Arquivos Brasília - Página 2 de 249 - Blog do Callado

LBJ_4142-1200x800.jpg

Ricardo Callado19/03/20197min

Valorização de imóveis e ampliação de comércios devem ser alguns dos resultados com a construção de rede de drenagem e pavimentação

Por Hédio Ferreira Junior

Há dois anos, o comerciante Elder Nudes de Sousa, de 35 anos, se mudou com a família da Cidade Estrutural para Vicente Pires. Queria ter o próprio negócio e aproveitar a crescente expansão da região com elevado poder aquisitivo do Distrito Federal. Abriu uma padaria na rua 4, sob a qual irá passar um dos principais canais de drenagem da cidade. A via é uma das mais castigadas em períodos de chuvas, com perda de camadas de asfalto e formação de inúmeros buracos.

“O transtorno nessa fase é inevitável, mas é preciso ter paciência porque irá melhorar bastante a infraestrutura da cidade”Elder Nudes de Sousa, comerciante

A determinação de emergência nas obras inéditas de infraestrutura da cidade fez com que o Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Estado de Obras, iniciasse a instalação da tubulação do canal de drenagem ainda no período de chuvas. A interdição de ruas e faixas de trânsito, inclusive na saída de condomínios, tem causado mudanças na rotina dos moradores e comerciais.

75 milmoradores beneficiados

A confiança de que as alterações são passageiras e devem ser suportadas fez com que o servidor público Leonardo Steferson, de 29 anos, aproveitasse o preço de um imóvel na rua em obras para se mudar de Samambaia com a mulher e o filho e ficar mais perto do trabalho, no Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). “É um contratempo previsível e que acarretará em melhorias. Depois disso, meu imóvel será até valorizado”, aposta.

Empresários

Na última sexta-feira (15), o governador em exercício Paco Britto e secretários e presidentes de autarquias e entidades do Executivo apresentaram a comerciantes de Vicente Pires as obras que estão sendo feitas na cidade. Os empresários, por sua vez, mostraram uma pauta com cinco reivindicações que foram discutidas e encaminhadas na reunião.

“É um contratempo previsível e que acarretará em melhorias”Leonardo Steferson, servidor público

A primeira delas foi a proposta de negociação com o governo de um incentivo de apoio fiscal para empresários para minimizar as perdas e quedas de vendas durantes a obstrução de vias em obras pela cidade. De acordo com a Associação Comercial de Vicente Pires, mais de 150 empresas foram fechadas no final de 2018.

Os empresários pediram também a desburocratização na emissão de licenças e concessão de alvarás de funcionamento, ação já prevista pelo Destrava DF, programa da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação. O item três da pauta foi solicitação para que imóveis comerciais também possam ser vendidos dentro do programa de regularização de terrenos feito pela Terracap na região. A inclusão de 120 famílias no programa de regulação da empresa – que eram impedidas de participar – estava entre o pedido dos empresários. Já ao Banco de Brasília (BRB) foi requerido um programa de financiamento para recuperação de crédito de empresários em dificuldade financeira.

450 empregos diretose 1,2 mil indiretos

Todas as demandas foram encaminhadas e serão discutidas separadamente com a associação comercial pelos órgãos e entidades ao longo desta semana. Paco Britto afirmou que o governador Ibaneis Rocha fará todo o possível para corrigir os mal feitos dos governos passados em Vicente Pires. “Mas não vamos culpar ninguém que não fez. Vamos olhar para frente e fazer.”

Vicente Pires sofre com a ocupação sem ordem nem planejamento. Área de terreno fértil, abrigava pequenos agricultores em chácaras a partir do final da década de 80. Vinte anos depois, já em 2008, diante de uma nova ocupação de moradores e da construção acelerada de condomínios, se desmembrou de Taguatinga para se tornar uma região administrativa independente. Diante do povoamento, porém, casas e prédios foram erguidos e o solo foi perdendo a permeabilidade. Isso faz com que qualquer chuva mais forte arranque camadas de asfalto e forme buracos. Habitada sem planejamento, cresceu em meio à desordem – situação que o governo Ibaneis Rocha se mobiliza para mudar.


sala-aula.jpg

Ricardo Callado19/03/20195min
São 50 vagas para nível superior e a remuneração é de R$ 5.070
As inscrições para o concurso do Serviço de Limpeza Urbana do Distrito Federal (SLU) estão abertas e podem ser realizadas até o dia 1º de abril, às 18h, no site do Cebraspe, banca responsável por organizar o certame. A taxa de inscrição custa R$ 65. São 50 vagas para nível superior e outras 100 de formação de cadastro reserva para o cargo de analista de gestão de resíduos sólidos. A remuneração é de R$ 5.070 e a carga horária é de 30 horas semanais.

As vagas contemplam diversas especialidades. Entre elas, administração, arquitetura, biologia, ciências contábeis, jornalismo, relações públicas, direito e legislação, economia, engenharia ambiental, engenharia civil, engenharia de produção, engenharia de segurança do trabalho, engenharia elétrica, engenharia mecânica, engenharia química, geografia, informática, modernização de gestão de atividades de resíduos sólidos e serviço social.

Para o professor Sérgio Gaúcho, especialista em regimento interno, do IMP Concursos, um dos destaques do certame é justamente os cargos para áreas específicas do ensino superior. “É uma grande oportunidade para esses profissionais que, normalmente, não possuem ofertas de vagas em concursos públicos”, analisa.

As provas serão aplicadas no dia 19 de maio. Os candidatos farão avaliações objetivas de conhecimentos básicos e específicos, de caráter eliminatório e classificatório. Os exames terão duração de 3 horas e 30 minutos. As questões valerão 120 pontos e serão constituídas de itens certo ou errado.

De acordo com Gaúcho, uma das dificuldades dos candidatos é saber como o conteúdo será cobrado. “É importante resolver várias questões da banca para se familiarizar com a forma que os itens serão exigidos.  Além disso, sugiro que o candidato decore quais são os valores fundamentais do DF para não confundir com os objetivos prioritários. Faça um resumo pessoal, dividindo os diversos assuntos para revisar próximo da prova”, indica.

O estudo da Lei Orgânica do Distrito Federal é essencial, segundo o professor. “O candidato deve estudar do artigo 1º ao artigo 13 da LODF. Além disso, ficar atento à forma de criação e extinção das Regiões Administrativas e sobre a escolha do Administrador Regional. A maior dificuldade do estudo da Lei Orgânica se resume à própria leitura da lei, diante de ausência de doutrina a respeito”, explica.

Em relação à banca, ele aconselha uma atenção especial na hora de estudar os conteúdos. “É importante que o candidato estude, além do capítulo de Organização Administrativa, os outros capítulos (Competência, Administração Pública e Servidores). Em outros concursos, como por exemplo, da Secretaria de Educação do DF, o conteúdo de LODF foi semelhante ao deste concurso do SLU, ou seja, não constava expressamente o capitulo de Competência do DF, mas, mesmo assim, a banca exigiu questões desse assunto, tendo em vista que estaria dentro do Título Organização do DF, expressamente previst o no edital”, aconselha.

Para quem quer se sobressair, a dica do professor é clara: se destacar na parte de LODF. “A Lei Orgânica está inserida na parte de conhecimentos básicos, que totalizam cinquenta questões, com peso 1, sendo que o candidato não poderá obter nota inferior a 10. Tendo em vista que é uma disciplina que trata da organização do Distrito Federal e que os candidatos possuem dificuldades para estudá-la, acertar as questões de LODF fará com que o candidato se destaque em relação aos demais”, indica.


agua-1024x682.jpg

Ricardo Callado19/03/20191min

A Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) realiza eventos, durante a semana, que mostram ações e projetos voltados à gestão da água no Distrito Federal. Nesta quarta-feira (20), o secretário José Sarney Filho visita o Sítio Pinheiros, em Brazlândia, onde serão apresentados os Sistemas Agroflorestais (SAF’s). Haverá, também, demonstração de campo. O Dia da Água é celebrado mundialmente em 22 de março.

Os Sistemas Agroflorestais são baseados na dinâmica da floresta natural e combinam espécies florestais com culturas agrícolas e/ou pecuária, procurando obter como resultado dessa associação melhor aproveitamento no uso dos recursos naturais.

O projeto prevê a implantação de SAFs mecanizados em 40 propriedades no Paranoá e no Descoberto, as duas principais bacias de abastecimento de água do DF.


Metro-Paulo-Barros-Ascom.jpg

Ricardo Callado18/03/20192min
Foto: Paulo Barros – Ascom/Metrô-DF

Documento é essencial para a construção de mais 3,6 km de via e duas estações da Linha 1. Edital de licitação será relançado no mês que vem

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram) concedeu licença ambiental para a expansão da Linha 1 do Metrô-DF em Samambaia. Com o documento, a Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) poderá construir mais 3,6 km de via e duas estações na cidade, beneficiando aproximadamente 8 mil novos usuários por dia e elevando a arrecadação da empresa.

A licença é um procedimento administrativo obrigatório pelo qual o órgão ambiental permite a localização, instalação, ampliação e a operação de empreendimentos, entre outros. Segundo o presidente do Metrô-DF, Handerson Cabral, o documento atende exigências do Tribunal de Contas do DF (TCDF) para liberar o edital de licitação, que estava suspenso desde novembro passado. “O ganho é para a população e para o meio ambiente, uma vez que haverá garantias de que a obra será feita de acordo com as exigências da legislação”, disse Cabral.

Já o presidente do Ibram, Edson Duarte, afirmou que a licença apresenta orientações de como se fazer um empreendimento como este, impactando o meio ambiente da menor forma possível. “Cumprimos o nosso objetivo de liberar o licenciamento ambiental para um transporte público essencial para a mobilidade pública do DF. O metrô é o modal que menos impacta o meio ambiente”, destacou Duarte.


mpdft-e1452007429665.jpg

Ricardo Callado18/03/20193min

Em votação realizada na quinta-feira (14), membros do Colégio de Procuradores e Promotores de Justiça do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) aprovaram a recondução do conselheiro Dermeval Farias para compor o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) no biênio 2019/2021. Foram 312 votos a favor, dois brancos e um nulo.

Dermeval Farias exerce o cargo de promotor de Justiça do MPDFT. No CNMP, o mandato atual como conselheiro começou em 2017 e termina em 24 de setembro deste ano. Além disso, Farias preside a Comissão do Sistema Prisional, Controle Externo da Atividade Policial e Segurança Pública (CSP).

Dermeval Farias agradeceu a todos que participaram do pleito e destacou que continua prioritário em sua gestão o fortalecimento do Ministério Público brasileiro: “Buscarei exercer o segundo mandato com diálogo, colhendo críticas e sugestões, buscando concretizar a tarefa constitucional do CNMP”.

O próximo passo é a comunicação da procuradora-geral de Justiça do DF, Fabiana Costa, para a presidente do CNMP, Raquel Dodge, sobre o resultado da votação. Na sequência, Dodge enviará o nome de Dermeval ao Senado Federal que, por meio da Comissão de Constituição e Justiça, irá marcar a data da sabatina.

Perfil

Integrante do MPDFT desde 2004, Dermeval Farias atuou nas promotorias do Júri; Criminal; de Execução Penal; de Educação e Fazenda Pública; nos Núcleos de Controle Externo da Atividade Policial e de Combate à Tortura; e foi assessor de Políticas Institucionais. Antes de assumir cargo no CNMP, integrava a Promotoria de Justiça de Águas Claras. É pós-graduado em processo civil e mestre em Direito e Políticas Públicas, Processo e Controle Penal. Dermeval também é professor de Direito Penal.


eptg.jpg

Ricardo Callado18/03/20194min

A partir desta segunda-feira (18), a faixa exclusiva para ônibus na EPTG terá o sentido invertido nos horários de pico dos dias úteis (segunda a sexta-feira), entre as 6h e as 9h (sentido Taguatinga-Plano Piloto) e das 17h30 às 19h45 (sentido Plano Piloto-Taguatinga).

No sábado (16), foram feitas simulações de testes no local, com seis ônibus transitando pela faixa reversa, numa operação da qual participaram o secretário de Transporte e Mobilidade do DF, Valter Casimiro; o diretor-geral do DFTrans, Josias Seabra e o diretor-geral do DER/DF, Fauzi Nacfur Junior.

“A pista já está toda sinalizada e estamos colocando a sinalização para os usuários dos ônibus, de forma que todos fiquem bem-informados sobre essa operação importante para melhorar a fluidez do trânsito na EPTG”, explicou o diretor do DER. “Todos devem contribuir para o sucesso da operação: passageiros, pedestres e motoristas”.

63número de linhas que utilizarão a faixa reversa, nos horários de pico

Fauzi destacou que, fora dos horários de pico, o fluxo dos veículos e os embarques e desembarques não terão alteração. Ao todo, 132 linhas passam pela EPTG, sendo que os ônibus de 63 linhas passarão utilizar a via invertida. As demais 69 linhas continuarão trafegando pelas vias marginais.

Atenção na hora do embarque

Nos horários em que os ônibus passarão pela faixa invertida, os passageiros deverão ficar atentos, pois o embarque e o desembarque serão no canteiro central da EPTG, do lado da faixa reversa.

“Os passageiros devem ter bastante atenção e utilizar as passarelas para atravessar a EPTG”, alertou o diretor do DFTrans. Além dos cartazes afixados nas paradas de ônibus com lista dos ônibus que vão passar pela faixa reversa e dos que permanecerão nas vias secundárias, os passageiros poderão consultar essas informações no site do DFTrans, bem como dentro dos ônibus e em diferentes pontos da Rodoviária do Plano Piloto.

O secretário de Mobilidade, Valter Casimiro, está acompanhando cada passo da operação. Nesta segunda-feira (18), pela manhã, ele estará na EPTG para conversar com os usuários nas paradas de ônibus, tirar dúvidas e falar sobre a importância da faixa invertida. “As pessoas devem continuar usando a passarela, só que agora vão descer no canteiro central para tomar os ônibus para o Plano Piloto, ou na viagem de volta”, lembrou.

Com informações do DFTrans


Foto_Mary_Leal_2.jpg

Ricardo Callado18/03/20192min
(Foto Mary Leal/Agência Brasília)

Estações vão abrir às 5h30 a partir do dia 25/3. Medida atende a uma antiga demanda da população do DF

Os usuários do Metrô-DF poderão chegar meia hora mais cedo nas estações para utilizar o sistema. A partir do dia 25/3, o funcionamento será das 5h30às 23h30, de segunda a sábado. No domingo, permanece das 7h às 19h. A companhia atende a uma antiga demanda da população do DF para ampliar o funcionamento do sistema.

Durante o mês de abril, a empresa fará uma avaliação nas escalas dos empregados para, em maio, alterar novamente o horário de funcionamento. De segunda a sábado, passará de 5h30 à meia-noite, e no domingo, das 7h às 22h.

O presidente do Metrô-DF, Henderson Cabral, afirmou que o número de usuários tem aumentado nos últimos anos e muitos trabalhadores chegam às estações antes mesmo das 6h para pegar o primeiro trem. “Essa é uma demanda antiga da população e só agora a companhia tem condições de atender. Isso foi possível com a contratação de mais empregados e remanejamentos nas escalas de trabalho”, afirmou.

O Metrô-DF circula com 24 trens no horário de pico, com intervalos de 3,5 minutos no tronco principal (da Estação Central até Águas Claras) e de 7 minutos nos ramais de Ceilândia e Samambaia. A média de usuários por dia é de 170 mil.


gustavo-aula.jpg

Ricardo Callado18/03/201914min

“Reuni em um passo a passo as técnicas que deram certo para mim, e para os alunos que dei assistência”

O sonho da maioria dos brasileiros é o serviço público. Não só pela remuneração, mas pela tão desejada estabilidade financeira. Porém, devido ao grande número de concorrentes, passar nas provas não é tarefa fácil. Pensando nisso, e após ver seus alunos seguirem suas dicas e alcançarem a aprovação, o professor Gustavo Scatolino, atualmente Procurador da Fazenda Nacional e servidor público desde os 25 anos, usou sua experiência para elaborar um método eficaz e diferenciado, chamado Método 365. É uma metodologia que envolve ciência e prática.

Scatolino resolveu chamar de Método 365, fazendo uma referência ao prazo de 1 ano, porque esse é o prazo médio que passou estudando para cada concurso que foi aprovado e que considera ser um prazo que o aluno também já tem condição de conseguir sua aprovação.

Scatolino atua há mais de 15 anos como professor em cursos preparatórios para concursos públicos, e tem vários livros de sua autoria lançados. Hoje, é professor exclusivo de Direito Administrativo em um curso preparatório. No decorrer desses anos, acumulou experiência para criar o método que, segundo ele, se for seguido corretamente traz o resultado esperado para o concurseiro.

“Reuni em um passo a passo as técnicas que deram certo para mim, e para os alunos que dei assistência durante minha trajetória até aqui. O objetivo é auxiliar o aluno a ser aprovado mais rápido de maneira prática. Geralmente, os concursandos estudam por muito tempo, de forma errada, e com isso, a aprovação demora a acontecer”, afirma o professor.

Porém, Scatolino lembra que não existem milagres. “A técnica mostra a forma correta de estudar para alcançar melhores notas mais rápido, mas é preciso um estudo ativo e esforço por parte do aluno. É um método simples, pois qualquer pessoa pode aplicá-lo, em qualquer exame que tenha um conteúdo a ser seguido e uma prova a ser realizada”, ressalta.

E para que os interessados saibam como funciona o Método 365,  entre os dias 8 a 12 de abril, haverá uma semana de degustação, com a “Série da Aprovação”. É uma semana onde serão disponibilizados vídeos que, após se cadastrar, o aluno receberá gratuitamente, por e-mail, mostrando técnicas de estudo em que os resultados são imediatos. “É uma semana de experimentação para que eles conheçam e percebam que o método é eficaz”, explica o professor.

Em seguida, de 15 a 19 de abril, estarão abertas as inscrições para a nova turma do Método 365. Os interessados em participar, tanto da semana, quanto da turma, podem entrar em contato pelo Instagram do professor: @gustavo.scatolino.

 

Em entrevista, o especialista falou mais sobre o método. Confira:

Como foi criado esse método?

Reuni em um passo a passo as técnicas que deram certo para mim e para os alunos que auxiliei durante minha experiência.

 

Qual o objetivo do método?

Auxiliar o aluno a ser aprovado mais rápido de maneira prática. Os concursandos perdem muito tempo (2,3,4 anos estudando de forma errada) e com isso a sua aprovação demora a acontecer.

  

Qual o diferencial do método?

É prático, simples de ser aplicado, porém, precisa de estudo ativo, não promete milagres. O aluno deverá sim estudar, se esforçar. Mas o método mostra a forma correta de estudar para alcançar melhores notas mais rápido.

 

O método funciona para quem está iniciando os estudos?

Funciona para qualquer nível de estudos, qualquer concurso. Para quem começar agora é ainda melhor, pois irá estudar desde o início de forma correta.

 

Se uma pessoa estudar apenas pelo método, consegue passar em um concurso público?

Sim. O método ensina a como estudar para concurso de forma mais eficiente. Ou seja, ele pega o conteúdo das disciplinas que possui e aplica o método. Simples.

 

Casos de sucesso

O sucesso das dicas dadas pelo professor Gustavo Scatolino é comprovada por alguns alunos que alcançaram sucesso, seguindo o método passado por ele. Em seu Instagram, @gustavo.scatolino, há alguns depoimentos, como o de Isa, que trabalhava em um home center por seis anos, foi demitida, e resolveu estudar para o concurso do  Ministério Público da União. Ela afirma que não pegava nos livros há 20 anos. Após se organizar com as dicas dadas por Scatolino, estudou por dois meses e marcou 106 de 120 pontos na prova. “Nunca tinha ouvido falar de Direito Administrativo. Quando vi o resultado da prova fiquei maravilhada. Tudo que ele ensinou, falou, motivou, me ajudou”.

Rosa Helena também passou no concurso do Ministério Público da União. Ela decidiu ingressar no serviço público em 2015, e afirma que as dicas dadas pelo professor foram o diferencial para passar. “Ele ensinou como fazer o material, além da organização certa do estudo para aprender, antes mesmo da abertura do edital. Com as dicas, consegui me planejar e passar no concurso, tive a melhor colocação na minha vida.

Outro caso bem-sucedido é o de Igor. “Em 2012 me formei em Direito, e depois que passei na OAB, seguindo o método do professor Gustavo Scatolino fui aprovado no cargo de analista processual da área jurídica do MPU. Segundo Igor, o estudante tem que entender que existe um método e como funciona o mecanismo, principalmente da banca. “Todos que começam a estudar se espelha em alguém, Gustavo era uma pessoa que eu me espelhava, via que era jovem e conseguiu o que eu estava almejando, e ele me mostrou como funcionava a metodologia”.

Abaixo, o professor dá algumas dicas que ele ensina por meio do Método 365:

Através dos seus mais de 15 anos como professor em cursos preparatórios para concursos públicos, auxiliando muitas pessoas a estudar, Gustavo Scatolino percebeu que os alunos cometiam um grave erro: faziam revisão de maneira errada, ou pior, não faziam revisões.

O professor ressalta que não é possível se lembrar com exatidão de uma matéria que o aluno aprende 3, 4, 6, 8 meses antes da prova. E no concurso tem que lembrar com precisão do conteúdo, pois as questões exploram muito a resolução de casos concretos que, para se chegar a resposta correta, é necessário se lembrar de todo conteúdo estudado. Para Scatolino, 60% da prova depende da memória de “curto prazo”, ou seja, de uma boa base da memorização sólida que deve ser intensificada à medida que a prova se aproxima, onde o candidato só acertará as questões se realmente fez a revisão corretamente e 40% da prova está na memória de “longo prazo” que são aquelas questões em que o candidato consegue acertar com noções que tem da matéria ou que guardou durante o estudo.

Para isso, ele ensina que cerca de 10 a 15 dias antes da prova é o momento de se intensificar as revisões. Nesse período, não é o momento de estar aprendendo conteúdo novo, e sim de estar revisando o que já foi aprendido. É mais importante revisar 3, 4, 6, 8 meses de estudo do que utilizar o tempo final para aprender um conteúdo novo específico.

Além disso, Scatolino destaca a importância da conexão que deve haver entre o ESTUDO + EXERCÍCIOS + REVISÃO. Segundo ele, desde o momento inicial dos estudos, passando pela resolução de questões já deve ser pensado e preparado o material para as revisões. Para ele, ESTUDAR é: APRENDER – TESTAR – FIXAR. O processo começa aprendendo a matéria, seja por vídeo aula, livro, PDFs (que são aulas autossuficientes em textos digitais), estudo em grupo e as várias maneiras dessa primeira fase do processo; depois é necessário testar se o conteúdo visto está realmente satisfatório, assim, deve ser feita uma bateria de questões para ver se o nível do aprendizado foi bom ou se é necessário retornar a essa etapa inicial. E por fim a fixação por meio de revisões periódicas para manter o conhecimento ativo na memória.


fac-reuniao.jpg

Ricardo Callado18/03/20195min

Principal instrumento público de geração de empregos na área cultural, o FAC – Fundo de Apoio à Cultura do DF, está mais uma vez sob forte ameaçada de sofrer perdas graves.

Colegiado de artistas, técnicos e produtores culturais de Brasília se reunirão em plenária nesta segunda (18 de março), no Teatro da Faculdade Dulcina de Moraes, a partir das 19 horas.

Criado há mais de 25 anos, o FAC – DF é um dos fundos constitucionais de apoio à cultura mais antigos do país. Além de gerar milhares de empregos e injetar milhões de Reais na economia da região, anualmente, o Fundo de Apoio à Cultura do DF leva arte, cultura e entretenimento a todas Regiões Administrativas e se trata de importante instrumento de divulgação e promoção dos trabalhos artísticos brasilienses no exterior e por todo o Brasil, por meio de intercâmbios artísticos e turnês de grupos de teatro e bandas de música.

Dividido em editais que cobrem todas as áreas da cultura como música, artes visuais, arte urbana, literatura, cinema, artes cênicas, dentre outras, o FAC promove a realização de incontáveis eventos culturais ao longo de todo o ano. São eventos de pequeno, médio e grande porte, muitos deles com entrada gratuita, para todas as idades, públicos e que se espalham por todo o DF em praças, teatros, centros culturais, bibliotecas, escolas, cinemas e galerias de arte.

Em recente levantamento realizado pelo Prêmio Web de Teatro do DF, chegou-se ao número de 45 espetáculos de teatro, idealizados por mais de 40 coletivos distintos, que empregaram 682 profissionais, ocuparam 30 espaços culturais e receberam um total de 32.965 espectadores, isso apenas 2018.

À pauta da plenária desta segunda-feira que deve reunir artistas, técnicos, gestores e produtora culturais, estão os seguintes temas:

1 – Cumprimento da obrigação legal no que diz respeito à publicação do saldo orçamentário, em caixa, do exercício de 2018, independentemente de quantos projetos de editais anteriores estejam pendentes de pagamento;
2 – Quando do pagamento, por parte do GDF, de todos os projetos pendentes de anos anteriores, estima-se que sobrarão cerca de R$ 12 milhões de saldo orçamentário;
3 – Havendo reconhecimento, por parte do governo, deste saldo orçamentário disponível, a este seriam acrescidos outros R$ 31,6 milhões;
4 – Com isso, depois de pagos todos os projetos de editais de anos anteriores, cumprindo-se o que manda o citado no Inciso I, da LOC – Lei Orçamentária de Cultura, sobraram R$ 43,6 milhões de orçamento, para pagar projetos do primeiro bloco de editais;
5 – Pela experiência de gestores e produtores culturais, acompanhado a execução do FAC ao longo de anos, espera-se que este montante seja suficiente para pagar todos os projetos, que ficarem aptos, para serem pagos, até ao final deste ano; e
6 – Lançamento do primeiro bloco de editais de 2019, que deve ser publicado até dia 30 de abril, como determina a LOC, deverá contemplar projetos aptos a serem pagos até outubro ou novembro deste ano.

Para garantir que todo orçamento a contemplar projetos culturais ao longo de 2019, faz-se obrigatória a publicação (obrigatória por lei) do superávit do ano anterior. Caso contrário o valor total a ser executado não chegaria a 1/4 do que tem sido nos anos anteriores. O que provocaria uma irreparável crise no setor com desempregos, especialmente em regiões fora do Plano Piloto.


46473835445_9a87325ae5_b.jpg

Ricardo Callado16/03/20193min

Proposta é fomentar o desenvolvimento de projetos de inovação e capacitar cerca de 15 mil pessoas

Por Hédio Ferreira Júnior 

Com representantes da União e empresários da capital, o Governo do Distrito Federal (GDF) quer se unir a universidades para transformar Brasília em um polo desenvolvedor de tecnologia e inovação. O projeto de fomentar políticas públicas nesse sentido foi iniciado na tarde desta sexta-feira (15) durante uma reunião pioneira no Sebrae Lab, na Granja do Torto.

A proposta da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação e da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP) do DF é capacitar e gerar emprego a cerca de 15 mil pessoas no setor. Com a mão de obra especializada, o Distrito Federal não só atrairia empresas interessadas em se instalar por aqui como outros investimentos para a cidade.

Taguatinga, Guará e Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) são as regiões administrativas que mais empregam em Brasília, depois do Plano Piloto. Ceilândia, apesar de ser a mais populosa do Distrito Federal, tem pouco impacto no mercado de trabalho formal. “O intuito é qualificar a mão de obra local e implementar o ecossistema de inovação do DF, tornando-o referência”, informou o secretário adjunto de estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, Gustavo Alvares.

A capacitação profissional será voltada a todas as homens e mulheres de todas as idades, com expectativa de maior alcance entre os mais jovens. Brasília tem 40% da população de 16 a 24 anos fora do mercado de trabalho.

Para o presidente da FAP, Alexandre André dos Santos, a cocriação de políticas públicas de tecnologia e inovação é fundamental para valorizar o setor no DF. “É preciso impulsionar essa engrenagem para que ele gere emprego e renda, contribuindo e fomentando, assim, o desenvolvimento do Distrito Federal como um todo.”

(Com informações da Agência Brasília)



Sobre o Blog

Aos 14 anos, o Blog do Callado é um veículo consolidado, admirado por seus leitores e em sintonia com o público alvo: a população brasiliense. O blog é um site de opiniões e notícias com atualização diária, sem cunho ideológico. Dedica-se a oferecer aprimoramento da informação, com uma audiência qualificada.


NOS BASTIDORES DA CAIXA DE PANDORA

Pandora




Mídias Sociais

Twitter do Blog


FANPAGE Facebook

Facebook By Weblizar Powered By Weblizar



Parcerias