Arquivos Destaques - Blog do Callado

bolso-e-governadores-1.jpg

Ricardo Callado14/11/20184min
O presidente eleito Jair Bolsonaro posa com governadores eleitos e reeleitos – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Karine Melo , Carolina Gonçalves, Paula Labosiere e Luiza Damé

Em seu primeiro encontro com os governadores eleitos e reeleitos em outubro, o presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou que, por vezes, é necessário adotar “medidas que são um pouco amargas” para evitar o agravamento da crise no país. Ele não detalhou que medidas são essas, mas disse que o esforço é para evitar que o Brasil se transforme em uma Grécia. Bolsonaro lembrou que as reformas têm de passar pela Câmara e pelo Senado e pediu a compreensão dos presentes.
“Algumas medidas são um pouco amargas, mas nós não podemos tangenciar com a possibilidade de nos transformarmos naquilo que a Grécia passou, por exemplo”, afirmou Bolsonaro. “Temos de buscar soluções, não apenas econômicas. Se conseguirmos diminuir a temperatura da insegurança no Brasil, a economia começa a fluir.”

Bolsonaro destacou as potencialidades do país, como a riqueza mineral, a biodiversidade, o agronegócio e o turismo. Segundo o presidente eleito, as soluções passam pelo apoio dos estados. “Não teremos outra oportunidade de mudar o Brasil. Nós temos que dar certo. Não teremos uma outra oportunidade pela frente. Temos que trabalhar unidos e irmandos nesse propósito.”

Pacto

No encontro desta quarta-feira, Bolsonaro propôs aos governadores um pacto a favor do Brasil, no esforço de buscar soluções para os problemas e contribuir na administração das dificuldades. O presidente eleito frisou que o pacto será negociado “independentemente de partido [político]. A partir deste momento não existe mais partido, nosso partido é o Brasil”, disse, sob aplausos.

Bolsonaro negou que que o Ministério do Meio Ambiente será comandada pela atriz e escritora Maitê Proença. De acordo com ele, o nome escolhido será o de uma pessoa que conhece com profundidade a questão ambiental e vai focar na concessão de licenças, que, na opinião dele, está cercada de burocracia. “Queremos preservar o meio ambiente, mas não dessa forma que está aí.”

O presidente eleito disse ter ouvido uma análise pertinente do futuro governador de Goiás, Ronaldo Caiado. “Ninguém consegue entender porque o Brasil, com a riqueza que tem, está na situação de hoje”, afirmou Bolsonaro. “Temos que destravar questões que nos colocam em situação de atraso.”

Carta

Ao ser informado pelo governador eleito de São Paulo, João Dória, de que as reivindicações dos governadores serão reunidas em uma carta, Bolsonaro afirmou que vai analisar com sua equipe cada item exposto no documento.

Ao longo desta semana, a expectativa girou do anúncio de novos nomes para compor o primeiro escalão do governo Bolsonaro. Além da pasta do Meio Ambiente, o presidente eleito poderia indicar o comando dos Ministérios da Saúde e das Relações Exteriores.

Porém, o ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, afirmou que não haverá novos anúncios até sexta-feira (16).


enem-1024x681.jpg

Ricardo Callado14/11/20184min

Por Mariana Toakrnia

aEstão disponíveis os gabaritos oficiais do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou os gabaritos de cada uma das provas aplicadas e os cadernos de questões na íntegra. O material está disponível na página do Enem. Os resultados individuais do Enem serão divulgados no dia 18 de janeiro.

O Inep disponibilizou também todos os vídeos da videoprova em Língua Brasileira de Sinais (Libras) no Canal no Youtube. Segundo a autarquia, Isso permitirá que os surdos e os deficientes auditivos tenham como estudar para futuras edições do Enem em sua primeira língua. As respostas das questões estão no gabarito do caderno verde.  Além disso, estão disponíveis as provas ampliada e superampliada, que são azuis para o primeiro domingo e amarelo para o segundo; e as provas ledor, de cor laranja.

Mesmo com o gabarito, os candidatos não conseguirão saber a nota que tiraram, porque o sistema de correção do Enem usa a metodologia da teoria de resposta ao item (TRI), que não estabelece previamente um valor fixo para cada questão. O valor varia conforme o percentual de acertos e erros dos estudantes naquele item.

Assim, se a questão tiver grande número de acertos será considerada fácil e, por essa razão, valerá menos pontos. O estudante que acertar um item com alto índice de erros, por exemplo, ganhará mais pontos por ele. Dessa forma, o candidato só saberá a sua nota nas provas objetivas após a divulgação do resultado final, em janeiro.

Na última segunda-feira (12), o Inep anulou uma das questões da prova de matemática por já ter sido usada em um vestibular da Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 2013, descumprindo os requisitos de ineditismo e sigilo do exame. A autarquia instaurou sindicância para apurar responsabilidades.

O Enem foi aplicado nos dias 4 e 11 de novembro a mais de 4 milhões de estudantes em todo o país. No primeiro domingo, os estudantes fizeram provas de linguagem, ciências humanas e redação. No segundo domingo, fizeram provas de ciências da natureza e matemática.

A nota do exame poderá ser usada para concorrer a vagas no ensino superior público pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), a bolsas em instituições privadas, pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), e para participar do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies)


onix.jpg

Ricardo Callado14/11/20183min

Ele assume que recebeu dinheiro da empresa só em 2014

Por Carolina Gonçalves

O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, negou hoje (14) que tenha sido beneficiado com um segundo repasse da JBS, em 2012. Ele reconheceu que houve, sim, um repasse em 2014, e disse ter admitido o erro publicamente. De acordo com o ministro, a informação veiculada na imprensa nesta quarta-feira (14) tem a intenção de desestabilizar o governo eleito Jair Bolsonaro.
“Não é a primeira vez que tentam me envolver em episódios de corrupção”, afirmou Onyx, após café da manhã com Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Sou um combatente da corrupção. Faz um ano que tentam destruir Jair Bolsonaro. Qual foi a resposta da sociedade? Uma vitória esmagadora.”

O jornal Folha de S. Paulo publica hoje reportagem, informando que planilhas da JBS, detalham um suposto repasse, no valor de R$ 100 mil, para Onyx. É este repasse que o ministro negou ter recebido. No ano passado, ele confirmou ter recebido caixa 2 da empresa e disse ter sido “um erro”.

Na entrevista desta manhã, Onyx fez uma declaração, sem perguntas. Ele criticou duramente o jornal e disse que há uma articulação que “não dá trégua” ao governo Bolsonaro.

“No governo [eleito] não teve trégua. Todo dia teve alguém nos batendo. Não vão nos fragilizar. O que desejo é fazer uma transformação verdadeira do Brasil”, afirmou o ministro. “Vamos enfrentar com altivez qualquer tentativa de nos envolver com corrupção. Somos combatentes da corrupção.”

Onyx diz ter tatuado no braço o versículo bíblico, que está no livro de João (8:32): “E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará”. Segundo ele, é uma recordação do erro do recebimento do dinheiro da JBS em 2014 e seu reconhecimento para evitar novos deslizes.


Forum-de-governadores-2.jpg

Ricardo Callado14/11/20185min

Representantes de 17 estados e do DF aguardam conversa com Bolsonaro

Por Karine Melo, Luiza Damé e Paula Labossière

Governadores eleitos e reeleitos de 17 estados e do Distrito Federal reúnem-se hoje (14), pela primeira vez, em Brasília. O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB) , disse que os governadores têm pressa para a aprovação de um novo pacto federativo. “A pauta principal é o pacto federativo, mas vamos avaliar também o tema da Previdência e o tema da governabilidade.”
O presidente eleito, Jair Bolsonaro, e Paulo Guedes, confirmado para o Ministério da Economia (que reunirá Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio), confirmaram que vão participar do encontro.

Doria demostrou otimismo ao ser questionado sobre a busca de consenso entre governadores em busca do pacto. “Agora vai sair porque há uma decisão política do presidente Jair Bolsonaro de realizar um pacto federativo e será apresentado pelo futuro ministro da Economia, Paulo Guedes. Se não saiu no passado, agora vai sair.”

Segundo o governador eleito de São Paulo, o pacto contempla recursos, previstos no Orçamento para que os governadores tomem as suas decisões no que se refere aos investimentos em saúde educação, infraestrutura, obras, serviços sociais transportes públicos e segurança. “São as prioridades de praticamente todos os governadores.”

Anfitrião

Anfitrião do encontro em Brasília, o governo eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), disse que haverá “troca de gentilezas e de amizade com oportunidade para que cada um exponha seus principais problemas”. Ele também ressaltou que entre os temas de interesse comum estão a reforma da Previdência e governabilidade.

“Nós não colocamos pauta nenhuma específica sobre renegociação de dívida, reajuste”, afirmou Ibaneis Rocha. “É apenas um encontro onde cada um vai expor seus principais problemas e, a partir daí, nós vamos fazer pautas permanentes para que a gente possa, em conjunto, tratar de um novo pacto federativo que dê condições a todos os governadores de melhorar a situação de suas populações e da sociedade brasileira como um todo.”

Dívidas

O governador eleito de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), reforçou o pedido de ajuda para 14 estados que estão em situação mais crítica para tomar empréstimos e tentar recuperar sua situação fiscal. Segundo ele, há um projeto em estudo para deliberação de dinheiro por financiamento do Banco Mundial.

De acordo com Caiado, a proposta é uma alternativa às regras atuais, pelas quais o Tesouro Nacional avalia a prestação de contas, o cumprimento da Lei de Responsavilidade Fiscal e da linha de prudência, entre outros parâmetros, para avalizar um empréstimo.

A proposta, ainda em construção, poderá, segundo ele, abrir condições para que os governadores eleitos para estes estados, entre eles Goiás, Minas Gerais e Rio de Janeiro, iniciem a gestão, solucionando a folha de pagamento de servidores e minimizando efeitos da crise da saúde e segurança pública.

“Poderia criar uma condição para que cada governador mostre a capacidade de gestão e recuperação”, disse Caiado. “Não podemos esperar 1º de janeiro. Temos que nos antecipar”, acrescentou o governador eleito, informando que Goiás tem um gasto de R$ 1,2 bilhão com servidores e uma dívida consolidada de R$ 19 bilhões.

Caiado disse ter feito o apelo hoje durante encontro com Bolsonaro.

*Colaborou Carolina Gonçalves


raad.jpeg

Ricardo Callado14/11/20183min

Grupo independente liderado pelo ex-deputado Raad Massouh se reuniu em solidariedade ao mundo árabe na Embaixada da Palestina

Nesta terça-feira (13), o Movimento Árabe Independente Brasil realizou um ato de solidariedade e de apoio à paz ao Mundo Árabe. O ato, que aconteceu na Embaixada da Palestina, foi recepcionado por Ibrahim Mohamed Khalil Alzeben, embaixador da Palestina no Brasil. O presidente do movimento, Raad Massouh, defendeu a relação diplomática do Brasil com os países do mundo árabe. Discussões relacionadas ao fim da guerra na Síria e, também, a mudança da embaixada brasileira em Israel, de Tel Aviv para Jerusalém, estiveram em pauta. O grupo pretende fazer uma caminhada pacífica, com apresentações típicas, no dia 2 dezembro, dias antes da diplomação pelo Tribunal Superior Eleitoral do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL).

Raad Massouh frisou que o Movimento Árabe Independente Brasil deve fazer ainda uma série de reuniões com os demais países árabes. No início do mês, em entrevista a um jornal israelense, Bolsonaro disse que vai mudar a embaixada brasileira de Tel Aviv para Jerusalém. Sobre o episódio, Ibrahim Alzeben afirma que o Brasil deve respeitar a votação da ONU, em 1947, respeitando a divisão e sendo favorável entre a convivência pacífica entre os dois Estados.

Durante o encontro, ressaltou-se a importância da relação comercial brasileira com os países árabes, o que representa 5% do total exportado pelo País, entre janeiro e setembro de 2018, com soma de US$ 8,2 bilhões. No último ano, foram exportados mais de US$ 13 bilhões. Carnes de frango e bovina, açúcar e minério de ferros são os principais produtos comercializados. Numa comparação, a relação bilateral com Israel e quase 20 vezes menor.


Roselena-obra-2.jpg

Ricardo Callado14/11/20184min

Paulo Maurício, Roselena Campos e Stella Lopes se tornaram amigos pela arte em Brasília e trabalham poéticas individuais em exposição conjunta. Mostra vai até 1 de dezembro, no Pátio Galeria, com entrada gratuita.

Três estilos contemporâneos de manifestação artística que, pela pintura, pela cor e pelo amor à arte se propõem a juntos espalharem poéticas individuais,  porém universais. Essa é a proposta da nova exposição do Pátio Brasil, chamada “Três Nomes, Três Artistas, Três Amigos II”. Até o dia 1 de dezembro, quem passar pelo Pátio Galeria, no piso 1 do shopping, poderá conferir de perto o trabalho contemporâneo de Paulo Maurício, Roselena Campos e Stella Lopes. A entrada é gratuita.

Paulo Maurício é carioca e grande admirador das obras de artistas estrangeiros e nacionais ligados à Pop Art. A temática de Paulo, em grande escala, é centrada nos temas do cotidiano. O carro, mais particularmente o Fusca da Volkswagen, e as atividades esportivas como o ciclismo são temas recorrentes em suas obras. Os quadros do artistas são marcados por cores vibrantes e pinceladas fortes.

Já a também carioca Stella Lopes, que faz parte do trio da exposição, vive e trabalha com arte desde muito cedo, transitando pelo design de joias, de interiores e móveis. Stella se apropriou de diferentes técnicas como gravura, fotografia, marcenaria, serralheria e ourivesaria. Hoje sua pesquisa está voltada para pintura na transparência das cores e na leveza das formas em composições contemporâneas que instigam o espectador.

E a paraense Roselena Campos tem um fluxo de produção plástica diversificada, como a pintura, a escultura, o mosaico e a gravura. Na pintura se destacam os gêneros natureza-morta e retrato, em um estilo colorista, com uma poética das experiências pessoais frente ao que lhe apraz como belo. A criação das obras segue um processo de interpretação e comunicação essencialmente autônomo e autêntico.

Serviço

EXPOSIÇÃO TRÊS NOMES, TRÊS ARTISTAS, TRÊS AMIGOS II

Obras de Paulo Maurício, Roselena Campos e Stella Lopes

Quando? 12 de novembro a 1 de dezembro de 2018

Onde? Pátio Galeria – 1º piso do Pátio Brasil

Horário? Segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos e feriados, de 13h às 19h

Quanto? De graça

Informações: (61) 2107-7400


novembro-azul.jpg

Ricardo Callado14/11/20184min

Por Dr. Paulo Pizão

Celebrado no dia 17 de novembro, o Dia Mundial do Combate ao Câncer de Próstata deu origem ao movimento, Novembro Azul, criado em 2003, na Austrália, com o intuito de conscientizar a respeito das doenças masculinas, e principalmente na prevenção e diagnóstico do câncer de próstata. De acordo com um levantamento realizado pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA), estima-se que para cada ano do biênio 2018/2019, sejam diagnosticados 68.220 novos casos de Câncer de próstata no Brasil, o que corresponde a um risco de 66 novos casos a cada 100 mil homens.

No Brasil, o câncer de próstata é a segunda maior causa de mortes de homens, ficando atrás apenas do câncer de pulmão. Quase da metade dos homens (47%) que têm a doença em estágio avançado, não sabem, o que pode interferir e dificultar o tratamento da doença. Porém, quando diagnosticado em fase inicial, as chances de cura são de 90%. Por isso, é importante estar atento se existe, por exemplo, uma demora em começar e terminar de urinar, vestígios de sangue na urina, diminuição do jato e necessidade de urinar mais vezes ao longo do dia ou à noite. Ao menor indício desses sinais, é preciso sim procurar um especialista para avaliar o caso.

Para a detecção da doença são realizados dois exames: o de toque retal, onde o médico avalia o tamanho, forma e textura da próstata, por meio do toque, e o PSA, um exame de sangue que mede a quantidade de Antígeno Prostático Específico, que se estiver com níveis altos podem significar câncer, mas também doenças benignas da próstata. Para confirmar é preciso sempre realizar uma biópsia e se necessário, outros exames complementares solicitados pelo médico.

Os principais fatores de risco para a doença são idade acima dos 50 anos, histórico familiar com casos de câncer de próstata, homens com sobrepeso ou obesos, que abusam de álcool e tabaco. Além disso, a doença é mais comum em homens negros.

A melhor maneira de prevenção é manter sempre o peso saudável, ter uma alimentação repleta de frutas e vegetais, de preferência que estejam presentes em todas as refeições diárias e praticar exercício físicos. Mas o principal deles é não deixar que o preconceito que se tem com os exames de detecção da doença, acabe falando mais alto do que cuidar sua saúde. Previna-se!

*Dr. Paulo Pizão, Oncologista do GPOI – Grupo Paulista de Oncologia Integrada| Hospital IGESP

 


Convite_Laços-que-Abraçam.jpeg

Ricardo Callado14/11/20185min

Organizado pela BPW BRASÍLIA-DF, a primeira edição do evento acontece em 11 de dezembro e tem o objetivo de proporcionar o entrelaçamento entre mães, avós e crianças

Com o objetivo de incentivar o empreendedorismo na mulher do futuro e proporcionar o entrelaçamento entre mães, avós e crianças, a BPW BRASÍLIA-DF (Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais) lança a 1ª edição do projeto Laços que Abraçam para a família brasiliense. O evento acontecerá no dia 11 de dezembro, às 15h30, no Villa Rizza.

Durante o encontro, serão realizadas oficinas interativas de costurinha, bijuteria, mosaico, desfiles, pista infantil de dança neon e parte darenda será destinada para realização de oficina de costura com crianças e mães em comunidades do DF.O evento propõe um despertar dos elos de amor entre as crianças e seus familiares pelo compartilhamento de saberes. “Afinal, é na casa de brinquedo, primeiro símbolo do lar – onde coexistem bonecos, suas vestimentas, adornos pessoais e do ambiente – é lá que se enraíza a aprendizagem para a beleza da vida, da transformação, mediante o cuidado com o outro e com o lugar de convivência”, destaca a presidente da BPW BRASÍLIA-DF, Cristina Melo. “Brincando se aprende a ser gente, a fazer, a empreender. Molda-se o futuro”, completa.

Quem tiver interesse em participar da 1ª edição do projeto Laços que Abraçam, pode entrar em contato com Danielle Antoni: (61)9.9963-7175 e Tathny: (61)9.9905-9191.

Em Brasília desde 1980, a BPW articula ações capazes de promover qualificação, desenvolvimento e oportunidades às mulheres, tornando-as empreendedoras, geradoras de emprego e negócios, com reflexos positivos no crescimento sócio-econômico do Distrito Federal e na consolidação de uma sociedade mais democrática e humana.Para saber mais, visite nossas redes sociais: Facebook: BPW Brasília-DF e Instagram: @bpwbrasilia.

Sobre a BPW – A BPW – Business and Professional Women – Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais, é uma Organização Não Governamental – ONG, sem fins lucrativos e sem finalidade política partidária. É uma organização internacional, que conta com mais de 40 mil mulheres associadas. Fundada na Suíça em 1930, pela Dra. Lena Madesin Philips, hoje está presente em mais de 100 países, onde realiza inúmeros projetos que fomentam o empreendedorismo, a capacitação de lideranças e implementam projetos de responsabilidade social para melhorar a qualidade de vida de mulheres e meninas em todo o mundo. A BPW integra agências da ONU, ECOSOC, CSW, OEA, OIT e participa de eventos internacionais públicos e privados, que discutem, apoiam e fiscalizam o desenvolvimento das políticas públicas para mulheres e cumprimento dos acordos internacionais.

Serviço

Projeto Laços que Abraçam – 1ª edição – Realizado por BPW BRASÍLIA-DF

Data e Horário: 11/12, às 15h30

Local: Villa Rizza

E-mail: bpwbrasilia@gmail.com

Inscrições:Danielle Antoni: (61)9.9963-7175 e Tathny: (61)9.9905-9191


camara.jpg

Ricardo Callado13/11/20185min

Debates entre parlamentares e entre manifestantes foram acalorados

Por Mariana Tokarnia

Após discussões acaloradas entre parlamentares e entre manifestantes, foi novamente suspensa a reunião da comissão especial da Câmara dos Deputados que analisa o projeto Escola sem Partido.
Uma manifestante favorável ao projeto chegou a tentar dar um tapa em outro que é contra a proposta quando este tentou pegar um cartaz dela que estava no chão. Ele alegou que o cartaz onde estava escrito: “Maconha, não” era ofensivo, pois no contexto apresentado dava a entender que os professores eram drogados. O cartaz pedia ainda exame toxicológico de docentes.

A reunião foi suspensa há pouco por causa do início da ordem do dia no plenário.

Segundo o presidente da comissão, Marcos Rogério (DEM-RO), a discussão será retomada quando terminar a ordem do dia. Os integrantes de grupos contrários e favoráveis ao projeto continuaram no local e os ânimos se exaltaram, com as pessoas gritando umas com as outras.

“A esquerda queima a bandeira do Brasil e troca pela bandeira vermelha”, afirmou uma manifestante que apoia o projeto. “Eu sou professora, vocês me respeitem”, disse outra, contra o Escola sem Partido.

Marcos Rogério chegou a pedir a intervenção da Polícia Legislativa: “Vou pedir que a segurança intervenha. Convidados são convidados a permanecer no ambiente de respeito mútuo entre os manifestantes e os parlamentares, não cabe manifestação, discurso”, apelou. Os seguranças se posicionaram entre os manifestantes, mas as agressões verbais continuaram.

Quando manifestantes favoráveis ao Escola sem Partido fizeram gestos que imitavam o uso de armas, a deputada Alice Portugal  (PCdoB-BA) reclamou: “Está incentivando a violência. Estamos num ambiente educacional”.

Durante a reunião, houve bate-boca entre os parlamentares. O relator da proposta, deputado Flavinho (PSC-SP), chamou de mentirosa a deputada Erika Kokay (PT-DF).. “Não seja dissimulada e mentirosa. O projeto criminaliza professor? Não seja mentirosa!”, disse Flavinha depois que Erika manifestou-se contra o projeto.

Caso o substitutivo do deputado Flavinho seja aprovado na comissão e não haja pedido para que seja analisado em plenário, o projeto Escola sem Partido poderá seguir diretamente para o Senado Federal. O texto ainda não começou a ser lido.

Projeto

Pelo projeto em discussão, as escolas deverão apresentar cartazes com deveres do professor. Um deles é o que proíbe o professor de usar sua posição para influenciar os alunos politica, ideológica ou partidariamente. O professor também fica proibido de incitar os alunos a participar de manifestações e deverá indicar as principais teorias sobre questões políticas, socioculturais e econômicas.

Outros princípios incluídos na proposta são o respeito às convicções do aluno, de seus pais ou responsáveis, dando precedência aos valores de ordem familiar sobre os da educação escolar nos aspectos relacionados à educação moral, sexual e religiosa.

Outros projetos de lei com conteúdo semelhante ao do Escola sem Partido tramitam tanto na Câmara dos Deputados quanto no Senado.

Os defensores da proposta dizem que professores e autores de material didático vêm usando suas aulas e obras para tentar obter a adesão dos estudantes a determinadas correntes políticas e ideológicas.

Já os críticos do projeto afirmam que as leis atuais já impedem qualquer tipo de abuso por parte dos professores e que um projeto como o Escola sem Partido vai gerar insegurança nas salas de aulas e perseguição aos docentes.


baiano.jpeg

Ricardo Callado13/11/20183min
Weligton Moraes (Foto Filipe Menezes/Metrópoles)

 

Outros nomes confirmados foram o de Rafael Parente para a Secretaria de Educação. Ex-subsecretário de Educação na Prefeitura do Rio de Janeiro na gestão de Eduardo Paes (DEM), Parente tem o nome respeitado no meio onde atua. Sua gestão deve abrir espaço para o diálogo com os sindicatos que representam os servidores da área. Diferentemente do que ocorreu no governo Rodrigo Rollemberg (PSB), marcado por embates com essas entidades.

A Secretaria de Justiça será comandada pelo ministro dos Direitos Humanos e subchefe da Casa Civil da Presidência da República, Gustavo Rocha. Ibaneis disse que ele “conhece bem a cidade, os ministérios e tem excelente relacionamento com o Poder Judiciário”. “Recriar na Secretaria de Justiça a intermediação da relação com as instituições judiciárias é importante e ele desempenha muito bem esse papel no governo [do presidente da República Michel Temer]”, disse.

O Ibaneis também completou a cúpula da Segurança Pública do DF nesta terça. O coronel Carlos Emilson Ferreira dos Santos será o novo comandante-geral do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal. Atual chefe operacional da corporação, ele foi anunciado pelo futuro secretário de Segurança, Anderson Torres.

Estavam presentes, ainda, Robson Cândido, que comandará a Polícia Civil do DF a partir de 1º de janeiro de 2019, e a coronel Sheyla Sampaio, que estará à frente da PMDF no governo de Ibaneis Rocha.

Emilson foi escolhido após a Associação dos Oficiais do Corpo de Bombeiros ter apresentado uma lista tríplice ao emedebista. “Ele está imbuído dos mesmos objetivos do novo governo, de trazer as forças de segurança para mais perto da sociedade”, disse Anderson Torres.

 



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias