Arquivos Educação & Cultura - Blog do Callado

fies-e1482938423996.jpg

Ricardo Callado16/07/20185min

Os alunos interessados em participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) no segundo semestre de 2018 já podem concorrer a uma vaga. Desde a zero hora desta segunda-feira, 16, o sistema de inscrições do programa está liberado. Estão sendo ofertadas 155 mil vagas, sendo 50 mil com juro zero. O prazo para inscrição acaba no domingo, 22.

Para se inscrever é preciso acessar a página do Fies Seleção na internet. O Novo Fies é um modelo de financiamento estudantil que divide o programa em diferentes modalidades, oferecendo condições a quem mais precisa e uma escala de financiamentos que varia conforme a renda familiar do candidato. Pode concorrer quem tenha feito uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, com média igual ou superior a 450 pontos e nota acima de zero na redação.

A modalidade juro zero é destinada aos candidatos com renda mensal familiar per capita de até três salários mínimos. Nesse caso, o financiamento mínimo é de 50% do curso, enquanto o limite máximo semestral é de R$ 42 mil. As outras duas modalidades, chamadas de P-Fies, destinam-se a estudantes com renda familiar de até cinco salários mínimos. Para atender a essa parcela de candidatos, o P-Fies opera com recursos dos Fundos Constitucionais e dos Agentes Operadores de Crédito.

Poderão ser financiados os cursos de graduação com conceito maior ou igual a três no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) ofertados pelas instituições de ensino superior participantes do Fies. Também poderão participar do programa os cursos que, ainda não avaliados pelo Sinaes, estejam autorizados para funcionamento pelo cadastro do Ministério da Educação. Durante o curso, o estudante deve ter aproveitamento acadêmico para permanecer com o financiamento.

O resultado da seleção será publicado em 27 de julho, em chamada única. Os candidatos pré-selecionados na modalidade que exige comprovação de renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos deverão complementar as informações da inscrição no período de 27 a 31 de julho e, posteriormente, efetivar a contratação do financiamento.

Obtenha mais informações no hotsite do programa.

Confira o edital do Fies para o segundo semestre.

Acesse a página do Fies Seleção.


educação-a-distancia2.jpg

Ricardo Callado06/07/20187min

A velocidade das mudanças do mercado de trabalho e as novas tecnologias têm despertado uma forte demanda por cursos de especialização. E em razão da pequena disponibilidade de tempo do profissional multifacetado de hoje, o SENAI CETIQT reformulou sua grade de cursos de pós graduação com programas rápidos que podem ser concluídos em menos tempo e à distância, mas que garantem a tão necessária atualização na carreira, inclusive no que se refere às novidades tecnológicas na área têxtil e de confecção.

A instituição, que é referência em tecnologia, consultoria e formação de mão de obra para o setor têxtil – conceito 4 no MEC – está oferecendo a pós-graduação em ‘Design de Produto de Moda’, a única no Brasil na modalidade à distância, com a finalidade de formar Designers de Produto de Moda. Com duração de um ano, o curso abrange não apenas o vestuário, mas também outros itens do universo da Moda. As aulas teórico-práticas permitem aos alunos uma estreita relação com o mercado por meio de vídeoaulas e webinars com a participação de profissionais de empresas do setor e professores tutores – grandes nomes do mercado – para uma total integração.

E que tal unir a tradição da alfaiataria com a modernidade da tecnologia? Esta é a proposta da nova pós-graduação ‘Gestão e Planejamento de Modelagem: Alfaiataria Industrial’, que tem duração de 360 horas, sendo 288 horas presenciais e 72 horas a distância. Com um programa de capacitação inovador e relevante para modelistas e designers que desejam ampliar as possibilidades de carreira, a especialização fornece ao aluno a habilidade de gerir, planejar e produzir modelagem de alfaiataria industrial.

“O objetivo é formar profissionais de alto nível para atender bem o atual mercado”, pontua Robson Wanka, gerente de educação do SENAI CETIQT. Para tal, o curso é estruturado em módulos que são inaugurados com palestras e workshops de sensibilização ministrados por profissionais de renome. Além disso, os alunos recebem um kit de estudo com software AUDACES360, LECTRA, manequim de moulageprofissional e quatro réguas próprias de modelagem.

Além dessas especializações, o CETIQT lançou a pós-graduação Especialização Master In Business Innovation em Indústria Avançada: Confecção 4.0. O MBI tem duração de seis meses e capacita CEOs e executivos de indústrias do segmento têxtil, de vestuário e confecção para que sejam capazes de elaborar projetos de implantação da Confecção 4.0 em suas empresas, gerando processos industriais mais eficientes, produtivos e sustentáveis. O foco é uma mudança no mindset dos gestores para que consigam trazer inovação para seus processos produtivos.

“A forma de fazer e de consumir moda vem passando por diversas transformações e as empresas brasileiras estão percebendo a necessidade de absorver as novidades. O empresariado têxtil já se movimenta para acompanhar essa transformação e o MBI proporciona um contato real com o que podemos trazer da teoria para a realidade. A partir dele damos corpo a uma comunidade empresarial que pode construir na prática a fábrica do futuro”, explica o gerente de educação do SENAI CETIQT, Robson Wanka, que complementa: “Essa é a hora de repensar, reformular, adequar – e, por que não dizer, superar e surpreender – na descoberta de fontes, tecnologias e novas formas de atuar e produzir. É o futuro que começa a se transformar em presente; uma grande oportunidade para se desenhar o novo parque fabril brasileiro”.

Ao longo de toda a especialização – carga horária de 360 horas à distância e seis encontros presenciais mensais – os alunos-executivos contam com aulas, palestras, videoaulas e dinâmicas colaborativas com vários especialistas, profissionais conceituados em suas áreas de atuação, que compartilham conteúdo, dão dicas e orientações para que os participantes incluam cada vez mais soluções tecnológicas em seus processos e possam aos poucos implantar em suas fábricas o modelo 4.0.

E não é só. A capacitação de educadores ligados à temas da indústria também é preocupação do CETIQT. A pós-graduação em ‘Docência na Educação Profissional e Tecnológica’ tem duração de apenas dois meses e capacita catedráticos do SENAI, graduados em nível superior, para o exercício da docência na educação profissional e tecnológica. O curso, totalmente online, tem foco na formação profissional significativa e qualitativa, atendendo aos pressupostos da Metodologia SENAI de Educação Profissional.

Todos os cursos de pós graduação do SENAI CETIQT estão com as inscrições abertas para turmas que se iniciam ainda este ano. Para saber mais ou se inscrever, acesse https://bit.ly/2CVQJFp.


escola-publica.jpg

Ricardo Callado05/07/20184min

Processo ocorrerá em 13 unidades escolares. Candidatos devem se inscrever em 7 e 8 de agosto

A Secretaria de Educação publicou os editais com as normas e o calendário das eleições complementares para diretores e vice-diretores e conselheiros escolares.

As eleições vão ocorrer em 13 unidades onde os atuais ocupantes dos cargos foram indicados – por ausência de inscritos nas eleições de 2017; em razão de pedidos de exoneração; ou, ainda, por se tratar de colégios recém-inaugurados.

As datas e os horários dos dois processos eleitorais são coincidentes. Ambos em 5 de setembro, com divulgação dos resultados em 6 de setembro. As atividades escolares previstas para o dia da votação serão normais.

As inscrições para os candidatos a gestores — diretor e vice-diretor — e a conselheiros escolares serão em 7 e 8 de agosto, das 8 às 12 horas e das 14 às 18 horas. Os registros deverão ser feitos nas unidades escolares, por meio das comissões eleitorais locais.

As campanhas eleitorais só poderão ocorrer de 17 de agosto a 4 de setembro. A comissão eleitoral local (em cada escola) deverá organizar audiência pública para apresentação dos candidatos de 27 a 31 de agosto.

Podem se candidatar a diretor e a vice-diretor o servidor que estiver:

  • Ativo da carreira magistério público ou assistência à educação
  • Em exercício em alguma unidade escolar da coordenação regional de ensino para a qual concorrerá
  • Na condição de efetivo há, no mínimo, três anos na rede pública de ensino
  • Na condição de efetivo no caso de pedagogo-orientador educacional e de profissional da carreira assistência à educação há, no mínimo, três anos na unidade escolar
  • Apresentar plano de trabalho para a gestão da escola

Podem se candidatar a conselheiro escolar os integrantes da comunidade escolar, composta por:

  • Profissionais da educação
  • Estudantes maiores de 13 anos
  • Servidores efetivos da escola
  • Pais, mães ou responsáveis pelos alunos

São aptos a votar:

  • Profissionais da educação
  • Estudantes maiores de 13 anos
  • Servidores efetivos da escola
  • Pais, mães ou responsáveis pelos alunos

Veja a íntegra do edital para eleição de diretores e vice-diretores.

Veja a íntegra do edita para eleição do conselho escolar.


universidade-catolica.jpg

Ricardo Callado04/07/20183min

A Universidade Católica de Brasília (UCB) foi oficialmente reconhecida como Instituição Comunitária de Educação Superior. O pedido foi feito pela própria instituição após a Lei das Comunitárias nº 12.881/13 ter sido sancionada em 2013, criando uma nova modalidade própria para as comunitárias no Ensino Superior.

As Universidades Comunitárias são instituições sem fins lucrativos que, além de não serem mantidas pelo Governo, também não foram criadas por ele. Para ser considerada uma Instituição Comunitária de Educação Superior algumas exigências são feitas pelo Ministério da Educação:  É preciso comprovar que os recursos são investidos de maneira integral na manutenção de atividades; a qualidade do ensino é observada e são feitas exigências quanto o desenvolvimento de pesquisas de alto nível que possam beneficiar a todos. A comunidade também deve ser assistida pela Universidade, que deve prestar serviços relevantes à população.

Para o Pró-Reitor Acadêmico da UCB, prof. Daniel Rey de Carvalho, o reconhecimento como Instituição Comunitária também valida o pioneirismo da Universidade Católica de Brasília na democratização do acesso à educação superior de qualidade e com compromisso social no Distrito Federal. “As Universidades Comunitárias são instituições de ensino superior (IES) sem fins lucrativos, geridas por conselhos que contém membros da sociedade, que se preocupam muito com a qualidade acadêmica e com o crescimento socioeconômico das regiões onde se localizam”, explica.

Para o Pró-Reitor, os alunos se beneficiam da parceria, pois a Universidade, a partir de agora, pode ter acesso aos editais de órgãos governamentais de fomento direcionados às instituições públicas e também receber recursos orçamentários do poder público para desenvolver atividades de interesse da sociedade. “A tendência é que o estudante comece a interagir cada vez mais com as atividades de pesquisa, extensão e inovação tecnológica na UCB”, afirma o professor Daniel.


prouni-2016.jpg

Ricardo Callado02/07/20184min

O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (2) o resultado do Programa Universidade para Todos (ProUni). A lista dos candidatos pré-selecionados na primeira chamada estará disponível na página do programa.

De acordo com o MEC, a pré-seleção assegura ao candidato apenas a expectativa de direito à bolsa. Aquele que estiver na lista deverá comparecer à instituição de ensino para a qual foi selecionado e apresentar os documentos que comprovem as informações prestadas na ficha de inscrição.

O candidato deve verificar, na instituição, os horários e o local de comparecimento para a aferição das informações. A perda do prazo ou a não comprovação das informações implicará, automaticamente, a reprovação do candidato.

O prazo para que isso seja feito começa hoje e vai até o dia 10 de julho. A lista com a documentação necessária pode ser consultada na página do ProUni.

O resultado da segunda chamada será divulgado no dia 16 de julho. Nos dias 30 e 31, aqueles que não foram selecionados poderão ainda participar da lista de espera, cujo resultado será divulgado no dia 2 de agosto.

ProUni

O ProUni oferece bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior.  Ao todo, neste processo seletivo, serão ofertadas 174.289 vagas, sendo 68.884 bolsas integrais e 105.405 parciais, em 1.460 instituições. As bolsas são para o segundo semestre.

O programa deste semestre é voltado àqueles que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017, alcançaram no mínimo 450 pontos e tiraram nota superior a zero na redação.

Além disso, só podem participar alunos brasileiros sem curso superior e que tenham feito o ensino médio completo na rede pública ou como bolsista integral na rede privada. Alunos que fizeram parte do ensino médio na rede pública e a outra parte na rede privada, na condição de bolsista, ou que sejam deficientes físicos ou professores da rede pública também podem solicitar uma bolsa.

As bolsas integrais são voltadas àqueles com renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais de 50% são destinadas aos alunos que têm renda familiar per capita de até três salários mínimos. Quem conseguir uma bolsa parcial e não tiver condições financeiras de arcar com a outra metade do valor da mensalidade, pode utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Aplicativo 

Os candidatos podem baixar o aplicativo do ProUni, disponível na Google Play e App Store, para acompanhar o calendário do processo seletivo.


prouni-2016.jpg

Ricardo Callado29/06/20184min

Terminam hoje (29) as inscrições para o Programa Universidade para Todos (ProUni). As inscrições são feitas exclusivamente pela internet, na página do programa. O ProUni oferece bolsas de estudo em instituições privadas de ensino superior.  Ao todo, neste processo seletivo, serão ofertadas 174.289 vagas, sendo 68.884 bolsas integrais e 105.405 parciais, em 1.460 instituições. As bolsas são para o segundo semestre.

Para se candidatar, é preciso ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2017, ter alcançado no mínimo 450 pontos e ter tido nota superior a zero na redação.

Além disso, só podem participar alunos brasileiros sem curso superior e que tenham feito o ensino médio completo na rede pública ou como bolsista integral na rede privada. Alunos que fizeram parte do ensino médio na rede pública e a outra parte na rede privada, na condição de bolsista, ou que sejam deficientes físicos ou professores da rede pública também podem solicitar uma bolsa.

O candidato que quiser uma bolsa integral deve ter renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. As bolsas parciais de 50% são destinadas aos alunos que têm renda familiar per capita de até três salários mínimos. Quem conseguir uma bolsa parcial e não tiver condições financeiras de arcar com a outra metade do valor da mensalidade, pode utilizar o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

Os resultados com a lista dos candidatos pré-selecionados estarão disponíveis também na página do ProUni, a partir do dia 2 de julho para a primeira chamada, e 16 de julho para a segunda.

Inscrição

Na hora da inscrição, o candidato pode escolher, em ordem de preferência, até duas opções de instituição, curso e turno entre as bolsas disponíveis, de acordo com o seu perfil.

O candidato com deficiência ou que se autodeclarar indígena, preto ou pardo pode optar por concorrer a bolsas destinadas a políticas de ações afirmativas.

Durante o período de inscrição, o candidato pode alterar as opções. Será considerada válida a última inscrição confirmada.

Uma vez por dia, o sistema do Prouni calcula a nota de corte, que é a menor para ficar entre os potencialmente pré-selecionados de cada curso, com base no número de bolsas disponíveis e no total de candidatos inscritos no curso, por modalidade de concorrência.

O Ministério da Educação esclarece que a nota de corte é apenas uma referência para auxiliar o candidato no monitoramento da inscrição. Ela não é garantia de pré-seleção para a bolsa ofertada.

Aplicativo 

Os candidatos podem baixar o aplicativo do ProUni, disponível na Google Play e App Store. A inscrição deve ser feita pela internet, mas pelo aplicativo o estudante pode acompanhar as divulgações das notas de corte dos cursos, pesquisar bolsas e acompanhar todo o calendário do processo seletivo.


fies-inscrição-e1476824666457.jpg

Ricardo Callado26/06/20183min

O prazo para concorrer ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) termina nesta terça-feira (26).  As inscrições são para as vagas que não foram preenchidas no processo regular do primeiro semestre. As inscrições para as bolsas remanescentes estão abertas desde o dia 28 de maio. Os prazos variaram de acordo com o perfil dos candidatos.

Hoje termina o último prazo, para estudantes que querem concorrer a vaga em instituição de ensino na qual já estão matriculados. Podem se inscrever tanto aqueles estudantes que ainda não têm diploma de ensino superior,  quanto aqueles que já concluíram uma graduação e estão fazendo novo curso. Os estudantes podem também já ter sido beneficiados pelo financiamento estudantil e o quitado.

Para concorrer, é necessário ter 450 pontos de média e nota acima de zero na redação em qualquer edição, desde 2010, do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, a renda familiar mensal bruta per capita não pode ultrapassar três salários mínimos, ou seja, R$ 2.862.

As inscrições são feitas pela internet.  Após concluir a inscrição, o candidato deverá validar suas informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da instituição de ensino onde estuda. O prazo para que isso seja feito é de três dias úteis após a conclusão da inscrição.

O Fies concede financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo Ministério da Educação (MEC). O número de vagas totais para este ano poderá chegar a 310 mil. Dessas, 100 mil terão juro zero para os estudantes que comprovarem renda per capita mensal familiar de até três salários mínimos.


sisu.jpg

Ricardo Callado18/06/20181min

O Ministério da Educação (MEC) liberou o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

Nesta edição, o programa oferece 57.271 vagas em 68 instituições públicas de ensino superior em todo o país. O resultado pode ser consultado na página do programa na internet.

Os estudantes selecionados deverão fazer a matrícula nas instituições de ensino entre 22 e 28 de junho.

Aqueles que não foram selecionados poderão participar da lista de espera que estará aberta de 22 a 27 de junho.

A convocação dos candidatos em lista de espera será de 3 de julho a 21 de agosto.

As vagas foram oferecidas em oito instituições públicas estaduais, uma faculdade pública municipal e 59 instituições públicas federais, com dois centros de Educação Tecnológica, 27 institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia e 30 universidades.


Material-Escolar-1024x682.jpg

Ricardo Callado14/06/20184min

A Copa do Mundo Rússia 2018 começou hoje (14) com uma partida entre o país anfitrião e a Arábia Saudita, no Estádio Luzhniki, em Moscou, que terminou em 5 X 0 para a Rússia. O mundial de futebol impôs um novo ritmo às escolas brasileiras, e calendário das aulas varia de acordo com a rede de ensino e com a unidade escolar.

Algumas escolas optaram por antecipar as férias do meio do ano, para englobar todo o período da Copa; outras preferiram liberar os alunos nos horários dos jogos do Brasil. Em todos os casos, as unidades de ensino devem cumprir o mínimo de 200 dias letivos e 800 horas no ano, estabelecido na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (9.394/1996).

De acordo com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), muitas das redes municipais, que concentram a maior parte do ensino infantil e fundamental, optaram por suspender as aulas no período em que haverá jogos do Brasil. “Quando tem jogo no horário da manhã, facultam esse horário. O município tem autonomia para fazer os ajustes”, diz o presidente da Undime, Alessio Costa Lima. Ele esclarece, no entanto, que as escolas terão que repor essas aulas.

De acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), os estados também têm autonomia para decidir sobre as aulas. As escolas estaduais concentram a maior parte do ensino médio. No Mato Grosso, por exemplo, não houve uma decisão para toda a rede. O estado determinou que cada escola poderá decidir se suspende as aulas, se realiza atividades pedagógicas nos dias dos jogos ou ainda se segue o cronograma inicial do calendário escolar e realiza as aulas normalmente.

O Distrito Federal também permitiu que as escolas flexibilizassem o calendário escolar. Já o estado de São Paulo, determinou a suspensão das aulas nas escolas da rede nos períodos em que o Brasil estiver em campo.

As escolas particulares têm, no geral, optado por dar aulas no turno oposto ao dos jogos da seleção brasileira, de acordo com a vice-presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Amabile Pacios. “As escolas têm liberdade de tomar, dentro dos contextos regionais, as decisões. A gente percebe uma tendência de manter as aulas no turno em que não acontece o jogo. Então se o jogo acontece de manhã, tem aula à tarde e se acontece de tarde, tem aula de manhã. É raro ter escola particular que vai suspender a atividade. Algumas vão manter as aulas normalmente, inclusive durante os jogos”, diz.

Jogos do Brasil

A estreia do Brasil será neste domingo (17), às 15h. O Brasil joga novamente na sexta-feira (22), às 9h; e na quarta-feira (27), às 15h. A Copa vai até o dia 28 de junho. Os próximos jogos dependerão do desempenho do Brasil nessa primeira fase.

Em algumas cidades, como no Rio de Janeiro, a administração pública decretou ponto facultativo nos dias de jogos da seleção brasileira. Já para os funcionários públicos federais, o Ministério do Planejamento editou uma portaria que flexibiliza os horários em dias de jogos, e as horas não trabalhadas deverão ser compensadas pelos servidores.


cultura.jpg

Ricardo Callado09/06/20185min

Edital, lançado nesta sexta-feira (8), promove injeção de R$ 8 milhões na descentralização de projetos culturais no Distrito Federal

Pelo terceiro ano consecutivo, o Fundo de Apoio à Cultura (FAC) será descentralizado. O lançamento do edital FAC Regionalizado 2018 ocorreu nesta sexta-feira (8), no Foyer da Sala Villa-Lobos do Teatro Nacional Claudio Santoro. A cerimônia contou com a participação do governador Rodrigo Rollemberg.

A inovação do governo de Brasília permite que regiões pouco participativas do edital possam agora ver seus projetos aprovados com maior frequência. A ideia é considerada um marco da democratização da produção cultural.

Nesta edição, serão destinados R$ 8,04 milhões para 121 novos projetos. Em três anos do edital, foram R$ 23 milhões investidos em atividades voltadas para a descentralização cultural.

“Fico muito feliz de ver atendido este compromisso do governo com a comunidade cultural, de diversas cidades de Brasília, que é de regionalizar e desburocratizar o financiamento cultural”, disse o governador.

A divulgação do FAC Regionalizado 2018 contou com discotecagem do violeiro Cacayi Nunes, com seu projeto Forró de Vitrola, e apresentação do grupo de teatro Mamulengo Sem Fronteiras.

Estiveram presentes, entre outras autoridades, o secretário de Cultura, Guilherme Reis; a secretária-adjunta de Cultura, Nanan Catalão; e a colaboradora do governo de Brasília Márcia Rollemberg.

O edital selecionará projetos nas áreas culturais de:

  • Artes plásticas, visuais e fotografia
  • Artesanato
  • Audiovisual
  • Cultura digital e arte-tecnologia
  • Manifestações circenses
  • Cultura popular e manifestações tradicionais
  • Dança
  • Design e moda
  • Gestão, pesquisa, difusão e capacitação nas áreas artística e cultural
  • Literatura
  • Livros e leitura
  • Música
  • Ópera e musical
  • Patrimônio histórico e artístico material e imaterial
  • Rádio e televisão educativos e culturais sem caráter comercial
  • Teatro

Descentralização e intercâmbio garantidos

Com o objetivo de descentralizar a execução dos projetos e democratizar o acesso aos recursos disponíveis no fundo, fica garantido, com o edital, o intercâmbio e a difusão cultural nas comunidades do DF.

Os projetos deverão ser produzidos em oito macrorregiões que contemplam as diversas regiões administrativas. São as seguintes:

  • 1) Gama, Park Way e Santa Maria
  • 2) Candangolândia, Cruzeiro, Núcleo Bandeirante, Vila Planalto e Vila Telebrasília
  • 3) Águas Claras, Guará, Taguatinga e Vicente Pires
  • 4) Recanto das Emas, Riacho Fundo I e Riacho Fundo II
  • 5) Fercal, Planaltina, Sobradinho e Sobradinho II
  • 6) Itapoã, Jardim Botânico, Paranoá, São Sebastião e Varjão
  • 7) Brazlândia, Estrutural e Setor de Indústria e Abastecimento (SIA)
  • 8) Ceilândia e Samambaia

Os projetos inscritos poderão propor quaisquer formatos, atividades ou ações, contempladas as diversas etapas da cadeia produtiva, desde que envolvam uma ou mais áreas culturais relacionadas.

Com foco na viabilidade de projetos culturais que contribuem para a promoção, democratização e formação de plateia, não foi inserida no edital a exigência de contrapartida financeira ou artístico-social por parte dos agentes contemplados.

Desde 2015, o FAC tem alcançado recordes históricos de investimento. Hoje, considerado o maior fundo público de investimento direto de cultura, chegou ao marco de R$ 44 milhões em execução em 2017, o maior montante.



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias