, que é online, gratuito e acontece sempre às quartas-feiras, a partir da meia-noite. Para participar, basta se inscrever pelo site do professor. Também tem aulões em locais inusitados, e turmas específicas para cada concurso.

Um dos projetos que Deodato considera essencial, e que tem dado um retorno bastante positivo, é o aulão de véspera, realizado um dia antes da prova. “É essa aula que realmente pega a memória recente, que ajuda o aluno a absorver o conteúdo que não pegou durante o curso, e mesmo quando pegou, pode esquecer na hora da prova. Considero muito importante e faz toda a diferença”, afirma. Outro diferencial é o acompanhamento em tempo real com os alunos, pelo whatsapp, ou pelo site, sempre tirando as dúvidas.

Outra ideia bastante inusitada e que faz muito sucesso, é o aulão com degustação de vinhos. Em um ambiente aconchegante, para poucos alunos, um grupo participa da resolução de questões de concursos enquanto degustam vinhos e queijos especiais. Quem já participou garante que a ideia é um sucesso. “Foi um momento diferente do que estamos acostumados nessa vida intensa de concursos. Durante a aula, conseguimos resolver mais de 150 questões de informática de uma forma muito mais descontraída”, declara a aluna Larissa Tehodoroviz Barreto.

Deodato afirma que a motivação para essa rotina tão intensa é ver o sucesso dos alunos: “A gente trabalha com sonhos, temos depoimentos de quem passou em um concurso desejado e mudou a vida, mas depende de cada um, de tempo de estudo, de estrutura familiar, e a gente tenta moldar isso na cabeça do aluno”, afirma.

E qual o segredo para um bom preparo? Segundo o especialista, basta estudar com foco, de forma direcionada, sem perder tempo com leituras que podem agregar conhecimento, mas que não serão cobradas no seu concurso: “Deixe para estudar o tema que quiser, aleatoriamente, depois que você passar! O melhor exemplo do que pode ser cobrado na sua prova é uma questão que já esteve presente em concursos anteriores”.

E para os interessados em conhecer um pouco mais sobre o assunto, o especialista tem um site, onde reúne muito conteúdo em um só lugar. A página tem notícias sobre concursos, que ajudam a deixar os alunos mais antenados, disponibiliza videoaulas, materiais em PDF, e tem muito conteúdo gratuito. Por lá, os alunos também podem interagir com o professor e tirar qualquer dúvida, basta acessar: www.professordeodatoneto.com.br.


inscricoes_para_o_enem.jpg

Ricardo Callado22/10/20184min

Por Mariana Tokarnia

Mais de 1,1 milhão de participantes consultaram o local de prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). O cartão de confirmação do exame está disponível desde as 10h da manhã de hoje (22).
Os mais de 5,5 milhões de candidatos podem acessar o cartão de confirmação do exame na Página do Participante ou pelo aplicativo do Enem 2018, disponível para download na App Store e na Google Play.O cartão de confirmação informa o número de inscrição; o local de prova, com endereço e número da sala; as datas e os horários do Enem; a opção de língua estrangeira escolhida e os atendimentos específicos e/ou especializados, e recursos de acessibilidade, caso tenham sido solicitados e aprovados. Para acessar o documento, basta informar o CPF e a senha cadastrada na inscrição. Para quem esqueceu a senha, o Inep disponibiliza um passo a passo para recuperação.

O Inep orienta os estudantes a acessarem o cartão de confirmação com antecedência e fazerem o trajeto até o local do exame antes do dia da prova, para verificar a distância, o tempo gasto e a melhor forma de chegar, evitando atrasos no dia da aplicação.

Segundo a autarquia, não é obrigatório levar o cartão de confirmação impresso no dia das provas. Para fazer o Enem é preciso levar documento oficial com foto e caneta esferográfica de tubo transparente.

Enem

Nos dias 4 e 11 de novembro, 5,5 milhões de estudantes em todo o país farão o Enem em mais de 1,7 mil municípios. No primeiro dia do exame (4/11), serão aplicadas as provas de linguagem, ciências humanas e redação. A aplicação terá 5h30 de duração. No segundo dia (11/11), haverá provas de ciências da natureza e matemática. Os estudantes terão cinco horas para resolver as questões.

O primeiro dia de prova coincide com o início do horário de verão. A aplicação do exame segue o horário de Brasília. Os portões sempre abrem às 12h e fecham às 13h. A prova começa às 13h30.


mec-1024x682.jpg

Ricardo Callado21/10/20182min

O Ministério da Educação liberou, na última quarta-feira, dia 17, R$ 17,30 milhões em limite de empenho para as universidades federais, instituições da rede federal de educação profissional, científica e tecnológica e hospitais de ensino vinculados à pasta no Distrito Federal. No total, em todo o País, o valor foi de R$ 729,1 milhões.

Com essa verba, o MEC assegura às instituições federais de ensino 100% de execução das despesas de custeio e investimento em fontes do Tesouro. Até o momento, foram liberados limites de empenho no valor de R$ 8,20 bilhões para as despesas discricionárias, sendo R$ 7,5 bilhões em custeio e R$ 702,1 milhões em investimento.

Os recursos das despesas discricionárias são geridos pelas próprias universidades, no âmbito de sua autonomia administrativa. É com o limite de despesas discricionárias que as entidades de ensino superior efetuam os gastos com o seu funcionamento, com as suas obras, contratam seus serviços de terceirização de mão de obra e executam as despesas com assistência estudantil. 

De 2016 até hoje, o MEC tem garantido 100% da dotação orçamentária das despesas de custeio, algo que não ocorreu em 2015.

Em 2015, as universidades federais não receberam sequer a totalidade da verba de custeio e atingiram somente 40% da verba de investimento disponível para o ano. Em 2016, o MEC retomou a liberação de 100% do que estava previsto no orçamento de custeio para todas as universidades do país. Em 2017, o percentual liberado das despesas com investimento foi de 70%.  Cabe lembrar que em 2016 e em 2017, o Ministério da Educação também assegurou 100% do orçamento de custeio para todas as universidades e institutos federais.


enem-1024x681.jpg

Ricardo Callado20/10/20185min

Neste fim de semana, 20 e 21 de outubro, Brasília (DF) sediará duas capacitações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018. No sábado, 20, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) promove o 1º Encontro Nacional dos Supervisores da Correção da Redação. E no sábado e domingo, realiza a capacitação dos 403 coordenadores municipais e coordenadores de local de aplicação e assistentes que atuarão na aplicação do Exame no Distrito Federal. As duas capacitações serão realizadas no San Marco Hotel, na capital federal, a partir das 8h. Na mesma data o Inep estará em Goiânia, para treinar os 501 colaboradores de Goiás.

As capacitações de coordenadores municipais e de local de prova encerram a série de treinamentos que o Instituto está realizando em todo o Brasil para garantir a aplicação padronizada do Exame. Nesta edição, a capacitação presencial tornou-se regionalizada e os colaboradores receberam as instruções sobre como aplicar o exame diretamente dos instrutores do consórcio aplicador, formado pela Fundação Cesgranrio e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A capacitação presencial é uma das etapas de preparação dos mais de 500 mil envolvidos com a aplicação das provas do Enem. Todos ainda precisam passar por um treinamento a distância. No dia do Exame os coordenadores de local de aplicação ainda capacitam os chefes de sala, aplicadores e fiscais.

Redação

Já o Encontro de Supervisores tem como objetivo apresentar o programa de treinamento e alinhar a equipe de 288 supervisores para as próximas etapas do processo: as capacitações presenciais e a própria correção. O Encontro, coordenado pela FGV, ocorrerá simultaneamente em 14 cidades-polo, entre elas Brasília. Os supervisores serão capacitados pelos 32 subcoordenadores que se dividem entre São Paulo e 16 polos de correção em todo o país. O Enem 2018 será realizado em 4 e 11 de novembro em 1.725 municípios brasileiros. O Inep se prepara para aplicar o Exame para 5,5 milhões de participantes.

Perfil do participante Brasil

Dos 5.513.684 inscritos em todo o Brasil, 59% são mulheres. A faixa etária mais representativa é a dos participantes que têm de 21 a 30 anos (27,8%), 17 anos (17%) e 18 anos (15,9%). A maioria dos inscritos, 58,7%, já concluiu o ensino médio e 29,7% está cursando a última série em 2018. Os chamados treineiros, participantes que fazem o Enem para autoavaliação, representam 10,6% dos inscritos. Ao todo, 63,8% dos participantes estão fazendo o Enem com todos os custos pagos pelo governo federal.

Perfil do Participante Distrito Federal

Dos 106.308 inscritos do Distrito Federal, 62.611 são do sexo feminino e 43.697, do sexo masculino. A faixa etária mais representativa é de 21 a 30 anos, com 31.406 participantes. Os inscritos com 18 anos somam 16.503 e aqueles com idade entre 31 e 59 anos, 15.973. A maioria dos participantes, 66.526, já concluiu o ensino médio. Outros 30.200 estão cursando a última série em 2018. Os treineiros são 7.931 dos inscritos. Outros 1.651 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.

Perfil do Participante Goiás

Dos 190.591 de inscritos de Goiás, 112.262 são do sexo feminino e 78.329, do sexo masculino. A faixa etária mais representativa é de 21 a 30 anos, com 46.246 participante. Os inscritos com 17 anos somam 36.824, enquanto os com 18 anos são 33.087 do total. A maioria dos participantes, 94.487, já concluiu o ensino médio. Outros 65.010 estão cursando a última série em 2018. Os chamados treineiros são 28.988 dos inscritos. Outros 2.106 não estão cursando e não concluíram o ensino médio.


HE-WS.jpeg

Ricardo Callado17/10/201821min

O país, que se encontra no top três do ranking de melhor educação, oferece graduação gratuita em universidades públicas para intercambistas

Para quem planeja fazer a graduação ou pós-graduação em outro país, porém fugindo do lugar comum, a Alemanha é uma ótima opção. Sua capital, Berlim, abraça pessoas de mais de 160 nacionalidades, sendo um dos lugares mais receptivos, além de guardar grandes episódios da história mundial. No top três de países com melhor educação no mundo, a Alemanha oferece graduação pública gratuita a intercambistas, que precisam apresentar nível de proficiência no idioma alemão.

Lorena Vieira, consultora de Intercâmbios da World Study, agência de intercâmbios brasileira de alcance mundial, aponta que o país, além de ser um dos melhores em qualidade de vida, ainda permite ao estudante poder viajar pela Europa com baixo custo, enquanto faz sua graduação. Segundo Lorena, “o intercambista pode se aplicar para qualquer universidade pública do país e adquirir permissão de trabalho por vinte horas semanais durante o curso. Após o término da graduação, o governo alemão ainda permite que o intercambista trabalhe por mais um ano full time”, completa.

Pensando nisso, a World Study oferece o programa de intercâmbio Higher Education Alemanha, onde a agência assessora o aluno, fazendo sua aplicação na universidade; agilizando a acomodação estudantil da própria instituição de ensino; oferecendo o apoio de uma psicóloga que conversa com o aluno sobre a cultura do país e imigração, além de todo o suporte de atendimento durante o intercâmbio.

Para aqueles que ainda não atingiram o nível de proficiência no idioma, a agência possui, ainda, parceria com a Germany Language School, localizada em Berlim, onde o intercambista pode aprimorar o conhecimento até conseguir o certificado que irá permitir o ingresso na Universidade. A World Study também possui parcerias com Universidades privadas, para aqueles que pretendem se especializar em uma área mais técnica, como a Gisma Business School, localizada em Berlim, que oferece 20% de desconto no valor do curso a alunos da WS.

Benefícios do mês de outubro – A agência de intercâmbios World Study irá oferecer quatro semanas de seguro viagem da Travel Ace Assistance, com cobertura de US$ 100 mil, para alunos que se matricularem até o dia 31 de outubro. Os intercambistas também irão usufruir de uma baixa da taxa de assessoria, que sairá por US$ 120.

Sobre a World Study – Em 1998, um grupo de entusiastas do intercâmbio cultural e ex-intercambistas, com mais de dez anos de experiência acumulada nesse segmento de mercado, resolveu unir forças para propiciar crescimento cultural, acadêmico e social às pessoas que compartilhavam este entusiasmo. Nasceu, então, a World Study Educação Intercultural que, por meio do intercâmbio, entendido como uma ferramenta educacional, oferece as mais diversificadas opções de experiência internacional (intercâmbio) e um atendimento diferenciado, baseado no aconselhamento individualizado e na adequação do programa ao perfil de cada aluno. Atualmente, a empresa possui unidades em todas as regiões do Brasil e bases no exterior.

Praças em que a World Study está presente:

AMAZONAS

CEARÁ

DISTRITO FEDERAL

ESPÍRITO SANTO

GOIÁS

MATO GROSSO

MINAS GERAIS

PARANÁ

RIO DE JANEIRO

RIO GRANDE DO SUL

SANTA CATARINA

SÃO PAULO

SERGIPE

BASES NO EXTERIOR:

BRISNABE (Austrália)

SYDNEY (Austrália)

DUBLIN (Irlanda)

SERVIÇO:

O que: Benefícios de outubro
Onde:  Worl Study no DF – SAUS Qd 3 Bl C Loja 12, Ed. Business Point Brasília-DF

Quando: Até 31/10

Informações:  https://bit.ly/2KIUKfI –  61 3321 0366



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias